The Project Gutenberg eBook of Novo dicionário da língua portuguesa

This ebook is for the use of anyone anywhere in the United States and most other parts of the world at no cost and with almost no restrictions whatsoever. You may copy it, give it away or re-use it under the terms of the Project Gutenberg License included with this ebook or online at www.gutenberg.org. If you are not located in the United States, you will have to check the laws of the country where you are located before using this eBook.

Title: Novo dicionário da língua portuguesa

Author: Cândido de Figueiredo

Release date: March 8, 2010 [eBook #31552]
Most recently updated: January 6, 2021

Language: Portuguese

*** START OF THE PROJECT GUTENBERG EBOOK NOVO DICIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA ***

Thanks to Rita Farinha, Alberto Manuel Brandão Simões,

and the Online Distributed Proofreading Team at https://www.pgdp.net (This file was produced from images generously made available by National Library of Portugal (Biblioteca Nacional de Portugal).) Online searching available provided by Dicionário Aberto at http://dicionario-aberto.net

*O acordo autografico da lingua portuguesa*

O «Diario do Governo» de ontem publicou o seguinte:

Por ter saído com inexactidões, novamente se publica o seguinte acôrdo firmado entre a Academia das Ciencias de Lisboa, e a Academia Brasileira de Letras, em 30 de Abril de 1931, para a unidade ortográfica da lingua portuguesa, com a qual s. ex.^a o ministro concordou por seu despacho de 4 do corrente:

*Instrumento do acordo firmado entre a Academia das Ciencias de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras, em 30 de Abril de 1931, para a unidade ortografica da lingua portuguesa*:

A Academia Brasileira de Letras representada por s. ex.^a o Embaixador do Brasil, sr. dr. José Bonifacio de Andrada e Silva, e a Academia das Ciencias de Lisboa, representada pelo seu presidente, sr. dr. Julio Dantas, animadas do proposito de contribuir para a unidade e, consequentemente, para a maior expansão e prestigio da gloriosa lingua portuguesa, resolvem:

1.^o—A Academia Brasileira de Letras aceita a ortografia oficialmente adoptada em Portugal, com as modificações pela mesma Academia propostas nas bases que vão juntas ao instrumento deste acôrdo, devidamente rubricadas, e dele fazem parte integrante.

2.^o—A Academia das Ciencias de Lisboa aceita as modificações propostas pela Academia Brasileira de Letras, constantes das referidas bases.

3.^o—As duas Academias concordam em examinar em comum as duvidas que de futuro se suscitem quanto á ortografia da lingua portuguesa.

4.^o—As duas Academias obrigam-se a empregar os seus esforços junto dos respectivos Governos, a fim de que, em harmonia com os termos do presente acôrdo, seja decretada nos dois países a ortografia oficial.

Este instrumento é, na mesma data, assinado do Rio de Janeiro, representando a Academia das Ciencias do Lisboa s. ex.^a o Embaixador de Portugal, sr. dr. Duarte Leite Pereira da Silva, e a Academia Brasileira de Letras o seu presidente, sr. dr. Fernando de Magalhães.

Lisboa, Sala da Academia das Ciencias de Lisboa, 31 de Abril de 1931.—Pela Academia Brasileira de Letras, José Bonifacio de Andrada e Silva.—Pela Academia das Ciencias de Lisboa, Julio Dantas.

* * * * *

*Bases para um acordo ortografico propostas pela Academia Brasileira de Letras e aprovadas em sessão da Academia das Ciencias de Lisboa, de 19 de Março de 1931*:

§ 1.^o Eliminar:

1.^o As consoantes mudas: cetro, fruto, sinal em vez de sceptro, fructo, signal.

2.^o As consoantes geminadas: sábado, belo, efeito, em vez de sabbado, bello, effeito.

Exceptuam-se:

a) Os ss e rr: russo, carro.

b) O grupo cc, quando os dois cc soarem distintamente: sucção, secção.

3. O h mudo mediano: saír, tesouro, compreender.

Notas:

a) Mantêm-se os grupos ch (chiante), lh, nh: chá, velho, ninho.

Excepção:

Conserva-se o h mudo nos vocábulos compostos com prefixo, quando existir na lingua, como palavra autónoma, o ultimo elemento: inhumano, deshabituar, deshonra, rehaver.

b) As formas reflexivas ou pronominais do futuro e condicional dos verbos serão escritas sem h: dever-se-á, amar-te-ei, dir-se-ia.

4.^o O s do grupo inicial: ciência, ciática.

5.^o O apóstrofo: dêste, naquele, donde, outrora, estoutro, mãi-dagua, daí, dali.

§ 2.^o Substituir:

1.^o O k e o grupo ch (duro), por qu, antes de e e i, e por c, nos outros casos: querubim, monarca, quimica, quilo, Cristo, tecnico.

Nota.—Conserva-se a letra k nas abreviaturas de quilo e quilómetro, 2 ks. de sal; 50 k.^2; bem como nos vocábulos geográficos ou derivados do nomes proprios: Kiel, Kiew, kantismo.

2.^o O w por u ou v, conforme a pronuncia do vocábulo: vórmio, uigândias.

3.^o O y por i: júri, mártir, Pati, Andarai.

4.^o Os grupos ph, rh e th, por f, r e t: fósforo, retórica, tésouro.

5.^o O z final por s nas palavras como água-rás, português, país, após.

Nota.—Os nomes proprios portugueses ou aportuguesados, quer pessoais, quer locais, serão escritos com z final quando terminados em sílaba longa, e com s quando em sílaba breve: Tomaz, Garcêz, Queiroz, Andaluz; Álvares, Pires, Nunes, Dias, Vasques, Peres.

Observações:

Os nomes Jesus e Paris conservarão o s, visto a dificuldade de qualquer alteração.

No uso do s e do z médios segue-se o que determinam a etimologia e a historia da lingua.

6.^o O m por n nas palavras em que houver caído o p etimológico: pronto, assunto, isento.

§ 3.^o Grafar:

1.^o Com i as palavras que alguns escrevem com e e outros com i: igual, idade, igreja.

2.^o Com s as palavras que alguns escrevem com s e outros com ç: cansar, pretensão, dansa, ânsia.

3.^o Com ã, a sílaba longa: irmã, manhã, maçã.

4.^o Com ão os substantivos e adjectivos que alguns escrevem com ão e outros com am: aiórdão, bênção.

5.^o Com am o final átono dos verbos: amam, amavam, amaram.

6.^o Com ai, au, eu, iu e oi os ditongos que alguns escrevem com ae, ao, eo, io, oe: mãi, pau, céu, viu, herói.

Nota—Não sendo ditongo, permanece o digrama io: rio, fio, tio.

§ 4.^o Conservar:

1.^o O g mediano: legislar, imagem.

2.^o Os ditongos ue, õe: azues, põe.

3.^o Os varios sons do x (s, z, cs, ss, ch): excelente, exacto, fixo, próximo, luxo.

§ 5.^o Divisão silábica:

1.^o No infinitivo seguido dos pronomes lo, la, los, las, estes se transportarão para depois do hifen, acentuando-se a vogal tónica do verbo, de acôrdo com a pronuncia: amá-lo, dizê-lo.

2.^o Escrever-se-ão com hifen os vocábulos compostos cujos elementos conservam a sua independencia vernácula: pára-raios, guarda-pó, contra-almirante.

3.^o A divisão de um vocábulo far-se-á fonéticamente pela soletração e não pela separação etimológica de seus elementos: subs-cre-ver, sec-ção, des-ar-mar, in-ha-bil, bis-a-vó, e-xér-ci-to, nas-cer, des-cer.

§ 6.^o Nomes proprios:

Conservar nos nomes proprios estrangeiros as formas correspondentes vernáculas que forem de uso: Antuérpia, Berna, Cherburgo, Colónia, Escandinávia, Escalda, Londres, Marselha.

Observação.—Sempre que existam formas vernáculas para os nomes proprios, quer personativos, quer locativos, devem elas ser preferidas.

§ 7.^o Acentuação:

Reduzir os sinais gráficos que caracterizam a prosodia, de modo a corresponderem esses sinais á prosodia dos dois povos, tornando mais facil o ensino da mesma escrita.

Está conforme oom o original. Tem, em todas as folhas, o sinal da
Academia Brasileira de Letras e as rubricas: Magalhães—José
Bonifacio—Julio Dantas—Aquiles Machado.—O secretario geral, Aquiles
Machado
.

Direcção Geral do Ensino Superior e das Belas Artes, 9 de Maio de 1931.—O director geral, Francisco Nobre Guedes.

NOVO DICCIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA

TYP. DA EMPR. LITTER. E TYPOGRAPHICA (Officinas movidas a electricidade) 178, R. ELIAS GARCIA, 184-PORTO-1913

CANDIDO DE FIGUEIREDO

Da Academia das Sciências de Lisboa, da Aacademia Brasileira, da
Academia Espanhola, da Sociedade Asiatica de Paris, da Academia de
Jurisprudência de Madrid, do Instituto de Coimbra, etc., etc.

NOVO DICCIONÁRIO DA LÍNGUA PORTUGUESA

Redigido em harmonia com os modernos princípios da sciência da linguagem, e em que se contém quási o dôbro dos vocábulos até agora registados em todos os diccionários portugueses, além de satisfazer a todas as graphias legítimas, especialmente a que tem sido mais usual e aquella que foi prescrita officialmente em 1911

NOVA EDIÇÃO

Essencialmente refundida, corrigida e copiosamente ampliada

*Volume I*

1913

Livraria Clássica Editora de A. M. TEIXEIRA 20—PRAÇA DOS RESTAURADORES—20 *LISBOA*

CONVERSAÇÃO PRELIMINAR

(DA PRIMEIRA EDIÇÃO)

I

*Razão da obra*

A história dos diccionários da língua portuguesa, de par com alguns deploráveis documentos de insciência, de leviandade e de mera exploração mercantil, offerece á nossa admiração perduráveis monumentos de muito saber, de laboriosas e inestimáveis investigações, de honestíssimo e profícuo trabalho.

Está certamente na consciência de todos o altíssimo serviço, prestado ás letras nacionaes por Bluteau, que, lutando com a carência de trabalhos similares na sua pátria adoptiva, inaugurou brilhantemente a lexicographia portuguesa; por Moraes e Silva, cuja obra foi, relativamente aos fins do século XVIII, invejável título de glória; pelos obscuros e illustradíssimos autores do primeiro e único volume do Diccionário da Academia Real das Sciências, esmagados ante-sazão pela enormidade e pêso daquelle meritório emprehendimento; e ainda em tempos mais próximos de nós, pela clara e sisuda intelligência, que se reconhece na organização do Diccionário Contemporâneo.

Não menciono mais, porque só adduzo exemplos.

Infelizmente, todos que sabem lêr terão certamente observado que, sendo cada diccionário geralmente vazado nos moldes dos diccionários que o precederam, succedeu que a língua andou e os diccionários pararam.

E pararam, sem que ao menos tivessem conglobado em vocabulário a maior parte dos thesoiros, disseminados nos nobiliários, nos cancioneiros, nas chrónicas quinhentistas, em Gil Vicente, em Bernardim Ribeiro, em Vieira, em Filinto…

Pararam, e a esphera da linguagem foi-se ampliando successivamente, não só por effeito de numerosas derivações internas, senão também, e principalmente, pela formação e diffusão da moderna technologia scientífica, artística e industrial, pela permutação internacional de muitas fórmulas, pela febre do neologismo, e pela necessidade de dar nome a coisas e factos que nossos avós desconheceram.

Ora, desde que eu senti em mim o mofino sestro de cultor das letras, preoccupou-me e dissaboreou-me sempre a falta de um vocabulário, que me dirigisse no estudo dos mestres da língua, desde Fernão Lopes até Camillo; na applicação de milhares de lusitanismos, conservados amoravelmente pelo povo de todas as nossas províncias, mas desconhecidos dos diccionaristas; na avaliação da nossa riquíssima technologia rural, da technologia artística e scientífica; no conhecimento da fauna e da flora do nosso ultramar e até do nosso próprio continente.

Abria os diccionários menos imperfeitos ou de melhor nomeada,—O Contemporâneo, por exemplo,—e nem ao menos alli se me deparavam vocábulos de uso corrente e vulgaríssimo, como paulada, bruxedo, deferimento, saliência, caudelaria, palheiro, plagiar, plangente, granjear, prefaciar, desvirar, saguão, agrupamento, propositado, promptificar-se, reconsiderar, reproductor, ruço, têxtil, empanturrar, guerrilheiro, etc., etc.

De centenares de vocábulos, com que Vieira, Filinto e Camillo enriqueceram a sua língua, raramente se me deparava um sequer nos léxicos portugueses!

Da antiga e moderna technologia das artes e sciências rara notícia me davam os lexicógraphos nacionaes.

Da linguagem popular, privativa desta ou daquella província, tratára um ou outro literato, um ou outro folclorista; os diccionaristas, êsses não desceram da esphera da linguagem erudita, restringida, ainda assim, á quinta parte da linguagem dos eruditos.

Isto, quanto á pobreza de vocabulário. Quanto a erros de doutrina, aliás communs aos melhores diccionários, não me podiam êlles surprehender, visto como um diccionário, não obstante a maior autoridade e competência do seu autor, é o trabalho literário mais susceptível de imperfeições, e ocioso será o justificar esta these.

Por isso, embora o respeitável Moraes e outros distintos lexicógraphos errem ao definir licranço, pesebre, teiró, croca, pieira, calambrá, rocló, lacrau, baceira, cerva, maniqueira, corça, torneja, gallacrista, etc.; embora registem palavras que nunca existiram, como igarvana, garna, fomo, fangapena, marapinina, frondíbalo, etc.; embora mandem lêr adípe, (que é ádipe), alcácel, (que é alcacél), caguí, (que é çagüí, ou sagüí), mucuna, (que é mucuná), gombo, (que é gombô), etc.; embora perpetrem manifesto arbítrio e notáveis irregularidades em prosódia, tornando ora paroxýtonas, ora proparoxýtonas, palavras de formação similar, como hydrocéle, epiplócela, etc., etc., não era por esse lado que mais facilmente se justificaria o accréscimo de mais um diccionário a tantissimos que enxameiam o escasso mercado nacional; mas, sim, pela assombrosa deficiência de vocábulos ou artigos, imprescindíveis em qualquer inventário da língua nacional.

E, a êste propósito, não será ocioso memorar que muitos diccionaristas conheceram e usaram, no decurso das suas obras, expressões que não registaram no competente lugar do vocabulário, ou porque, redigindo um artigo, não souberam recordar-se dos termos que usaram noutro, ou porque, distribuida a obra por collaboradores diversos, o autor dos artigos relativos á letra A, por exemplo, não conhecia os termos de que se serviria o autor dos artigos da letra Z.

E assim é que, na grande obra de Frei Domingos Vieira,—e só me refiro aos artigos de uma letra,—debalde procuraremos pelagiano, perómelos, phene, patigabiraba, picaveco, plumbear, panarei, etc., etc. E, contudo, o autor ou os seus ampliadores conheceram e empregaram aquelles termos, ao definir marmanjo, albatroz, batrachio, benzina, côco, azerar, calhamaço, etc. No bom Diccionário Contemporâneo, inutilmente procuraremos os vocábulos assexuado, arachnidas, herva, carácias, chenopódias, spermatozoides, camomilla, gorilla, gálleas, parrochiano e parróchia, trachinídeos, decapódeos, escomberoides, avessar, termillionésimo, azaro, lóio, etc.; e contudo o autor ou os autores da obra serviram-se delles, com fundamento ou sem êlle, ao definir abelha, ácaro, alquequenje, ambeta, anserina, antherídea, anthêmis, anthropomorphos, aparinas, aparrochiar-se, aranha, astacites, atum, avessado, avo, azeredo, azulóio, etc.,—e só me refiro a vocábulos da letra A.

Em taes casos, é a falta de méthodo, e sobretudo o facto ou a necessidade de muitos collaboradores da mesma obra, o que determina sensíveis lacunas, sem desabono da competência e saber de quem dirige a obra.

E todavia taes casos, embora dignos de nota, não accusam, como é de vêr, as principaes deficiências dos nossos mais estimados diccionários: as deficiências capitaes referem-se á linguagem popular, á linguagem culta, antiga e moderna, á technologia scientífica, etc., e foi especialmente neste campo que eu, durante vinte e dois annos, despendi larga parte dos meus cuidados e trabalho.

II

*Materiaes da obra*

Nado e criado entre as serranias da Beira, nunca achei exaggerado o parecer de Camillo, quando o celebrado escritor chamava ao povo o melhor dos nossos clássicos; e, tendo ao depois residido annos nas provincias do Doiro, do Alentejo e da Extremadura, mais se me arraigou a convicção de que o povo é realmente um grande mestre da língua, embora êlle o seja inconscientemente, e embora mui raramente o hajam consultado diccionaristas, a revêzes preoccupados de prosápias acadêmicas.

Desadorada pelos lexicógraphos, a linguagem popular mereceu-me longos e especiaes cuidados, que reverteram na colheita de mais de seis mil vocábulos e locuções que não andavam nos diccionários, mas que o povo tem guardado religiosamente por essas províncias em fóra.

É muitas vezes incerta a origem ou formação dessas expressões; mas, muitas outras vezes, ali se nos deparam preciosos lusitanismos, apropriadas dicções, e até numerosos termos, que os eruditos têm tido a ingenuidade de capitular de archaísmos!

Poderiam centuplicar-se os exemplos justificativos dêste assêrto, mas poucos bastarão. Nos escritores e manuscritos antigos deparam-se-nos expressões que os eruditos têm relegado para os domínios do archaísmo ou, pelo menos, da linguagem desusada. Taes são: claror, luxar (sujar), grossor, gerecer-se, calleja, almofia, doairo, traguer (trazer), nembro, estrancinhar (usado no Cancioneiro da Vaticana), confita, (na Eufrosina), engaço (ancinho), ceivar, orreta, gocho (nas comédias de Simão Machado), sorça (nas Lendas da Índia), adôrádo, busaranhos, (em Gil Vicente), agra, bramante (por barbante), quartapisa, seto, ril, tenreiro, gaiar, guaiar, legão, cofinho, inorar, etc. E contudo, quem percorrer as nossas províncias, sobretudo quem penetrar nos desviados rincões, donde o caminho de ferro e a concomitante civilização ainda não expungiram tudo que há de usanças e locuções avoengas, ouvirá pronunciar commummente no Algarve claror, luxar (sujar), grossor; na Beira, gerecer-se, calleja, almofia, doairo, traguer (trazer); no Minho nembro, estrancinhar, confita, engaço (ancinho); no Ribatejo, ceivar; em Trás-os-montes, orreta, gocho, sorça, adôrádo, busaranhos; em Aveiro, agra, etc. E, em quási todas as províncias poderá ouvir as dicções antigas incréu, descudar, hétigo; bellos lusitanismos como verguio; e, mormente em Trás-os-montes, puros latinismos, como hedra, por hera. Etc.

Ainda cheguei a tempo para incluir no inventário da língua nacional milhares de verbas, que àmanhan estariam sonegadas por essa insaciável cabeça de casal, que se chama civilização, o que, desculpando-se com os seus intuitos nobilíssimos, procura locupletar-se á custa de tudo e apesar de tudo.

Àmanhan seria tarde; e exceptuando o que Camillo salvou com os seus livros e o que algum devotado folclorista tem recolhido acaso, pouco ficará, entre o povo, da bôa e antiga linguagem portuguesa. Falo por experiência: há trinta annos, ainda aprendi nas aldeias da Beira numerosas fórmas de dizer, de perfeito cunho local e de acentuado sabor português; hoje, parte dellas, não as oiço por lá, e acho-as substituídas ás vezes pela gíria da cidade e pelo neologismo, ora inútil, ora tolíssimo. A locomotiva, ou antes, a locomotora, esfumou aquelles cerros e valles, e a vegetação secular vai cedendo terreno a plantas novas, entanguidas e ephêmeras…

Nem tudo porém se perderá; e, sobretudo se houver devoção para colher e archivar os numerosos provincianismos, de que, apesar dos meus esforços, não consegui tomar conhecimento e que porventura ainda vão resistindo á foice que os ameaça, a Philologia terá nelles valiosos subsídios para a história crítica da língua, e a língua poderá continuar a ufanar-se da sua excepcional flexibilidade e belleza, e do seu numeroso vocabulário, irrivalizável talvez, se o defrontarmos com o das outras línguas românicas.

* * * * *

Na classificação dos provincianismos portugueses, nem sempre pude seguir uma norma absolutamente rigorosa. A um termo, que se ouve pelo menos em Mogadoiro, em Miranda ou em Vinhaes, chamei provincianismo trasmontano, sem que isso signifique que êlle é usado em toda aquella província ou que não é usado fóra della. Uma vez ou outra,—raramente,—designo a localidade, (termo de Alcobaça, termo de Coímbra, etc.), por tôr a probabilidade de que o termo respectivo só ali é usado. Também, quando chamo a um vocábulo provincianismo beirão, quero dizer que êlle é falado, pelo menos, numa das duas Beiras, (Alta e Baixa), ou até só em parte de uma dellas. Da mesma fórma, há provincianismos alentejanos, que não são conhecidos no Alto Alentejo, e outros, que os distritos de Beja e Portalegre não conhecem.

Vá isto á conta de esclarecimento, como de quem, assentando numa classificação que o não satisfaz absolutamente, não achou processo mais simples nem mais próximo da verdade.

* * * * *

Mas a linguagem portuguesa não é só a linguagem popular de hoje; é também a linguagem popular antiga, e a linguagem culta, antiga e moderna.

Sôbre a linguagem popular antiga, foram-me excellentes subsídios os autos e comédias de Gil Vicente, António Prestes, Jorge Ferreira, Simão Machado; e para o estudo da nossa linguagem culta de todos os tempos, não foi sem grande assombro que eu achei, ainda inexplorados pelos diccionaristas, não só os cancioneiros e chrónicas dos primeiros tempos da nossa língua, não só Fernão Lopes e Gil Vicente, senão também os monumentos literários de Vieira, Francisco Manuel, Filinto, José Agostinho, Castilho, Latino, Herculano, Camillo, e tantos outros. Só em António Vieira, depararam-se-me mais de quatrocentos vocábulos, que eu nunca vira em diccionários. Em Gil Vicente e Filinto, mais numerosa foi ainda a colheita.

E nada desperdicei do que fui colhendo: archaísmos e neologismos, derivações violentas e até erróneas, termos de significação duvidosa ou obscura, tudo alphabetei e reproduzi, julgando cumprir um dever.

Bem sei que os menos experientes em trabalhos desta natureza hão de acoimar-me de nimiamente tolerante, com respeito a locuções injustificáveis. Mas ao diccionarista não impende o tolerar ou vedar o uso ou abuso de tal ou tal locução: o diccionarista tem, como dever capital, o reproduzir factos e interpretá-los. Se entende que um vocábulo está corrompido ou que é mal formado, se o julga neologismo inútil ou disparatado, consigna o que entende, mas regista o vocábulo.

Os próprios mestres têm extravagâncias, que ao diccionarista não é lícito expungir. Vejam o manti-costumes, o mil-lindo, o mil-gamenho, o mulhermente de Filinto, o lucreciamente de Camillo, etc.

Mas onde a crítica fácil mais convictamente me alvejará é na inscripção, que eu faço, de gallicismos intoleráveis. Não alongarei justificações, afóra o que dito fica sôbre a missão do consciencioso diccionarista; mas apraz-me notar que, embora a francesia e o barbarismo em geral não sejam defeitos vulgares em livros meus, eu nem sempre condemno o estrangeirismo que não pratíco. Por uma consideração: é que nós não sabemos se o gallicismo, hoje intolerável, será àmanhan palavra portuguesa e, como tal, fará parte do thesoiro da língua.

E esta incerteza é confirmada pela história. Raro será o clássico, antigo ou moderno, que não tenha perpetrado gallicismos, passando êstes ao domínio da língua. Basta citar garção, abrevar, minhão (pequeno), mancar (faltar), etc.

Um purista, que vivesse há quatro ou cinco séculos, devia sentir ondas de indignação, quando visse começar a usar-se libré, arranjar, ferrabrás, marau, freire, grifa, genebra, bilhete, betarraba, besonha, febre_ (adj.), petigris, poteia, poterna, abreuvar, assembleia, petimetre, grelo, gaio (alegre), gage, greu, moéla, gredelém, etc., porque todas essas palavras eram puras francesias; hoje… são portuguesas. ¿Quem sabe o que succederá aos mais intoleráveis gallicismos de hoje?

E possível que os alludidos neologóphobos abranjam na sua phobia o registo, que eu faço, de muitos centenares de termos de gíria, como estranhos á linguagem othodoxa e grave dos pontífices literários. Aos taes bastará ponderar que não há pontífice literário que inflija excommunhão maior ao vocabulário da gíria, porque está relacionado por muitos vínculos á linguagem geral, offerece por vezes o facto notável de derivações erudítas e tanto se abeira amiúde da linguagem popular, que se torna diffícil traçar a divisória.

Estão neste caso as cangalhas (óculos), catrafilar (prender), estalo (bofetada), esticar (morrer), massa (dinheiro), penante (chapéu), pireza (fuga), refilar (reagir), tóla (cabeça), valente (alavanca para arrombar), etc., etc.

Accrescentando-se que os diccionaristas e philólogos, como Bluteau, Diez, Cornu, Schuchardt, Michel, e muitos outros, têm dado ao calão ou gíria a importância que os ingênuos poderão negar-lhe, nada mais opporei aos reparos, com que, a propósito de gíria, foram recebidas as primeiras fôlhas desta obra por um ou outro crítico inoffensivo e anónymo.

* * * * *

Não se limitam os meus estudos e investigações á linguagem escrita e falada no continente português:—Explorei também a linguagem popular dos archipélagos açoreano e madeirense; e, detendo a attenção na linguagem vulgar entre os Portugueses das nossas possessões ultramarinas, realizei larga colheita de expressões locaes, concernentes a usos, costumes, administração pública, vestuário, ceremónias e crenças indigenas de Angola, Moçambique, Estado da Índia, Macau e Timor.

Mas o português não é sómente a língua de Portugal e das suas possessões: fala-o uma grande nação, que se emancipou da nossa velha soberania, mas que não enjeitou o idioma, com que levámos a civilização europeia aos sertões da América do Sul.

Succede porém que o português do Brasil não é precisamente o português europeu: recebeu numerosos termos da população indígena, e o tupi entrou como elemento constituinte no organismo da moderna linguagem brasileira. Ora, desde que um diccionário é destinado a todos os povos que falam português, não póde prescindir dos termos brasílicos, que são inseparáveis da linguagem portuguesa, praticada além do Atlântico.

Consultei portanto vocabulários brasileiros; li poétas, romancistas, críticos e grammáticos daquella nação; falei pessoalmente com muitos brasileiros, e, de todas estas diligências resultou para êste Diccionário o registo de mais de sete mil brasileirismos, que nunca haviam entrado em diccionários da língua portuguesa.

Note-se entretanto: nem todos os termos, a que eu apponho a nota de brasileirismos, e que como taes são considerados pelos mais conspícuos vocabularistas, como Beaurepaire-Rohan, provieram dos tupís ou fôram criados por brasileiros. Muitos dêlles são velhos portuguesismos, que partiram daqui com os descobridores e colonizadores das terras de Santa-Cruz, e que lá vivem e prosperam ainda, sendo aqui já esquecidos ou mortos. Assim é que a conjunção si que, no português, é hôje privativa do Brasil foi usada por clássicos nossos; usou-a, por exemplo, Garcia da Orta, nos seus Collóquios. O vocábulo perendengues, se não partiu de cá, foi de lá recebido há muito e entrou no português dos mestres; usou-o Filinto, pelo menos. A geriza, o agir, o faneco (pedaço de pão), a alfafa ou alfaifa, o guaiar, etc., são bons e velhos vocábulos portugueses, de que nós nos esquecêmos quási, mas que os Brasileiros, para vergonha nossa, sabem alimentar e prezar. Sob êste ponto de vista, a inscripção de muitos vocábulos brasileiros equivale, creio eu, á rehabilitação pública de alguma coisa, injustamente comdemnada pela ingrata pátria…[1]

* * * * *

Para a inscripção da technologia scientífica, de pouco me valeram os lexicógraphos portugueses que escreveram antes de mim.

A tal respeito, foram sempre vulgares as queixas de professores e estudiosos contra a falta de um vocabulário nacional, que comprehendesse com alguma largueza a technologia mais corrente entre os homens de sciência.

Dei-me ao trabalho incalculável de estudar nas fontes respectivas a technologia botânica, geológica, anatómica, philosóphica, médica, chímica, radiográphica, etc.; e muitas vezes, á mingua de competência encyclopédica, tive de me soccorrer da competência e obsequiosidade de muitos dos nossos mais notáveis homens de sciência, aos quaes se deve certamente o melhor quinhão nos serviços que êste livro possa prestar aos estudiosos de technologia scientífica.

Confessarei, sem hesitar, que uma das sciências, em que se me depararam maiores dificuldades, foi a Botânica geral:—Num diccionário da língua, ¿até onde deveria chegar o registo dos seres vegetaes, dos seus órgãos e dos seus phenómenos biológicos? A quem deveria eu seguir nas classificações do reino vegetal? Linneu? De-Candolle? O Congresso de Paris de 1867?…

Pela sua importância collectiva e scientífica, aquelle Congresso impunha-se-me naturalmente com as suas decisões; mas a classificação que propôs,—classe, sub-classe, cohorte, sub-cohorte, ordem, sub-ordem, tribo, sub-tribo, gênero, sub-gênero, secção, sub-secção, espécie, sub-espécie ou prole, variedade, sub-variedade, variação, sub-variação, planta,—além de se me figurar um tanto casuística, obrigar-me-ia a minúcias pouco compatíveis com a precisão, simplicidade e clareza que me cumpria observar; e assim, reduzindo todos os graus daquella classificação ao menor número possível sem offensa da sciência, acostei-me á simples e clara taxinomia das familias, tribos, gêneros e espécies.

No que eu respeitei, quanto pude, o referido Congresso, foi em preferir a terminação áceas á terminação ídeas, íneas, íceas, etc., ao designar famílias vegetaes: amomáceas, em vez de amómeas; lauráceas, em vez de lauríneas; rhamnáceas, em vez de rhâmneas; myrtáceas, em vez de myrtíneas, etc., respeitando embora as fórmulas consagradas das gramíneas, leguminosas, labiadas, etc.

Mas não eram simplesmente taxinómicas as difficuldades que a Botânica me oppunha: provinham também da amplitude numérica, que, num diccionário da língua, se deveria dar aos gêneros e espécies do reino vegetal.

A tal ponto se tem desenvolvido há um século o estudo da Botânica que, não sendo conhecidos ainda 2:000 gêneros em tempo de Jussieu, (fins do século XVIII), o número dêlles sobe hoje a mais de 8:000, segundo o cálculo de Ducharte; e orça-se em 600:000 o número das plantas actualmente conhecidas! Há cincoenta annos, em tempo de Lasegues, nem 100:000 se conheciam aínda.

É verdade que muitos milhares de plantas aínda não perderam a sua designação exclusivamente scientífica e difficilmente se adaptariam dêsde já á nossa linguagem vulgar; mas muitíssimas há, cujo nome é perfeitamente romanizável, como outras há, em que a designação vulgar e a scientífica precisamente coincidem, tão estreito é o parentesco entre o português e o latim.

Occorri á difficuldade, conciliando, quanto em mim coube, a conveniência, se não necessidade, de enriquecer um diccionário da língua com um amplo onomástico botânico, e a impossibilidade de realizar nesse diccionário o que aínda não conseguiram os próprios vocabularistas botânicos.

E assim, quanto á Botânica geral, registei com inusitada amplidão o onomástico das famílias e dos gêneros, e só me detive nas espécies que se recommendam pelas suas qualidades medicinaes, ornamentaes, etc.

Quanto porém á Botânica portuguesa, continental e colonial, e quanto á Botânica brasileira, tudo me aconselhava que registasse quanto as minhas investigações me deparassem.

Neste ponto, e ao passo que noutros diccionários só se havia dado plausível attenção à Botânica europeia, tive a satisfação de trazer para a lexicographia numerosíssimas espécies da nossa flora africana, asiática e oceânica, bem como da flora brasileira. No Museu da Sociedade de Geographia, nos jardins botânicos da Escola Polytéchnica de Lisbôa e da Universidade de Coimbra, nos livros de Garcia da Orta, Capello e Ivens, Serpa Pinto, Sisenando Marques, Stanley, Henrique de Carvalho, Levingstone, Ficalho, Lopes Mendes, Pedroso Gamito, Dalgado, e outros, pude colher notícia de muitos centenares de espécies vegetaes, que ainda hoje valorizam o nosso império colonial e que, pela primeira vez, enriquessem agora um diccionário da língua; e, para o largo registo que faço da flora brasileira, de muito me serviram os largos de estudos do Dr. Caminhoá, de Del-Vecchio, de Araújo Amazonas, de Brás Rubim, de Beaurepaire-Rohan, etc.

Na própria Botânica do nosso país, e não obstante o muito que já lhe consagraram outros diccionários, tive ensejo de reconhecer, pelos livros dos nossos ampelógraphos, pelos relatórios dos agrónomos, pelos jornaes de agricultura e pelo trato directo com a gente do campo, que muitos frutos e muitíssimas espécies de plantas úteis ainda não pertenciam á lexicographia, tendo eu que registar mais de 1:500 variedades de videiras, e numerosos frutos, que entraram há muito na linguagem do povo e que só agora entram no vocabulário português.

* * * * *

Na parte scientífica do meu léxico, não foi sómente a Botânica o que me abriu campo extenso e diffícil: a Chímica não me offerecia muito menores difficuldades.

Relendo livros e consultando professores, também me surgiam hesitações sôbre o ponto até onde deveria estender-se o registo da nomenclatura chímica num diccionário da língua. Depois de haver colhido nesse campo muitíssimo mais do que os meus confrades em lexicographia, suspendi a colheita quando conheci a impossibilidade ou a desnecessidade de proseguir. Foi quando vi que os chímicos, lutando com a difficuldade de designar um composto por uma palavra normalmente organizada ou derivada, formavam de muitos elementos um só termo, que só poderá quadrar ás altas especulações scientíficas ou ás memórias secretas dos laboratórios. Para um diccionário, pareceu-me inútil, se não muito estranhável, aproveitarem-se fórmulas como esta: paranitrophenyldehydrohexonecarboxýlico; ou como esta: oxyditrichloroethylidenadiamina.

Quando muito, vocábulos com dimensões análogas, só me aventurei a registar a pentadecylparotolylcetona, pela sua estreita relação com a radioscopia; phenylhydroquinazolina, e pouco mais.

E não foi só a exagerada complicação das fórmulas adoptadas recentemente pelos nomencladores chímicos o que fez sustar o passo nas minhas excursões por aquella província do saber humano; foram também, não direi o abuso, mas o arbítrio, com que a pharmacologia de hoje se dá ao apparatoso luxo de inventar vistosos rótulos para os seus productos, á custa da Chímica e da Pathologia.

Entretanto, pelo esfôrço próprio e pela cooperação de alguns dos nossos mais notáveis homens de sciência, consegui registar largamente a nomenclatura chímica, em visível desproporção com o que até agora, e a tal respeito, se tinha feito em trabalhos congêneres.

* * * * *

Com a Entomologia, vi que se davam factos análogos. Se eu me despreoccupasse de outras considerações e attendesse exclusivamente ao plausível intuito de registar vocábulos que não há noutros diccionários da língua, ampliaria desmedidamente a colheita que fiz naquella especialidade scientífica. Tenho effectivamente ao meu alcance os nomes de milhares de insectos, nomes que eu não registo, não só porque o bom senso e a lexicologia estabelecem limites entre um diccionário da língua e um diccionário especial, senão também, e principalmente, porque procurei dar ao meu trabalho a possível unidade e refugir ás desproporções, de que enfermam outros léxicos, nomeadamente, a meu vêr, o grande diccionário de Larousse.

E, contudo, nenhum diccionário português apresentou ainda tão copioso vocabulário entomológico, como o diccionário que estou prefaciando.

* * * * *

Em Ornithologia, consegui refundir lexicographicamente o respectivo vocabulário, não só ampliando com centenares de variedades o registo, por outros feito, das aves portuguesas, mas também dando dellas noção mais exacta, do que aquella que até hoje podiamos adquirir pelos diccionários.

E, de facto, é vulgaríssimo vermos definidos, como nomes de animaes diversos, o gaivão, o zirro, o pedreiro, o guincho, o ferreiro, o andorinhão, o arvião, o catavento; quando, afinal, eu pude verificar que todos êsses nomes,—cada qual em sua província ou localidade,—são dados á mesma ave, o gaivão, embora um ou outro sirva excepcionalmente para designar, ao mesmo tempo, outra ave.

O mesmo succede com o abibe, cujo nome varía de região para região, podendo nós, se percorrermos o país inteiro, ouvir que lhe dão os nomes de bibes, víbora, abesconhinha, avetoninha, ave-fria, gallispo, matoninha, verdizella, choradeira, galleno, coím, donzella-verde, galleirão, avecoínha, còninha; além de que, na Madeira, esta ave tem os nomes de bibi, bisbis, guizinho, melrinho-das-urzes, melrinho-da-serra, melrinho-dos-pereiros, pintasilgo-derrabado.

E mais extraordinária é ainda a megengra, que, variando o nome, segundo as localidades ou regiões, chega a reunir os seguintes nomes: chapim, cedovém, patachim, pinta-caldeiras, fradisco, fura-bugalhos, ferreiro, mezengro, parachim, cachapim, papa-abelhas, chincharavêlha, fradinho, semeia-linho, chinchinim, caldeirinha, rabilongo!

Êstes e outros factos análogos, facilmente verificáveis, dão-me a persuasão de que a parte ornithológica desta obra revela os devidos escrúpulos, o possível rigor, e sensíveis melhorias na lexicographia nacional.

O autor, neste caso e em casos semelhantes, não fala por vaidade nem faz alarde de serviços e méritos: julga cumprir um dever, historiando os seus processos e o seu trabalho, para auxiliar o leitor no conhecimento e avaliação da obra. Contraprovadas por êste as allegações e os factos, fica-lhe o pleníssimo direito de julgar a obra como lhe aprouver. Mas, antes que a julgue, requeiro que me oiça.

* * * * * A Ichthyographia e a Conchyliologia também me facultaram importantes acquisições lexicológicas, por intermédio dos autorizados estudos de Felix Capelo, Barbosa du Bocage, Baldaque da Silva, A. Girard e muitos outros.

* * * * *

Mais importantes ainda fôram as contribuições que eu devo á Anatomia, á
Medicina geral e, especialmente, á Ophtalmologia, á Psychiatria, á
Homeopathia, á Electrotherapia, etc.

Os mais conspícuos especialistas nestas sciências distinguiram-me com as suas luzes, com os seus livros, com o seu carinhoso auxílio, o que me autoriza a affirmar que em nenhum diccionário português essas sciências lograram ainda tão largo espaço como na presente obra.

O mesmo se póde dizer da Radiographia, da Veterinária, da Agricultura, da Geologia, da Architectura, das indústrias fabris, da Náutica antiga e moderna, da Pedagogia, da arte militar, da Velocipedia, do Espiritismo, dos offícios mecânicos, da Jurisprudência, das antiguidades gregas e romanas, da Ethnologia, dos jogos, danças, e usos populares, etc., etc.

Procurei não omittir os mais recentes descobrimentos em qualquer esphera da actividade humana,—o cinematógrapho, a icérya, o radioscópio, a melinite, o acetylene, e tantíssimos outros; e, dando ao meu trabalho feição sensívelmente encyclopédica, obedeci ao propósito de basear em novos processos uma obra que, não podendo têr tudo, tivesse ao menos alguma coisa de tudo e de novo.

III

*Processo da obra*

Reunidos os materiaes através de duas dezenas de annos e á custa de incompensáveis fadigas, dois caminhos se me antolhavam:—Organizar um desenvolvido diccionário que poderia abranger seis a oito grossos volumes; ou synthetizar aquelles materiaes no mais limitado espaço.

Na primeira hypóthese, seria mister um editor arrojado, se não temerário, o que é raro; e ao autor, seria mister vida longa, o que é ainda mais incerto. Aventurei-me á segunda hypóthese, e nem por isso foi menos arrojado o meu saudoso amigo e honradíssimo editor[2], que não hesitou em jogar sôbre o meu trabalho uma dezena de contos de réis.

Uma condição me impôs apenas: reunir todos os materiaes, colhidos por mim, a tudo que os outros diccionários tivessem de aproveitável, e organizar uma obra, cujo preço a não tornasse incompatível com os recursos pecuniários da maioria do público que lê.

Daqui a índole visivelmente sinthética do Novo Diccionário. A quem ella não aprouver bastará ponderar que uma sýnthese em dois grossos volumes só por convenção se chama sýnthese e corre já o perigo de exceder a condição do editor e as intenções do autor.

Obedecendo a estas e àquella, na redacção primitiva do Diccionário não havia sequer uma citação de autor ou de obra estranha. Por êsse lado todavia,—e só por êsse lado,—senti não têr de recomeçar a obra, porque reconheci a conveniência de justificar com uma autoridade o registo de tal ou tal vocábulo, de tal ou tal accepção.

Era tarde para voltar atrás, e seria quási impossível recordar, entre centenares de livros, o livro e a página que contribuiu para o meu vocabulário.

Como porém um triste successo retardou por dois annos a publicação da obra, e como até hoje nunca cessou a colheita de novos vocábulos e novas accepções, pude remediar o que era remediável, e, nas novas colheitas, pude justificar com citações succintas o registo de um ou outro vocábulo, de uma ou de outra accepção.

A linguagem não é inventada pelos diccionaristas: falada ou escrita, registam-na, e deixam a responsabilidade della aos que a criaram.

Mas há circunstâncias, em que a menção de um vocábulo poderia sêr apodada de destempêro pelos leitores mais inclinados á maledicência do que á justiça.

Assim, quando eu registo um barbarismo inútil ou um neologismo ousado, a crítica fácil poderia suppor que eu inventei, ou que perfilho, como escritor, a novidade, se eu não lançasse o termo á conta alheia, citando o inventor ou o patrono. Estão nêste caso os neologismos mesmice, desenfechar, e tantos outros.

Da mesma fórma, se eu registasse os advérbios mulhermente, lucreciamente, lapantanamente, o substantivo manticostumes, o adjectivo minotaurizado, difficillissimo, digressoar, dormitólogo, donairíssimo, fósmea, flavibico, clystermente, etc., e não mostrasse logo que essas originalidades são da responsabilidade de Filinto, Camillo, etc., poderiam suppor ingênuos que eu estava brincando com quem me lê[3].

Por outro lado, colligi numerosos vocábulos, cuja significação não resalta do texto em que se me depararam. Claro é que, em tal hypóthese, o processo preferível é registar o vocábulo e citar o texto respectivo, para que os leitores o interpretem, se puderem.

Muitas vezes, se não quási sempre, as referências a obras alheias levam a indicação do tomo e página respectiva, não só para se facilitar a contraprova ao leitor escrupuloso, se não também e principalmente para obviar ás supposições gratuitas de críticos praguentos e mal intencionados, que, julgando por si os mais, admittem a possibilidade de que qualquer escritor tenha a improbidade de inventar citações por conveniência própria.

É verdade que, em muitos casos, a obra citada teve duas ou mais edições, e é diversa a paginação destas, difficultando assim o cotejo. Em todo caso, a difficuldade não é impossibilidade; importa apenas algum trabalho para o crítico mais minudencioso, por têr de consultar diversas edições da mesma obra.

Excepcionalmente, cito uma ou outra locução sem indicar as fontes escritas, porque a recebi da linguagem oral ou dos registos avulsos e dispersos do falar do povo, como as canções populares, os prolóquios, etc.

* * * * *

Seguindo bons exemplos,—e bastar-me-ia o de Littré,—registei, a par do vocabulário português, alguns vocábulos e locuções que pertencem a outras línguas, mas que são, mais ou menos commummente, usados e, em geral, necessários em nossa linguagem falada e escrita. Taes são deficit, Te-Deum, item… Tive porém o cuidado de os preceder da indicação de alheios ao português e de indicar a língua a que pertencem, para que, ao escreverem-se, sejam devidamente sublinhados ou griphados, não vá alguém confundi-los com o que é lidimamente nosso.

* * * * *

Há toda a conveniência, e de bom grado a subscrevo, em que se annotem de archaísmos os termos que se afastam da linguagem commum do nosso tempo e da prática dos mestres contemporâneos. Reconheço porém a difficuldade de, em muitos casos, capitular de archaico um termo que, pela primeira vez, nos occorre em documento antigo. Nenhum de nós, os que escrevemos, conhece metade dos termos da sua língua, e, como já notei, muitos julgarão archaico um vocábulo, que só vimos usado em escritores quinhentistas ou pre-quinhentistas, e que póde deparar-se-nos acaso no uso corrente de alguma região portuguesa, e até na escrita de algum escritor moderno.

Entretanto, não poupei a nota de antigos ou de simplesmente desusados aos vocábulos que me parecem não têr chegado ao uso do nosso tempo ou, pelo menos, aos escritores portugueses do último século.

Essa nota porém não quere dizer que todos êlles sejam pertença exclusiva de épocas findas e que não possam nobilitar e enriquecer a escrita moderna, embora a adaptação dependa de muito bom senso, alguma autoridade, e de opportunidade sempre. Succede, até, que muitas expressões, realmente de cunho antigo, tendo pertencido a usos e instituições que passaram, hão de necessariamente empregar-se ainda hoje, sempre que tenhamos de nos referir a essas instituições e usos.

Temos disso copiosos exemplos em Herculano.

A simples indicação, que eu faço a revêzes, de que um vocábulo é gallicismo, significa que a palavra proveio directamente do francês, o que não implica a sua condemnação em nome da vernaculidade portuguesa; podem arrecear-se della os puristas, mas nada prova que ella não possa consubstanciar-se, ou não venha a consubstanciar-se, no corpo da nossa língua.

Há gallicismos de gallicismos: e, quando êlles se me afiguram inúteis, violentos ou disparatados, inscrevo-lhes ao lado o cave canem do prudente aviso.

Quanto á disposição das várias accepções de cada vocábulo, segui, ás vezes, o processo da Academia Francesa, dando o primeiro lugar á accepção mais vulgar ou conhecida, quando a accepção primitiva é inteiramente obsoleta, e deixando esta para o fecho do artigo. Em regra, porém, e de acôrdo com os mais autorizados lexicógraphos, dou o primeiro lugar á accepção natural ou primitiva, consignando sucessivamente a extensiva e a figurada, quando para um vocábulo há variedade de accepções.

V

*A orthographia*

A orthographia, que, para os antigos padres-mestres, era uma parte da grammática, está reduzida actualmente a um intricado e curioso problema.

Àparte meia dúzia de eruditos, que tomam o assumpto a sério, a generalidade dos nossos escritores modernos observam a orthographia que lhes ensinaram ou aquella a que se habituaram, preoccupando-se mediocremente com a razão do que escrevem.

Todos os escritores estão convencidos de que orthographam bem e, entretanto, cada qual ortographa de sua maneira. Como descargo de consciência, suppõem praticar a orthographia usual. A orthographia usual reduz-se á orthographia de cada um, o que dá em resultado cem ou duzentas orthographias differentes e quási todas autorizadas.

Officialmente, considera-se modêlo a orthographia do Diário do Govêrno. É verdade que o próprio Govêrno, isto é, os ministros, só a praticam nas columnas da mesma fôlha; cá fóra, praticam o que lhes ensinou o professor de primeiras letras, cuja orthographia já brigava com a do professor da vizinha escola.

O uso dos doutos é outro bordão, que de nada serve porque o uso do douto Garret não é o uso do douto Herculano; o uso dêste não é o de Castilho; o de Castilho não é o de Latino, e assim por deante. Lembremo-nos de que Herculano escreveu outomno e Castilho outono; Camilo graphou filósopho; Garret usava mattar, cinquenta, fummo, entrehabrir, e outras extravagâncias do mesmo gênero.

Êste facto, só o não vê quem fôr cego de vontade.

De maneira que os diccionaristas, julgando que tem igual direito ao dos outros escritores, escrevem geralmente como entendem, condemnando implicitamente todas as fórmas divergentes.

Consequência: lemos glycose e ouro num livro, procuramos êstes termos num diccionário, e não os topâmos porque o diccionarista escreve glucose e oiro. Ou vice-versa.

Ora, o diccionarista não tem o direito de escrever somente como entende. A sua missão não é preconizar systemas, nem fazer reformas, nem manter intolerantes exclusivismos. Àparte os termos que êlle só conhece de outiva ou que colheu da linguagem oral, e que tem de reproduzir phoneticamente, se a etymologia, a a derivação, ou a analogia lhe não aconselham outro processo, todos os vocábulos que êlle viu escritos, sob a responsabilidade de um escritor antigo ou moderno ou sob a chancella da prática corrente numa época, tem de os reproduzir taes, quaes os viu; e, se a fórma varía de escritor para escritor ou de época para época, essas variantes devem fazer parte do seu trabalho, sob pena de sensíveis imperfeições ou de lastimosas deficiências.

* * * * *

Por isso é que o leitor encontrará nesta obra numerosas variantes autorizadas; e nem de outra fórma o Diccionário reproduziria, como deve, o estado actual da escrita portuguesa. Veja-se idéa e ideia, pae e pai, philósopho e filósofo, ouro e oiro, distincto e distinto, escripto e escrito, lyra e lira.

Claro é que, entre duas ou mais variantes de um termo, tenho de pôr na primeira plana, para o effeito da definição ou do significado, a fórma que tem por si o uso mais geral, excepto quando tal uso é diametralmente opposto ás regras e aos preceitos da sciência da linguagem, como em civilisar, portuguez, atraz, atravez, etc.

Portanto, as convicções do autor sôbre orthographia portuguesa retrahem-se nesta obra, para dar lugar ás convicções da maioria do público ledor e ás praxes mais geralmente seguidas. Aliás, poria êlle na última plana, se as não expungisse inteiramente, todas as fórmas orthográphicas, em que apparece o inutilíssimo y, o prejudicial ch por c ou q, o falso ph, o falso th, as consoantes geminadas, e todas as convenções que, sem valor scientífico, só servem para difficultar a extincção do analphabetismo e tornar a escrita portuguesa um privilégio de sábios.

Mas o Diccionário é o que deve sêr: reproducção de factos e não tribuna de reformador.

Se me estimulassem prurídos de reforma, e se esta obra não fôsse um Diccionário da Língua, eu diria a todos que escrevem:—«Sêde embora etymologistas, mas sêde-o como a Itália e a Espanha, que, possuindo os idiomas mais irmãos do nosso, simplificaram a sua orthographia, uniformizando a sua escrita e facilitando o conhecimento da língua; e vereis como as crianças e os estrangeiros aprenderão facilmente a lêr: física…, filosofia…, corografia…, teatro…, liceu…, química…, iguais…, cadela…, retórica…»

Mas isto são assumptos infinitamente pequenos, no conceito geral da nossa oligarchia literária. Consola-me, porém, a resignação do velho Moraes que, preambulando o seu Diccionário, já ponderava, como bom conhecedor da sua terra:

—«Quanto á Ortografia que segui, declaro altamente, e de bom som, que na maior parte a sigo contra o meu parecer, e porque assim o querem. Eu sou pela Ortographia Filosófica, a qual, fundada na analise dos sons proprios, ou vogaes, e na de suas modificações, pede que a cada um se dê um só sinal, ou letra privativa, distinta, e que não represente nenhum outro som ou consoante. Deste voto eram João de Barros, o célebre Duclos, e o immortal Franklim… cujos nomes aponto para confusão dos que não valem tanto como estes…»—

E, já antes de Moraes, o audaz e superior espírito do grande Luís Antonio Verney reconhecia a improficuidade dos seus esforços em tornar simples e racional a complicada, e por vezes absurda, orthographia acadêmica. Dizia êlle:

—«…isto de emendar o mundo e principalmente o querer arrancar certas opiniões do animo dos homens envelhecidos nellas e consagradas já por um costume de que não há memoria, é negócio que excede as forças de um só homem…»—

E o Padre António Vieira sentenciava:

—«Quem entra a introduzir uma lei nova não póde tirar de repente os abusos da velha.»—

Quando humanistas e lexicógraphos da craveira de Verney e Moraes recuavam perante o colosso da rotina e da indifferença, ¿de que valeriam os meus esforços a favor da possível simplificação orthográphica, embora estribados no saber e na convicção dos poucos que, entre nós, logram incontestável competência em matérias philológicas?

A muito me aventuro eu, dando o lugar de fórmas permittidas, e até plausíveis, a graphias que poderão indignar a ingênua e pacata rotina; e a muito mais desejava que eu me aventurasse a notabilíssima escritora europeia, glória nossa e da sua terra, a Senhora Michaëlis. Folgaria ella de que eu registasse as variantes opostas ao uso das consoantes geminadas: elipse, ela, aquela, nulo

Muitas registei de facto, mormente aquellas em que a geminação provém convencionalmente da assimilação de uma consoante de prefixo, como ofício, oferecer, aparecer, suceder, acumular, etc.; mas registá-las todas sería duplicar a extensão da obra; e a necessidade dêsse registo fica attenuada desde que se consigne, em nome da sciência e do bom senso, que não é êrro evitar systematicamente a duplicação das consoantes, quando não sejam r e s.

E, depois, a eliminação das consoantes geminadas não me parece dos desideratos mais instantes para a racional simplificação da escrita, visto como, phoneticamente, tanto valem dois ll, dois pp, como um só[4].

* * * * *

Pela natureza especial da obra e pela difficuldade, se não desnecessidade, de se fazerem de uma vez todas as convenientes ou necessárias correcções na escrita mais usual, é esta a que o autôr do Novo Diccionário observa geralmente no decurso da sua obra; e a tal ponto reconhece a improficuidade das reformas precipitadas e o afêrro do seu país a rotinas, ainda as mais absurdas, que a pesar seu e contra os ditames da sciência, regista e deixa passar sem indignação muitas fórmas que a Philologia condemna, como geito em vez de jeito, sapato em vez de çapato, sarça em vez de çarça, salameleque em vez de çalameleque, grasnar em vez de graznar, etc., etc.

Sobretudo o ç inicial, embora sensatamente adoptado pelos nossos mestres antigos para os casos em que a sciência o impõe, como nos casos alludidos, não é melhoria que possa vingar já, taes são os calefrios que êlle desperta nos amoucos da rotina inconsciente.

Outras reformas há porém que, baseadas na sciência e na índole da lingua se vão enraizando já, com aprazimento de quantos se interessam pelo lustre da nossa língua. E assim é que, em livros das escolas públicas, em documentos officiaes e sobretudo em revistas e livros, organizados por quem não seja estranho ás noções scientíficas da língua, vemos já ir-se dilatando o uso de escrever, como se deve, português, francês, quís, mês, Luís, atrás, através, país, açucar, muçulmano…, em vez das fórmas explicáveis, mas não justificáveis, musulmano assúcar, paiz, atravez, atraz, Luiz, mez, quiz, francez, portuguez

Como não escrevo grammática, nem faço aqui um tratado de Philologia, não ampliarei desmedidamente esta palestra, consignando os fundamentos daquellas rigorosas fórmas, aliás tão velhas como o português, em quanto as contrárias se baseiam em costumeiras, as mais velhas das quaes não têm dois séculos e foram determinadas pelo mais absoluto desconhecimento da sciência da linguagem, pela pobreza de notações typográphicas, e pela indolência ou idiosyncrasia de uma nação, que, entre as nações que se dizem cultas, é das raras, que ainda não consideram a accentuação gráphica elemento imprescindível da orthographia.

Taes assumptos estão amplamente tratados noutros livros, e até, embora succintamente, têm merecido especial consideração em livros meus. Neste Diccionário, a correcta escrita de cada vocábulo está implíctamente aconselhada na respectiva indicação etymológica. Porque a etymologia, á parte os casos em que a desconhecemos, a história da língua e a fórma que, em línguas irmans, se dá a vocábulos de fonte commum a outros nossos, são seguros recursos de quem deseja escrever como deve. A simples autoridade de qualquer escritor, ainda o mais eminente, e o râncido argumento do uso, só poderão prevalecer, quando escasseiem aquelles recursos.

Para os tratados especiaes remeto pois o leitor menos affeito a taes assumptos, e hesitante ainda em quaesquer hypótheses orthográphicas.

Abro porém uma excepção, visto como esta obra vai parar a muitas mãos, que só folhearam algum compêndio escolar e que não podem folhear todas as obras que se têm escrito com mais correcção, nem os livros e dissertações, que já temos em nossa língua sôbre questões philológicas.

Refiro-me pelo menos a metade, se não á maioria, de um milhão de Portugueses, isto é, àquelles que logram a fortuna de escrever o seu nome e lêr por alto… Desde o Méthodo Facillimo, que lhes deram na escola, até o Almanaque do Lavrador, que lhes aponta as phases da lua, e até o periódico que diz mal do Govêrno e lhes recommenda um candidato a legislador, leram sempre portuguez e portugueza, e admiram-se ingenuamente de receber um Diccionário, que lhes fala da língua portuguesa.

É para êsses meus ingênuos compatrícios que eu vou trasladar para aqui o que, a tal propósito, deixei escrito noutro livro meu:

* * * * *

—«Portuguez e português são duas variantes da mesma palavra. Ora, entre duas variantes, naturalmente me inclino para a que se baseia na sciência, reforçada pelas tradições e pelo bom senso.

Portuguez é ainda fórma generalizada, e autorizada pela prática de alguns mestres, que nunca se preoccuparam de Philologia, até porque esta sciência póde dizer-se que nasceu há dois dias; mas é uma fórma puramente convencional. E direi porquê.

Os nossos velhos clássicos, como as typographias do seu tempo eram ainda mais pobres que as de hoje em accentos gráphicos, escreviam, um pouco á espanhola, frances, ingles, portugues. Viu-se porém que a orthoépia não correspondia á graphia, e notou-se que o z final costumava fazer agudas ou oxýtonas certas palavras: feliz, apraz, viuvez, arroz…; e, em vez de se recorrer aos accentos gráphicos, recorreu-se ao z para os substituir, introduzindo-se em palavras que nunca os poderiam têr legitimamente: Pariz, Thomaz, quiz, poz, inglez, portuguez

Demonstra-se facilmente que estas e outras palavras, escrevendo-se como manda a sciência da linguagem, não têm z, mas, sim, s. Restringindo-me porém a portuguez, não dou novidade, ponderando que todas as palavras têm a sua evolução, a sua história. Aquellas, cuja história é obscura ou desconhecida, e aínda algumas, cuja história foi completamente pervertida pelo uso popular, escrevemo-las como as pronunciamos; mas o maior número dellas, visto que lhes conhecemos o berço, temos que tratá-las consoante os seus títulos e genealogia.

Toda a gente saberá que Portugal deu primitivamente o adjectivo e substantivo portugalense, como Brácara deu bracarense, Conímbrica conimbricense, Ebora eborense, Setúbal setubalense

A phase immediata da evolução de portugalense, pela lei glottológica do menor esfôrço, sería portugalens, que, por contracção, veio a dar portugalês.

Ora, a quéda de certas consoantes mediaes é phenómeno averiguado na evolução da linguagem românica; assim, de médio saiu meio; de videre saiu vier, veer, vêr; de malo saiu máo, mau; de coelo saiu céo, céu; de portugalês saiu portugaês > português.

Vejam se, nesta odysseia de séculos, o português achou algum z no seu caminho.

Não achou. O z que lhe appuseram é uma intrusão, um arrebique convencional, que tería desapparecido há muito, sem deixar saudades, se os nossos escritores tivessem tido a pachorra de pensar dois minutos no caso, e no bom senso de Alexandre Herculano que, na sua História de Portugal, e contra o uso dos seus contemporâneos, á excepção de Rodrigo Felner, escreveu sempre português, e nunca portuguez.»—

* * * * *

Quanto a outras graphias, que possam ferir a vista dos mais ingênuos ou dos menos lidos, julgo inopportuno alargar explicações, não só porque isso me daria volumes e não um prefácio, senão também porque, a tal respeito, creio bem que me não farão reparos os que na matéria têm voto preponderante. Conheço-os, e vou com êlles, salvo discrepâncias adiáphoras.

Mas, de relance ao menos, devo tocar alguns pontos orthográphicos, que poderão acaso sêr pretexto de reparos, aínda da parte do leitor sufficientemente esclarecido.

Refiro-me á apparente antinomia entre as graphias fruto e fructífero, mama e mammífero, etc. Não derivam ellas da minha tendência para a possível simplificação orthográphica: aliás, escreveria frutífero, mamífero, etc., e ficaria em paz com minha consciência. Mas, dês que eu subscrevo nesta obra as praxes mais usuaes, tenho de dizer que a graphia simplificada fruto, mama, gota, cana, etc., está justificada e praticada pela quási totalidade dos bons escritores portugueses, visto que todos escrevem agora, atar, matar, pranto, corda, etc., que teriam de escrever chorda, prancto, mactar, aptar, haghora, etc., se observassem a etymología. Quere dizer: quando uma palavra perde o seu carácter erudito e se torna popular ou vulgar, a orthographia etymológica nem pelos mais intransigentes etymologistas é praticada. A difficuldade está em traçar a linha divisória entre as palavras vulgares e as eruditas; mas, pelo menos com aproximação, quási todos poderão reconhecer num vocábulo o cunho erudito ou a feição popular.

E se, em vocábulos que certos escritores escrevem eruditamente, eu prefiro a fórma phonética, é porque disto me dão exemplo os escritores e diccionaristas mais afincados em processos etymológicos. O Diccionário Contemporâneo por exemplo, tão affeiçoado ás etymologias, que usa abhorrecer e outros exaggerados etymologismos, também usa sete, orfão, santo…, e não sancto, órphão ou orpham, septe…, que seriam as fórmas mais concordantes com abhorrecer; e hábeis latinistas escrevem para as escolas, com approvação official, ditongo, escrita, escritura… Ora, mal avisado andaria se, desacatando tão salutares exemplos, fôsse mais etymologista que os etymologistas e desprezasse as práticas, com que êlles se aproximam do meu ideal de simplificação orthográphica.

Dado o exemplo, e estabelecidos louváveis precedentes em favor da orthographia phonética de muitos vocábulos vulgares, procurei dotar o nosso vocabulário com um pouco de uniformidade e coherência, preferindo as graphias junto, distinto, esperto, estender, espremer, contrato, etc., a contracto, expremer, extender, experto, distincto, juncto, etc., hypótheses, em que as irregularidades, incongruências e contradicções dão vulgaríssimas em diccionários nossos.

* * * * *

Casos há, em que a fonte latina de palavras nossas exhibe duas fórmas differentes, uma com geminação de consoantes e outra sem essa geminação. Geralmente, o lexicógrapho etymologista prefere a fórma complicada; e assim, vemos nos nossos diccionários sollicitar, porque o latim tem sollicitare. Mas o latim também tem solicitare; e como, entre duas fórmas, a lógica e o bom senso me ordenam que prefira a mais simples, explicado fica porque o Nôvo Diccionário prefere solicitar.

Esta explicação abrange muitos outros casos análogos e revelará que me esforcei por levar um pouco de ordem e coherência á nossa chaótica e maltratada orthographia.

* * * * *

De acôrdo com a índole e tradições da nossa língua e com os ensinamentos dos bons mestres, nomeadamente Castilho, dei a vários estrangeirismos indispensáveis uma fórma genuinamente portuguesa, substituindo o cotillon, o wagon, o pret, o bonet, pelo portuguesíssimo boné, pelo simples pré, vagão, cotilhão… Não é novidade que mereça prêmio, mas é suscitar, mais uma vez, a necessidade e o dever de não darmos levianamente direitos de cidade àquillo que despreze e não use o legítimo traje nacional.

* * * * *

Já agora, não farei ponto neste capítulo, sem uma ligeira referência ás terminações verbaes ão e am, e ao suffixo verbal izar.

Aquellas terminações têm variado de fórma no decurso dos tempos; e a
Philologia acha-as ambas legítimas, sejam ellas oxýtonas ou paroxýtonas.
E, assim, eruditos philólogos escrevem o pretérito louvárão e o futuro
louvarão, em quanto outros orthographam louváram e louvarám.

Ao mesmo tempo, o uso mais generalizado apresenta-nos o pretérito louvaram e o futuro louvarão; e, visto que as duas terminações são igualmente legítimas, visto que adopção exclusiva de uma importa dispêndio de accentos num país que tão avesso lhes é, e visto parecer-me útil que a terminação ão pertença em regra ás palavras oxýtonas e a fórmas monosyllábicas, (dão, são, tão), acceito e pratíco o alludido uso, hoje generalizado, de se escrever o pretérito louvaram, o futuro louvarão, o presente dão e são.

A Philologia não soffre com êste uso, e lucra-se alguma coisa, creio, em simplicidade e em coherência.

* * * * *

Quanto ao suffixo verbal izar, não há grande razão de queixa contra a prática dos nossos diccionários, os quaes felizmente consignam geralmente a bôa doutrina a tal respeito.

Mas é tal a desordem gráphica em grande número dos nossos escritores, quanto ao emprêgo do z e do s intervocálico, que até em Latino Coelho podemos lêr civilisar, realisar, rasão, empreza, graphias certamente indesculpáveis, mormente em escritores de tão elevada e justa reputação como a do grande prosador da Oração da Corôa.

Antolha-se-me portanto que não é ocioso insistir ainda na preconização de uma verdade incontestada: que em bôa escrita portuguesa não há o suffixo isar, mas izar, do grego izein: realizar, civilizar, idealizar

V

*A pronúncia*

A fixação e representação da pronúncia é uma das mais graves difficuldades, com que pódem defrontar diccionaristas portugueses. Por uma razão principalmente: porque, tendo sido avessa ao emprêgo da accentuação gráphica a maioria dos nossos escritores, esta ou aquella palavra começou a pronunciar-se de várias fórmas com igual autoridade e, ás vezes, o mesmo pêso de razões; e os próprios diccionaristas, vendo uma palavra sem accentuação tónica, uns a tomaram por esdrúxula, outros por grave. Daqui a Philologia a dizer-nos que se pronuncie aerólito, monólito, quadrúmano, nigromancía, encyclopedía…, e toda a gente, letrada e illetrada, a pronunciar aerolítho, monolítho, nemolitho, quadrumâno, longimâno, prestimâno, nigromância, encyclopédia… Claro é que, quando o uso se impôs despoticamente, e no falar commum se chegou a perder a consciência do preceito scientífico, o diccionarista tem de registar o facto, tal qual elle é, e indicar a pronúncia usual ou vulgar.

Mas, quando se trata da technologia scientífica, nunca é tarde para se corrigirem pronúncias defeituosas ou contradictórias, porque os homens letrados mais facilmente pódem vêr o bom caminho, do que o vulgo inconsciente, rotineiro e caprichoso.

Em sciências naturaes, mormente em Medicina, há irregularidades orthoépicas, que o diccionarista não deve subscrever. Assim, ao passo que todos, letrados e illetrados, dizem anemía, ouve-se muita vez hyperglycémia e pronúncias análogas; e, tendo nós therapía, que é palavra paroxýtona, há muitos médicos que, por hábito ou pelo exemplo de algum confrade illustre, dizem sem hesitar hydrotherápia, electrotherápia. etc. E, a tal ponto se se enraizaram estas contradicções, que um distinto philólogo, referindo-se ao facto, me lembrou a conveniência de accentuar graphicamente o i de therapía, para se frisar bem a recta pronunciação, embora a palavra, como paroxýtona, dispense a accentuação gráphica na sýllaba tónica; e com effeito algumas vezes pratiquei o conselho no segundo volume da obra, porque o primeiro já estava impresso, quando se me dirigiu o alludido philólogo.[5]

* * * * *

Na moderna technologia scientífica são vulgares aquellas incoherências, abundando as palavras graves ou paroxýtonas, que, rigorosamente, deviam sêr esdrúxulas ou proparoxýtonas: e abundam, mercê principalmente da prosódia francesa, que não conhece esdrúxulos como o português, o castelhano e o italiano. É o que explica a disparatada e vulgar pronúncia de hippodrómo e chrysanthêmo, palavras que, em português, só devem sêr esdrúxulas: hippódromo, chrysântemo; e as variantes prosódicas tacúla e tácula, assécla e ássecla, gôdo e gódo, mêda e méda, labarêda e labaréda, cogumêlo e cogumélo, etc.

O desprêzo do trema tem igualmente produzido interessantes despautérios. Como ai é um ditongo, os diccionaristas viram melaina e mandaram lêr me-lái-na; quando afinal se, quem escreve a palavra lhe pusesse o devido trema,—melaïna, ou a accentuasse,—melaína, os diccionaristas teriam mandado lêr me-la-í-na, e não teriam errado, como erraram.

Na própria modulação das vogaes se reflecte a anarchia, resultante do desprêzo da accentuação gráphica. E, assim, labareda é pronunciada aqui labaréda e alli labarêda; godo, uns o pronunciam gôdo, outros gódo; poia, pronuncia-se na Beira pôia e em Trás-os-Montes póia; o feto, planta, é confundido, na pronúncia, com o feto, embryão, pelos diccionaristas e pelos professores, que nunca ouviram a palavra ao povo e só a conhecem dos livros,—sem accentuação gráphica. Se a tivessem ouvido ao mestre de todos nós,—ao povo, saberiam que feto, planta, é palavra corrente com a pronúncia de fêto. Em todas as províncias se dá àquelle e modulação fechada, e as próprias variantes da palavra confirmam tal modulação: no Minho e nos Açôres, feito; em Trás-os-Montes, fieito, derivação próxima do lat. filictum, e fórma anterior á de fêto. Em parte da Estremadura, é que, talvez por influência dos letrados da capital, algumas vezes se ouvirá féto por fêto. O feito do Minho reflecte-se na toponímia nacional: temos Cancella-dos-Feitos, junto a a Viana; temos Feital, Feiteira, Feitosa, etc.

Nas próprias escolas officiaes, á míngua de accentuação gráphica, ouvi sempre dar a dois conhecidos lagos os nomes de Ladóga e Ónega, quando a sua verdadeira pronúncia é Ládoga e Onéga, tal é a anarchia que tem dominado na orthoépia portuguesa, e que há de embaraçar sempre todos os diccionaristas, a que não falte consciência nem probidade literária.

* * * * *

Não obstante o cuidado, com que me ufano de têr procedido, confesso que mais de uma vez me vi enredado na difficuldade de indicar a pronúncia de palavras que nunca ouvi, e que nunca vi accentuadas, mormente ao tratar-se de vocábulos brasílicos. A pronúncia de tuiuiu, por exemplo, ¿como poderia sêr representada por quem nunca a ouviu? Escrita assim, tanto se poderia lêr tui-ui-u, como tu-iu-iu, como tu-i-u-iu… Se os que della usaram a escrevessem como deviam, não haveria dúvidas.

Sobretudo de algumas palavras da África portuguesa é até impossível determinar-lhes a verdadeira pronúncia. Por um capricho, difficilmente explicável, os nossos viajantes e exploradores africanistas lembraram-se de representar por M' e por N' o som inarticulado, quási nasal, com que os Landins e outras tríbos africanas acompanham a pronúncia de certos termos: m'pacaça, m'baca, n'guvo, etc. O diccionarista português, que queira indicar a pronúncia de taes palavras, não póde, porque não tem sýllabas nem letras que exprimam o alludido som. O racional seria escrever pacaça, baca, guvo, etc. Não sería representação rigorosa, mas aproximava-se mais da pronúncia local do que as mencionadas fórmas. O M e N, insulados, nada representam. Por isso, bem avisados andam os que escrevem Pungo Andongo, em vêz da fórma bárbara, usada por alguns africanistas modernos, Pungo N'Dongo.

Outra dificuldade occorre ainda, a respeito de pronúncia, ao diccionarista, quando trata de palavras compostas, na technologia scientífica. Primitivamente, a desinência do primeiro elemento dessas palavras é aberta e átona: pàthògenia, hippòdromia, geòdynâmica, neò-céltico, photòsphera, lithòspermo, lithòclase, histògenia, hypèrácido, intèrplanetário, mònòcéphalo, etc. Com o andar do tempo e com a vulgarização do termo scientífico, todas as vogaes secundárias se subordinam á vogal tónica, e temos typographia, morphologia, pathologia, histologia, photographia, geographia, neologismo, intermittente, hyperbólico, monographia, etc., que ninguém pronuncía hypèrbólico, intèrmittente, gèògraphia, phòtògraphia, nèòlogismo, històlogia, pàthòlogia, typògraphia, mònògraphia… ¿Onde acaba o carácter erudito e primitivo da palavra, e onde começa a sua feição vulgar ou popular? Ninguém marcou ainda a linha divisória; e o que hoje é erudito é amanhan popular.

E daqui se infere a difficuldade, se não a desnecessidade, de indicar a pronúncia das vogaes secundárias na maioria das palavras. O ponto capital é a determinação da vogal tónica.

Além do que, a pronúncia do português no Brasil offerece notáveis divergências da nossa pronúncia e, em muitos casos, será diffícil justificar o direito com que pretendamos dar lições prosódicas aos nossos irmãos transatlânticos. Dentro do próprio Brasil, do norte ao sul, há sensíveis divergências na modulação das vogaes átonas. Assim, ao norte, como em Portugal, o o de botar é surdo, pronunciando-se bu-tar; e ao sul é aberto, pronunciando-se bò-tar.

Reduzida, na grande maioria dos casos, a questão da pronúncia á determinação da vogal tónica, naturalmente nos abeiramos do problema da accentuação gráphica[6].

VI

*A accentuação gráphica*

Muitos diccionários portugueses e estrangeiros representam a pronúncia das palavras, escrevendo-as sonicamente; em português, immaculado é representado por i-ma-ku-lá-du; em francês, marginaire por mar-gi-nêr; em inglês, directory /# 1 2 2 1 por de-re-k'tu-re. #/

O systema é admissível e talvez profícuo nas línguas em que se escreve de uma fórma e se lê de outra; no português, parece-me improfícuo e incoherente, se não absurdo. Parte-se ingenuamente do princípio de que o leitor de diccionários não conhece o valor da sýllaba ca, e representa-se cama por esta fórma ka-ma; ora, quem ignora o valor da sýllaba ca, com mais razão devia ignorar o valor da sýllaba ka; mas, se quiser saber lêr kali, acha apenas ká-li, sem que o diccionário lhe diga como se pronuncía a primeira daquellas duas sýllabas.

Se a questão capital é a vogal tónica, dispensemos o inútil e incoherente formulário sónico, e sirvamo-nos dos conhecidos accentos gráphicos, que são prata de casa e bôa de lei, se bem que reduzida e modesta, como de casa que não é rica.

Depois, um português, que consulta o diccionário da sua língua não precisa que lhe ensinem como se pronuncía bello, grande, casa, abril, andar, vestir, campo, etc., etc. A difficuldade reduz-se apenas á correcta pronúncia das palavras agudas e esdrúxulas, (manganés, pállido…), e ainda das graves, em que a vogal tónica tem modulação excepcional, (cêdo, perdigôto…), como das palavras homógraphas, em que a pronúncia diverge, (séde e sêde, rôla e róla, tópo e tôpo, bêsta e bésta…) Para êstes casos, o accento agúdo e circunflexo, e para alguns outros o accento grave e o trema, são elementos bastantes para um regular systema prosódico. Assim o entenderam, e assim o praticaram judiciosamente, os nossos velhos lexicógraphos.

Não me refiro por ora á vantagem ou necessidade da accentuação gráphica na escrita corrente de qualquer obra. Refiro-me exclusivamente ao léxico, em que há necessidade e obrigação de indicar a prosódia.

Como é sabido, e desde longa data, o accento agudo tem servido especialmente para mostrar que uma vogal tem modulação aberta, (avó, rapé, sinhá, séco, bésta…), como o accento circunflexo para mostrar que uma vogal tem modulação fechada, (avô, português, bêsta, sêco…) Para as vogaes surdas e para outros valores do e, não temos, e aínda mal, sinaes diacríticos, bastando-nos todavia a indicação de que o A, o E e o O em sýllabas finaes, desacompanhados de accentos gráphicos, têm modulação surda, e o E antevocálico e não tónico, como em grupos ditongaes, tem o valor de i, como em ideal.

Entre quantos, em Portugal, se occupam hoje da sciência da linguagem, difficilmente se encontrará quem não advogue, para qualquer trabalho escrito, a necessidade de accentuação gráphica dos proparoxýtonos ou palavras esdrúxulas: pállido, tépido, hýbrido, autómato, hippódromo, túmulo

A divergência está apenas em que alguns eruditos, que eu respeito e estimo, só admittem o accento agudo como sinal de vogal tónica.

E assim, aínda que a vogal tónica tenha modulação fechada, como em esplendido, languido, hellespontico, infancia, êlles accentuam infáncia, hellespóntico, lánguido, espléndido. E contudo aquellas vogaes tónicas têm modulação fechada, e para esta modulação criou-se o accento circunflexo.

Quando digo que a vogal tónica de explêndido, cândido, etc., tem modulação fechada, não ignoro que tal vogal é aberta entre o povo do Minho e em parte da região do Doiro; mas êsse restricto patoá não invalida o que possa dizer-se da orthoépia geral do país. Nem o cáurdo (caldo) e o sourdado (soldado) do povo minhoto; nem o vinégre (vinagre) do baixo Alentejo, nem a epidêmia (epidemía) e o lête (leite) do Algarve, nem o espeilho ou espâlho (espêlho) de Lisbôa e Aveiro, nem o lisboêta riu Tejo (rio Tejo), etc., poderão nunca influir na representação da pronúncia geral do país.

Ora, a questão prosódica não está simplesmente em distinguir-se a vogal tónica; está também em distinguir-se a modulação das vogaes O, E e A; e, se o accento circunflexo fecha a modulação, tenho difficuldade em admittir accento agudo sôbre uma vogal de modulação fechada, como nos exemplos citados.

Bem sei que, por qualquer lado que se procure resolver a questão, a solução nunca será isenta de dúvidas, conhecida a pobreza dos nossos sinaes diacriticos; mas afigura-se-me que, accentuando circunflexamente lânguido, explêndido, etc.; e, sabendo-se que as vogaes O, E, A, quando nasaes, têm sempre modulação fechada, póde concluir-se que o accento circunflexo se empregou, não para indicar a modulação, mas, sim, a vogal tónica.

Eu sei também que na escrita castelhana o accento agudo designa a vogal tónica, e talvez êsse facto influísse na prática de alguns meus illustres conterrâneos. Pondere-se, porém, que a accentuação gráphica estrangeira tem escassa analogia com a nossa; e por isso o espanhol escreve marqués, porque o e é a vogal tónica; e os que entre nós escrevem espléndido não se dedignam de escrever marquês, porque o accento agudo, neste caso, desfiguraria o valor da vogal. Desfigurá-lo-ia aqui, como o desfigura em espléndido.

Tenho porém á mão um argumento, que talvez faça hesitar os mais convictos defensores do accento agudo em qualquer vogal tónica, aberta ou fechada, de palavras proparoxýtonas.

Occorrem-me pelo menos duas palavras, que podem abalar taes convicções: neveda e levedo.

São palavras esdrúxulas, como se sabe. Ora, segundo a theoria dos que só querem accento agudo para a vogal tónica da palavra proparoxýtona, deveriam accentuar-se néveda e lévedo; mas, depois de tal accentuação, toda a gente que não conhecesse taes palavras, lê-las-ia erradamente, porque iria lêr né-ve-da, lé-ve-do, quando afinal essas palavras nunca se pronunciaram nem se pronunciam senão nê-ve-da, lê-ve-do, e assim mesmo as accentuou o bom Roquete, no seu Diccion. Port. Franc.. Creio que tinha muita razão o Roquete, que, apesar de tudo, ainda hoje merece lêr-se. E, se êlle tinha razão, tenho-a eu também.

O que deixo dito de nêveda e lêvedo, é applicável a bêbedo, trôpego, nêspera, côdea, côvado, ênclase, êncero, êulopho, êumeno, êumicro, peixôtoa, serôdio, cômoro, devêramos, fêvera, etc.

Fóra da hypóthese dos esdrúxulos de vogal tónica com accentuação fechada, hypóthese em que talvez seja lícita a defesa de duas opiniões distintas, é muito simples a representação prosódica da linguagem portuguesa, sem recorrer a fallíveis e contradictórios expedientes sónicos.

Em regra, nas palavras graves, a vogal tónica é vogal aberta: soldado, donzella, escola… Portanto, accentuam-se as excepções, quando queremos representar o valor das palavras: trombêta, rôla…; ou, se organizamos vocabulário, notamos essas excepções em parênthese, seguidamente ao vocábulo, assim:—Lobo, (), m.—Etc.

É verdade que pâra, câda e sôbre são palavras que se consideram proclíticas, e que, perdendo por tanto o accento próprio, pela sua subordinação a uma palavra immediata, (para nós, cada homem, sobre tudo), não merecem accento gráphico, no conceito de bons mestres; e, tanta consideração estes me merecem, que não devo esquivar-me a significar-lhes o fundamento da minha insignificante divergência.

* * * * *

Em primeiro lugar, e sem discutir se pâra deve considerar-se proclítica, porque talvez se possa sustentar que as próclises só se dão nos monosýllabos, (*de* todos, *a* história, *por* Lisbôa), impressiona-me a reflexão de que os leitores, na sua maioria, não são phoneticistas nem se dão ao cuidado de destrinçar próclises e ênclises. De fórma que, devendo o diccionarista representar a modulação excepcional das vogaes tónicas, e não representando o valor da alludida vogal naquellas suppostas proclíticas, o leitor ficaria no direito de lêr pára quando devia lêr pâra, e poderia dizer sóbre quando devia dizer sôbre; e cáda, quando devia dizer câda, etc.; visto que a regra é sêr aberta a vogal tónica da palavra.

Depois, verifica-se um facto, que talvez não seja indifferente á questiúncula:—é que as vogaes e e o das partículas não são fechadas, são surdas, (*por* Deus; *de* Roma). Portanto, se sôbre fosse uma proclítica e tivesse de subordinar-se á regra das próclises monosyllábicas, teriamos de lêr *subre* tudo, o que ninguém acceitaria, é claro.

Mas temos mais. Sôbre nem sempre é palavra dependente de outra. Em náutica designa certas velas: «O vento despedaçou os sôbres». E até em grammática é palavra independente, como quando dizemos: «A palavra sôbre é uma preposição». E isto mesmo se póde dizer de pâra, etc.

E mais ainda: Sem accentuação gráphica, para e sobre podem sêr preposições e podem sêr verbos; mas, independentemente do sentido das respectivas locuções, só o accento gráphico mostrará se são verbos ou preposições.

Quanto ás palavras agudas, toda a gente accentua com razão a vogal tónica, quando não é u ou i, nem anteposta a b, c, d, g, h, l, n, p, r, t, z: manganés, acolá, noitibó.

Como as palavras, em que a vogal da última sýllaba é i ou u, são geralmente agudas, dispensam accentuação gráphica: alli, Paris, Caramuru, alecrim… Portanto, accentuem-se as excepções: tríbu, (que melhor se escreve tribo, sem necessidade de accentuação), Vênus, Sírius, Páris, vírus

Em regra, as palavras terminadas em r ou l, são agudas: andar, vestir, lupanar, Manuel, funil, batel… Portanto, basta accentuar as excepções: âmbar, açúcar, éther, Aníbal, amável, possível

Tem proximamente modulação fechada a terminação eis, em geral: reis, seis, achareis, deveis… Portanto, accentúo as excepções: pastéis, coronéis, cascavéis

Etc.

* * * * *

Não farei ponto neste árido assumpto, sem alludir a alguns casos, em que parece sêr regra a modulação fechada da vogal tónica: taes são aquelles, em que a vogal tónica é seguida de m ou n: cama, leme, Roma, arcano, pena, dono… Logo, basta que se accentuem as excepções: carbóne, tómo (verbo), mordómo

Parece, ás vezes, que o m, embora não immediato á vogal, influe no valor della, de acôrdo com a regra citada: ermo, mormo, termo, enfermo, esmo, colmo, torresmo, resma, sesmo… Donde poderá concluir-se que estas fórmas, para bem se interpretarem, não precisam de accentuação gráphica.

Também a vogal tónica do ditongo eu tem geralmente modulação fechada, dispensando accento: meu, teu, vendeu, judeu… Basta accentuar as excepções: céu, mausoléu, mastaréu

Por algum tempo hesitei sôbre se o o do ditongo oi é, em regra, aberto ou fechado; mas concluí, sem grande difficuldade, que é fechado: foi, moio, dois, oito, arroio, joio, soito, toiro, loiro, vassoira… Donde se infere a legitimidade e a conveniência de accentuarem as excepções: dezóito, herói, jóia, combóio, clarabóia, lóio

Algumas vezes o accento agudo dispensa o trema, quando póde recair na vogal tónica; em vez de maïça, maíça; em vez de saïda, saída… Fóra da vogal tónica, o trema não tem substituição: saïmento, intuïção, apaülado…[7]

A pobreza de sinaes diacríticos força-nos, por vezes, a usar accentuação gráphica, que não corresponde precisamente ao valor da vogal accentuada. Assim, nas variantes ideia e idéa, usamos na segunda fórma o accento agudo, não só para indicar a vogal tónica, senão também para mostrar que essa vogal tem modulação que não é fechada nem surda, e que a mesma vogal não faz parte de um semiditongo, como em láctea, áurea, purpúrea

Em todo caso, o accento agudo de idéa, corréa, moréa…, fórmas aliás, a que eu naturalmente prefiro ideia, correia, moreia…, tem um pouco de convencional, como nos casos seguintes:—Estabelecido, como regra, que são graves ou paroxýtonos os polysýllabos terminados em am ou em, (dizem, valem, fazem, ontem, louvam, devem), natural é que se accentuem graphicamente as excepções, (retém, contém, armazém, Santarém, também, ninguém…) Raros serão os polysýllabos terminados em om, mas, dêsses, não conheço nenhum que não seja oxýtono, dispensando-se por isso a final accentuação gráphica.

No mesmo caso estão os polysýllabos terminados em im e um, que, em português corrente, são sempre oxýtonos: Joaquim, nenhum, fartum, pingalim… Não exigem accento gráphico. As palavras terminadas em en, in, on e un, são avêssas á tradição da língua e, geralmente, só se usam em palavras eruditas ou scientíficas, e nunca são oxýtonas: órion, líchen, certâmen, abdômen… Estas duas últimas fórmas, e suas congêneres, ficarão mais portuguesas, se lhes dispensarmos o n final, como se fez ao nome, ao lume, ao crime

Visto que em fórmas verbaes de terminação nasal há muitas vezes coincidência phonética de singular e plural, pareceu-me acceitável o uso do circunflexo para distincção do plural, visto que o accento agudo já tinha a funcção de designar o oxýtono. Verbi gratia: «Contem, meus senhores, o dinheiro que êste cofre contém e não se importem do que as gavetas contêm.» Convenção, é claro, mas certamente útil, se não necessária.

Verdade é que alguns escritores e grammáticos distinguem, naquella hypóthese, singular e plural, com a inclusão de um e: «Êlle tem, êlles teem.» Outros, talvez mais acertadamente, nasalam graphicamente o primeiro e daquelle plural, e escrevem t[~e]em, cont[~e]em… Parece-me todavia que a distincção phonética, entre o singular e o plural, não existe na linguagem commum ou vulgar: todo povo, e talvez muitos eruditos, dizem simplesmente: «Êlle tem, êlles têm; êlle contém, êlles contêm.» E, neste caso, a distincção dos números verbaes parece-me vantajosamente indicada com os signaes, que acompanham os exemplos alli consignados.

* * * * *

Além da vogal tónica, algumas vezes é mister accentuar a vogal átona, não já servindo-nos do accento agudo, mas do grave. Corado poderia ler-se erradamente cu-ra-do, se não accentuássemos còrado; pegada, (pé-gá-dâ), lêr-se-ia erradamente pegada (com pe surdo), não se pondo accento grave na primeira sýllaba, (pègada). O accento agudo, em tal caso, tornaria tónica a primeira sýllaba, convertendo em esdrúxula uma palavra que é grave.

O accento grave significa, pois, que a respectiva vogal é aberta, mas não tónica.

Na accentuação, porém, das sýllabas átonas, o diccionarista deve manter a mais discreta sobriedade, por motivos de vária índole.

Em primeiro lugar, entre cêrca de quarenta milhões de indivíduos que falam o português, em todas as partes do mundo, há profundas dissidências orthoépicas, que seria ocioso corrigir ou capitular de erróneas. Sobretudo, entre Portugal e o Brasil, as variantes orthoépicas são numerosas e conhecidas. Dentro do próprio Brasil, como já notei, a pronúncia não é uniforme.

Depois, nas palavras compostas, de formação erudita, é assombroso o quadro das irregularidades e divergências prosódicas, como também já notei.

Em taes casos, portanto, o que prevalece é a natural evolução phonética e a soberania do uso, que não o arbítrio ou a opinião do diccionarista.

Limitada, em geral, a representação prosódica do vocabulário á accentuação gráphica da vogal tónica, pareceu-me vantajoso que, na definição ou noção de vocábulo, como em qualquer escrita corrente, se reproduzam os accentos indicados no vocabulário: não é só o leitor de um diccionário que tem direito a saber o valor prosódico de uma palavra; qualquer leitor de prosas ou de versos deve vêr no que lê a indicação clara do valor phonético de cada termo.

É verdade que, em tal matéria, e dada a possibilidade de divergências fundadas ou infundadas, o diccionarista nada impõe: propõe.

Na sua qualidade de proposta, a accentuação gráphica, adoptada pelo autor na generalidade dos seus escritos e apontada no decurso desta obra, pouco terá com a essência do diccionário,—que póde sêr bom ou mau, independentemente daquelle ponto de vista.

O autor propõe; os mais entendidos e o público dispõem.[8]

VII

*A etymologia*

Para o commum dos leitores, não tem elevado valor a parte etymológica de um diccionário; mas, para a história da língua, para o estudo da linguagem e para a correcção da escrita, a etymologia é elemento de primeira ordem e tem merecido tal cuidado aos cultores e mestres da Philologia moderna, que já hoje constitue um dos ramos capitaes desta sciência, se é que não constitue já uma sciência, por si própria.

Mas, tão grande como a importância da etymologia, é a difficuldade que o seu estudo offerece a todos, mormente aos que não são polyglottas. Direi, até, que o verdadeiro etymologista deveria sêr mais do que polyglotta: deveria sêr panglotta, se me permittem o termo; e os que curam de Philologia sabem que não é exaggerado o asserto.

Ora, eu ignoro,—como a maior parte da humanidade e, até, como quase todos os diccionaristas do mundo,—o japonês, o cingalês, o malaio, o persa e, muito mais aínda, o quichua, o caraíba… E, contudo, os diccionários, em que se procura consignar a etymologia do vocabulário, têm de referir-se àquellas fontes, sem que os autores possam verificar a exactidão de uma filiação registada.

Daqui, um facto interessante e vulgaríssimo: é que cada dia se fazem novos, descobrimentos no campo etymológico, e que a origem, designada hoje a uma palavra pelos patriarchas da lexicographia, é amanhã rejeitada pelo descobrimento de um facto, que vem accrescer aos recentes progressos da Philologia.

Não obstante a extensão e a variedade dos trabalhos a que me aventurei na organização do vocabulário, e não obstante a estreiteza do tempo e a escassez dos recursos, não descurei a parte etymológica desta obra, consultando as fontes que mais autorizadas se me affiguravam,—Diez, Meyer-Lübke, Littré, Freund, Dozy, M. Bréal, e outros, não falando de alguns esclarecimentos eventuaes, que directamente recebi de illustrados arabistas e romanistas.

Succede porém que, num ou outro ponto, nenhum daquelles mestres disse a última palavra da sciência; e, se alguma vez erraram, com mais attenuantes eu terei errado, reproduzindo êrro alheio. Mas não é grande desaire errar em companhia de primates, que se chamaram Dozy, Littré…

De minha exclusiva responsabilidade é a indicação da origem de numerosos vocábulos, que eu nunca vi noutros diccionários, nacionaes ou estranjeiros; e aínda de alguns outros termos, como dramadeira, drusa, machada, malagueta, marrafa, marachão, trintanário, moita, matulagem, saloio, etc., etc., que são vulgares noutros diccionários, mas á cêrca das quaes eu indico origens que aínda não vi registadas por ninguém.

Como em geral, num diccionário, a parte mais susceptível de imperfeições, é a etymológica, e como, logo depois de impressas as primeiras fôlhas desta obra, eu próprio reconheci que a opinião de mestres, subscrita por mim, tem sido, num ou noutro ponto, rectificada pelo progredimento dos estudos philológicos, algumas rectificações adduzi em Supplemento, documentando o sincero empenho de acertar, e de servir, como em mim caiba, as letras da minha terra.[9]

* * * * *

Ainda na parte etymológica do Diccionário, há um ponto a que entendo dever referir-me: é a representação, em caracteres românicos, de termos pertencentes a idiomas de povos que, como os Tupís, nunca tiveram língua escrita, e de outros, cujos caracteres alphabéticos pouco ou nada têm de commum com os nossos.

A representação do tupi e aínda do árabe, por exemplo, tem de sêr feita, aproximadamente pelo menos, consoante a pronúncia de quem os falou ou os ouviu. Para a representação do tupi temos no Brasil os subsídios de Gonçalves Dias e de outros estudiosos; e para a representação do árabe,—visto que, num diccionário de uso geral, não sería opportuna a reproducção de caracteres alheios aos nossos,—temos os subsídios de Dozy. Mas, apesar da autoridade do grande arabista, algumas vezes simplifiquei as suas fórmulas, por me acostar ao conceito de hábeis arabistas nossos que, na representação de muitos termos árabes, dispensam certos grupos consonantes que, em português, nada exprimem do como devemos pronunciar o árabe.

* * * * *

Na representação das próprias palavras gregas, por mais próximo que seja o seu parentesco com as nossas, é sabido que há mais de um systema de as representar em caracteres românicos, e que a diversidade da representação não depende pouco da diversidade dos systemas da pronúncia. Geralmente, nos estabelecimentos de ensino, creio que prevalece a pronúncia erásmica, o que não quere dizer que nalguns casos se não pratique a pronúncia reuchliniana.

Em todo caso, não é problema simples, e, para o aligeirar um pouco, muitos escritores têm lançado mão dos accentos, agudo e circunflexo, para melhor significarem a pronúncia que defendem.

Por minha parte, tendo ouvido pronunciar grego a portugueses e estrangeiros, nomeadamente a alemães, eu, que não sou hellenista, confesso ingenuamente, que não assentei parecer sôbre a preferível pronúncia do grego. É por isso que, na representação de palavras gregas, eu, em geral, dispenso propositadamente a accentuação gráphica, porque o vulgo não ma exige e os conhecedores do grego lerão como lhes aprouver.

Parece que no grego clássico o úpsilo tinha proximamente, se não exactamente, o valor do u francês. Pelo menos, é êsse o conceito dos phoneticistas discípulos de Erasmo. Por isso, e porque o nosso phantástico y, falsamente chamado i grego, escassa estima merece, represento sempre o úpsilo por u, e nisto vou de acôrdo com a prática de quem mais sabe, embora em desacôrdo com a de talentosos hellenistas.

VIII

*A grammática*

Desde que se divulgou a notícia do próximo apparecimento do Novo
Diccionário da Língua Portuguesa
, mais de um dos meus futuros leitores
me perguntou se a obra seria precedida de algumas noções grammaticaes.
Nessa pergunta vinha insinuado um desejo, mais ou menos justificável.

É verdade que alguns lexicógraphos escreveram de grammática á entrada dos seus diccionários; mas êsse facto, de reconhecida conveniência em tempos que raros compêndios grammaticaes nos deixaram, não legitimaria hoje a reiteração de tal processo.

Por duas razões, ou por duas ordens de razões, não trato aqui de grammática:

Primò:—A grammática, como ella geralmente tem sido considerada até hoje entre nós, isto é, como estudo das leis que regulam a linguagem, não me mereceu nunca entranhado affecto, por me parecer circunscrita no domínio de uma casuística, sem vantagens immediatas para o conhecimento prático da língua. Os bons escritores nunca o fôram por haver estudado compêndios de grammática; e não será ocioso reiterar a consideração, que já fiz algures, de que os grandes grammáticos raramente terão sido grandes escritores.

Na ordem chronológica, o escritor precede o grammático. O escritor consigna factos, constituídos pela gênese, pela índole e pela evolução phonética e morphológica da língua. Vem depois o grammático, e deduz dêsses factos theorias e systemas, que êlle arvora em códigos, mais ou menos fallíveis, mais ou menos incompletos. Observam-se então interessantes antinomias: factos de bôa linguagem portuguesa, que não são grammaticaes; e expressões grammaticaes, que não são portuguesas.

Secundò:—A população escolar, e aquelles que, para o estudo da língua, têm a ingenuidade de procurar grammáticas em vez de procurar os bons escritores, não lutam hoje com a deficiência de compêndios, como nos tempos idos, desde o João de Barros e o Fernão de Oliveira até o Lobato e o Madureira Feijó.

Verdade é que nem tudo, que se diz Grammática, é recommendável; mas não é diffícil a escolha. Houve um professor erudito, Augusto Epiphânio, que, nacionalizando o velho Madvig,—velho, porque escreveu há sessenta annos,—supplantou sediças convenções, e, levando um pouco de crítica e de rigor scientífico á cáthedra escolar, expôs, sob novo aspecto, as leis que pôde deduzir dos factos da língua.

Entretanto, a Philologia erguia-se vigorosa, impunha-se aos grandes centros scientíficos, e ampliava a grammática, do estudo das leis, á exegese dos factos da linguagem, alargando e aprofundando os domínios da Phonética, fazendo a anatomia morphológica das línguas e expungindo, em nome da sciência, convenções que a ignorância ou a rotina consagraram.

Sob êste ponto de vista,—triste é dizê-lo,—antecipou-se-nos o Brasil, onde, há annos já, a Philologia vingou em bons frutos, mercê de talentos claros e renovadores que, antes de nós, comprehenderam e perfilharam o movimento operado pela Philologia na esphera das sciências modernas.

Não chegámos cedo, mas chegámos: hoje, aí temos um largo e vigoroso ensaio de renovação dos estudos grammaticaes, na Grammática Portuguesa do esclarecido Lente universitário, Dr. António Garcia Ribeiro de Vasconcelos.

Não quero eu dizer que esta Grammática seja trabalho completo e impeccável: os grammáticos de profissão hão de discutir, e rejeitar talvez, um ou outro conceito, uma ou outra deducção. Mais philólogo que grammático, o autor devia têr-se visto enredado na trama subtil, e ás vezes traiçoeira, dos velhos casuístas; mas, no conjunto do seu trabalho, e nomeadamente na Phonética, e ainda na Morphologia, abre horizontes novos aos estudiosos, insiste no estudo e crítica dos phenómenos da linguagem, e corrige numerosos erros, até hoje correntes na escrita nacional.

Em Portugal pois, e cada uma sob o seu ponto de vista, a Grammática de A. Epiphânio e a de Ribeiro de Vasconcelos, podem prestar ensinamentos mais valiosos do que os que por mim poderiam sêr communicados aos que de mim desejam lições de grammática.

Os meus leitores no Brasil, que não conheçam as alludidas grammáticas,
lá têm ao seu alcance excellentes subsídios grammaticaes nos escritos de
Júlio Ribeiro, Augusto Freire, João Ribeiro, Sotero dos Reis, Lameira de
Andrade, Baptista Caetano, Pacheco da Silva e tantos outros.

Bem sei que as Grammáticas e os tratadistas da linguagem não prevêem nem destrinçam todas as dúvidas que possam occorrer a estudiosos e, mais ainda, aos que, pouco lidos embora, não desejam errar. Sobretudo a syntaxe e as flexões dos verbos irregulares nunca hão de sêr isentas de travancas e dúvidas. Para taes casos, nada há melhor do que o exemplo e a leitura dos mestres que tal nome mereçam. E não será mister lê-los todos: quem dos antigos conhecer bem Thomé de Jesus, Luís de Sousa, Bernárdez e Vieira, e, dos modernos, Herculano, Latino e Castilho; quem, na expressão falada e escrita, se não afastar da prática dêlles, póde estar tranquillo, porque falará e escreverá português ás direitas, sem perigo dos fáceis e vulgares extravios de quem fala e escreve, mais do que lê onde deve lêr.

Para hypótheses insuladas ou fortuitas e para indicação prática dos precipícios que podem colher incautos, aí estão os volumes de Lições Práticas da Língua Portuguesa, escritas pelo autor dêste Diccionário, e cuja extracção em Portugal e no Brasil me convence de que essoutro trabalho meu não foi inopportuno e inútil.

Lisbôa, 10 de Março de 1899.

C. de F.

CHAVE DE SINAES E ABREVIATURAS

* O asterisco, anteposto a um vocábulo, designa que êste não estava ainda registado nos mais modernos, menos imperfeitos e menos incompletos diccionários da lingua portuguesa; e não digo em todos os diccionários da lingua, porque, tendo visto quantos estavam ao meu alcance, algum deixaria de vêr, antigo ou moderno, em que por acaso se encontraria um ou outro dos milhares de vocábulos que vão precedidos de asterisco.

Por exemplo: procurei em toda a parte o Diccionário
Português-Brasileiro
, impresso em Lisbôa, em 1795, e ninguém me deu
notícia dêlle, á parte as referências que vi em Beaurepaire-Rohan e em
Innocêncio da Silva.

Não podendo, pois, referir-me a todos, sem perigo de alguma inexactidão, embora mínima, tomei como base, para o registo de vocábulos novos, não só o menos imperfeito dos modernos diccionários, que é o Contemporâneo, mas ainda outro diccionário moderno que, não obstante os defeitos honestamente confessados pelo autor, tem mais numeroso vocabulário do que aquelle e é firmado por homem, que tem bom nome na esphera dos estudos linguísticos,—Adolpho Coelho.

Portanto, e rigorosamente, o asterisco significa que o respectivo vocábulo não se encontra nos dois alludidos diccionários, pelo menos.

Alguns há dêsses vocábulos, que, por terem derivação clara, não representam esfôrço de investigação e poderiam dispensar o asterisco, sem prejuizo sensível da elevada somma dos vocábulos que apparecem agora pela primeira vez num diccionário da lingua.

Mas as derivações, não fui eu que as fiz; o diccionarista não fórma a linguagem, não cria nem deriva palavras: regista as que se lhe deparam na linguagem escrita ou falada, salvo o direito da annotação ou glosa, e nada mais. E tanto trabalho me custou a colheita dos simples derivados aferimento, andaimada, bicharrão, claustrar, carmiadeira, etc., como o neologismo desenfrechar de Ortigão, ou o manticostumes de Filinto, ou o carapetento e os pincéus de Gil Vicente, ou o armistrondo de Coelho Neto.

Depois, nem todos os derivados são da mesma simplicidade. Derivados, mas arrojados e pinturescos, são os advérbios lucreciamente, pulpitamente, etc., e ninguém pretenderá que, por serem derivados, dispensem o asterisco, não obstante sêr eu quem os trouxe para a lexicographia.

Não se póde dizer o mesmo de deminutivos e aumentativos communs: não há vantagem em registar camisinha, coelhinho, justíssimo, feissimo, etc., quando êstes graus não correspondam a accepções especiaes; nem, dado que se registassem, seria louvável a indicação de colheita nova, embora diversamente o hajam pensado e praticado outros.

Não succede o mesmo com os graus que têm formação irregular, inusitada ou accepção especial, como machão, canzarrão, mansarrão, reizete, homúnculo, humillimo, orelhissimo, mansuetissimo, etc. Por isso, se eu encontro em Filinto o derivado malíssimo, que nunca entrára em diccionários, ninguém porá em dúvida o direito de registar, como novo, êsse excellente derivado.

Quem consulta um diccionário conhece geralmente a formação regular dos aumentativos, deminutivos e superlativos, para que se avolume o vocabulário com o registo dêlles. Está neste caso a fórma pronominal dos verbos, quando o significado dessa fórma não diverge do da fórma transitiva. Também não há clara vantagem na indicação do valor substantivo dos infinitivos, visto que tal valor lhes é inherente.

Mas o asterisco, no presente diccionário, tem ainda outra significação: designa também que a accepção dos respectivos vocábulos, precedida por êlle, era desconhecida nos diccionários a que acima me referi; e, nestas circunstâncias, há milhares e milhares de accepções, disseminadas em o Novo Diccionário.

Assim, o vocábulo agulha apresenta 6 accepções novas: chocho 5; verde 5; natureza 5; frade 4; lavadeira 4; zaburro 4; casqueiro 4; silva 4; rabicho 4; urubu 4; missa 7, etc., etc.

} Quere dizer que o vocábulo respectivo é estrangeiro, mas usado em português por necessidade ou por moda, e que se deve sublinhar quando se escreve, para que se lhe accentue o cunho estrangeiro.

< Aponta a fórma intermédia ou a transição de uma palavra, raíz ou thema para outra palavra que, modificando-se, procedeu daquella.

+ Indíca a addição de uma palavra, ou de um elemento de palavras compostas a outro elemento ou a outra palavra.

= Indíca que a palavra, seguida dêsse sinal, corresponde, em radical e significação, á palavra que se pospõe ao mesmo sinal; e indíca equivalência de fórma ou de sentido.

… Mostra que as palavras, que seguem ou precedem êste sinal, fazem parte de trecho ou phrase que se não reproduz integralmente.

* * * * *

Abrev. quere dizer abreviatura. a. C. " " antes do Chrísto. Açor. " " termo açoreano. Adj. " " adjectivo. Adj. f. " " adjectivo feminino. Adv. " " adverbio. Afr. " " africano. Agr. " " termo de Agricultura. al. " " alemão. alat. " " alatinado. alt. al. " " alto alemão. alter. " " alteração. Anat. " " termo de Anatomia. Angl. " " Anglicismo. angl. sax. " " anglo saxão. Ant. " " termo antigo. ant. alt. al. " " antigo alto alemão. Anthrop. " " Anthropologia. apher. " " aphérese. ár. " " árabe. Arith. " " termo de Arithmética. art. def. " " artigo definido. Artilh. " " termo de Artilharia. as. " " termo asiático. Arm. " " termo de Armaria. Astrol. " " termo de Astrologia. aum. " " aumentativo. Bacter. " " termo de Bacteriologia. berb. " " berbere. Bibl. Nac. " " Bibliotheca Nacional. Biol. " " termo de Biologia. b. lat. " " baixo latim. borg. " " borgonhês. Bot. " " termo de Botânica. Bras. " " termo brasileiro. bret. " " bretão. Burl. " " termo burlesco. Caboverd. " " termo caboverdeano. car. " " caraíba. Carp. " " termo de Carpintaria. carth. " " carthaginês. cast. " " castelhano. celt. " " céltico. Cf. " " confira. chancell. " " chancellaria. Chapel. " " termo de Chapelaria. chil. " " chileno. chin. " " chinês. Chul. " " termo chulo. Chron. " " termo de Chronologia. Cir. " " termo de Cirurgia. cit. " " citado. comp. " " comparativo. conc. " " concani. cong. " " conguês. conj. " " conjuncção. Constr. " " termo de construcção. contr. " " contracção. corr. " " corruptela. Cp. " " compare. Cutel. " " termo de Cutelaria. Cyn. " " termo de Cynegética. def. " " defectivo. defin. " " definido. dem. " " deminutivo. demonstr. " " demonstrativo. der. " " derivado; derivação. des. " " desusado. deprec. " " depreciativo. diccion. " " diccionário; diccionarista, din. " " dinamarquês. doc. " " documento. eccles. " " ecclesiastico. Econ. polít. " " termo de Economia Política. ed. " " edição. egýp. " " egýpcio. Enol. " " termo de Enologia. Entom. " " termo de Entomologia. Equit. " " termo de Equitação. escand. " " escandinavo. escoc. " " escocês. Escol. " " termo escolar. Espir. " " termo de espiritismo. etym. " " etymologia. ex. " " exemplo. ext. " " em sentido extensivo. Extrem. " " extremenho. euphon. " " euphonia; euphónico. f. " " substantivo feminino. f. ou fol. " " fôlha. fam. " " família; termo ou expressão familiar. fem. " " flexão feminina. fig. " " em sentido figurado. Fin. " " termo de Finanças. flam. " " flamengo. flex. " " flexão. fr. " " francês. freq. " " verbo frequentativo. Gal. " " gallicismo. Gall. " " gallego. gên. " " gênero. Geneal. " " termo de Genealogia. Geod. " " termo de Geodesia. Geogr. " " termo de Geographia. Geol. " " termo de Geologia. Geom. " " termo de Geometria. germ. " " germânico. Gír. " " termo de gíria. Glot. " " termo de Glóttica. got. " " gótico. gr. " " grego. Gram. " " termo de Grammática. guar. " " guarani. hebr. " " hebreu. Heráld. " " termo de Heráldica. hind. " " hindustani. Hist. Nat. " " termo de Hist. Natural. holl. " " hollandês. hung. " " húngaro. hybr. " " hýbrido. Hydrogr. " " termo de Hydrographia. hyp. " " hypothético. Icht. " " termo de Ichthyologia. id. " " idem. imper. " " imperativo. impess. " " impessoal. impropr. " " em sentido impróprio. inch. " " verbo inchoativo. ind. " " termo indiano. inf. " " termo infantil. infl. " " influência. ingl. " " inglês. interj. " " interjeição. interrog. " " interrogação. iron. " " ironia. it. " " italiano. Ital. " " italianismo. jap. " " japonês. jav. " " javanês. Jur. " " termo de Jurisprudência. kilogr. " " kilogramma. lat. " " latim. lat. barb. " " latim bárbaro. lat. bot. " " latim botânico. lisb. " " lisboêta. Lit. " " Literatura. loc. " " locução. loc. adv. " " locução adverbial. loc. conj. " " locução conjunccional. loc. prep. " " locução prepositiva. loc. pron. " " locução pronominal. lund. " " lundês. m. " " substantivo masculino. Mad. " " termo da ilha da Madeira. mal. " " malaio. malab. " " malabárico. Marcen. " " termo de Marcenaria. Marn. " " termo de marnotos. Mathem. " " termo de Mathemática. Med. " " termo do Medicina. med. lat. " " médio latim metath. " " metáthese. mex. " " mexicano. Mil. " " termo militar. Miner. " " termo de Mineralogia. mod. " " moderno. ms. " " manuscrito. Mús. " " termo de Música. myth. " " mythológico. n. " " nome. N. " " Norte. Náut. " " termo de Náutica. neerl. " " neerlandês. neol. " " neologismo. nord. " " nórdico. norm. " " normando. n. p. " " nome próprio. num. " " numeral. obsol. " " obsoleto. onom. " " onomatopeia; onomatopaico. Ópt. " " termo de Óptica. or. " " origem. Ornit. " " Ornithologia. orthogr. " " orthographia. p. " " página. part. " " particípio. part. irr. " " particípio irregular. Pathol. " " termo de Pathologia. pers. " " persa. peruv. " " peruviano. Pesc. " " termo de Pescaria. pess. " " pessôa (verbal). Pharm. " " termo de Pharmacia. Philol. " " termo de Philologia. Phot. " " termo de Photographia. Phýs. " " termo de Phýsica. Physiol. " " termo de Physiologia. Pint. " " termo de Pintura. pl. " " plural. pleb. " " plebeísmo. poet. " " termo poético. pol. " " polaco. pop. " " termo popular. port. " " português. pov. " " povoação. pref. " " prefixo. prep. " " preposição. pron. " " pronome. pron. ind. " " pronome indefinido. prop. " " próprio. prov. " " provincianismo. Prov. alent. " " provincianismo alentejano. Prov. alg. " " provincianismo algarvio. Prov. beir. " " provincianismo beirão. Prov. dur. " " provincianismo duriense. Prov. extr. " " provincianismo extremenho. Prov. minh. " " provincianismo minhoto. Prov. trasm. " " provincianismo trasmontano. provn. " " provençal. p. us. " " pouco usado. qual. " " qualificativo. quimb. " " quimbundo. rad. " " radical. refl. " " reflexo. restrict. " " em sentido restricto. rev. " " revista. S. " " Sul. Sal. " " termo de salinas. séc. " " século. seg. " " seguinte; seguido. sent. " " sentido. Serr. " " termo de Serralharia. sign. " " significação sing. " " singular. subst. " " substantivo. suf. " " suffixo. suf. v. " " suffixo verbal. sup. " " superlativo. Supplem. " " Supplemento. syr. " " syríaco. t. " " termo. Taur. " " termo da Tauromaquia. Terat. " " termo de Teratologia. Theol. " " termo de Theologia. thibet. " " thibetano. Topogr. " " termo de Topographia. turc. " " turco. unif. " " unifórme. us. " " usado. V. " " Veja. v. " " verbo. vasc. " " vasconço. vb. " " verbò. veloc. " " termo de velocipedia. ven. " " termo venatório. verb. " " verbal. vers. " " versificação. Veter. " " termo de Veterinária. v. g. " " verbi-gratia. v. i. " " verbo intransitivo. vin. " " termo de vinificação. Vit. " " termo de Vinicultura. v.^o " " versò. voc. " " vocábulo. v. p. ou v. pron. " " verbo pronominal. vulg. " " vulgar. v. t. " " verbo transitivo. zend. " " zenda. Zool. " " termo de Zoologia.

A

*A.*, abrev. De autor.

*A. C.*, abrev. (que acompanha certas datas, significando: antes de Christo)

*A final*,
adv.
Em-fim, finalmente.
(De final)

* *A. M.*, Abrev. muito us. em cálculos astronómicos, e que designa ante meridiem, (antes do meio dia).

* *A-cantaros*, loc. adv. Copiosamente, com abundância.

* *A-d'el-rei*,
m.
Grito de soccorro, o mesmo que aqui-d'el-rei: «os a-d'el-reis rara
noite se não ouviam
». Camillo, Cavar em Ruin., 222.

* *A-de-mais*,
adv. e prep.
Além.
Demais.

*A-deshoras*,
loc. adv.
Tarde.
Inopportunamente.

*A-desoras*,
loc. adv.
Tarde.
Inopportunamente.

* *A-feito*, loc. adv. Prov. minh. A eito, a fio, seguidamente.

*A-flux*, (aflus)
loc. adv.
Em abundância.
Totalmente.
(De fluxo)

*A-froixo*, adv. O mesmo que a-flux.

* *A-l'obra!*,
loc. interj.
Mãos á obra!
Trabalhemos! Cf. Castilho, Fausto, 197.
(Contr. de a la obra)

* *A-la-grande*,
loc. adv. Ant.
Á grande, com grandeza; ostentosamente. Cf. Filinto, D. Manuel,
III, 212.

*A-la-una*,
adv.
Á uma.
Juntamente.
* M. Prov. alent.
Jôgo de rapazes, em que se emprega o salto e certos estribilhos.
(Loc. cast.)

* *A-lugares*, loc. adv. Ant. Parcialmente.

*A-miúdo*, adv. (Corr. de amiúde). Cf. Camillo, Retr. de Ricard., 11.

*A-nado*, loc. adv. Nadando: Passar um rio a-nado.

*A-par*, loc. prep. Junto; ao lado; ao pé: passou a-par êlle. * Loc. adv. Parallelamente. Ao lado um do outro: os dois passaram a-par. (De a + par)

* *A-primas*, loc. adv. Ant. Em primeiro lugar.

* *A-propósito*, loc. adv. Em occasião opportuna; convenientemente; a talho de foice.

*A-tempo*,
loc. adv.
Opportunamente.
Em bôa hora.
M.
Opportunidade, ensejo.

*A*,^1 (á)
m.
Primeira letra do alphabeto português.
* Mús.
Primeira nota da escala na denominação alphabética dos sons.
Adj.
Primeiro, (falando-se de um número ou de um objecto que faz parte de
uma série).
* Adj.
Que é de primeira classe, (falando-se de carruagens de caminho de ferro).

*A*,^2 (á) art. (fem. de o). Ant. la. (Do lat. illa).

*A*,^3 (â)
prep.
Que indica várias relações.
(Lat. ad).

* *A*,^4 (â) pron. Flexão fem. do pron. o.

*AA*, (ás)
m. pl.
Caracteres, que pluralizam a representação phonética da primeira
letra do alphabeto.

* *Aacima*, adv. Ant. Finalmente; em conclusão.

* *Aal*, m. Árvore terebinthácea, cuja casca aromatiza o vinho.

* *Aalênio*, m. e adj. Geol. Diz-se do terreno que predomina nas cercanias de Aalen, (Alemanha).

*Aata*,
f. Bras.
Canôa de casca de madeira, com as extremidades achatadas em fórma de
bico de pato.
(Do tupi aa, mal e atá, andar).

* *Aaz*,
f. Ant.
Ala, acampamento. Companhia, communidade.
(Do lat. acies).

*Ab…*,
pref.
(que designa intensão, separação, opposição).
(Do lat. ab).

* *Abá*, m. Manto de beduinos.

*Aba*,^1
f.
Extremidade (de alguns vestidos).
Prolongamento dos lados de um corpo ou superfície: a aba do chapéu.
Peça saliente, em certas obras de carpintaria, alvenaria e serralharia.
Vizinhança, sopé: na aba da serra.

*Aba*,^2
m.
Título do Bispo em algumas Igrejas orientaes.
(Do syr. abba).

* *Ababás*, m. pl. Aborigenes do Brasil, que habitaram Mato-Grosso.

*Abacá*,
m.
Espécie de bananeira, também conhecida por côfo.
Fibra dessa planta.

* *Abacamartado*,
adj.
Parecido com um bacamarte: «uma cravina abacamartada.» (De um
testamento de 1693)

*Abaçanar*, v. t. (V. abacinar).

*Abacate*,
m.
Fruto do abacateiro.
*
O mesmo que abacateiro.

*Abacateiro*,
m.
Árvore tropical, de fruto comestível.

* *Abacatina*,
f.
Peixe do Brasil.

* *Abacatirana*,
f.
Arvore laurácea do Brasil.

*Abacaxi*, m. Espécie de ananás, (bromelia ananas, Lin.)

*Abacelado*,
adj.
Convertido em bacello.
Plantado de bacello: encosta abacellada.

*Abacelamento*,
m.
Acto ou effeito de abacellar.

*Abacelar*,
v. t.
Converter em bacello.
Plantar de bacello.

*Abacellado*,
adj.
Convertido em bacello.
Plantado de bacello: encosta abacellada.

*Abacellamento*,
m.
Acto ou effeito de abacellar.

*Abacellar*,
v. t.
Converter em bacello.
Plantar de bacello.

* *Abaceto*, ()
m.
Gênero de coleópteros pentâmeros.

*Abacial*,
adj.
Que diz respeito ao abbade ou á abbadia.
(Do b. lat. abbatialis).

* *Abacinar*,
v. t.
Tornar escuro, privar da claridade.
Arroxear (a pelle).
(Do b. lat. abacinare).

* *Abacista*,
m.
O que trabalhava ou estudava no ábaco.
(B. lat. abacista).

*Abactor*,
m.
Ladrão de gados.
(Lat. abactor).

*Abáculo*,
m.
Pequeno ábaco, antiga mesa pequena.
Pedra variegada, usada pelos Romanos em certos jogos.
Cubo de tijolo ou vidro, pintado e embutido em pavimentos de mosaico.

* *Abacutaia*,
f.
Peixe do Brasil.

*Abada*,^1
f.
Aba cheia; grande quantidade: trazia abadas de rosas.
(De aba).

*Abada*,^2
f.
Fêmea do rhinoceronte; pachiderme, análogo àquelle.
(Do mal. badaq, rhinoceronte).

*Abadado*, m. Ant. O mesmo que abbadia.

*Abadágio*, m. Refeição, que os parochianos eram obrigados a dar ao abbade.

* *Abadalassa*,
m.
Jôgo antigo.
Cf. Cancion. Ger., I, 146.

*Abadar*, v. t. Prover de abbade.

* *Abadavina*,
f.
Pássaro conirostro.

*Abade*,
m.
Prelado de ordem monástica.
Aquelle que governa uma abbadia.
Cura de almas, párocho.
(Do b. lat. abbas).

* *Abadecídio*,
m.
Assassinio de abbade. Cf. B. Pato, Ciprestes, 107.

*Abadejo*,
m.
O mesmo que badejo.
Prov.
O mesmo que vaca-loira.

* *Abadengo*,
m. Ant.
Legado pio ou esmola, que se dava em vida ou se deixava por morte ao
confessor.
O antigo direito de sêr abbade de alguma igreja.
Adj.
Relativo ao território ou á jurisdicção de abbade.

* *Abadernar*, v. t. Náut. Apertar com badernas.

* *Abadesco*, adj. Próprio de abbade.

*Abadessa*,
f.
Prelada de communidade religiosa.
(Do b. lat. abbatissa).

*Abadessado*,
m.
Cargo de abbadessa.
O tempo que dura esse cargo.
As festas, com que se elege a abbadessa.

* *Abadessona*, f. Fam. Abbadessa muito encorpada. Cf. Garrett, Flores, 95.

*Abadia*,
f.
Igreja, regida por abbade.
Paróchia.
Rendimento do abbade.

*Abadiado*, m. O mesmo que abbadia.

* *Abadim*,
m. Ant.
Lugar, habitado por observantes religiosos.
(De abbade).

* *Abadir*,
m.
Pedra, que, segundo a Mythologia, Saturno enguliu, enganado por sua
mulher. Cf. Castilho, Fastos, II, 251.
O mesmo que bétylo.
(Lat. abadir).

*Abado*, (àbá) adj. Que tem abas grandes: chapéu abado.

*Abaetado*, (baê)
adj.
Semelhante a baêta.

*Abaetar*, (baê)
v. t.
Vestir com baêta.
Fabricar (tecido que imite a baêta).

*Abafa!*, interj. Grito imperativo, para os marinheiros ferrarem as velas.

* *Abafação*,
f.
Acto de abafar: «Tenho ataques de abafação». Camillo, Mulher
Fatal
, p. 210.

*Abafadamente*, adv. De modo abafado.

* *Abafadela*,
f.
O mesmo que abafação.
O mesmo que abafarete.

*Abafadiço*,
adj.
Susceptível de se suffocar.
Que suffoca: tempo abafadiço.
Irascível.

*Abafado*,
adj.
Que se respira com difficuldade: ar abafado.
Pouco ou mal ventilado: casa abafada.
Diz-se do vinho, de cujo mosto se impediu a fermentação.
(De abafar).

*Abafador*,
adj.
Que abafa, que suffoca: calor abafador.
M.
Peça, que em certos instrumentos abafa o som, suspendendo a vibração
das cordas.
* M.
Aquelle que, em certas seitas, apressava a morte ao moribundo, afogando-o
com almofadas, para que não peccasse, depois de consolado pelo sacerdote.
* Prov.
Pano, com que se cobre o bule do chá, para que êste não arrefeça.

*Abafadura*, f. O mesmo que abafamento.

*Abafamento*,
m.
Acto de abafar.
Falta de ar.
Abafante.
Adj.
O mesmo que abafador.

*Abafar*,^1
v. t.
Tirar o bafo a; suffocar: o calor abafava os espectadores.
Suffocar; asphyxiar.
Impedir a combustão de: abafar o lume.
Dissimular, conter: abafar um grito.
Impedir a continuação de: abafar a questão.
Esconder: abafar uma carta.
Agasalhar com roupas: abafar a criança.
Vin.
Impedir a fermentação de (mosto).
V. i.
Respirar a custo: eu abafo.
V. p.
Agasalhar-se com roupas.
* Prov.
Cavar e preparar (o terreno), para a sementeira do milho. (Colhido
em Alcanena)

* *Abafar*,^2
m.
Peixe plagióstomo, cinzento por cima e esbranquiçado por baixo.

* *Abafarete*, (farê)
m. Neol.
Acto de abafar (uma questão parlamentar).
No voltarete, acto de não mostrar na mesa a espadilha e o basto, quando
há obrigação de os mostrar.

*Abafas*, f. pl. Ant. Bravatas, ameaças arrogantes.

*Abafeira*,
f.
Paúl, charco.
Abafo.
M.
Acto de abafar.
Aquillo que abafa ou resguarda.
Aconchego, carinho.

*Abafo*,
m.
Roupa ou pelles, que servem de agasalho.
(De abafar)

* *Abagoar*,
v. t. Prov. minh.
Desengranzar; desenfiar.
(De bago).

* *Abagum*, m. Ave tropical.

*Abahuladamente*, (ba-u)
adv.
De modo abahulado, á maneira de bahu.

*Abahulado*, (baú)
adj.
Que tem fórma de bahu.

*Abahulador*, (baú)
m.
O que abahula.

*Abahulamento*, (baú)
m.
Acto ou effeito de abahular.
Arco abatido nas abóbadas.
Superfície curva das ruas calçadas, para se facilitar o escoamento
das águas.
Convexidade.

*Abahular*, (baú) v. t. Dar fórma de bahu a; tornar convexo.

*Abainhar*, (ba-i)
v. t.
Fazer a baínha de.
Impropriamente, o mesmo que embainhar.

*Abaionetar*, v. t. Ferir ou trespassar com baioneta.

* *Abairramento*,
m.
Acto ou effeito de abairrar.

*Abairrar*, v. t. Dividir em bairros.

* *Abaixa*, f. Espécie de fisga, usada na pesca da lampreia, ao norte de Portugal.

* *Abaixadela*,
f.
O mesmo que abaixadura.

*Abaixador*, m. O que abaixa.

* *Abaixadura*,
f.
Acto ou effeito de abaixar.

*Abaixamento*,
m.
Acto ou effeito de abaixar.

*Abaixante*, m. O mesmo que abaixador.

*Abaixar*,
v. t.
Dirigir para baixo, abater: abaixou os olhos.
Fazer descer.
Fig.
Conter, reprimir.
Aviltar.
V. p.
Humilhar-se.
* Prov.
Defecar.
*
Deminuir (altura, preço, temperatura, etc.).
*
Traçar (linha perpendicular), partindo de um ponto para uma recta ou
plano.
* Loc. fam.
Abaixar a prôa, submeter-se, humilhar-se, sujeitar-se.
Abaixar a prôa a alguém, submetê-lo, reprimi-lo, humilhá-lo.

*Abaixo*, adv. Para a parte inferior; na parte inferior, inferiormente. * M. Um abaixo-assignado, petição, representação, ou documento subscrito por várias pessoas.

*Abajoujamento*,
m.
Acto de abajoujar-se.

*Abajoujar-se*, v. p. Fazer-se bajoujo.

*Abaju*,^1
m.
(V. Quebra-luz; pantalha).
(Do fr. abat-jour).

*Abaju*,^2 m. Raça mestiça do Brasil.

* *Abajúrdio*,
m.
Voc. us. por Garrett, em vez do francesismo abaju^1.

*Abalada*,
f.
Acto de abalar, partida.
Direcção tomada pela caça que se levanta.

*Abalado*,
adj.
Pouco firme, mal seguro: um dente abalado.
Commovido, impressionado: fiquei abalado com a noticia.

* *Abaladura*, f. Prov. minh. O mesmo que abôrto.

*Abalamento*,
m.
O mesmo que abalo: «abalamento de doença». Galvão, Chrón. de
Aff. H.

*Abalançamento*,
m.
Acto de abalançar.

*Abalançar*,
v. t.
Pesar com balança.
Dar movimento liberatório a.
Arrojar, impellir.

*Abalar*,
v. t.
Sacudir, tornando menos firme; fazer tremer.
Deminuir: abalar o crédito.
Impressionar, commover.
V. i.
Partir ou fugir com pressa.

* *Abalaustramento*, (la-us)
m.
Acto de abalaustrar.

*Abalaustrar*, (la-us)
v. t.
Adornar com balaústres.

*Abalável*, adj. Que póde sêr abalado.

*Abaldear*, v. t. O mesmo que baldear.

*Abalienação*,
f.
Transferência de gados, escravos ou terras a quem tinha o direito de
os adquirir, entre os Romanos.
(Do lat. abalienatio).

*Abalienar*,
v. t.
Transferir por abalienação.
(Do lat. abalienare).

*Abalistar*, v. t. Atacar com tiros de balista.

*Abalizadamente*, adv. De modo abalizado, com distincção.

*Abalizado*,
adj.
Muito illustrado.
Distinto.
(De abalizar).

*Abalizador*,
m.
Aquelle que abaliza.
* m.
Vara, com que se medem as terras.

* *Abalizamento*,
m.
Acto ou effeito de abalizar.

*Abalizar*, v. t. Marcar com balizas, balizar.

*Abalo*,
m.
Acto ou effeito de abalar.
Terremoto.
Commoção.
Fuga, partida.

* *Abaloar*, v. t. Dar fórma de balão a.

*Abalofar*, v. t. Tornar balofo.

* *Abalonado*, adj. Neol. Que tem fórma de balão. Cf. Val. Magalhães, Contos.

* *Abaloso*,
adj. Bras. de Minas.
Pouco cômmodo, (falando-se do andar do cavallo).
(De abalo)

*Abalrôa*, f. O mesmo que balrôa.

*Abalroação*,
f.
O mesmo que abalroamento.

*Abalroada*, f. (V. abalroamento).

* *Abalroadela*,
f.
(V. abalroamento).

*Abalroador*, m. e adj. O que abalrôa.

*Abalroamento*,
m.
Acto ou effeito de abalroar.

*Abalroar*,
v. t.
Atracar com balrôas.
Ir de encontro a.

*Abalsar*, v. t. Meter na balsa ou no balseiro.

* *Abalseirar*, v. t. O mesmo que abalsar.

* *Abaluartamento*,
m.
Acto de abaluartar.

*Abaluartar*,
v. t.
Guarnecer de baluartes.
Dar fórma de baluarte a.

* *Abama*, f. Planta liliácea, (anthericum ossifragum, Lin.)

* *Abâmeas*, f. pl. Grupo de plantas, que têm por typo a abama.

*Abanadela*, f. Fam. Acto de abanar.

*Abanador*, m. O mesmo que abano.

*Abanadura*, f. O mesmo que abanadela.

*Abanamoscas*,
m.
Enxotamoscas.
Fig.
Pequeno valor, insignificância.

*Abananado*, adj. Fam. Aparvalhado, apalermado. Aturdido. * Prov. alent. O mesmo que adoentado. (De abananar).

*Abananar*,
v. t. Fam.
Tornar palerma, aparvalhar.
Aturdir.

* *Abanante*, adj. Que abana: «calção de abanante orelha», Garrett, Fáb.

* *Abanão*, m. Pop. Acto de abanar ou agitar com fôrça.

*Abanar*, v. t. Ventilar com abano. Agitar. Sacudir. * Fam. Aproximar-se de (alguém), para que êste satisfaça um pedido, ou dê a conhecer intenções. * Loc. fam. Abanar as orelhas, não annuir a um pedido ou proposta.

*Abancado*,
m.
Pedra de abancado, a pedra arrancada do último banco inferior da
pedreira.
(De abancar).

*Abancar*,
v. t.
Distribuir por lugares á roda da banca.
V. i.
Sentar-se á banca.

*Abandalhado*,
adj.
Que se abandalhou.
(De abandalhar).

*Abandalhar*, v. t. Tornar bandalho, reles.

*Abandar*,^1 v. t. Reunir em bando. V. p. Formar bando, bandear-se.

*Abandar*,^2
v. t.
Pôr de banda, separar, dar como quinhão: na partilha, o pai abandou-lhe
duas belgas
.
Pôr bandas em: abandar de velludo um capote. Cf. Camillo, Narcót.,
II, 304.

*Abandear*, v. t. O mesmo que bandear.

*Abandeirar*, v. t. O mesmo que embandeirar.

*Abandejar*,
v. t.
Dar fórma de bandeja a.
Limpar (cereaes), separando com bandeja o grão e a palha.

*Abandoar*, v. t. (V. bandear).

*Abandonadamente*,
adv.
Com abandono, solitariamente.
Desamparadamente.

*Abandonado*,
adj.
Que ficou ao abandono.
Desamparado.
Solitário.
(De abandonar).

*Abandonamento*,
m.
(V. abandono).

*Abandonar*,
v. t.
Deixar ao abandono.
Desamparar.
Largar.
Renunciar.
V. p.
Entregar-se.

* *Abandonatário*,
m. Neol.
Indivíduo, que adquiriu direito ou coisa abandonada por outrem.
(De abandonar)

*Abandonável*,
adj.
Que deve sêr abandonado.
Que se póde abandonar.

*Abandono*,
m.
Desamparo, desabrigo.
Desleixo.
Desistência, renúncia.

* *Abaneenga*, m. Bras. Guarani ou tupi do sul.

* *Abanga*,
f.
Fruto de certa palmeira das Antilhas.
Designação genérica, que nalguns povos da América do Sul se dá
á bananeira.
O mesmo que bango.

* *Abanheenga*, m. Bras. Guarani ou tupi do sul.

* *Abanicar*,
v. i.
Diz-se do toireiro, quando move o capote de um lado para o outro.
*
Abanar com leque.
(De abanico).

*Abanico*,
m.
Pequeno abano. Leque.
* Ant.
Gorjeira ou enfeite para o pescoço.

*Abaninho*, m. (V. abanico).

*Abano*,
m.
O mesmo que ventarola.
Utensílio, em fórma de leque, para activar a combustão, agitando o ar.
* m.
Modo de pesca, usado no Algarve, pondo-se no anzol um pedaço de pano
branco, em vez de isca.
Guarnição de vestuário, espécie de folho pregueado.

*Abantesma*, (tês) f. Pop. O mesmo que fantasma. Apparição medonha. * Fig. Objecto muito grande, espantoso.

* *Abanto*,
m.
Espécie de abutre.
Adj.
Cobarde, (falando-se do toiro).

* *Abapo*, m. Planta exótica, amaryllidea.

*Abaquetar*, v. t. Dar fórma de baqueta a.

* *Abar*, v. t. Formar as abas de (um chapéu).

* *Abará*, m. Bras. Iguaria, feita de massa de feijão, pimenta e pijericum. (T. tupi).

*Abaratar*, v. t. Tornar barato, abaixar o preço de, baratear.

*Abarbado*,
adj.
Sobrecarregado, afrontado.
(De abarbar).

* *Abarbar*,
v. t.
Tocar com a barba, attingir.
Igualar.
Afrontar.
*
Igualar em altura.
* V. i.
Diz-se das abelhas, quando se reúnem em massa, fóra da colmeia,
formando cacho.

* *Abarbarado*,
adj. Bras.
Temerário.
Valente.
Terrivel.
(De bárbaro).

*Abarbarizar*, v. t. (V. barbarizar).

* *Abarbear*, v. t. Pôr barbilho em.

*Abarbelar*,
v. t.
Prender com barbella.
Abarbetar.
Levantar (a âncora) á altura da barbeta.

*Abarbellar*,
v. t.
Prender com barbella.
Abarbetar.
Levantar (a âncora) á altura da barbeta.

*Abarca*,
f.
Calçado, feito de uma sola, ligada ao pé por correias.
Tamanco.
Calçado largo e mal feito.
(Cp. abarcar).

*Abarcador*, m. Aquelle que abarca.

*Abarcamento*,
m.
Acto ou effeito de abarcar.

*Abarcante*, adj. Que abarca.

*Abarcar*,
v. t.
Abranger, cingir.
Conter.
Monopolizar.
(Do cast. abarcar?)

* *Abarcas*,
f. pl. Prov. alg.
Luta, braço a braço, para experiência de fôrças.
(De abarcar).

* *Abarém*, m. Bras. Espécie de bolo de milho ou de arroz moído.

*Abaremo-temo*,
m.
Árvore leguminosa do Brasil.

*Abarga*, f. Ant. Espécie de nassa.

* *Abaritonado*, adj. Semelhante a barítono: um tenor abaritonado.

*Abarracado*,
adj.
Que tem fórma de barraca: casa abarracada.
(De abarracar).

*Abarracamento*,
m.
Acto ou effeito de abarracar.
Série de barracas.
Lugar onde há barracas.

*Abarracar*,
v. t.
Formar barracas em.
Meter em barracas.
Dar fórma de barraca a.

*Abarrancar*, v. i. Fazer barrancos em. V. p. Meter-se em barrancos.

* *Abarregado*,
adj. Topogr.
Diz-se do casal ou herdade, em que o dono não reside e que por isso
está exposto ao roubo.

* *Abarregamento*,
m.
Acto ou effeito de abarregar.

* *Abarregar*,
v. t. Ant.
Amancebar.
V. p.
Têr relações illicitas com pessôa de outro sexo.
(Cp. barregan).

*Abarreirar*,
v. t.
Cercar de barreiras.
Entrincheirar.

*Abarretar*, v. t. Cobrir com barrete.

* *Abarroado*,
adj. Ant.
Malcriado.
Indecente.
(De barrão).

*Abarrotado*,
adj.
Muito cheio.
Empanzinado.
Ant.
Contumaz, renitente, teimoso.
(De abarrotar).

*Abarrotamento*,
m.
Acto ou effeito de abarrotar.

*Abarrotar*,
v. t.
Cobrir de barrotes.
Encher muito.
Empanturrar.

* *Abarruntar*,
v. t. Prov. trasm.
Lobrigar, dar fé de.
(De barruntar).

* *Abarticular*,
adj. Med.
Diz-se do rheumatismo, que ataca os órgãos, os músculos, os nervos,
sem atacar as articulações.
(Do lat. ab + articulus)

* *Abaruna*, m. Bras. Homem, vestido de negro; padre. Cf. Alencar, Minas de Prata, 111.

* *Abasia*,
f. Med.
Impossibilidade da marcha.
(Do gr. a priv. + basis, o andar).

* *Abasicarpo*,
m.
Planta crucífera
(Do gr. a + basis + karpos).

* *Abásico*,
adj.
Relativo a abasia.
M.
Aquelle que soffre abasia.

* *Abassis*, m. pl. Ant. O mesmo que [[abexins|abexim]]. Cf. Lusiadas, X, 95.

*Abassor*,
adj. Anat.
Diz-se de vários músculos, que abaixam.
(Do gr. bassus).

*Abastadamente*, adv. De modo abastado, com abastança.

*Abastado*,
adj.
Que tem o bastante ou o que é necessário.
Rico.
(De abastar).

* *Abastamente*, adv. O mesmo que abastadamente.

*Abastamento*,
m.
Acto ou effeito de abastar.
Grande fornecimento.

*Abastança*,
f.
Sufficiência.
Fartura; riqueza.
(De abastar).

*Abastar*, v. t. Prover do que é bastante ou necessário. Abastecer. Fartar. * V. i. Sêr bastante: «um coxim abastará.» Camões. Seleuco.

*Abastardado*,
adj.
Degenerado.
Fig.
Que não é puro ou correcto.
(De abastardar)

*Abastardamento*,
m.
Acto ou effeito de abastardar.
Degenerescência.

*Abastardar*,
v. t.
Alterar.
Fazer degenerar.
(De bastardo)

*Abastardear*, v. t. O mesmo que abastardar. Cf. Garrett, Port. na Bal., 33.

*Abastecedor*,
m.
Aquelle que abastece.

*Abastecer*, v. t. O mesmo que abastar.

*Abastecimento*,
m.
Acto de abastecer.
Abastança.

* *Abastimento*, m. Prov. trasm. Aviamento, execução.

*Abasto*, m. Ant. O mesmo que abastança.

*Abastosamente*, adv. De modo abastoso, com abundância.

*Abastoso*,
adj.
Rico.
Abundante.
(De abasto).

*Abatatado*,
adj.
Que tem fórma de batata.
Grosso, largo: nariz abatatado.
(De abatatar).

*Abatatar*,
v. t.
Dar fórma de batata a.
Tornar largo, disforme.

*Abate*, m. O mesmo que abatimento.

*Abatedor*, m. Aquelle que abate.

*Abater*,
v. t.
Abaixar.
Prostrar.
Humilhar.
*
Deminuir (preço, altura, etc.).
* V. i.
Têr abatimento.
*
Desabar: o telhado abateu.
(Do lat. adbattere).

* *Abátia*, f. Gênero de plantas arbustivas da América.

*Abatidamente*, adv. Do modo abatido.

*Abatido*,
adj.
Enfraquecido, definhado.
(De abater).

*Abatimento*,
m.
Acto ou effeito de abater.
Prostração, fraqueza.
Desconto, reducção.
* Náut.
Ângulo, feito pela quilha com a esteira, indicando quanto o navio se
desvia para o través.

* *Abatina*, f. O mesmo que batina.

*Abatinar*, v. t. Vestir com batina.

* *Abatirás*,
m. pl.
Aborígenes brasileiros, que dominaram na antiga capitania de
Porto-Seguro.

*Abatis*,^1 m. Trincheira, formada de árvores cortadas.

* *Abatis*,^2 m. Bras. Espécie de cabidela, feita de entranhas de aves.

* *Abatixi*, m. Bras. Planta aquática do Amazonas.

*Abatocar*,
v. t.
Fechar com batoque.
Arrolhar.

* *Abatufado*,
adj. Prov. trasm.
Que tem gordura balofa, mormente na cara.
(Cp. [[empantufado|empantufar-se]]).

*Abauladamente*, (ba-u)
adv.
De modo abahulado, á maneira de bahu.

*Abaulado*, (baú)
adj.
Que tem fórma de bahu.

*Abaulador*, (baú)
m.
O que abahula.

*Abaulamento*, (baú)
m.
Acto ou effeito de abahular.
Arco abatido nas abóbadas.
Superfície curva das ruas calçadas, para se facilitar o escoamento
das águas.
Convexidade.

*Abaular*, (baú) v. t. Dar fórma de bahu a; tornar convexo.

* *Abaúna*, adj. f. Diz-se de uma raça autóchthone do Brasil.

* *Abaxial*,
adj. Ópt.
Que não está no eixo.
(De ab priv. + lat. axis, eixo).

*Abba*,
m.
Título do Bispo em algumas Igrejas orientaes.
(Do syr. abba).

*Abbacial*,
adj.
Que diz respeito ao abbade ou á abbadia.
(Do b. lat. abbatialis).

*Abbadado*, m. Ant. O mesmo que abbadia.

*Abbadágio*, m. Refeição, que os parochianos eram obrigados a dar ao abbade.

*Abbadar*, v. t. Prover de abbade.

*Abbade*,
m.
Prelado de ordem monástica.
Aquelle que governa uma abbadia.
Cura de almas, párocho.
(Do b. lat. abbas).

* *Abbadecídio*,
m.
Assassinio de abbade. Cf. B. Pato, Ciprestes, 107.

* *Abbadengo*,
m. Ant.
Legado pio ou esmola, que se dava em vida ou se deixava por morte ao
confessor.
O antigo direito de sêr abbade de alguma igreja.
Adj.
Relativo ao território ou á jurisdicção de abbade.

* *Abbadesco*, adj. Próprio de abbade.

*Abbadessa*,
f.
Prelada de communidade religiosa.
(Do b. lat. abbatissa).

*Abbadessado*,
m.
Cargo de abbadessa.
O tempo que dura esse cargo.
As festas, com que se elege a abbadessa.

* *Abbadessona*, f. Fam. Abbadessa muito encorpada. Cf. Garrett, Flores, 95.

*Abbadia*,
f.
Igreja, regida por abbade.
Paróchia.
Rendimento do abbade.

*Abbadiado*, m. O mesmo que abbadia.

* *Abbadim*,
m. Ant.
Lugar, habitado por observantes religiosos.
(De abbade).

*Abbatina*, f. O mesmo que batina.

*Abc*, (á-bê-cê)
m.
Abecedário; cartinha para aprender a lêr.
Primeiras noções de qualquer coisa.
(Das primeiras letras do alphabeto).

*Abceder*,
v. i.
Degenerar em abcesso.
Supurar.
(Do lat. abscedere).

*Abcesso*,
m.
Tumor.
Inchação, produzida pela formação do pus.
Pus, acumulado no tumor.
(Do lat. abscessus).

*Abcisão*,
f.
Córte na parte carnosa do corpo.
(Do lat. abscisio).

*Abcissa*,
f. Geom.
Uma das coordenadas que servem para fixar um ponto num plano.
(Do lat. abscissa).

* *Abdalita*,
m.
Membro de uma seita indiana.
(Do ar. abol, servo, e Allah, Deus).

* *Abderiano*, m. e adj. De Abdera.

* *Abderita*, m. e adj. De Abdera.

*Abdicação*,
f.
Acto ou effeito de abdicar.
(Do lat. abdicatio).

*Abdicador*, m. Aquelle que abdica.

* *Abdicante*,
m.
O mesmo que abdicador.

*Abdicar*,
v. t.
Renunciar.
Abandonar (um cargo).
Ceder.
(Do lat. abdicare.)

* *Abdicatário*, m. e adj. O que fez abdicação.

* *Abdicativo*,
adj.
Relativo a abdicação.
Que envolve abdicação: declaração abdicativa.

*Abdicavel*, adj. Que se póde abdicar.

*Abdome*, ()
m.
Uma das cavidades do tronco do homem, limitada inferiormente pela bacia
e superiormente pelo diaphragma.
Ventre, barriga.
(Do lat. abdomen).

*Abdômen*, m. (V. abdome).

*Abdominaes*, m. pl. Ichthyol. Ordem de peixes malacopterygios, de barbatanas suspensas abaixo do abdome.

*Abdominais*, m. pl. Ichthyol. Ordem de peixes malacopterygios, de barbatanas suspensas abaixo do abdome.

*Abdominal*,
adj.
Relativo ao abdome.
(Do lat. abdominalis).

*Abdominoscopia*,
f.
Observação do abdome pelo tacto e pela percussão.
(Do lat. abdomen + gr. skopein, ver).

*Abdominoso*,
adj.
Que tem grande abdome.
Barrigudo.

* *Abdominothorácico*, adj. Anat. Relativo ao abdome e ao thórax.

* *Abdominotorácico*, adj. Anat. Relativo ao abdome e ao thórax.

*Abdução*,
f. Anat.
Movimento, com que, do plano médio, que se suppõe dividir o corpo
humano em duas partes iguaes, se afasta um membro ou qualquer parte.
(Do lat. abductio).

*Abducção*,
f. Anat.
Movimento, com que, do plano médio, que se suppõe dividir o corpo
humano em duas partes iguaes, se afasta um membro ou qualquer parte.
(Do lat. abductio).

*Abducente*,
adj.
Que produz a abducção.
(Do lat. abducens).

* *Abductivo*,
adj.
Que serve para abduzir; que abduz.
Que se abduz.

*Abductor*,
m. Anat.
Músculo, que produz a abducção.
(Do lat. abductor).

* *Abdutivo*,
adj.
Que serve para abduzir; que abduz.
Que se abduz.

*Abdutor*,
m. Anat.
Músculo, que produz a abducção.
(Do lat. abductor).

*Abduzir*,
v. t.
Tirar com fôrça.
Desviar de um ponto, afastar.
(Do lat. abducere).

*Abeatador*,
adj.
Que tem modos de beato.
(De abeatar).

*Abeatar*,
v. t.
Tornar beato.
Dar modos de beato a.

*Abêbera*, f. O mesmo que bêbera.

*Abeberar*,
v. t.
Dar de beber a.
Regar.
Ensopar.
(Corresponde ao cast. abrevar, fr. abreuver, it. abbederare,
do lat. ad + bibere. Cf. Viana, Apost., vb. baforeira).

*Abebra*, ()
f.
(V. bêbera).

* *Abecar*, v. t. Bras. Segurar pela golla, prender.

*Abecê*, m. O mesmo ou melhor que abc.

*Abecedário*,
m.
Alphabeto.
Livrinho para aprender a lêr.
(Do lat. abecedarius).

* *Abechedo*, m. Prov. trasm. O mesmo que abicheiro.

* *Abechucho*, m. Prov. trasm. Pessoa muito encorpada e desageitada.

* *Abecoínha*, f. Prov. O mesmo que abibe.

*Abegão*,^1
m.
Aquelle que trata de abegoaria.
Feitor de herdade ou quinta.
Prov. alent.
Carpinteiro de carros.
Prov. minh.
O mesmo que abelhão.
(Do lat. hyp. pecudonem, de pecus, gado).

* *Abegão*,^2
m. Prov.
O mesmo que besoiro.
(Cast. abejón)

*Abegôa*, (fem. de abegão).

*Abegoaria*,
f.
Lugar, em que se guarda gado e utensilios de lavoira ou carros.
(De abegão).

* *Abegoira*,
f. Ant.
Sementeira.
Lavoira.
(De abegão).

* *Abegoura*,
f. Ant.
Sementeira.
Lavoira.
(De abegão).

*Abeirar*, v. t. Chegar á beira de, aproximar.

* *Abeixamim*, m. Ant. Espécie de tecido indiano.

*Abelha*, ()
f.
Insecto hymenóptero, que produz o mel e a cera.
Abelha mestra, a que preside a cada colmeia e á qual compete a
propagação da espécie.
Fig.
Mulher astuta.
*
Planta, o mesmo que erva-abelha.
(Do lat. apicula).

*Abelha-flôr*,
f.
Designação vulgar de uma espécie de orchídeas.

* *Abelhal*, f. Casta de uva branca, nas regiões duriense e trasm.ntana.

*Abelhão*, m. O mesmo que zângão.

* *Abelhar*,
v. i. Prov.
Concorrer com uma quantia qualquer para um fim de interesse commum.
(De abelha).

*Abelharuco*,
m.
O mesmo que abelheiro.
(Cp. cast. abejaruco).

*Abelheira*,
f.
Ninho de abelhas.
Planta papilionácea.
*
Buraco, que apparece nas pedras e mármores, semelhante aos que as
abelhas fazem no tronco das árvores.

*Abelheiro*,
m.
Homem, que trata de abelhas.
Ave, que se nutre de abelhas o que é também conhecida por abelharuco,
(merops apiaster).
(De abelha)

* *Abelhina*,
f.
Espécie de orchídeas, o mesmo que abelha-flôr.

* *Abelhuar-se*,
v. p. Des.
Apressar-se. Cf. Costa e Sá, Diccion. (Talvez escrita incorrecta,
por abelhoar-se, de abelhão)

*Abelhudamente*, adv. De modo abelhudo.

*Abelhudice*,
f.
Qualidade ou acto de abelhudo.

*Abelhudo*,
adj.
Atrevido, intrometido.
Apressado.
(De abelha)

* *Abélia*,
f.
Gênero de árvores lonicéreas.
(De Abel, n. p.)

* *Abeliceia*,
f.
Espécie de sândalo, de Creta.

*Abelidar-se*, v. p. Adquirir belidas.

* *Abellota*,
f.
O mesmo que bellota.

* *Abelmeluco*,
m.
Planta da Mauritânia, de sementes negras e oblongas.

*Abelmosco*, (môs)
m.
Semente odorífera, de que se fabricam os chamados pós de Chypre.
(Do ar. habb-el-misc. Cp. almíscar)

* *Abeloira*,
f.
Planta vivaz, de flôr raiada de preto e vermelho, em que as abelhas se
demoram, deixando uma substância mellífera, que os rapazes procuram
e apreciam.
(Por abelhoira?)

* *Abelota*, f. O mesmo que bellota.

* *Abeloura*,
f.
Planta vivaz, de flôr raiada de preto e vermelho, em que as abelhas se
demoram, deixando uma substância mellífera, que os rapazes procuram
e apreciam.
(Por abelhoira?)

* *Abém!*, interj. Ant. O mesmo que e-bem!.

*Abemolado*,
adj.
Suave, brando: voz abemolada.
(De abemolar)

*Abemolar*, v. t. Mús. Marcar com bemol. Fig. Suavizar, abrandar.

* *Abencerragens*,
m. pl.
Tribo árabe, que dominou em Granada, antes da conquista dos reis
cathólicos, Fernando e Isabel.
(De Ebn-Serrag, n. p.)

* *Abencerrajens*,
m. pl.
Tribo árabe, que dominou em Granada, antes da conquista dos reis
cathólicos, Fernando e Isabel.
(De Ebn-Serrag, n. p.)

*Abençoadeiro*,
m.
Benzedeiro.
(De abençoar)

*Abençoado*,
adj.
Feliz.
Próspero.
(De abençoar)

*Abençoador*,
m.
Aquelle que abençôa.

* *Abençoamento*,
m.
Acto ou effeito de abençoar. Cf. A. Gama, Ult. Dona, 327.

*Abençoar*,
v. t.
Dar a bênção a.
Proteger.
Bem-dizer.
* V. p.
Benzer-se.
Receber a bênção. Cf. Costa e Sá, Diccion.

* *Abençoável*, adj. Digno de se abençoar. Cf. Castilho, Felic. pela Agr.

*Abendiçoar*, v. t. O mesmo que abençoar.

* *Aberém*, m. Bras. O mesmo que abarém.

* *Aberema*,
f.
Gênero de plantas anonáceas.
(uvaria, Lin.)

* *Abéria*, f. Bot. Gênero de flacurtiáceas.

* *Aberingelado*, adj. Que tem côr de beringela.

*Aberração*,
f.
Acto ou effeito de aberrar.
Movimento apparente das estrêllas fixas.
Diffusão dos raios luminosos, que atravessam corpos diáphanos.
Desarranjo na situação ou no exercicio dos órgãos do corpo.
Êrro de raciocínio, extravagância de conceito.
(Do lat. aberratio)

* *Aberrante*,
adj.
Que aberra.
(Do lat. aberrans)

*Aberrar*,
v. i.
Desviar-se do que é verdadeiro ou bom.
Fazer aberração.
(Do lat. aberrare)

* *Aberrativo*, adj. Neol. Em que há aberração.

*Aberta*,
f.
Abertura, fenda, intervallo.
* f.
O abrirem-se as nuvens, mostrando uma nesga do céu, em dias chuvosos.
(De aberto)

*Abertamente*,
adv.
Com franqueza.
Claramente.
(De aberto)

*Aberto*,
adj.
Descerrado, patente: uma janela aberta.
Sincero, franco: carácter aberto.
Que se póde discutir livremente: uma questão aberta.
* T. da Bairrada.
Diz-se do vinho que abre bem, isto é, que é palhete ou clarete.
* M.
Abertura: fazer abertos num bordado. Cf. Benalcanfor, Cartas de
Viagem
, XXVIII.
(Do lat. apertus)

* *Abertoiras*,
f. pl.
Extremos das redes de arrastar, no rio Minho, formando seio ou bolso.
(De aberto).

*Abertona*, f. Náut. Grande abertura no porão dos navios.

*Abertura*,
f.
Acto ou effeito de abrir.
Buraco.
Fenda.
* Mús.
Symphonia ou peça de música orchestral, que precede uma ópera,
uma oratória, um drama com música, ou outra composição de grande
desenvolvimento.
* Mús.
Peça de música para orchestra, destinada a sêr executada em
concertos ou a servir de introducção ou de intermédio em qualquer
espectáculo ou solennidade, e no estilo de abertura propriamente dita.
Fig.
Inauguração.
(De aberto)

*Abesantar*, v. t. Ornar com besantes.

*Abesconinha*, f. Prov. O mesmo que abibe.

* *Abeses*,
m. pl.
Nome, que os antigos davam aos oásis do Sahará. Cf. Barros, Déc.
I, l. III, c. 8.

* *Abesoirar*,
v. t. Pop.
Importunar com palavras monótonas ou desarrazoadas: não me abesoires
os ouvidos
.
(De besoiro)

* *Abesoiro*,
m.
O mesmo que besoiro.

* *Abesourar*,
v. t. Pop.
Importunar com palavras monótonas ou desarrazoadas: não me abesoires
os ouvidos
.
(De besoiro)

* *Abesouro*,
m.
O mesmo que besouro.

*Abespa*, (bês)
f.
(V. bespa)

*Abespinhadamente*,
adv.
De modo abespinhado, com irritação.

*Abespinhado*,
adj.
Irritado.
(De abespinhar)

*Abespinhar-se*,
v. p.
Irritar-se.
(De bespa)

* *Abesso*,
m. Ant.
Injúria; injustiça.
Desordem.

*Abestruz*, m. ou f. O mesmo que avestruz.

* *Abestunto*, m. Prov. trasm. O mesmo que bestunto. (Colhido em Villa-Real)

* *Abeta*, ()
f.
Pequena aba.

*Abetarda*,
f.
Grande ave gallinácea, de pelle duríssima,
(otis tarda, Lin.)

* *Abetardado*, adj. Que tem a côr da betarda.

*Abete*,
m.
Árvore abietínea.
Pinheiro alvar.
(Do lat. abies)

* *Abeterno*,
adv.
Desde sempre, desde toda a eternidade. Cf. Luz e Calor, 441 e 446.
(Da loc. lat. ab aeterno)

*Abeto*,
m.
Árvore abietínea.
Pinheiro alvar.
(Do lat. abies)

* *Abetoiro*,
m.
Ave pernalta.
(botaurus stellaris. Lin.)

* *Abetoninha*,
f.
O mesmo que abitoninha.

* *Abetum*, m. Ant. Apoio, auxilio.

*Abetumado*,
adj.
Calafetado.
* Prov. trasm.
Diz-se do pão que, depois de cozido, fica muito compacto e pesado.
Fig.
Macambúzio. Cf. Eufrosina, 15.
(De abetumar).

* *Abetumador*,
m.
O que abetuma.

*Abetumar*,
v. t.
Cobrir com betume.
Calafetar.

* *Abexigar*, v. t. Fam. Fazer escárneo de; ridiculizar.

* *Abexim*,
m.
Aquelle que é natural da Abyssínia.
Língua da Abyssínia.
Adj.
Relativo á Abyssínia.
(De Abexia, n. p., com que alguns clássicos nossos designaram a
Abyssínia).

* *Abezelgado*,
adj.
Desenvolto?: «dama abezelgada e frescalhona»: Camillo, Canc. Alegre,
402.

* *Abezerrado*, adj. Semelhante a bezerro.

* *Abia*, f. Insecto hymenóptero, especie de tenthredém.

*Abibe*,
f.
Ave pernalta de arribação.
(tringa vanellus, Lin.)

*Abibliotecar*, v. t. Conservar ou dispor em bibliotheca.

*Abibliothecar*, v. t. Conservar ou dispor em bibliotheca.

*Abicar*, v. t. Fazer o bico a, aguçar. Fazer tocar, aproximar. V. i. Chegar. Deitar ferro, ancorar.

* *Abichar*, v. t. Fam. Obter (qualquer coisa vantajosa).

* *Abicheiro*, m. Prov. trasm. Lugar, onde não dá o sol. Prov. beir. O lado opposto ao sul. (Do lat. hyp. aversiarius)

* *Abichornado*,
adj. Bras.
Desalentado, aborrecido.
Envergonhado, vexado.
(Cp. bochorno).

*Abieiro*,
m.
Arvoreta sapotácea da América equatorial.
(De abio).

*Abiético*,
adj.
Diz-se de um ácido, descoberto na resina do abeto.
(De abieto).

* *Abietina*,
f.
Substância crystallizável, que se encontra em certas terebentinas.
(Fem. de abietino).

* *Abietíneas*,
f. pl.
Família de plantas coníferas, que abrange o abeto, o pinheiro, a
araucária, o cedro, etc.
(De abietíneo).

* *Abietíneo*,
adj.
Relativo ou semelhante ao abeto.
(Do lat. abies, abietis).

*Abietino*, adj. O mesmo que abietíneo.

* *Abieto*, m. O mesmo que abeto.

* *Abiga*,
f.
Espécie de pinheiro.
(teucrium chamoepites, Lin.)

* *Abigoiro*,
m. Prov. beir.
O mesmo que vespa.
(Cp. o lat. hyp. apicularius)

* *Abilhamento*,
m. Ant.
Acto de abilhar.
Ornato, enfeite.

* *Abilhar*,
v. t. Ant.
Ataviar, ornar.
(Do fr. habiller)

* *Abinício*,
adv.
Desde o princípio.
Desde que há mundo. Cf. Usque. Tribulações.
(Do boc. lat. ab initio).

*Abio*, m. Fruto de abieiro.

* *Abiorama*,
f. Bras.
Árvore sapotácea (lucuma lasiocarpa).
Fruto dessa árvore.

* *Abiótica*,
f.
A sciência do mundo inorgânico.
(De abiótico)

* *Abiótico*,
adj.
Contrário á vida.
Meio abiótico, zona abiótica, o meio ou a zona em que se não
póde viver.
(Do gr. a priv. e bios, vida)

* *Abipão*, m. Um dos principaes dialectos da lingua peruana.

*Abirritaçao*,
f.
Fraqueza, atonia.
(De ab… + irritação)

*Abiscoitar*, v. t. Cozer como biscoito. * Fam. Abichar. * Bras. Furtar.

*Abismado*,
adj.
Espantado, admirado.
(De abismar).

*Abismal*, adj. Relativo ao abismo.

*Abismar*,
v. t.
Lançar no abismo.
Arruinar.
Causar espanto ou admiração a.

*Abismo*,
m.
Voragem, precipício profundo.
Fig.
O último grau; um abismo de miséria.
Perdição.
Mystério.
Oceano.
O inferno.
(Do b. lat. abissimus, superl. de abyssus)

* *Abissal*,
adj
Relativo ao abysso.
Relativo ás profundidades marítimas.
Que vive na profundidade do mar.
(De abysso)

* *Abissínio*,
m.
O mesmo que abexim.

*Abisso*,
m.
O mesmo que abismo.
*
Gênero de plantas de jardim.
(Gr. abussos)

*Abita*,
f. Náut.
Peça de madeira ou de ferro, na prôa de navio, para fixar a amarra
da âncora.
(Do germ.).

*Abitar*, v. t. Prender na abita.

*Abitílio*,
m.
Planta, de folhas semelhantes ás da malva.
(Corr. de abutilo)

* *Abitolar*, v. t. Medir com bitola; conferir com ella.

* *Abitoninha*, f. Prov. beir. O mesmo que abibe.

* *Abivacar*, v. t. O mesmo que bivacar. Cf. Latino, Humboldt. 185, 213.

*Abjecção*,
f.
Aviltamento; baixeza.
(Do lat. abjectio)

*Abjectamente*,
adv.
De modo abjecto.
Vilmente.

*Abjecto*,
adj.
Vil.
Desprezível; desprezado.
M.
Homem vil.
(Do lat. abjectus)

*Abjeição*, f. (V. abjecção)

*Abjudicação*,
f.
Acto ou effeito de abjudicar.
(Do lat. abjudicatio)

*Abjudicar*,
v. t.
Tirar judicialmente ao possuidor illegítimo (o que pertence a outrem)
(Do lat. abjudicare)

* *Abjugar*,
v. t.
Tirar do jugo.
Libertar.
(De ab… + jugo)

* *Abjunção*,
f.
Separação.
(Do lat. ab + junctio)

* *Abjuncção*,
f.
Separação.
(Do lat. ab + junctio)

*Abjuração*,
f.
Acto ou effeito de abjurar.
(Do lat. abjuratio)

* *Abjurador*,
m.
Aquelle que abjura.

*Abjurante*, m. e adj. Aquelle que abjura.

*Abjurar*,
v. t.
Abandonar.
Renunciar (crenças, especialmente).
(Do lat. abjurare)

*Abjuratório*, adj. Relativo á abjuração.

* *Abjurgar*,
v. t.
Tirar judicialmente.
(Do lat. abjurgare)

*Ablação*,
f.
Acto de tirar.
Acto de cortar: ablação de um tumor.
Gram.
Aphérese.
(Do lat. ablatio)

*Ablactação*,
f.
O desmamar das crianças.
(Do lat. ablactatio)

*Ablactar*,
v. t.
Desmamar.
(Do lat. ablactare)

* *Ablamelares*,
f. pl. Bot.
Plantas, caracterizadas pelo afastamento das lamellas.
(De ab… + lamella)

* *Ablamellares*,
f. pl. Bot.
Plantas, caracterizadas pelo afastamento das lamellas.
(De ab… + lamella)

* *Ablaminares*, f. pl. O mesmo que ablamellares.

* *Ablânia*, f. Árvore liliácea da Guiana.

*Ablaqueação*,
f.
Acto ou effeito de ablaquear.
(Do lat. ablaqueatio)

*Ablaquear*,
v. t.
Desprender, desenlaçar.
Escavar em roda (as árvores).
(Do lat. ablaqueare)

* *Ablaquecer*, v. t. Ant. O mesmo que ablaquear.

*Ablativo*, adj. Que póde extrair. M. Gram. Um dos casos da declinação latina. Fazer ablativo de viagem, partir inesperadamente, desapparecer.

* *Ablator*,
m.
Aquelle ou aquillo que extrái.
Instrumento de castração.

* *Ablectos*,
m. pl.
Soldados romanos, escolhidos, que formavam a guarda dos cônsules,
em tempo de guerra.
(Do lat. ablecti)

* *Ablefaria*,
f.
Qualidade ou estado de quem é ablépharo.

* *Abléfaro*,
adj.
Que não tem pálpebras.
(Do gr. a, priv. e blepharon, pálpebra)

*Ablegação*,
f.
Acto ou effeito do ablegar.
(Do lat. ablegatio)

*Ablegado*,
m.
Commissário encarregado, pela côrte de Roma, de levar o barrete a um
Cardeal, recentemente promovido.
(Do lat. ablegatus)

*Ablegar*,
v. t.
Enviar para longe.
Desterrar.
(Do lat. ablegare)

*Ableitar*, v. t. (V. ablactar)

* *Ablepharia*,
f.
Qualidade ou estado de quem é ablépharo.

* *Ablépharo*,
adj.
Que não tem pálpebras.
(Do gr. a, priv. e blepharon, pálpebra)

*Ablução*,
f.
Acto de abluir.
*
Banho, que se dá a todo o corpo ou a parte dêlle, com esponja embebida
em água, ou com toalha molhada.
(Do lat. ablutio)

*Abluente*,
adj.
Próprio para abluir.
M.
O que ablui.
(Do lat. abluens)

*Abluir*,
v. t.
Purificar, lavando.
(Do lat. abluere)

* *Ablutor*,
m.
O que lava.
O que purifica.
(Do lat. ablutor)

*Abnegação*,
f.
Renúncia.
Desprendimento do interesse próprio.
Desinteresse.
(Do lat. abnegatio)

*Abnegador*,
m.
Aquelle que abnega.
(Do lat. abnegator)

*Abnegar*,
v. t.
Renunciar.
Abster-se de.
(Do lat. abnegare)

*Abneto*, m. (V. trineto)

* *Aboamento*,
m. Carp.
Inclinação, que se dá aos lados internos de porta ou janela, para
que a portada não fique esquadriada, mas bem aberta.

*Abóbada*, f. Construcção em arco. Tecto arqueado. * Abóbada celeste, o céu, considerado sob a fórma com que elle se arqueia sôbre as nossas cabeças. * Abóbada de aço, ceremónia, em que os mações, formando duas alas, estendem os braços e cruzam as espadas de uma ala com as da outra, para que passe por baixo dellas o recipiendário. (Do cast. bóveda)

*Abobadado*,
adj.
Que tem fórma de abóbada.
(De abobadar)

*Abobadar*,
v. t.
Cobrir com abóbada.
Dar fórma de abóbada a.

*Abobadilha*, f. Abóbada de gesso. * Prov. alent. Abóbada, formada de ladrilhos, que não são postos de cunha, mas de chapa.

*Abobadilheiro*, m. Prov. alent. Aquelle que faz abobadilhas de tijolo.

*Abobar-se*,
v. p.
Fazer-se bobo.
Fingir-se inepto.

*Abóbeda*, f. Ant. (V. abóbada)

*Abóbora*,
f.
Fruto da aboboreira.
*
Nome de uma armação de pesca de atum, em Tavira.
* Fig.
Homem fraco, indolente ou cobarde.
*
Mulher gorda.

* *Aboborado*,
adj. Fig.
Amollecido; amadurecido.
(De aboborar)

*Aboboral*, m. Lugar, onde crescem abóboras.

*Aboborar*, v. t. (V. abeberar). Cf. Filinto, VII, 67.

*Aboboreira*,
f.
Planta cucurbitácea.
(De abóbora)

* *Aboborinha-do-mato*, f. Bras. O mesmo que taiuia.

* *Abobra*, f. (e der.) Pop. O mesmo que abóbora, etc.

* *Abocador*,
m.
O que abocanha.

*Abocadura*,
f.
O mesmo que seteira.
(De abocar)

*Aboçamento*,
m.
Acto de aboçar.

* *Abocanhar*,^1
v. t.
Cortar com os dentes; morder.
Difamar.
(De abocar)

* *Abocanhar*,^2
v. i. Prov.
Diz-se do tempo, que se allivia em dias de chuva; fazer bocanho.
(De bocanho)

*Aboçar*, v. t. Prender nas boças.

*Abocetar*,
v. t.
Guardar em boceta.
Dar fórma de boceta a; arredondar.

*Abochornado*,
adj.
Quente; abafadiço.
(De bochorno)

* *Abôço*,
m. Náut.
Parte do cabo virador, em que elle abraça ou amarra.
(De aboçar)

* *Abodegação*,
f.
Acto ou effeito de abodegar.

* *Abodegado*,
adj. Bras. de Minas.
Incommodado; maçado; aborrecido.
(De abodegar)

* *Abodegar*, v. t. Bras. de Minas. Incommodar. Fazer zangar. v. t. Bras. Causar raiva ou aborrecimento a. v. t. Bras. do N. Importunar, enfadar.

* *Abofé*, adj. O mesmo que bofé. Cf. Eufrosina, IX.

* *Aboiadinho*, (bói)
adj. T. dos pescadores de Viana.
Diz-se do peixe morto, que os vapores de pesca abandonaram.
(De aboiado)

* *Aboiado*, (bói)
adj. Pesc.
Que anda á tona da água.
(De aboiar)

*Aboiar*, (bôi) v. t. Prender á bóia. * v. i. O mesmo que boiar. Cf. Vieira, X, 84.

* *Aboiar*,^1 (bôi) v. t. Açor. Atirar para longe.

* *Aboiar*,^2 (bôi)
v. t. Prov. minh. e bras.
Trabalhar com (bois).
V. i.
Falar aos bois; cantar-lhes.

* *Aboio*,
m. Bras. de Minas.
O canto do vaqueiro.
(De aboiar^2)

*Aboís*, f. O mesmo que boiz.

*Aboíz*, f. O mesmo que boiz.

*Abolar*,^1
v. t.
Dar fórma de bolo a.
Amachucar.

* *Abolar*,^2 v. t. Ant. O mesmo que abolir.

* *Aboldriar-se*, v. p. Cingir-se com boldrié.

*Aboleimado*,
adj.
Grosseiro.
Parvo.
(De aboleimar)

*Aboleimar*,
v. t.
Dar fórma de boleima ou bolo grosseiro a.
Aparvalhar.

* *Aboleirar*, v. t. Prov. minh. O mesmo que rebolar.

*Aboletamento*,
m.
Acto ou effeito de aboletar.

*Aboletar*, v. t. Dar boleto a; aquartelar em casa particular.

*Abolição*,
f.
Acto ou effeito de abolir.
(Do lat. abolitie)

*Abolicionismo*,
m.
Systema dos que defendem a abolição da escravatura.
(Do lat. abolitio)

*Abolicionista*,
m.
Sectário do abolicionismo.
(Do lat. abolitio)

*Abolimento*,
m.
O mesmo que abolição.

*Abolinar*, v. i. Ir pela bolina.

*Abolir*,
v. t.
Extinguir.
Revogar.
Pôr fóra do uso.
(Lat. abolere)

*Abolorecer*, v. i. Criar bolor.

*Abolorecido*, adj. Que criou bolor; que tem bolor.

* *Abolório*,
m. Ant.
Ascendência, avoengos.
(Cp. cast. abuelo)

*Abómaso*,
m.
Quarto estômago dos ruminantes.
(Do lat. ab + omasum)

* *Abomba*, f. Prov. alent. O mesmo que bomba. Cf. Rev. Lus., II, 29.

*Abombado*,
adj. Bras.
Cansado; arquejante; esfalfado.
(De abombar)

*Abombar*, v. i. Bras. Diz-se do cavallo que suspende a marcha, por effeito do calor.

*Abominábil*, adj. Ant. (V. abominável)

*Abominação*,
f.
Acto ou effeito de abominar.
Repulsão.
Aquillo que é abominável.
(Lat. abominatio)

*Abominadôr*,
m.
O que abomina.

*Abominando*,
adj.
Que deve ser abominado.
(Lat. abominandus)

*Abominar*,
v. t.
Detestar.
Repellir com horror.
(Lat. abominari)

* *Abominário*,
m. Ant.
Registo de anáthemas.
(De abominar)

*Abominável*,
adj.
Que merece abominação; detestável.
(Lat. abominabilis)

*Abominavelmente*, adv. De modo abominável.

* *Abomínio*,
m.
O mesmo que abominação. Cf. Camillo, Insómnia, X, 61.

*Abominosamente*, adv. O mesmo que abominavelmente.

*Abominoso*, adj. O mesmo que abominável.

*Abonação*, f. Acto ou effeito de abonar.

*Abonadamente*,
adv.
Com abono.
(De abonado)

*Abonado*,
adj.
Que dispõe de bons recursos; que tem crédito.
(De abonar)

*Abonador*, m. e adj. O que abona; o que afiança.

*Abonamento*,
m.
O mesmo que abonação.

*Abonançar*,
v. t. e i.
Produzir bonança.
Serenar, sossegar.

*Abonar*,
v. t.
Apresentar como bom.
Afiançar; ser fiador de.
* Mús. ant.
Resolver (uma dissonância) sôbre a consonância.

*Abonatório*,
adj.
Proprio para abonar ou confirmar: documentos abonatórios da sua
identidade
.

* *Abonaxi*, m. Animal, de que dizem que ladra como o cão.

* *Abondança*, f. Des. O mesmo que abundância. Cf. Lusiadas, V, 54.

* *Abondar*, v. t. Prov. trasm. Aproximar, chegar a si ou ao alcance da mão.

* *Abondo*, adj. Ant. O mesmo que avonde.

* *Abonecado*,
adj.
Que traja pretensiosamente; casquilho, peralta. Cf. Primo Basílio, 151.
(De boneco)

*Abono*,
m.
O mesmo que abonação.
* Mús. ant.
Acto de abonar ou resolver uma dissonância.
O mesmo que resolução, ou terceira parte de uma prolongação musical.

*Aboquejar*,
v. t.
O mesmo que abocanhar.
* Prov. trasm.
Estar quási a dizêr (uma coisa), dá-la a perceber.
(De boca)

* *Aboquejos*,
m. pl. Prov. trasm.
Vascas, últimos alentos vitaes, agonia de moribundo.
(Cp. aboquejar)

* *Aborbitar*, v. i. Ant. O mesmo que exorbitar.

*Aborbulhar*, v. i. Criar borbulhas.

*Aborcar*, v. t. O mesmo que emborcar.

*Abordada*, f. O mesmo que abordagem.

*Abordador*, m. e adj. O que aborda.

*Abordagem*, f. Acto ou effeito de abordar.

*Abordar*,^1
v. t.
Tocar com o bordo.
Abalroar (um navio) para o assaltar.

* *Abordar*,^2
v. t. Gal.
Abeirar-se de; chegar a; tocar.
(Fr. aborder)

*Abordável*, adj. Que se póde abordar.

*Abordo*, m. O mesmo que abordagem.

*Abordoar*, v. t. Firmar em bordão. v. p. Apoiar-se, firmar-se.

*Aborígine*,
adj.
Originário do país em que vive.
m. pl.
Primitivos habitantes.
(Lat. aborigines)

*Abornalar*, v. t. (V. embornalar)

*Aborrascar-se*,
v. p.
Tornar-se borrascoso.
(De borrasca)

*Aborrecedor*, m. e adj. O que aborrece.

*Aborrecer*,
v. t.
Sentir horror por.
Causar horror a.
(De aborrir)

*Aborrecidamente*, adv. De modo aborrecido.

*Aborrecido*,
adj.
Que causa aborrecimento.
Enfadonho; conversa aborrecida.
(De aborrecer)

*Aborrecimento*,
m.
Acto de aborrecer.
Tédio.
Repugnância.

*Aborrecível*,
adj.
Que causa aborrecimento.
Que merece sêr aborrecido.
(De aborrecer)

* *Aborregado*,
adj. Geol.
Diz-se dos glaciares, quando a sua fronte se eleva, apresentando
saliências lisas e arredondadas. Cf. G. Guimarães, Geol., 170.

*Aborridamente*, adv. De modo aborrido.

*Aborrido*,
adj.
Aborrecido.
Triste.
(De aborrir)

*Aborrimento*,
m.
Effeito de aborrir.

*Aborrir*,
v. t.
O mesmo que aborrecer.
(Lat. abhorrere)

*Aborrível*, adj. O mesmo que aborrecível.

*Aborso*,
m. P. us.
O mesmo que abôrto. Vieira, VI, 503; Luz e Calor, p. 278.
(B. lat. aborsus)

*Abortamento*,
m.
O mesmo que abôrto.

*Abortar*,
v. t.
Produzir antes de tempo.
V. i.
Parir, antes do termo da gestação.
Mallograr-se.
(Ant. lat. abortare)

*Abortício*, adj. Que nasceu por abôrto.

* *Abortífero*, adj. Que produz abôrto. Cf. Castilho, Factos, I, 507.

*Abortivo*,
m.
Substância, que faz abortar.
Adj.
Que abortou.
Que fez abortar.
*
Que, é filho de abôrto. Cf. Luz e Calor, 448.
(Lat. abortivus)

*Abôrto*,
m.
Parto prematuro.
O que nasceu antes do tempo próprio.
Individuo, que nasceu disforme.
(Lat. abortus)

* *Abossadura*,
f.
O mesmo que bossagem.

*Abostelado*, adj. Que tem bostellas.

*Abostelar*, v. i. Criar bostella.

*Abostellado*, adj. Que tem bostellas.

*Abostellar*, v. i. Criar bostella.

*Abotinado*, adj. Que tem fórma de botina.

*Abotinar*, v. t. Dar fórma de botina a.

*Abotoação*,
m.
Formação de botões (na planta)
(De abotoar)

*Abotoadeira*,
f.
Instrumento para abotoar.

*Abotoado*,
adj.
Fechado com botões: casaco abotoado.
Fechado, cerrado: lábios abotoados.
Que está ainda em botão: flôr abotoada.

*Abotoador*,
m.
O que abotôa.
Abotoadeira.

*Abotoadura*,
f.
Jogo de botões para um vestuário.
Acto de abotoar.

*Abotoar*,
v. t.
Fechar com botões.
Pregar botões em.
* V. i.
Lançar botões ou gomos (a planta)
V. p.
Meter os botões nas respectivas casas, fechando o próprio vestuário.
*
Lançar gomos ou botões (uma planta)
Bras.
Agarrar ou segurar pelos botões; segurar (alguém), deitando-lhe a
mão ao peito. Cf. Macedo Soares, Dicc. Bras.
* V. p. Fam.
Lucrar.
Locupletar-se.

* *Abotocadura*,
f. Náut.
Designação genérica das cadeias, chapas e cavilhas, que seguram as
mesas das enxárcias reaes, contra o costado do navio.
(De abotocar)

* *Abotocar*, v. t. Náut. O mesmo que abatocar.

* *Aboucar*,
v. t. Prov. trasm.
O mesmo que esmocar.
Matar. (Colhido em Villa-Real)

* *Abougar*,
v. i. T. da Bairrada.
Perder o tino, alucinar-se.
(Relaciona-se com apoucar?)

* *Abouvila*, f. Ant. O mesmo que abovila.

* *Abovila*,
f.
Tecido antigo, talvez fabricado em Abbeville, (França): «esta abovilla
de quinze soldos a alna.
» Herculano, Cister.

* *Abovilla*,
f.
Tecido antigo, talvez fabricado em Abbeville, (França): «esta abovilla
de quinze soldos a alna.
» Herculano, Cister.

*Abra*,
f.
Ancoradoiro; baía.
(Cast. abra)

* *Abraçada*, f. Prov. O mesmo que braçada.

*Abracadabra*, m. Palavra mágica, a que os antigos attribuiam a virtude de curar moléstias várias, e cujas letras deviam ser escritas em triângulo, de modo que pudesse sêr lida de todos os lados.

*Abraçadeira*,
f.
Chapa do ferro, para segurar paredes ou vigamentos.
*
Tira ou cordão, que abraça um cortinado, apanhando-o, e segurando-o
ao lado.
(De abraçar)

*Abraçador*, m. Aquelle que abraça.

*Abraçamento*,
m.
Acto ou effeito de abraçar.

*Abraçar*,
v. t.
Rodear ou cingir com os braços; apertar entre os braços.
Fig.
Abranger: abraçar o horizonte com a vista.
Seguir, adoptar: abraçar o Protestantismo.
* V. p.
Cingir alguém com os braços: «abraçou-se nella e assim se
ficaram
». Camillo, F. do Regicida.

* *Abrachia*, (qui)
f.
Ausência congênita de braços.
(Cp. abráchio)

* *Abráchio*, (qui)
m.
Monstro sem braços.
(Do gr. a priv. e brakhion, braço)

* *Abrachiocephalia*, (qui) f. Terat. Estado de abrachiocéphalo.

* *Abrachiocéphalo*, (qui)
m. Terat.
Monstro, sem braços nem cabeça.
(Do gr. a priv. + brakhion + kephale)

*Abraço*,
m.
Acto de abraçar.
Gavinha.
* Archit.
Entrelaçamento de folhagens lavradas, á volta de uma columna.

*Abraêmo*, m. Antiga moéda de Gôa.

* *Abrahâmico*, adj. Relativo ao patriarcha hebreu Abrahão.

*Abrancaçado*, adj. Prov. minh. O mesmo que esbranquiçado. Cf. Gaz. das Aldeias, 705.

*Abrandamento*,
m.
Acto de abrandar.

*Abrandar*, v. t. Tornar brando. Fig. Suavizar: abrandar mágoas. Serenar. V. i. Tornar-se brando, menos intenso: o calor abrandou.

*Abrandecer*, v. t. (V. embrandecer)

*Abranger*,
v. t.
Abraçar, cingir: abranger um tronco.
Conter: Lisbôa abrange muitos monumentos.
Comprehender: abranger os grandes problemas.
Abarcar: abranger o horizonte.
* Prov. beir.
Aproximar, segurando com a mão: abrange-me essa cadeira.
(Do lat. vergere, segundo Cornu)

* *Abraquia*,
f.
Ausência congênita de braços.
(Cp. abráchio)

* *Abráquio*,
m.
Monstro sem braços.
(Do gr. a priv. e brakhion, braço)

* *Abraquiocefalia*, f. Terat. Estado de abraquiocéfalo.

* *Abraquiocéfalo*,
m. Terat.
Monstro, sem braços nem cabeça.
(Do gr. a priv. + brakhion + kephale)

*Abrasadamente*,
adv.
De modo abrasado.
Fogosamente.

* *Abrasador*, adj. Que abrasa; ardente: sol abrasador.

*Abrasamento*,
m.
Acto ou effeito de abrasar.

*Abrasante*, adj. Que abrasa.

*Abrasão*,
f. Cir.
Raspagem dos ossos cariados.
(Lat. abrasio)

*Abrasar*,
v. t.
Converter em brasas.
Queimar, incendiar.
Aquecer: o sol abrasa o areal.
Fig.
Enthusiasmar.

*Abrasear*, v. t. O mesmo que esbrasear. Cf. Camillo, Brasileira, 348.

* *Abrasileirado*, adj. Que tem modos de brasileiro.

*Abrasileirar*, v. t. Dar feição brasileira a.

* *Abrasoar*, v. t. O mesmo que abrasonar.

* *Abrasonar*, v. t. Dar brasão a; pôr brasão em. Cf. Camillo, Cancion. Al., 208.

* *Abrastol*,
m.
O mesmo que asaprol.

*Abraxas*, m. pl. Pedras gravadas, que contêm sýmbolos religiosos de certas seitas. (Palavra, inventada pelo heresiarcha Basílides e formada de sete letras que, tomadas numericamente, formavam entre os Gregos o número 365, número dos dias do anno)

* *Abrazite*,
f.
Substância branca, composta de sílica, alumìnio e cal.

*Abre-boca*,
m.
Instrumento, com que os alveitares abriam a boca dos animaes.
*
Instrumento, com que se abre a boca a um doente anesthesiado, ou
a quem se não consegue abri-la, senão forçadamente.

*Abre-ilhós*,
m.
Instrumento, com que se abrem buracos para ilhós; furador.

* *Abrecu*, m. Prov. dur. O mesmo que pyrilampo.

* *Abrejeirado*,
adj.
Que tem modos de brejeiro.
Que tem aspecto de brejeirice.

*Abrenhar*, v. t. (V. embrenhar)

*Abrenunciação*,
f.
Acto de abrenunciar.

*Abrenunciar*,
v. t.
Renunciar, repellir.
(De ab… + renunciar)

*Abrenúncio!*,
interj.
Ápage!
Deus me livre!
(Do lat. ab + renuntio)

*Abreptício*, ()
adj.
Exaltado; arrebatado.
(Do lat. abreptus)

*Abretanhado*, adj. Semelhante ao pano chamado bretanha.

* *Abreu*, m. Bras. Espécie de abelha do Piauí.

*Abrevar*,
v. t. Ant.
Matar a sêde a. Cf. Filinto, XIV, 139; Usque, Tribulações; Castilho,
Fastos, I, 139, e Geórgicas, 157.
* V. i.
Dessedentar-se. Cf. Usque, loc. cit. f. 29, v.^o
(Fr. abreuver)

*Abreviação*,
f.
Acto ou effeito de abreviar.

*Abreviadamente*,
adj.
De modo abreviado.
Em resumo.

*Abreviado*,
adj.
Reduzido a epitome; resumido: história abreviada da Igreja.
(De abreviar)

*Abreviador*,
m.
Aquelle que abrevia.

* *Abreviamento*,
m.
O mesmo que abreviação.

*Abreviar*,
v. t.
Tornar breve, resumir.
(Lat. abbreviare)

*Abreviativo*, adj. Que serve para abreviar.

*Abreviatura*,
f.
Resumo.
Fracção de palavra, designando-a toda.

*Abricó*,
m.
Fruto brasileiro, semelhante ao damasco, mas menor.
(Fr. abricot)

* *Abricoqueiro*,
m.
O mesmo que albricoqueiro.

*Abricote*,
m.
Fruto brasileiro, semelhante ao damasco, mas menor.
(Fr. abricot)

* *Abricoteiro*,
m.
Árvore gutífera, que produz o abricote.

* *Abrideira*,
f. Bras.
Pequena porção de bebida alcoólica, que de ordinário se toma antes
da comida, para abrir o appetite.

*Abridor*,
m.
O que abre.
Gravador.
Burilador.

* *Abriga*, f. O mesmo que abrigo. Cf. Hist. Trág. Marit., 106.

*Abrigada*, f. Lugar que abriga, ou em que há abrigo.

*Abrigadoiro*,
m.
O mesmo que abrigada.

*Abrigador*, m. e adj. O que abriga.

*Abrigadouro*,
m.
O mesmo que abrigada.

*Abrigar*,
v. t.
Dar abrigo a; agasalhar.
Proteger.
(Lat. apricare)

*Abrigo*,
m.
Resguardo; cobertura.
Protecção.
(Lat. apricum)

* *Abrigoír*, v. i. Açor. Contender, disputar.

* *Abrigoso*, adj. Que fornece ou dá abrigo. Cf. Th. Ribeiro, Jornadas, I, 123.

*Abril*,
m.
Quarto mês do anno gregoriano.
Fig.
Idade da alegria e da innocência; juventude.
(Lat. aprilis)

*Abrilada*,
f.
Acontecimento em Abril.
Revolta de Abril de 1824.

*Abrilhantar*, v. t. Tornar brilhante.

*Abrimento*,
m.
O mesmo que abertura.
Abrimento de boca, bocejo.

*Abrir*,
v. t.
Desunir, descerrar: abrir a janela.
Romper, cortar: abrir as veias.
Desimpedir, desobstruir: abrir caminho.
Começar.
Devassar.
Escavar: abrir um poço.
Gravar: abrir letras.
Abrir o sinal, registar o nome nos livros dos notários.
Abrir mão de, largar, pôr de lado.
Abrir crédito a alguém, autorizá-lo a dispor de certa quantia.
* V. i.
Descerrar as pétalas: a flor abriu.
Romper, começar: abriu o dia.
Abrir o tempo, aliviar-se o tempo.
Abrir a porta a alguém: «vindo de noite, sua esposa não lhe quis
abrir
». Luz e Calor, 296.
* V. p.
Têr expansões, sêr franco: abriu-se comigo.
(Do lat. aperire)

* *Abro*,
m.
Planta papilionácea.
(Gr. abrios)

*Abrocadado*, adj. Semelhante ao brocado.

*Abrochador*,
m.
Aquelle ou aquillo que abrocha.

*Abrochadura*,
f.
Acto ou effeito de abrochar.

*Abrochar*,
v. t.
Lidar com broche ou com brocha.
Abotoar.
Apertar.

*Abrogação*, (ro)
f.
Acto de abrogar.
(Lat. abrogatio)

*Abrogador*, (ro)
m.
O que abroga.
(Lat. abrogator)

*Abrogar*, (ro)
v. t.
Annullar.
Supprimír.
Pôr fóra do uso.
Derogar: abrogar uma lei.
(Lat. abrogare)

*Abrogativo*, (ro)
adj.
Que abroga, ou que produz abrogação.

*Abrogatório*, (ro)
adj.
Que abroga, ou que produz abrogação.

* *Abrolhador*, adj. Que abrolha.

* *Abrolhal*,
m.
Lugar, onde crescem abrolhos.

* *Abrolhamento*,
m.
Acto de abrolhar.

*Abrolhar*, v. t. Cobrir de abrolhos. V. i. Produzir abrolhos. Lançar gomos ou rebentos.

*Abrolho*, (brô)
m.
Planta herbácea, de fruto espinhoso.
Espinho dêsse fruto.
Fig.
Contrariedade.
Mortificação: os abrolhos da vida.
(De abrir + ôlho)

*Abrolhoso*, adj. Coberto de abrolhos. Espinhoso. Fig. Cheio de obstáculos.

* *Abroma*, m. Planta intertropical, de cuja entrecasca fazem cordas os Índios.

* *Abronceiro*, m. Prov. trasm. O mesmo que espinheiro.

* *Abrónia*, f. Planta nyctaginea.

*Abronzear*, v. t. (V. bronzear)

*Abroquelar*,
v. t.
Resguardar com broquel.
Proteger; defender.

* *Abróstolo*,
m.
Insecto lepidóptero, da fam. dos nocturnos.
(Do gr. abros + stole)

* *Abrotal*, adj. Des. Lugar, onde crescem abróteas.

*Abrótano*, m. (Corr. de abrótono)

*Abrotar*, v. i. (V. brotar)

*Abrótea*,
f.
Planta liliácea medicinal.
(Do gr. abrotos?)

* *Abroteal*,
m.
Lugar, onde crescem abróteas.

* *Abrótega*,
f. Prov. beir.
O mesmo que abrótono.
O mesmo que abrótea.

*Abrótia*, f. (Melhor escrita que abrótea)

* *Abrótica*,
f.
Peixe de Portugal.

* *Abrótiga*,
f.
O mesmo que abrótega. Cf. Rev. Lus., XI, 287.

* *Abrotinas*,
f. pl. Prov. alg.
O mesmo que varicella.
(De abrotar)

* *Abrótono*,
m.
Arbusto, da tribo das artemísias.
(Gr. abrotonon)

* *Abrotonoide*,
f.
Espécie de madrépora, que vive no fundo do mar, em rochas.
(Do gr. abrotonon + eidos)

* *Abrumar*,
v. t.
Cobrir de bruma.
Tornar escuro.
Tornar aprehensivo, triste. Cf. Latino, Camões, 25.

* *Abrunhal*,
m.
Variedade de uva.

* *Abrunhar*, v. t. T. da Murça. O mesmo que acabrunhar.

*Abrunheiro*,
m.
Planta rosácea, da tribo das amygdáleas.
(De abrunho)

*Abrunho*,
m.
Fruto do abrunheiro.
(Do lat. pruneum)

* *Abrunho-do-duque*,
m.
Espécie de ameixa redonda, vermelho-escura, maculada de azul.

* *Abrunho-do-rei*,
m.
Espécie de ameixa redonda, de côr acerejada, maculada de azul.

*Abrupção*, (ru)
f.
Fractura de osso.
(Lat. abruptio)

*Abruptamente*, (ru)
adv.
Em grande declive.
De repente.
(De abrupto)

*Abruptela*, (ru)
f.
Terra desbravada.
(De abrupto)

*Abrupto*, (ru)
adj.
Íngreme; com grande inclinação.
Repentino.
(Lat. abruptus)

*Abruso*,
m.
Planta papilionácea, semelhante á acácia.
(Do gr. abros)

*Abrutadamente*, adv. De modo abrutado.

*Abrutado*,
adj.
Que tem modos grosseiros.
Bruto.
Brutal.
(De abrutar)

*Abrutalhado*,
adj.
Grosseiro.
Brusco.
(De bruto)

* *Abrutalhar-se*, v. p. Tornar-se abrutalhado.

*Abrutamento*,
m.
O mesmo que brutalidade.

*Abrutar*, v. t. Tornar grosseiro, bruto.

*Abrutecer*, v. t. O mesmo que embrutecer.

*Abs…*, pref. O mesmo que ab…

*Absceder*,
v. i.
Degenerar em abcesso.
Supurar.
(Do lat. abscedere)

*Abscesso*,
m.
Tumor.
Inchação, produzida pela formação do pus.
Pus, acumulado no tumor.
(Do lat. abscessus)

*Abscisão*,
f.
Córte na parte carnosa do corpo.
(Do lat. abscisio)

*Abscissa*,
f. Geom.
Uma das coordenadas que servem para fixar um ponto num plano.
(Do lat. abscissa)

* *Abscondado*, adv. Ant. Ás escondidas, occultamente.

*Absconder*, v. t. (V. esconder)

* *Abscônsia*,
f.
Lâmpada de dormitório, usada antigamente nalguns mosteiros.
(B. lat. absconsa)

*Absconso*, m. e adj. O mesmo que esconso. Cf. Filinto, X, 144; XIV, 119.

*Absência*, f. Ant. (V. ausência)

*Absentar*, v. t. Ant. (V. [[ausentar|ausentar-se]])

* *Absente*, adj. Ant. O mesmo que ausente.

* *Absentismo*,
m.
Systema de exploração agricola, em que há um gerente ou feitor
intermediário ao cultivador e ao proprietário ausente.
(De absente)

* *Absentista*,
m.
Proprietário de terras, exploradas pelo systema do absentismo.

*Absidal*, adj. Que tem fórma de ábside.

*Absintar*,
v. t.
Misturar com absintho.
Tornar amargo.

* *Absintato*,
m.
Sal, produzido pela combinação do ácido absínthico com uma base
salinável.
(Lat. absinthiatus)

*Absinthar*,
v. t.
Misturar com absintho.
Tornar amargo.

* *Absinthato*,
m.
Sal, produzido pela combinação do ácido absínthico com uma base
salinável.
(Lat. absinthiatus)

* *Absínthico*, adj. Diz-se do ácido que se descobriu no absintho.

* *Absinthina*,
f.
Principio amargo do absintho.

* *Absínthio*,
m.
Planta vivaz, de sabor amargo e aromático.
Losna.
(Lat. absinthium)

* *Absinthismo*,
m.
Doença, causada pelo abuso do absintho.

* *Absinthite*,
m.
Vinho absinthado.
Vinho de losna.
(Lat. absinthites)

*Absintho*, m. Bebida alcoólica e amarga, preparada com folhas e botões de várias espécies de losna e de outras plantas. (Fórma falsa, tirada do fr. absinthe. A fórma portuguesa é absínthio. V. absínthio)

* *Absíntico*, adj. Diz-se do ácido que se descobriu no absintho.

* *Absintina*,
f.
Principio amargo do absintho.

* *Absíntio*,
m.
Planta vivaz, de sabor amargo e aromático.
Losna.
(Lat. absinthium)

* *Absintismo*,
m.
Doença, causada pelo abuso do absintho.

* *Absintite*,
m.
Vinho absinthado.
Vinho de losna.
(Lat. absinthites)

*Absinto*, m. Bebida alcoólica e amarga, preparada com folhas e botões de várias espécies de losna e de outras plantas. (Fórma falsa, tirada do fr. absinthe. A fórma portuguesa é absínthio. V. absínthio)

* *Absogra*, fem. De absogro.

* *Absogro*, ()
m.
Bisavô do marido ou da mulher em relação ao outro cônjuge.
(Do lat. absocer)

* *Absoleto*, adj. Ant. O mesmo que obsoleto. Cf. Garrett, Romanceiro, vol. II.

*Absolto*,
adj.
O mesmo que [[absolvido|absolver]]. Cf. Peregrinação, CIII; Camillo,
Caveira, 22.
(Lat. absolutus)

*Absolução*,
f. Ant.
O mesmo que absolvição.
(Lat. absolutio)

*Absolutamente*, adv. De modo absoluto.

*Absolutismo*,
m.
Systema de govêrno, em que o poder dos governantes é absoluto.

*Absolutista*,
adj.
Próprio do absolutismo.
M.
O sectário do absolutismo.

*Absoluto*,
adj.
Independente, sem restricções.
Inteiro.
Incondicional.
Illimitado.
Imperioso.
Supremo.
Único.
Abstracto.
Cabal.
Irrecusável.
Autoritário.
Estreme.
Absolvido.
(Lat. absolutus)

*Absolutório*,
adj.
Relativo á absolvição.
(De absoluto)

*Absolver*,
v. t.
Isentar do castigo correspondente a uma culpa.
Perdoar peccados a.
Desquitar; exonerar.
Fig.
Resolver, decidir.
(Lat. absolvere)

*Absolvição*,
f.
Acto ou effeito de absolver.
(Lat. absolutio)

*Absolvimento*,
m.
O mesmo que absolvição.

*Absorpção*,
f.
Acto de absorver.
(Lat. absorptio)

* *Absorpciometria*,
f.
Determinação dos coefficientes de absorpção entre os líquidos e
os gases.
(Do lat. absorptio + gr. metron)

* *Absorpciométrico*,
adj.
Relativo á absorpciometria.

*Absorto*,
adj.
Concentrado em seus pensamentos.
Extasiado.
(Lat. absortus)

*Absorvedoiro*,
m.
O mesmo que sorvedoiro.

*Absorvedor*, m. e adj. O mesmo que absorvente.

*Absorvedouro*,
m.
O mesmo que sorvedoiro.

*Absorvência*,
f.
Faculdade de absorver.

*Absorvente*,
m. e adj.
O que absorve.
(Lat. absorbens)

*Absorver*,
v. t.
Recolher em si: a camisola absorve o suor.
Sorver.
Aspirar.
Engulir.
Enxugar.
Consumir: os cuidados absorvem o tempo.
Enthusiasmar.
Preocupar: absorve-o o vício do jôgo.
V. p.
Extasiar-se.
Concentrar-se: absorver-se no estudo.
(Lat. absorbere)

*Absorvimento*,
m.
O mesmo que absorpção.

* *Absôrvo*, m. Parte das bombas de incêndio, que recolhe a água para a mangueira.

* *Abstemia*,
f.
Qualidade de abstêmio.

* *Abstêmico*, adj. O mesmo que abstêmio.

*Abstêmio*,
adj.
Que se abstém de vinho; frugal, moderado.
M.
Aquelle que se abstém de vinho.
(Lat. abstemius)

*Abstenção*,
f.
Acto ou effeito de abster.
(Lat. abstentio)

* *Abstencionista*,
m.
Aquelle que se abstém (de votar em eleições); partidário do principio
da abstenção. Cf. A. Cândido, Phil. Pol., 118.

*Abster*,
v. t.
Privar de; desviar.
V. p.
Conter-se, reprimir-se: abster-se de falar.
Ter moderação, sobriedade.
Não tomar parte numa deliberação.
* V. i.
Privar-se; não intervir. Cf. Rui Barbosa, Réplica, II, 160.
(Do lat. abstinere)

*Abstergência*,
f.
Qualidade de abstergente.

*Abstergente*,
adj.
Que absterge.
(Lat. abstergens)

*Absterger*,
v. t.
Limpar, lavar.
(Lat. abstergere)

* *Abstero*, adj. Ant. O mesmo que austero.

*Abstersão*,
f.
Acto ou effeito de absterger.
(Lat. abstersio)

*Abstersivo*,
adj.
Próprio para absterger.
M.
Substância que absterge.
(De absterso)

*Absterso*,
adj.
Lavado, limpo.
(Lat. abstersus)

*Abstinência*,
f.
Qualidade de abstinente; dieta.
Jejum.
(Lat. abstinentia)

*Abstinente*,
adj.
Que se abstém.
(Lat. abstinens)

*Abstracção*,
f.
Acto de abstrahir.
Estado, em que o espírito considera insuladamente coisas realmente
unidas.
(Lat. abstractio)

*Abstractamente*, adv. De modo abstracto.

*Abstractivo*,
adj.
Que abstrai.
(De abstracto)

*Abstracto*,
adj.
Que designa propriedade ou qualidade, insulada da pessôa ou coisa
a que pertence, como belleza, alegria, etc.
Que opera sôbre abstracções e não sôbre realidades.
Numero abstracto, aquelle de que se não indica a natureza da unidade.
M.
Aquillo que é abstracto.
(Lat. abstractus)

* *Abstrahimento*, (tra-i)
m.
O mesmo que abstracção. Cf. Camillo, Olho de Vidro, 75.

*Abstrahir*, v. t. Separar. V. i. Considerar separadamente. V. p. Concentrar-se. Alhear-se. (Lat. abstrahere)

* *Abstraimento*, (tra-i)
m.
O mesmo que abstracção. Cf. Camillo, Olho de Vidro, 75.

*Abstrair*, v. t. Separar. V. i. Considerar separadamente. V. p. Concentrar-se. Alhear-se. (Lat. abstrahere)

*Abstrusamente*,
adv.
De modo abstruso.
Obscuramente.

* *Abstrusidade*,
f.
Qualidade de abstruso.

*Abstruso*,
adj.
Desordenado, confuso.
Que não tem méthodo.
(Lat. abstrusus)

* *Absumir*,
v. t. Des.
O mesmo que consumir.
(Lat. absumere)

* *Absumpção*,
f.
O mesmo que consumpção.
(Lat. absumptio)

*Absurdamente*, adv. De modo absurdo.

* *Absurdeza*,
f.
Qualidade daquillo que é absurdo.
O mesmo que absurdo. Cf. Camillo, Esqueleto, 51.

*Absurdo*,
adj.
Disparatado, opposto á razão ou ao senso commum.
Logicamente contradictório.
M.
Tolice, disparate, contra-senso.
(Lat. absurdus)

* *Abu*, m. Espécie de palmeira.

* *Abuçar*, v. t. Gír. O mesmo que cercar.

* *Abugão*, m. Prov. minh. O mesmo que abigoiro.

* *Abujão*,
m.
O mesmo ou melhor que avejão.
(Lat. abusio)

*Abular*,
v. t.
Sellar com bulla ou com sêllo de chumbo.
V. p.
Adquirir bulla.

* *Abulia*,
f.
Doença, caracterizada pelo afroixamento da volição.
(Do gr. a priv. + boule, vontade)

* *Abúlico*,
adj.
Relativo á abulia.
Que padece abulia.

*Abullar*,
v. t.
Sellar com bulla ou com sêllo de chumbo.
V. p.
Adquirir bulla.

* *Abuna*, m. Bras. Nome, que os Índios da América davam aos jesuitas e aos padres em geral.

*Abundamento*, m. Ant. O mesmo que abundância.

*Abundância*,
f.
Qualidade de abundante.
Grande quantidade.
Riqueza: viver na abundância.
(Lat. abundantia)

*Abundante*,
adj.
Que abunda, que tem grande cópia.
Rico: país abundante.
Fig.
Opulento em termos e phrases: estilo abundante.

*Abundantemente*, adv. De modo abundante, com abundância.

*Abundar*,
v. i.
Têr ou existir, em grande quantidade: a miséria abunda nas grandes
cidades
.
Trasbordar.
Estar cheio, rico.
Affluir.
Fam.
Abundar na opinião de alguém, sêr da mesma opinião.
(Lat. abundare)

* *Abundidade*,
f.
O mesmo que abundeza. Cf. Camillo, Curso de Liter., 105.

*Abundosamente*, adv. O mesmo que abundantemente.

*Abundoso*,
adj.
O mesmo que abundante.
* Ant.
Que tem poderes bastantes para tratar negocios de
outrem. Cf. Peregrinação, II, 117.

*Abunhadio*, m. Cargo de abunhado.

*Abunhado*,
m.
Trabalhador indiano, que, nascido em terra de um senhorio, é obrigado
a viver e trabalhar nellas.

*Abunhar*, v. i. Viver como abunhado.

* *Abur!*,
interj. Prov. trasm.
Usa-se maliciosamente, para designar despedida, que não deixa saudades.
(Relaciona-se com embora?)

*Aburacar*, v. t. (V. esburacar)

* *Aburelar*, v. t. Dar aspecto de burel a.

* *Aburguesado*,
adj.
Próprio de burguês.
Semelhante a burguês.
(De aburguesar)

* *Aburguesar-se*, v. p. Adquirir hábitos ou modos de burguês.

* *Aburrar*,
v. t. Des.
Mostrar-se triste.
(De burro)

* *Aburrinhar*, v. i. Prov. Diz-se da criança, que começa a andar de gatas, a engatinhar: ainda eu aburrinhava… (De burrinho, dem. de burro, por allusão á maneira de andar em quatro pés)

* *Abusamento*, m. Prov. alent. O mesmo que abuso.

*Abusão*,
f.
Abuso.
Engano.
Superstição.
(Lat. abusio)

*Abusar*,
v. i.
Fazer mau uso.
Faltar á confiança.
Despropositar.
Causar prejuízo.
(De abuso)

*Abusivamente*, adv. De modo abusivo.

*Abusivo*,
adj.
Feito com abuso.
(Lat. abusivus)

*Abuso*,
m.
Uso excessivo, errado ou injusto: abuso do poder.
Êrro.
Prevaricação.
Práticas condemnáveis: os abusos do absolutismo.

* *Abuta*,
f. Ant.
Boceta.
Caixinha; caixa de rapé.

* *Abutilão*,
m.
Planta malvácea, ornamental.

* *Abutilo*, m. O mesmo que abutilão.

* *Abutiloide*,
f.
Planta exótica, da fam. das malváceas.
(De abutilo)

*Abutre*,
m.
Ave de rapina, da ordem das diurnas.
Fig.
Homem usurário.
Homem sem escrúpulos.
(Lat. vultur)

* *Abutre-fusco*,
m.
Ave, o mesmo que pica-osso. Cf. P. Moraes, Zool. Elem., 352.

*Abutreiro*, m. Caçador de abutres.

* *Abútua*, f. O mesmo que bútua.

* *Abutumado*, adj. O mesmo que abetumado, macambúzio. Cf. Eufrosina, 15.

* *Abuzinado*,
adj.
Que tem fórma de buzina.
(De abuzinar)

* *Abuzinar*,
v. i.
Tocar buzina.
Fazer barulho incómmodo.

*Abysmo*, m. (e der.) (V. abismo, etc.)

* *Abyssal*,
adj
Relativo ao abysso.
Relativo ás profundidades marítimas.
Que vive na profundidade do mar.
(De abysso)

* *Abyssínio*,
m.
O mesmo que abexim.

*Abysso*,
m.
O mesmo que abismo.
*
Gênero de plantas de jardim.
(Gr. abussos)

* *Acá*, m. Árvore silvestre do Brasil.

* *Aca*,^1 m., Bras. de Minas. Mau cheiro; fétido.

* *Aca*,^2 f. T. da Índia Port. Pensão pecuniária, vitalicia e hereditária, dada pela autoridade soberana, em compensação de serviços públicos.

* *Acabaçar*, v. t. Dar feitio de cabaça a.

*Acabadamente*,
adv.
De modo acabado, com perfeição.
Inteiramente.

* *Acabadiço*, adj. Doentio, acanaveado. Cf. Cenáculo, Visita, 37.

*Acabado*,
adj.
Abatido.
Fam.
Muito magro, avelhentado.
* M.
O mesmo que acabamento: é trabalho de óptimo acabado.
(De acabar)

*Acabador*,
m.
Aquelle que acaba.
* m.
Operário, encarregado do acabamento numa peça de tecido de lan.

* *Acabadote*,
adj.
Um tanto acabado, avelhentado, (falando-se de alguém).
(De acabado)

*Acabamento*,
m.
Acto ou effeito de acabar.
Perfeição.

* *Acabanado*,
adj.
Que tem fórma de cabana.
* Prov.
Virado para dentro ou para baixo, (falando-se dos chifres dos bois,
do lóbulo da orelha, da aba do chapéu, etc.)

*Acabar*,
v. t.
Pôr termo a; levar a cabo, concluir.
Aperfeiçoar.
Gastar.
V. i.
Findar, concluir-se.
Morrer.
* Loc. conj.
Acabar com alguém que, resolvê-lo, convencê-lo de que. Cf. Pant. de
Aveiro, Itiner., 22. (2.^a ed.).
(De cabo)

*Acabellar*, v. i. (e der.) (V. encabellar, etc.)

* *Acaboclado*, adj. Que tem origem, côr ou feições de caboclo.

* *Acabramar*,
v. t. Des.
Embaraçar os movimentos de (bois), ligando com corda o pé ao corno,
para que não maltratem quem delles cura.
(Cp. cabre)

* *Acabramo*,
m.
Peia de acabramar.

*Acabrunhadamente*,
adv.
De modo acabrunhado.

*Acabrunhado*,
adj.
Enfraquecido, adoentado.
Melancólico.
(De acabrunhar)

*Acabrunhar*,
v. t.
Affligir, opprimir; humilhar.
* V. p. T. de Murça.
Cair doente; ficar doente de cama.

* *Acacá*, m. Bras. Espécie de bolo de arroz ou de milho moído.

*Açacal*,
m. Ant.
O mesmo que aguadeiro.
(Do ár.)

*Açacaladamente*, adv. De modo açacalado.

*Açacalador*,
m.
O que açacala.
Brunidor de armas brancas.

*Açacaladura*,
f.
Acto de ou effeito de açacalar.

*Açacalar*,
v. t.
Polir; (falando-se de armas brancas)
Fig.
Illustrar.
Aperfeiçoar.
(De açacal)

* *Acaçapadamente*,
adv.
De modo acaçapado.

*Acaçapado*,
adj.
Que se abaixou, que se encolheu: um vulto acaçapado.
(De acaçapar)

*Acaçapar*,
v. t.
Abaixar, encolher.
(De caçapo)

* *Acachafundar*, v. t. Pop. Meter na água, de cabeça para baixo.

*Acachapar*,
v. t.
O mesmo que acaçapar: «eis se acachapa meio morto o
pastor
». Filinto, XII, 209.

*Acachar*, v. t. (V. agachar)

*Acachoar*, v. t. Pôr em cachão. V. i. Formar cachão.

* *Acachuchar*, v. t. Prov. trasm. Matar (alguém), amarfanhando-o, sem o deixar piar.

*Acácia*,
f.
Árvore ornamental, da fam. das leguminosas.
(Lat. acacia)

* *Acácia-bastarda*,
f.
Espécie de acácia, (robinia pseudo-acacia).

* *Acácia-dos-alemães*,
f.
Espécie de abrunheiro bravo, (prunus spinosa, Lin.).

* *Acacifar*, v. t. Meter em cacifo.

*Açacu*, m. Árvore euphorbiácea das margens do Amazonas, (ura brasiliensis).

* *Acadar*,^1 m. T. da Índia Port. Aquelle que recebeu ou frue uma acca.

* *Acadar*,^2
v. t. T. de Paredes-de-Coira.
Receber nas mãos ou no regaço.
(Contr. de arrecadar)

*Acadeirar-se*, v. p. Sentar-se em cadeira.

*Acadêmia*,
f.
Figura de gesso, ou estampa, para estudo.
(Cp. academia)

*Academial*, adj. (V. acadêmico)

*Academialmente*, adj. (V. academicamente)

*Academiar*,
v. i.
Falar ou proceder academicamente.
(De academia)

*Academicamente*, adv. De modo acadêmico.

*Acadêmico*,
adj.
Relativo a academia.
M.
Membro de academia.
Estudante.
(Lat. academicus)

* *Academista*,
m.
Estudante, que frequenta uma academia.
Especialmente, quem frequenta uma academia recreativa.

* *Acadianos*,
m. pl.
Povos, que habitaram a região de Babylónia, antes da dominação
dos Assýrios.

* *Acadimar-se*,
v. p. Prov.
Habituar-se a certo trabalho; tornar-se perito nelle.
(De cadimo)

* *Acadrimar-se*,
v. p.
O mesmo que acadimar-se.
Affeiçoar-se: «não se acadrimou a nenhum». Camillo, Myst. de
Fafe
, 10.

* *Acaecente*, adj. Ant. Que acaéce.

* *Acaecer*,
v. i. Ant.
Acontecêr.
(Cp. lat. cadere)

* *Acaecimento*,
m.
Acto de acaecer.

* *Açafaitar*,
v. t. T. da Bairrada.
Entrajar bem, revestir garridamente.
(Por açafatar, de açafata)

* *Acafanhar*, v. t. Prov. minh. O mesmo que estragar. (Colhido em Paredes-de-Coira)

* *Açafata*, f. Moça da raínha, (moça de açafate).

* *Açafatar*, v. t. Meter ou acommodar em açafate.

* *Açafate*,
m.
Cesto baixo, redondo ou oval, sem arco nem tampa.
(Ár. açafat)

* *Açafate-de-oiro*, m. Bras. O mesmo que alysso.

*Acafelador*,
m.
O que acafela.

*Acafeladura*,
f.
O mesmo que acafelamento.

* *Acafelamento*,
m.
Acto ou effeito de acafelar.

*Acafelar*,
v. t.
Rebocar.
Encobrir.
*
Tapar com asphalto.
(Cast. acafelar)

*Acafetar*,
v. t.
Dar côr de café a.
(De café. Cp. cafeteira)

* *Açaflôr*, m. O mesmo que açafrão.

* *Açafões*, m. pl. O mesmo que çafões.

*Açafrão*,
m.
Planta bulbosa, da fam. das irídeas.
Flôr dessa planta.
(Do ár. azzaferan)

* *Açafrar*,
v. i. Ant.
Tornar-se sáfaro? mostrar-se desdenhoso?
(Cp. safra)

*Açafrôa*, f. Pequena planta, semelhante ao açafrão.

*Açafroado*,
adj.
Que tem côr de açafrão.
Temperado com açafrão.
(De açafroar)

* *Açafroador*,
m.
O que açafrôa.

*Açafroal*, m. Lugar, em que cresce o açafrão.

* *Açafroamento*,
m.
Acto de açafroar.

*Açafroar*,
v. t.
Dar a côr do açafrão a.
Temperar com açafrão.

*Açafroeira*,
f.
O mesmo que açafrão, planta.

* *Açafrôl*, m. Prov. alg. O mesmo que açafrôa.

* *Açagador*,
m. Ant.
Cutileiro, serralheiro, armeiro. Cf. Arn. Gama, Bailio, 38.
(Cp. açacalador)

*Açahi*,
m.
Fruta do açahizeiro.
Calda escura e substanciosa, extrahida dessa fruta.

*Açahizeiro*, (ça-i)
m.
Espécie de palmeira do norte do Brasil, (euterpe oleracea)
(De açahi)

*Açaí*,
m.
Fruta do açahizeiro.
Calda escura e substanciosa, extrahida dessa fruta.

* *Acaia*, f. Bras. Planta burserácea, medicinal.

* *Acaico*,
adj.
Relativo aos Acheus.
(Lat. achaiens)

*Açaimar*, v. t. Prender com açamo. Pôr açamo a. Fig. Reprimir.

* *Açaime*, m. (V. açamo, etc.)

*Açaimo*, m. (e der.) (V. açamo, etc.)

* *Acaina*,
f.
Fruto monospérmico, indehiscente, cujo pericarpo adhere ao invólucro
do grão e ao tubo do cálice, como se observa nas synanthéreas.
(Do gr. a priv. + khanein)

*Acaio*,
adj.
O mesmo que achaico.
(Lat. achaius)

* *Acaipirar-se*,
v. p. Bras.
Adquirir modos de caipira ou de roceiro.
Mostrar-se acanhado.

* *Acairelador*,
m.
O que acairela.

*Acairelamento*,
m.
Acto de acairelar.

*Acairelar*,
v. t.
Pôr cairel em.
Guarnecer de cairel.

* *Acais-a-cajo*,
loc. adv. Ant.
Por um és-não-és, por um tris.
(Corr. do quási + quási)

*Açaizeiro*, (ça-i)
m.
Espécie de palmeira do norte do Brasil, (euterpe oleracea).
(De açahi)

*Acajá*, m. O mesmo que cajá.

*Acajadar*,
v. t.
Bater com cajado.
Espancar.

*Acaju*, m. (V. caju)

* *Acajuadiço*,
adj. Prov. alg.
Propenso, tendente.
Que occasiona, (falando-se de doenças)
(Por occasiadiço, de occasião?)

*Acajueiro*, m. (V. cajueiro)

* *Acalacas*,
m.
Grande formiga da América.

* *Acalantho*,
m.
Nôme scientífico do tentilhão.
(Gr. akalanthos)

* *Acalanto*,
m.
Nôme scientífico do tentilhão.
(Gr. akalanthos)

* *Acalar*,
v. i. Prov.
Submergir-se, (falando-se de barcos).
(Cp. calar)

*Acalcanhado*,
adj.
Torto, (falando-se de calçado maltratado ou com muito uso).
* Fig.
Abatido, decadente: «a freira estava completamente acalcanhada e
desgraciada
». Camillo, Caveira, 276.
(De acalcanhar)

* *Acalcanhamento*,
m.
Acto de acalcanhar.

*Acalcanhar*,
v. t.
Pisar com o calcanhar.
V. i.
Entortar o calçado, andando.
*
Esmagar, aniquilar: «quando as injustiças dêste planeta o
acalcanharem…
» Camillo, Volcoens, 82.

*Acalcar*, v. t. O mesmo que calcar.

* *Acalefologia*,
f.
Parte da Zoologia, que trata dos acalephos.

* *Acalefos*,
m. pl. Zool.
Classe de zoóphytos, a que pertence a alforreca.
Designação antiga dos celenterados.
(Do gr. akalephe)

*Acalentador*,
adj.
Que acalenta. Cf. J. Diniz, Morgadinha, 172.
(De acalentar)

*Acalentar*,
v. t.
Aquecer nos braços, aconchegando ao peito.
Embalar.
Fig.
Amimar.
Tranquillizar.
Lisonjear.
(Do lat. calens, calentis)

* *Acalento*,
m.
Acto de acalentar.

* *Acalephologia*,
f.
Parte da Zoologia, que trata dos acalephos.

* *Acalephos*,
m. pl. Zool.
Classe de zoóphytos, a que pertence a alforreca.
Designação antiga dos celenterados.
(Do gr. akalephe)

*Acalicino*,
adj. Bot.
Que não tem cálice.
(De a priv. + cálice)

* *Acalifa*,
f.
Planta medicinal de Malabar, (acalypha indica, Lin.)
(Gr. akalupha)

* *Acalipto*,
m.
Gênero de serpentes venenosas que habitam nos pântanos.
(Do gr. kaluptos.)

*Acalmação*, f. Acto ou effeito de acalmar.

*Acalmamento*,
m.
O mesmo que acalmação.

* *Açalmar*, v. t. Ant. Abastecer, prover. Cf. Fernão Lopes.

* *Acalmia*,
f. Med.
Período de acalmação, que succede ao período do calor e da vivacidade
das ideias, no estado febril. Cf. Sousa Martins, Nosographia.
(De a priv. + calmo)

* *Acalmópteros*,
m. pl.
Divisão dos lepidópteros, no systema de Blanchard, na qual se
comprehendem aquelles, cujas asas, durante o repoiso, estão erguidas.

*Açaloiado*,
adj.
Que tem modos de salôio.
Rude.

*Acalorar*,
v. t.
Communicar calor a, aquecer.
Excitar.

* *Açalpão*,
m. Bras.
O mesmo que alçapão.
(Metáth. de alçapão)

* *Acalypha*,
f.
Planta medicinal de Malabar, (acalypha indica, Lin.).
(Gr. akalupha)

* *Acalypto*,
m.
Gênero de serpentes venenosas que habitam nos pântanos.
(Do gr. kaluptos.)

* *Acamacu*, m. Pássaro dentirostro do Senegal e Madagáscar.

*Açamado*, adj. Preso com açamo. Fig. Reprimido.

*Açamar*, v. t. Prender com açamo. Pôr açamo a. Fig. Reprimir.

*Acamaradar-se*,
v. t.
Tornar-se camarada ou companheiro.
Abandear-se.

* *Açamarrado*, adj. Vestido de çamarra: um pastor açamarrado.

* *Açamarrar-se*, v. p. Vestir-se de çamarra.

* *Açambarcadeira*,
f. Prov. minh.
Mulher, que açambarca os gêneros trazidos ao mercado, para os revender,
lucrando.

* *Açambarcador*, m. e adj. O que açambarca.

* *Açambarcagem*,
f.
O mesmo que açambarcamento.

* *Açambarcamento*,
m.
Acto ou effeito de açambarcar.

*Açambarcar*,
v. t.
Chamar a si ou adquirir, privando outros da respectiva vantagem.
Monopolizar.

* *Acamboar*, v. t. Meter (os bois) ao cambão.

* *Acambolhado*, adj. Deitado de cambolhada.

*Açame*,
m.
Apparelho, que se applica ao focinho dos cães ou de outros animaes,
para não morderem ou não comerem.
Focinheira.
Mordaça.

*Açamo*,
m.
Apparelho, que se applica ao focinho dos cães ou de outros animaes,
para não morderem ou não comerem.
Focinheira.
Mordaça.

* *Acamonia*, f. Bras. Espécie de doce, em que se emprega o gengibre.

* *Açamoucado*,
m.
Mau emprêgo de materiaes de construcçâo, sem arte, sem gôsto e
sem segurança.

*Acampainhar*, (pa-i)
v. t.
Dar fórma de campaínha a.

*Acampamento*,
m.
Acto de acampar.
Lugar, onde se acampou.
Arraial.

*Acampar*,
v. t.
Estabelecer em campo.
V. i. e p.
Estabelecer-se no campo.
Assentar arraial.
Estacionar, (falando-se de muita gente).

* *Acampsia*,
f. Med.
Inflexibilidade das articulações.
Anquilose.

*Acampto*,
m. Phýs.
Que não reflecte luz.
(Do gr. a priv. + kamptein, dobrar)

* *Acamptosomos*, (tossô)
m. pl. Zool.
Família dos animaes da classe dos cirrípedes.
(Do gr. a priv. + kampto, dóbro + soma, corpo)

*Acamurçado*,
adj.
Que tem aspecto de camurça.
(De acamurçar)

*Acamurçar*, v. t. Preparar como camurça.

* *Açan*, m. Prov. trasm. e beir. Bicho, que apparece no queijo e na carne de porco.

* *Acanadas*, f. pl. Bot. O mesmo que chicoriáceas.

*Acanalado*,
adj.
Que tem estrias.
Cavado longitudinalmente.
(De acanalar)

* *Acanalador*, adj. Que acanala.

*Acanaladura*,
f.
Estria, cavidade ou rêgo longitudinal.
(De acanalar)

*Acanalar*,
v. t.
Abrir estrias em.
Cavar longitudinalmente.
(De canal)

* *Acanalhado*,
adj.
Que tem modos de canalha.
(De acanalhar)

* *Acanalhar*, v. t. Dar modos de canalha a. Tornar canalha. V. p. Fazer-se canalha, aviltar-se. Cf. Camillo, Narcót, II, 80.

*Acanaveado*,
adj. Fig.
Abatido, magro.
(De acanavear)

*Acanaveadura*,
f.
Acto ou effeito de acanavear.

*Acanavear*,
v. t.
Suppliciar, metendo puas de cana, entre as unhas e a carne.
Fam.
Tornar abatido, magro.
(De cana)

* *Açancalhar*,
v. t. Prov. beir.
Traçar ou escrever mal.
Realizar mal ou atabalhoadamente.
V. i.
Trabalhar á pressa e mal.
T. da Bairrada.
Pernear, escabujar.
(De çanco)

* *Açancanhar*,
v. t. Prov. trasm.
O mesmo que pisar.
V. i.
Andar ligeiro.

*Acanelado*,
adj.
Que tem côr de canela.
(De acanelar)

*Acaneladura*,
f.
(V. caneladura)

*Acanelar*,
v. t.
Dar côr de canela a.
Cobrir com o pó de canela.
O mesmo que acanalar.

*Acanga*, f. O mesmo que gallinha-da-Índia.

* *Açanganhar*, v. t. O mesmo que açancanhar.

*Acanhadamente*, adv. De modo acanhado, com acanhamento.

*Acanhado*,
adj.
Pouco desenvolvido.
Encolhido.
Fig.
Tímido.
Mesquinho.
(De acanhar)

*Acanhador*, m. e adj. O que causa acanhamento.

*Acanhamento*,
m.
Acto ou effeito de acanhar.
Qualidade de acanhado.
Timidez.

*Acanhar*,
v. t.
Impedir o desenvolvimento a.
Fig.
Tornar tímido.
Deprimir.
(De canho)

*Acanho*, m. O mesmo que acanhamento. Cf. Garrett, Ret. de Vênus, 189.

*Acanhoar*, v. t. O mesmo que acanhonear.

*Acanhonear*,
v. t.
Disparar canhões contra.
Bombardear.

* *Acanhotado*,
adj. Gír.
O mesmo que triste.
* Prov. minh.
Tôsco, grosseiro: bengala acanhotada.
Um tanto estúpido; apalermado: indivíduo acanhotado.
(De canhoto)

*Acanonicamente*, adv. De modo acanónico.

*Acanónico*, adj. Contrário aos cânones ou ao Direito canónico.

*Acanonista*,
m.
O transgressor dos cânones.

* *Acantábalo*,
m.
Instrumento cirúrgico, para tirar esquírolas de ossos ou corpos
estranhos, introduzidos nos órgãos.
(Do gr. akantha + ballo)

*Acantáceas*, f. pl. Familia de plantas, que tem por typo o acantho.

* *Acanteirado*,
adj.
Dividido em canteiros.
(De acanteirar)

* *Acanteirar*, v. t. Dividir em canteiros, (falando-se de hortas ou jardins).

* *Acanthábalo*,
m.
Instrumento cirúrgico, para tirar esquírolas de ossos ou corpos
estranhos, introduzidos nos órgãos.
(Do gr. akantha + ballo)

*Acantháceas*, f. pl. Familia de plantas, que tem por typo o acantho.

* *Acanthia*,
f.
Insecto hemíptero, de que o percevejo é uma espécie.
(Do gr. akantha)

* *Acanthião*,
m.
Gênero de mamíferos espinhosos, a que pertence o ouriço.
(Do gr. akantha)

*Acantho*,
m.
Gênero de plantas, vulgarmente conhecido por erva gigante.
Ornato de architectura, que representa folhas daquella planta.
(Gr. akanthos)

* *Acanthocárpio*,
adj.
Diz-se da planta, cujos frutos são cobertos de espinhos.
(Do gr. akanthos + carpos)

* *Acanthocéphalos*,
m. pl.
Vermes intestinaes, cuja cabeça é armada de aguilhão.
(Do gr. akantha + kephale)

* *Acanthocládio*,
adj.
Diz-se das plantas que têm ramos espinhosos.
(Do gr. akantha + klados)

* *Acanthodáctylos*,
m. pl.
Gênero de reptis, caracterizados por terem os dedos lateralmente
dentados.
(Do gr. akantha + daktulos)

* *Acanthómetro*,
m.
Animal microscópico, da classe dos rhizópodes.
(Do gr. akanthos + metron)

* *Acanthóphago*,
adj.
Diz-se dos animaes, que se nutrem de cardos.
(Do gr. akantha + phagein)

* *Acanthóphoro*,
adj.
Erriçado de espinhos.
(Do gr. akantha + phoros)

* *Acanthópio*,
adj.
Diz-se dos animaes, que têm os olhos rodeados de espinhos.
(Do gr. akantha + ops)

* *Acanthopomos*,
m. pl.
Família de peixes, caracterizados por opérculos cercados de espinhos.
(Do gr. akantha + poma)

* *Acanthopterygiano*,
adj.
Relativo aos acanthopterygios.

*Acanthopterygio*,
adj.
Que tem barbatanas espinhosas.
Pl.
Ordem de peixes acanthopterygios.
(Do gr. akanthos + pterux)

* *Acanthorinas*,
f. pl.
Família de peixes, que apresentam entre os olhos uma espécie de nariz,
armado de aguilhão.
(Do gr. akantha + rhin)

* *Acanthospermo*,
m.
Genero de plantas compostas.
(Do gr. akantha + sperma)

* *Acanthura*,
m.
Peixe que, de cada lado da cauda, tem um grande espinho movediço.
(Do gr. akantha + oura)

* *Acantia*,
f.
Insecto hemíptero, de que o percevejo é uma espécie.
(Do gr. akantha)

* *Acantião*,
m.
Gênero de mamíferos espinhosos, a que pertence o ouriço.
(Do gr. akantha)

*Acanto*,
m.
Gênero de plantas, vulgarmente conhecido por erva gigante.
Ornato de architectura, que representa folhas daquella planta.
(Gr. akanthos)

*Acantoameato*,
m.
Acto ou effeito de acantoar.

*Acantoar*,
v. t.
Pôr a um canto.
Occultar.
Separar; apartar.
Desprezar.

* *Acantocárpio*,
adj.
Diz-se da planta, cujos frutos são cobertos de espinhos.
(Do gr. akanthos + carpos)

* *Acantocéfalos*,
m. pl.
Vermes intestinaes, cuja cabeça é armada de aguilhão.
(Do gr. akantha + kephale)

* *Acantochanado*, adj. Mús. Que tem o carácter de cantochão.

* *Acantocládio*,
adj.
Diz-se das plantas que têm ramos espinhosos.
(Do gr. akantha + klados)

* *Acantodáctilos*,
m. pl.
Gênero de reptis, caracterizados por terem os dedos lateralmente
dentados.
(Do gr. akantha + daktulos)

* *Acantófago*,
adj.
Diz-se dos animaes, que se nutrem de cardos.
(Do gr. akantha + phagein)

* *Acantóforo*,
adj.
Erriçado de espinhos.
(Do gr. akantha + phoros)

* *Acantómetro*,
m.
Animal microscópico, da classe dos rhizópodes.
(Do gr. akanthos + metron)

*Acantonamento*,
m.
Acto ou effeito de acantonar.
Lugar, onde se acantonam tropas.

*Acantonar*,
v. t.
Dispor ou distribuir (tropas) por cantões ou aldeias.
(De cantão)

* *Acantópio*,
adj.
Diz-se dos animaes, que têm os olhos rodeados de espinhos.
(Do gr. akantha + ops)

* *Acantopomos*,
m. pl.
Família de peixes, caracterizados por opérculos cercados de espinhos.
(Do gr. akantha + poma)

* *Acantopterigiano*,
adj.
Relativo aos acanthopterygios.

*Acantopterígio*,
adj.
Que tem barbatanas espinhosas.
Pl.
Ordem de peixes acanthopterygios.
(Do gr. akanthos + pterux)

* *Acantorinas*,
f. pl.
Família de peixes, que apresentam entre os olhos uma espécie de nariz,
armado de aguilhão.
(Do gr. akantha + rhin)

* *Acantospermo*,
m.
Genero de plantas compostas.
(Do gr. akantha + sperma)

* *Acantura*,
m.
Peixe que, de cada lado da cauda, tem um grande espinho movediço.
(Do gr. akantha + oura)

*Acanular*,
v. t.
Dar fórma de cana ou de cânula: «mecha acanulada de
chumbo
». Corvo, Anno na Côrte, II, 15.

* *Açapar*, v. t. Pop. O mesmo que acaçapar.

* *Acaparrar*, v. t. Prov. trasm. O mesmo que mascarar. (Colhido em Villa-Real)

*Acapelado*,
adj. Pop. ant.
Perseguido.
* Des.
Metido debaixo de água, submergido. Cf. Costa e Sá, Diccion.
(De acapelar)

*Acapelar*,^1
v. t.
Dar feitio de capello a.
Cobrir com capello.
Encapellar.

* *Acapelar*,^2
v. t. Des.
Meter debaixo de água; submergir. Cf. Costa e Sá, Diccion.
(Da mesma or. de acapellar?)

*Acapellar*,
v. t.
Dar feitio de capello a.
Cobrir com capello.
Encapellar.

*Acapitular*,
v. t.
Dividir em capitulos.
Admoestar ou censurar em capitulo.

*Acapna*,
f.
Lenha sêca, que não deita fumo.
(Do gr. akapnon)

* *Acapnia*,
f. Med.
Deminuição do ácido carbónico, contido no sangue.
(Do gr. a priv. + kapnos)

* *Acapno*,
adj.
Qualificação do melhor mel, que se extrái da colmeia sem expulsar as
abelhas por meio de fumo.
(Gr. akapnos)

*Acapu*, m. Árvore leguminosa da América.

* *Acapu-rana*,
m.
Árvore do norte do Brasil, bôa para construcções.

*…açar*, suf. (designativo de aumento ou frequência)

* *Acará*,^1 m. Bras. O mesmo que acarajé.

* *Acará*,^2 m. Bras. Designação vulgar de várias espécies de peixes.

* *Acarajé*, m. Bras. Iguaria de massa de feijão cozido.

* *Acaramelado*, adj. Coberto de açúcar, em ponto de caramelo.

* *Acaramular*,
v. t. Prov.
Amontoar.
V. i.
Accumular-se; amontoar-se. (Colhido na Bairrada)
(De caramulo)

* *Acarangado*, adj. O mesmo que encarangado.

* *Acarão*,
adv. Ant.
Na frente, em frente, de frente.
(De carão)

*Acarapinhar*, v. t. (V. encarapinhar)

*Acarar*, v. t. (V. encarar)

*Acaraúba*, f. Árvore medicinal do Alto Amazonas.

* *Açarçalhar*, v. t. Prov. minh. O mesmo que gaguejar. (Colhido em Paredes-de-Coira)

* *Acarda*,
f.
Mollusco gasterópode.
(Do lat. cardo)

* *Acardia*,
f.
Aberração orgânica, que consiste na falta de coração.
(Do gr. a priv. + kardia)

* *Acardíaco*,
adj. Terat.
Diz-se do monstro, que não tem coração.
(Do gr. a priv. + kardia)

* *Acarditar*, v. t. Pop. O mesmo que acreditar.

*Acardumar-se*, v. p. Reunir-se em cardume.

*Acareação*, f. Acto ou effeito de acarear.

* *Acareador*, adj. Que acareia.

*Acareamento*,
m.
O mesmo que acareação.

* *Acareante*,
adj.
Que attrai, que se torna sympáthico: «muito acareante
pessôa
». Filinto, XIX, 243.

*Acarear*,^1 v. t. Pôr em frente. Confrontar ou pôr em presença umas das outras (testemunhas ou outras pessôas, cujos depoimentos ou declarações não foram concordes), para se apurar a verdade, ouvindo-as de novo. (De cara)

* *Acarear*,^2
v. t.
Attrahir com afagos; chamar para si, tornar-se alvo de (sympathias,
affeição).
O mesmo que acarrear. Cf. Filinto, V. de D. Manuel. I, 119, e II,
10; Id., Obras, XIX, 13; XX, 8; etc.
* Prov. minh.
Reunir e conduzir para a córte (o gado, geralmente o vacum).
(De caro? ou affim de carear^1?)

* *Acarentar*, v. t. e i. Ant. Tornar caro, encarecer.

* *Acari*, m. Bichinho, que se cria no queijo, na farinha e na cera: «bichinho tamanino, qual é o chamado acari e se cria na cera corrupta». Luz e Calor, 554.

* *Acária*, f. Gênero de plantas passiflóreas.

* *Acaríase*,
f.
Doença, causada por ácaros.
(Do gr. akari)

* *Acaricada*, f. Bras. Planta medicinal.

*Acariciadamente*,
adv.
Com carícia.
(De acariciado)

*Acariciador*, adj. Que acaricia.

* *Acariciante*, adj. O mesmo que acariciador.

*Acariciar*,
v. t.
Fazer caricias a.
Amimar; acarinhar.
Fazer festas a.
Lisonjear.
Roçar.
Tocar de leve.

*Acariciativo*, adj. Acariciador; em que há carícias.

* *Acaricuara*, f. Bras. Árvore e madeira de construcção, na região do Purus.

*Acaridar-se*, v. p. Têr caridade, compadecer-se.

* *Acarídeos*,
m. pl.
Ordem de arachnídeos, a que os ácaros dão o nome.
(Do gr. akari + eidos)

* *Acarima*, m. Macaco da Guiana, semelhante ao saguim.

*Acarinhar*, v. t. Tratar com carinho, acariciar.

* *Acário*, m. Planta resinosa do Cabo da Bôa-Esperança.

* *Acarlinga*, f. Náut. Des. O mesmo que carlinga.

* *Acarminado*, adj. Tirante a carmim.

* *Acarna*,
m.
Planta exótica, da fam. das compostas.
(Gr. akarna)

* *Acarneirado*,
adj.
Diz-se do cavallo, cujo joêlho mostra grande depressão na parte
anterior.
(De carneiro)

* *Acarofobia*,
f. Med.
Terror mórbido da sarna.
(Do gr. akari + phobein)

* *Acarophobia*,
f. Med.
Terror mórbido da sarna.
(Do gr. akari + phobein)

* *Acárpio*,
adj.
Diz-se das plantas que não dão fruto.
(Do gr. a priv. + karpos)

*Acarraçado*, adj. Agarrado, apegado como a carraça.

* *Acarrado*, adj. Que acarrou.

* *Acarradoiro*,
m. Prov.
Lugar, onde o gado passa as horas do calor, ordinariamente nas
lapas. Cf. Rev. Lus., XI, 146.

* *Acarradouro*,
m. Prov.
Lugar, onde o gado passa as horas do calor, ordinariamente nas
lapas. Cf. Rev. Lus., XI, 146.

*Acarrapatado*, adj. Semelhante ao carrapato.

*Acarrar*, v. i. Deixar de mover-se. Estar no chôco. * Prov. Estar no acarro. * Fig. Dormir a sesta, descansar. * Estar doente de cama.

*Acarrear*,
v. t.
O mesmo que carrear.
Occasionar, causar: «a angústia que a memória de tuas felicidades
passadas te acarreia.
» Usque, Tribulações, 53.

*Acarredar*, v. t. Ant. O mesmo que arrecadar. (por metáth.)

* *Acarreja*,
f. Prov. trasm.
Carrada (de cereaes).
(Cp. carrejar)

* *Acarrejar*, v. t. e der. O mesmo que carrejar, etc. V. i. Prov. Fazer fretes.

*Acarretador*,
m.
O que acarreta.
* Prov. alg.
Aquelle que transporta cereaes para o moinho, em carro ou muares.

*Acarretadura*,
f.
Acto ou effeito de acarretar.

*Acarretamento*,
m.
Acto ou effeito de acarretar.

*Acarretar*,
v. t.
Transportar em carrêta.
Conduzir.
Acarrear.
Occasionar.

*Acarrêto*, m. (V. carrêto)

* *Acarro*, m. Prov. alent. Sítio, aonde no verão conduzem as ovelhas, para descansarem á sombra, durante o calor. (De acarrar)

* *Acartadeira*,
f. Prov. beir.
Mulher, que num tabuleiro leva o pão ao forno, trazendo-o, depois de
cozido, no mesmo tabuleiro.

* *Acartar*, v. t. (Fórma pop. de acarretar)

* *Acartonado*,
adj.
Que tem aspecto de cartão.
(De acartonar)

* *Acartonar*, v. t. Tornar semelhante ao cartão.

* *Acarvalhar*, v. i. T. de Paredes-de-Coira. Cortar, pela primeira vez, os galhos do carvalho.

* *Acarvar*,
v. t. Ant.
Affligir, angustiar.
(Metáth. de acravar?)

* *Acas*, m. pl. Povos da África central.

*Acasacado*, adj. Semelhante á casaca.

*Acasalar*,
v. t.
Reunir macho e fêmea em casal, para criação.
Reunir, emparelhar.

* *Acascarrilhado*,
adj.
Diz-se do jôgo, em que se toma a cascarra ou algumas cartas della.

* *Acasear*, v. t. (e der.) O mesmo que casear, etc.

* *Acasmurrado*, adj. Que tem modos de casmurro. Cf. Filinto, III, 46.

*Acaso*,
m.
Eventualidade, caso fortuito.
Adv.
Casualmente, eventualmente.
Porventura.
(De caso)

* *Acasquilhar*, v. t. Tornar casquilho, alindar. V. p. Tornar-se casquilho, janota.

* *Acastanhado*,
adj.
Que tem côr tirante a castanha.
(De acastanhar)

* *Acastanhar*, v. t. Dar côr semelhante á da castanha a.

*Acastelado*,
v. t.
Que tem aspecto de castello.
Fortificado como castello.

* *Acastelamento*,
m.
Acto de acastellar.

*Acastelar*,
v. t.
Fortalecer com castello.
Construir á maneira de castello.
Fortificar.

*Acastelhanado*,
adj.
Que tem modos de castelhano, no falar ou no vestir.
(De acastelhanar)

*Acastelhanar*, v. t. Dar feição de castelhano a.

*Acastellado*,
v. t.
Que tem aspecto de castello.
Fortificado como castello.

* *Acastellamento*,
m.
Acto de acastellar.

*Acastellar*,
v. t.
Fortalecer com castello.
Construir á maneira de castello.
Fortificar.

* *Acastos*, m. pl. Gênero de crustáceos cirrípedes.

*Acasulado*, adj. Que tem fórma de casulo.

* *Acasuso*, m. e adj. Des. O mesmo que acaso.

*Acatadamente*,
adv.
Com acatamento.
Respeitosamente.

*Acatador*, m. Aquelle que acata.

* *Acatadura*,
f.
O mesmo que acatamento.

* *Acatafasia*,
f. Med.
Impossibilidade de collocar em ordem syntáctica as palavras da phrase.
(Do gr. a priv. + kataphasis, affirmação)

* *Acataia*, f. Planta medicinal do Brasil.

*Acataléctico*,
adj.
Diz-se do verso grego ou latino, a que não falta nem sobeja sýllaba
alguma.
(Gr. akatalektikos)

*Acatalepsia*,
f.
Impossibilidade de comprehender.
Ausência da certeza nos conhecimentos humanos.
(Gr. akatalepsia)

*Acataléptico*, adj. Relativo á acatalepsia.

*Acatamento*,
m.
Acto de acatar.
Respeito, veneração.

* *Acataphasia*,
f. Med.
Impossibilidade de collocar em ordem syntáctica as palavras da phrase.
(Do gr. a priv. + kataphasis, affirmação)

* *Acatápose*,
f. Med.
Dificuldade ou impossibilidade de engulir.
(Do gr. a priv. + kataposis, acção de engulir)

*Acatar*,
v. t.
Respeitar; venerar.
Observar, cumprir: acatar as leis.
V. i. Ant.
Cuidar, vigiar.
(Do lat. captare?)

* *Acatarrado*, adj. O mesmo que encatarroado.

*Acatarroado*, adj. (V. encatarroado)

* *Acatarsia*,
f. Med.
Impureza dos humores naturaes.
(Gr. akatharsia)

*Acatasolado*, (tasso)
adj.
Semelhante ao catasol.

*Acatástico*,
adj. Med.
Diz-se das doenças, cujos phenómenos variam irregularmente.
(Do gr. a priv. + katasticos, estável)

*Acatável*,
adj.
Que é digno de acatamento.
Respeitável.

* *Acatético*,
adj. Med.
Diz-se da céllula hepática, quando incapaz de reter o pigmento biliar.
(Do gr. a priv. + kathektikos, que retém)

* *Acatharsia*,
f. Med.
Impureza dos humores naturaes.
(Gr. akatharsia)

* *Acathéctico*,
adj. Med.
Diz-se da céllula hepática, quando incapaz de reter o pigmento biliar.
(Do gr. a priv. + kathektikos, que retém)

* *Acathisia*,
f. Med.
Impossibilidade, que alguns doentes têm, de ficar sentados.
(Do gr. a priv. + kathisis, acção de se sentar)

*Acathólico*,
adj.
Diz-se do christão que não é cathólico.
(De a priv. + cathólico)

* *Acatia*, f. Lepidóptero nocturno.

* *Acatingado*, adj. Bras. Que tem alguma catinga.

* *Acatisia*,
f. Med.
Impossibilidade, que alguns doentes têm, de ficar sentados.
(Do gr. a priv. + kathisis, acção de se sentar)

* *Acatitar*, v. t. Tomar catita. Cf. Eça, P. Basílio, 546.

*Acatólico*,
adj.
Diz-se do christão que não é cathólico.
(De a priv. + cathólico)

* *Acauan*, (ca-u)
m. Bras.
Espécie de ave de rapina, que ataca especialmente os ophídios.
(T. onom., der. do canto dessa ave)

* *Acaudelar*, v. t. Ant. O mesmo que acaudilhar.

*Acaudilhadamente*,
adv.
Disciplinadamente, com caudilho.

*Acaudilhar*,
v. t.
Sêr caudilho de, capitanear.
Dirigir.

*Acaule*,
adj. Bot.
Diz-se das plantas, que não têm haste, ou cuja haste é tão curta,
que não apparece.
(Do gr. a priv. + kaulos, haste)

*Acauteladamente*, adv. De modo acautelado, com cautela.

*Acautelado*,
adj.
Que tem cautela.
Prudente.

* *Acautelamento*,
m.
Acto de acautelar.
Cautela.

*Acautelar*,
v. t.
Tratar com cautela.
Prevenir, precaver.

* *Acava*, f. Des. Certa porção ou determinado feixe de junco.

* *Acavalado*,
adj. Bras. do N.
Muito grande.
(De cavallo)

*Acavalar*,
v. t.
Pôr sôbre.
Amontoar.
Lançar (égua) a cavallo de cobrição.

*Acavaleirar*, v. t. Pôr a cavalleiro; amontoar.

* *Acavaletado*,
adj.
Diz-se do nariz aquilino ou arqueado.
(De cavallete)

* *Acavallado*,
adj. Bras. do N.
Muito grande.
(De cavallo)

*Acavallar*,
v. t.
Pôr sôbre.
Amontoar.
Lançar (égua) a cavallo de cobrição.

*Acavalleirar*, v. t. Pôr a cavalleiro; amontoar.

* *Acavalletado*,
adj.
Diz-se do nariz aquilino ou arqueado.
(De cavallete)

*Acc…*, O mesmo que ac…, excepto quando o primeiro c determina a modulação aberta da vogal que o precede, como em acção, redacção, etc.

* *Acca*, f. T. da Índia Port. Pensão pecuniária, vitalicia e hereditária, dada pela autoridade soberana, em compensação de serviços públicos.

* *Accadar*, m. T. da Índia Port. Aquelle que recebeu ou frue uma acca.

*Acção*,
f.
Modo de actuar.
Resultado de uma fôrça phýsica ou moral: a acção da vontade.
Movimento.
Successo: uma acção memorável.
Energia traduzida em actos: homem de acção.
Combate: a acção do Bussaco.
Assumpto: a acção do poema.
Processo forense: uma acção commercial.
Título, que se passa aos que fazem parte de uma Companhia ou Sociedade
commercial ou industrial.
Gram.
O que um verbo exprime.
(Do lat. actio)

*Accedente*,
adj.
Que accede.
(Lat. accedens)

*Acceder*,
v. i.
Annuir, acquiescer.
Conformar-se.
(Lat. accedere)

* *Acceitabilidade*,
f.
Qualidade daquillo que é acceitável.

*Acceitação*,
f.
Acto ou effeito de acceitar.
Applauso.
Bem-querença.

*Acceitador*,
m.
Aquelle que acceita.

*Acceitamento*,
m.
O mesmo que acceitação.
* Ant.
Desafio acceitado.
Duello.

* *Acceitante*, m. e adj. Aquelle que acceita: o acceitante de uma letra commercial.

*Acceitar*, v. t. Receber (o que se offerece): acceitar um presente. Admittir: acceitar uma satisfação. Acceitar uma letra de câmbio, obrigar-se, por escrito na mesma letra, a pagá-la no dia em que se vencer. (Lat. acceptare)

*Acceitável*, adj. Que se póde acceitar.

*Acceite*, m. Acto ou assinatura, com que se acceita uma letra de câmbio.

*Acceito*, adj. Bem recebido, bemquisto.

*Acceleração*,
f.
Augmento de velocidade, pressa.
Execução rápida, diligência.
Acto de accelerar.
(Lat. acceleratio)

*Acceleradamente*, adv. De modo accelerado.

*Accelerado*,
adj.
O mesmo que rápido.
(De accelerar)

*Accelerador*, adj. Que accelera.

*Acceleramento*,
m.
(V. acceleração)

*Accelerar*,
v. t.
Tornar célere.
Aumentar a velocidade de.
Appressar.
Instigar.
(Lat. accelerare)

*Accelerativo*, adj. Que produz acceleração.

*Acceleratriz*, adj. (fem. de accelerador)

*Accendalha*,
f.
Substância combustível, com que se ateia o lume, (aparas, cavacos,
carqueja, etc.)
(De accender)

*Accendedalha*,
f.
O mesmo que acendalha. Cf. Amador Arráiz.

*Accendedor*,
m.
O que accende.

*Accender*,
v. t.
Fazer arder: accender uma vela.
Pôr fogo a: accender a lenha.
Atear.
Illuminar.
Fig.
Enthusiasmar.
Estimular: accender os brios.
(Lat. accendere)

*Accendidamente*, adv. Fig. Com enthusiasmo, com excitação.

*Accendimento*,
m.
Acto de accender.

*Accendível*, adj. Que se póde accender.

*Accenso*,
m.
Antigo official subalterno, adjunto a qualquer alto funccionário romano.
(Lat. accensus)

*Accento*, m. Inflexão da voz, na pronúncia das palavras. Sinal, com que na escrita se mostra a figura das vogaes. Tom de voz, timbre. * Há o accento expiratório, que é o que se faz com expiração enérgica, como no português e noutras línguas; e há o musical, que é independente do tónico, como no sueco, em que a sýllaba predominante de uma palavra é menos alta que outra. (Lat. accentus)

*Accentuação*,
f.
Acto de accentuar.
Modo de accentuar, na pronúncia ou na escrita.

*Accentuar*,
v. t.
Empregar accentos ortográphicos em.
Dar (ás vogaes) determinada modulação phonética.
Pronunciar claramente.
Fig.
Dar relêvo a, tornar saliente.
Exprimir com vigor: accentuar uma offensa.
(De accento)

*Accepção*,
f.
Interpretação.
Sentido, em que se toma uma palavra.
(Lat. acceptio)

* *Acceptar*, v. t. (e der.) Fórma ant. de acceitar, etc.

*Acceptilação*,
f. Des.
Acto, em que um crèdor dá quitação a um devedor, sem que êste pague
a dívida.
(Lat. acceptilatio)

* *Acceptuar*,
v. i. Prov. trasm.
Fazer combinação.
Combinar os meios ou o modo de fazer alguma coisa.
(Cp. acceptar)

*Accesamente*, adv. O mesmo que accendidamente.

*Acceso*, adj. Que se accendeu. Inflammado. Fig. Excitado. (Lat. accensus)

*Accessão*,
f.
Acto de acceder.
Accessório.
(Lat. accessio)

* *Accessibilidade*,
f.
Facilidade na aproximação.
(Do b. lat. accessibilis)

*Accessível*,
adj.
Que se póde possuir.
A que se póde chegar.
Tratável, lhano.
(B. lat. accessibilis)

*Accesso*,
m.
Chegada.
Aproximação.
Trato.
Phenómeno pathológico que, a espaços, cessa e recrudesce.
(Lat. accessus)

*Accessoriamente*, adv. De modo accessório.

*Accessório*,
adj.
Que está junto a alguma coisa, sem della fazer parte integrante.
(De acceder)

* *Acciano*,
adj.
Diz-se dos jogos públicos, instituídos por César, em memória da
batalha de Áccio. Cf. Castilho, Fastos, I, 606.

*Accidentação*,
f.
Qualidade de um terreno accidentado.
(De accidentar)

*Accidentado*, adj. Que não é plano: região accidentada.

*Accidental*,
adj.
Fortuito, casual, imprevisto.
Acessório.
* Mús.
Diz-se de cada uma das notas, que não fazem parte integrante dos acordes.
(De accidente)

*Accidentalmente*, adv. De modo accidental.

*Accidentar*,
v. t.
Variar.
Produzir accidente em.

*Accidentariamente*,
adv.
De modo accidentário.

*Accidentário*, adj. O mesmo que accidental.

*Accidentável*, adj. Que se póde accidentar.

*Accidente*,
m.
O que é casual, fortuito.
Desgraça.
Disposição variada de terreno.
Variada distribuição de luz.
* Pop.
Ataque epiléptico; sýncope, desmaio.
(Lat. accideno)

* *Accingir*,
v. t. Des.
O mesmo que cingir (especialmente falando de armas). Cf. Fr. Fort.,
Inéd., II, 62.
(Lat. accingere)

*Accionado*,
m.
Gestos.
(De accionar)

*Accionador*,
m.
O que acciona.

*Accional*,
adj. Neol.
Relativo a acção.
(Do lat. actio, actionis)

*Accionar*, v. t. Demandar em juizo. V. i. Gesticular. (Do lat. actio, actionis)

*Accionário*,
m.
(V. accionista)

*Accionista*,
m.
O que tem acções de Companhia industrial ou commercial.
(Do lat. actio, actionis)

* *Accipitrário*,
m.
Armadilha para aves de rapina.
(Do lat. accipiter)

* *Accípitres*,
m. pl.
Primeiro grupo das aves de rapina, segundo Cuvier.
(Lat. accipiter)

*Accipitrianos*,
m. pl.
Sub-família dos accipitrídeos.
(Do lat. accipiter)

*Accipitrídeos*,
m. pl.
O mesmo que falconídeos.
(Do lat. accipiter + gr. eidos)

*Accipitrino*,
adj.
Relativo a aves de rapina.
(Do lat. accipiter)

*Acclamação*,
f.
Acto de acclamar.
(Lat. acclamatio)

*Acclamador*,
m.
O que acclama.
(De acclamar)

*Acclamar*,
v. t.
Applaudir ou approvar, bradando.
Saudar.
Proclamar, eleger por acclamação.
(Lat. acclamare)

*Acclive*,
m.
Ladeira, declive.
Adj.
Íngreme.
(Lat. acclivis)

*Accommodação*,
f.
Acto ou effeito de accommodar.

*Accommodadamente*,
adv.
De modo accommodado.

*Accommodadiço*, adj. O mesmo que accommodatício.

*Accommodamento*,
m.
(V. accommodação)

*Accommodar*,
v. t.
Tornar cômmodo.
Adequar.
Arrumar, pôr em ordem: accommodar os livros.
Empregar, dar posição a.
Applicar.
Habituar.
Sossegar.
Hospedar.
(Lat. accommodare)

*Accommodatício*, adj. Que se accommoda facilmente.

*Accommodável*, adj. Que se póde accommodar.

* *Accômodo*, adj. Ant. Opportuno, cômmodo.

*Accorredor*, adj. Que vem em auxílio. Cf. Filinto, D. Man. II, 222.

*Accorrer*,
v. i.
Ir em auxílio; acudir.
(Lat. accurrere)

* *Accorrimento*,
m. Ant.
Soccorro, auxílio.
(De accorrer)

* *Accorro*,
m.
O mesmo que soccorro.
(De accorrer)

* *Accrecentar*, v. t. (e der.) O mesmo que acrescentar, etc.

* *Accrecer*, v. i. (e der.) O mesmo que accrescer, etc.

* *Accrescentada*,
adj. f. Prov.
Diz-se da mulher grávida. (Colhido em Turquel)
(De accrescentar)

*Accrescentador*, m. e adj. O que accrescenta.

*Accrescentamento*,
m.
Acto ou effeito de accrescentar.

*Accrescentar*,
v. t.
Tornar maior, aumentar.
Dar mais grandeza, fôrça ou número a.
(De accrescer)

* *Accrescente*,
m.
Acto de accrescentar.
Accrescentamento.
Pop.
O mesmo que chinó.

* *Accrescento*,
m.
O mesmo que accrescentamento. Cf. Castilho, Avarento, 144.

*Accrescer*,
v. i.
Ajuntar-se.
Sobrevir.
* V. t.
Juntar.
Aumentar.
(Lat. accrescere)

*Accrescido*,
m.
Aquillo que accresceu.
Annexo, accessório.
Dependência: «uma lei de Affonso III sobre os accrescidos dos rios.»
Port. Mon. Hist., I, 149.

*Accrescimento*,
m.
Acto ou effeito de accrescer.

*Accréscimo*,
m.
O mesmo que accrescimento, febre intermittente.

* *Accúbito*,
m.
Cadeira-leito, espécie de canapé, em que os Romanos se sentavam á mesa.
(Lat. accubilum)

* *Accubitor*,
m. Ant.
O mesmo que commensal.
Criado, que dormia perto do leito dos imperadores de
Constantinopla. Cf. C. e Sá, Diccion.
(Lat. accubitor)

*Accumbente*,
adj.
Diz-se da radicula das plantas crucíferas, quando curvada na borda
dos cotylédones.
(Lat. accumbens)

*Accumulação*,
f.
Acto ou effeito de accumular.
(Lat. accumulatio)

*Accumuladamente*, adv. Com accumulação.

*Accumulador*,
m. e adj.
O que accumula.
* Phýs.
Máquina, que armazena a fôrça, para a restituir, quando necessária.
Máquina, que armazena o potencial eléctrico.

*Accumulamento*,
m.
(V. accumulação)

*Accumular*,
v. t.
Amontoar, pôr em cúmulos.
V. p. * Fig.
Reunir em si (várias funcções ou occupações).
Succeder-se, sobrevir.
(Lat. accumulare)

*Accumulativamente*,
adv.
De modo accumulativo; conjuntamente.

*Accumulativo*, adj. Que se póde accumular.

* *Accúmulo*, m. Neol. O mesmo que accumulação.

*Accuradamente*, adv. Cuidadosamente.

* *Accurar*,
v. t.
Tratar com cuidado, com desvelo.
(Lat. accurare)

*Accusação*,
f.
Acto ou effeito de accusar.
(Lat. Accusatio)

*Accusado*,
m.
Aquelle a quem se imputa delito ou crime.
(De accusar)

*Accusador*,
m. e adj.
O que accusa.
(Lat. accusator)

* *Accusamento*,
m.
O mesmo que accusação.

*Accusante*, m. Aquelle que accusa.

*Accusar*,
v. t.
Imputar falta ou crime a.
Notificar: accusar a recepção de uma carta.
Mostrar.
Confessar: accusar os próprios defeitos.
(Lat. accusare)

*Accusativo*,
adj.
Que serve para accusar.
M. Gram.
Caso que, na declinação dos nomes latinos e gregos, designa
principalmente o regime directo.
(Lat. accusativus)

*Accusatoriamente*,
adv.
Do modo accusatório.

*Accusatório*,
adj.
Relativo á accusação.
(Lat. accusatorius)

*Accusável*,
adj.
Que póde ou deve sêr accusado.
(Lat. accusabilis)

* *Accuse*, m. (V. accuso)

* *Accuso*,
m.
O mesmo que accusação.
Designa a declaração que, no jôgo da bisca, o parceiro faz, de têr
reunido, entre as suas cartas, duas figuras do mesmo valor.
Também há accuso no jôgo dos Três-setes.

* *Acebar*, v. t. Prov. trasm. Açular (cães)

*Acedente*,
adj.
Que accede.
(Lat. accedens)

*Aceder*,
v. i.
Annuir, acquiescer.
Conformar-se.
(Lat. accedere)

*Acedia*,
f.
Froixidão.
Negligência.
(Do gr. a Priv. + kedos)

* *Acedrenchado*,
adj. Ant.
Que tem aspecto de acedrenche; axadrezado, estampado aos quadradinhos.
(De acedrenche)

* *Acedrenche*, m. Ant. Jôgo, que correspondia ao xadrez. Cf. Hist. Geneal. da Casa Real.

*Acefalia*,
f.
Monstruosidade, que consiste na falta de cabeça.
(De acéphalo)

* *Acefálico*, adj. O mesmo que acéphalo.

* *Acefalismo*,
m.
Seita dos Acefalitas.

* *Acefalitas*, m. pl. Herejes, que não admittiam o concílio de Chalcedónia.

*Acéfalo*,
adj.
Que não tem cabeça.
Sem chefe.
Idiota.
E diz-se de uma classe de molluscos.
(Do gr. a priv. + kephale, cabeça)

* *Acefalobraquia*,
f.
Monstruosidade acéphala, sem braços.
(De acephalobráchio)

* *Acefalobráquio*,
adj.
Que não tem cabeça nem braços.
(Do gr. a priv. + kephale + brakhion)

* *Acefalocardia*,
f.
Monstruosidade sem cabeça nem coração.
(De acephalocárdio)

* *Acefalocárdio*,
adj.
Que não tem cabeça nem coração.
(Do gr. a priv. + kephale + kardia)

* *Acefalogastria*,
f.
Monstruosidade sem cabeça nem a parte superior do ventre.
(Do gr. a priv. + kephale + gaster)

* *Acefalogástrico*,
adj.
Diz-se do feto sem cabeça nem a parte superior do ventre.
(De acephalogastria)

* *Acefalomia*,
f. Terat.
Estado de um feto, cuja cabeça é monstruosa.
(Do gr. a priv. + kephale + alasthai)

* *Acefalópode*,
m. e adj.
Monstro sem pés nem cabeça.
(Do gr. a priv. + kephale + podos)

* *Acefalopodia*,
f.
Monstruosidade sem pés nem cabeça.
f. Terat.
Estado de acefalópode.
(De acephalópode)

* *Acefalorraquia*,
f.
Monstruosidade, caracterizada pela ausência de cabeça e de coluna
vertebral.
(Do gr. a priv. + kephale + rakhis)

* *Acefalostomia*,
f.
Monstruosidade do acefalóstomo.

* *Acefalóstomo*,
m.
Monstruosidade acéfala, que no lugar da cabeça tem uma espécie de boca.
(Do gr. a priv. + kephale + stoma)

* *Acefalotoracia*,
f.
Monstruosidade sem cabeça nem thórax.
(Do gr. a priv. + kephale + thorax)

* *Acefalotorácico*,
adj.
Que tem acefalotoracia.

* *Aceifa*, f. O mesmo que ceifa.

* *Aceifão*, m. Prov. alent. O mesmo que ceifeiro.

* *Aceifar*, v. t. O mesmo que ceifar.

* *Aceiramento*,
m.
Acto de aceirar.

*Aceirar*,^1
v. t.
Temperar com aço.
(De aceiro^1)

*Aceirar*,^2
v. t.
Cortar (a vegetação) em volta da mata.
Cortar (o mato) nas estremas das herdades, para as demarcar e evitar
communicação de incêndio; sesmar.
* Bras.
Vigiar, andando á roda; observar de lado; aproximar-se para vêr
melhor. Cf. M. Soares, Dicc. Bras.

*Aceiro*,^1
m.
Aquelle que trabalha em aço.
Ant.
Barra de aço.

*Aceiro*,^2
m.
Faixa de terra arroteada, dentro ou em volta das herdades, para evitar
a communicação de fogo ou facilitar o trânsito de carros; sesmo.

* *Aceitabilidade*,
f.
Qualidade daquillo que é acceitável.

*Aceitação*,
f.
Acto ou effeito de acceitar.
Applauso.
Bem-querença.

*Aceitador*, m. Aquelle que acceita.

*Aceitamento*,
m.
O mesmo que acceitação.
* Ant.
Desafio acceitado.
Duello.

* *Aceitan*, f. Ave avermelhada, conhecida em Trás-os-Montes.

* *Aceitante*, m. e adj. Aquelle que acceita: o acceitante de uma letra commercial.

*Aceitar*, v. t. Receber (o que se offerece): acceitar um presente. Admittir: acceitar uma satisfação. Acceitar uma letra de câmbio, obrigar-se, por escrito na mesma letra, a pagá-la no dia em que se vencer. (Lat. acceptare)

*Aceitável*, adj. Que se póde acceitar.

*Aceite*, m. Acto ou assinatura, com que se acceita uma letra de câmbio.

*Aceito*, adj. Bem recebido, bemquisto.

*Aceleração*,
f.
Augmento de velocidade, pressa.
Execução rápida, diligência.
Acto de accelerar.
(Lat. acceleratio)

*Aceleradamente*, adv. De modo accelerado.

*Acelerado*,
adj.
O mesmo que rápido.
(De accelerar)

*Acelerador*, adj. Que accelera.

*Aceleramento*,
m.
(V. acceleração)

*Acelerar*,
v. t.
Tornar célere.
Aumentar a velocidade de.
Appressar.
Instigar.
(Lat. accelerare)

*Acelerativo*, adj. Que produz acceleração.

*Aceleratriz*, adj. (fem. de accelerador)

*Acelga*, f. O mesmo que celga.

* *Acém*,
m.
Parte do lombo do boi ou da vaca, entre a pá e a extremidade do
cachaço.
(Do ár. Cp. cast. acen)

* *Acena*,
f.
Planta vivaz, da fam. das rosáceas.
(Gr. akaina)

* *Acenamento*,
m.
O mesmo que aceno.

*Acenar*,
v. i.
Fazer acenos.
Chamar a attenção.

*Acendalha*,
f.
Substância combustível, com que se ateia o lume, (aparas, cavacos,
carqueja, etc.)
(De accender)

*Acendedalha*,
f.
O mesmo que acendalha. Cf. Amador Arráiz.

*Acendedor*, m. O que accende.

*Acender*,
v. t.
Fazer arder: accender uma vela.
Pôr fogo a: accender a lenha.
Atear.
Illuminar.
Fig.
Enthusiasmar.
Estimular: accender os brios.
(Lat. accendere)

*Acendidamente*, adv. Fig. Com enthusiasmo, com excitação.

*Acendimento*,
m.
Acto de accender.

*Acendível*, adj. Que se póde accender.

*Acendrar*, v. t. Limpar com cinza. Fig. Purificar. Acrisolar. (Do lat. cinerare)

* *Acenha*, f. O mesmo ou melhor que azenha. Cf. G. Vicente, M. Parda.

* *Acenheiro*, m. Des. Dono de acenha.

*Aceno*, m. Gesto com a mão ou com a cabeça.

* *Acenoso*,
adj. Bot.
Diz-se dos órgãos vegetaes, que se apresentam curvos na ponta.
(De aceno)

*Acenso*,
m.
Antigo official subalterno, adjunto a qualquer alto funccionário romano.
(Lat. accensus)

*Acento*, m. Inflexão da voz, na pronúncia das palavras. Sinal, com que na escrita se mostra a figura das vogaes. Tom de voz, timbre. * Há o accento expiratório, que é o que se faz com expiração enérgica, como no português e noutras línguas; e há o musical, que é independente do tónico, como no sueco, em que a sýllaba predominante de uma palavra é menos alta que outra. (Lat. accentus)

* *Acentróptero*,
m.
Gênero de coleópteros pentâmeros.
(Do gr. a priv. + kentron + pteron)

*Acentuação*,
f.
Acto de accentuar.
Modo de accentuar, na pronúncia ou na escrita.

*Acentuar*,
v. t.
Empregar accentos ortográphicos em.
Dar (ás vogaes) determinada modulação phonética.
Pronunciar claramente.
Fig.
Dar relêvo a, tornar saliente.
Exprimir com vigor: accentuar uma offensa.
(De accento)

*…áceo*, suf. adj. (designativo das qualidades geraes de um grupo ou série de indivíduos, cujo typo é, geralmente, expresso no radical da palavra respectiva) (Lat. …aceus)

*Acepção*,
f.
Interpretação.
Sentido, em que se toma uma palavra.
(Lat. acceptio)

*Acephalia*,
f.
Monstruosidade, que consiste na falta de cabeça.
(De acéphalo)

* *Acephálico*, adj. O mesmo que acéphalo.

* *Acephalismo*,
m.
Seita dos Acephalitas.

* *Acephalitas*, m. pl. Herejes, que não admittiam o concílio de Chalcedónia.

*Acéphalo*,
adj.
Que não tem cabeça.
Sem chefe.
Idiota.
E diz-se de uma classe de molluscos.
(Do gr. a priv. + kephale, cabeça)

* *Acephalobrachia*, (qui)
f.
Monstruosidade acéphala, sem braços.
(De acephalobráchio)

* *Acephalobráchio*, (qui)
adj.
Que não tem cabeça nem braços.
(Do gr. a priv. + kephale + brakhion)

* *Acephalocardia*,
f.
Monstruosidade sem cabeça nem coração.
(De acephalocárdio)

* *Acephalocárdio*,
adj.
Que não tem cabeça nem coração.
(Do gr. a priv. + kephale + kardia)

* *Acephalogastria*,
f.
Monstruosidade sem cabeça nem a parte superior do ventre.
(Do gr. a priv. + kephale + gaster)

* *Acephalogástrico*,
adj.
Diz-se do feto sem cabeça nem a parte superior do ventre.
(De acephalogastria)

* *Acephalomia*,
f. Terat.
Estado de um feto, cuja cabeça é monstruosa.
(Do gr. a priv. + kephale + alasthai)

* *Acephalópode*,
m. e adj.
Monstro sem pés nem cabeça.
(Do gr. a priv. + kephale + podos)

* *Acephalopodia*,
f.
Monstruosidade sem pés nem cabeça.
f. Terat.
Estado de acephalópode.
(De acephalópode)

* *Acephalorachia*, (raqui)
f.
Monstruosidade, caracterizada pela ausência de cabeça e de columna
vertebral.
(Do gr. a priv. + kephale + rakhis)

* *Acephalostomia*,
f.
Monstruosidade do acephalóstomo.

* *Acephalóstomo*,
m.
Monstruosidade acéphala, que no lugar da cabeça tem uma espécie
de boca.
(Do gr. a priv. + kephale + stoma)

* *Acephalothoracia*,
f.
Monstruosidade sem cabeça nem thórax.
(Do gr. a priv. + kephale + thorax)

* *Acephalothorácico*,
adj.
Que tem acephalothoracia.

*Acepilhador*,
m.
O que acepilha.

*Acepilhadura*,
f.
Acto de acepilhar.
Apara, maravalha.

*Acepilhar*,
v. t.
Alisar com cepilho.
Aperfeiçoar.
(De cepilho)

* *Acepipar*,
v. t.
Dar gôsto delicado a (um alimento); tornar saboroso.
(De acepipe)

*Acepipe*,
m.
Guloseima.
Pitéu.
(Cast. acebibe)

* *Acepipeiro*, adj. Que gosta de acepipes, guloso.

*Aceptilação*,
f. Des.
Acto, em que um crèdor dá quitação a um devedor, sem que êste pague
a dívida.
(Lat. acceptilatio)

* *Aceptuar*,
v. i. Prov. trasm.
Fazer combinação.
Combinar os meios ou o modo de fazer alguma coisa.
(Cp. acceptar)

* *Acéqua*, f. Ant. O mesmo que acequia.

*Acequia*,
f.
Açude.
Azenha.
Aqueducto.
* Prov. alent.
Cano collector das águas pluviaes.
(Do ár. acequia)

* *Aceração*,
f.
Acto de acerar.

* *Aceráceas*, f. pl. O mesmo que aceríneas.

*Aceradamente*, adv. De modo acerado.

*Aceradas*,
f. pl.
Classe de vegetaes dicotyledóneos, que comprehende o bórdo e outras
árvores.
(De ácer)

*Acerado*, adj. Que corta. Afiado. Fig. Penetrante, cáustico: um dito acerado.

* *Acerantho*,
m.
Planta do Japão.
(Do gr. a priv. + keras)

* *Aceranto*,
m.
Planta do Japão.
(Do gr. a priv. + keras)

*Acerar*,
v. t.
Dar têmpera de aço a.
Afiar.
Estimular.
(Por aceirar, de aceiro^1)

* *Acerário*, m. Neol. (?) Officina, em que se prepara aço.

* *Acerato*,^1
m.
Planta asclepiádea da América.

* *Acerato*,^2
m.
Sal, resultante da combinação do ácido acérico com uma base.
(De ácer)

*Acerbamente*,
adv.
Asperamente.
Cruelmente.
(De acerbo)

* *Acerbar*, v. t. Tornar acerbo ou angustioso; angustiar. Cf. Rui Barb., Répl., 157.

* *Acerbidade*,
f.
Qualidade do que é acerbo.
Fig.
Rigor.
Aspereza.

*Acerbo*,
adj.
Azêdo.
Severo; cruel.
(Lat. acerbus)

*Acêrca*,^1
loc. prep. (seg. da prep. de)
A respeito de; relativamente a; sôbre.
(Do lat. circa)

* *Acêrca*,^2
adv.
Perto: «seu pai acêrca morava». Menina e Moça. Cf. Ethiópia Or.
II, 38 e 42.

*Acercar-se*,
v. p.
Aproximar-se; avizinhar-se.
(De cêrca)

* *Acerdésia*,
f.
Óxydo de manganés hydratado.

*Acerejado*, adj. Que tem côr de cereja.

*Acerejar*, v. t. Dar côr de cereja a.

* *Acéreo*,
adj.
O mesmo que aceríneo.
M. pl.
Família de molluscos gasterópodes opistóbrânchios.
(De ácer)

* *Acérico*, adj. Diz-se do ácido que constitue a essência do ácer.

* *Acerina*, f. Gênero de peixes acanthópteros.

*Aceríneas*,
f. pl.
Família de plantas, da classe das aceradas.
(Fem. pl. de acerineo)

*Aceríneo*, adj. Relativo ao ácer.

* *Acero*, m. Bras. O mesmo que aceiro^2.

* *Aceroídeas*,
f. pl.
Ordem de plantas, que abrange as aceríneas, sapindáceas e outras.
(Do lat. acer + gr. eidos)

* *Acerolo*,
m.
Fruto de Espanha, semelhante á cereja.
(De ácer)

* *Aceroso*,
adj.
Diz-se das fôlhas lineares e persistentes, como a do pinheiro.
(De ácer)

*Acerotosia*,
f.
Monstruosidade dos ruminantes, caracterizada pela ausência de cornos.
(Do gr. a priv. + keras, corno)

* *Acerra*,
f.
Naveta.
Vaso de perfumes.
(Lat. acerra)

*Acerrimamente*, adv. De modo acérrimo.

*Acérrimo*,
adj.
Muito agre, picante.
Pertinaz, insistente.
(Lat. accerrimus)

*Acertadamente*, adv. De modo acertado.

*Acertador*, m. O que acerta.

*Acertamento*,
m.
Acto de acertar.
*
Acaso, coincidência: «uma quarta-feira, que per acertamento foy
béspera de Corpo de Deus
». Rui Pina, Chrón. de Af. V, C. CXXXI.

*Acertar*,
v. t.
Descobrir, achar ao certo.
Pôr certo, igualar.
Harmonizar.
V. i.
Dar no alvo; attingir.
Coincidir.
Acontecer.

*Acêrto*,
m.
Acto de acertar.
Tino.
* Prov.
Casualidade.

* *Acervação*,
f.
Acto ou effeito de amontoar; acervo.
(Lat. acervatio)

*Acervar*, v. t. Amontoar. Cf. Gonçalves Dias, Poes., II, 117.

* *Acervejado*, adj. Que tem côr ou sabor de cerveja. Fig. Que reflecte a influência dos povos, onde se consome muita cerveja: «portugueses acervejados de germanismo». Camillo, Cavar em Ruínas, 57.

*Acervo*,
m.
Montão, cúmulo.
Abundância.
(Lat. acervus)

* *Acérvulo*,
m.
Pequeno acervo.

*Acesamente*, adv. O mesmo que accendidamente.

*Acescência*,
f.
Disposição para se azedar.
(De acescente)

*Acescente*,
adj.
Que começa a azedar-se.
(Lat. acescens)

*Aceso*, adj. Que se accendeu. Inflammado. Fig. Excitado. (Lat. accensus)

*Acessão*,
f.
Acto de acceder.
Accessório.
(Lat. accessio)

* *Acessibilidade*,
f.
Facilidade na aproximação.
(Do b. lat. accessibilis)

*Acessível*,
adj.
Que se póde possuir.
A que se póde chegar.
Tratável, lhano.
(B. lat. accessibilis)

*Acesso*,
m.
Chegada.
Aproximação.
Trato.
Phenómeno pathológico que, a espaços, cessa e recrudesce.
(Lat. accessus)

*Acessoriamente*, adv. De modo accessório.

*Acessório*,
adj.
Que está junto a alguma coisa, sem della fazer parte integrante.
(De acceder)

* *Acetabulária*,
f.
Alga marinha unicellular.
(Do lat. acetabulum)

* *Acetabulário*,
m.
Alga marinha unicellular.
(Do lat. acetabulum)

* *Acetabulífero*,
adj.
Que tem ventosa nos tentáculos, (falando-se de certos molluscos).
M. pl.
Ordem de molluscos, que tem sugadoiro ou ventosa na extremidade dos
tentáculos.
(Do lat. acetabulum + ferre)

* *Acetabuliforme*,
adj.
Que tem a fórma de taça.
(De acetábulo + fórma)

*Acetábulo*,
m.
Antigo vaso para vinagre.
Cavidade cotyloídea.
(Lat. acetabulum)

* *Acetacético*, adj. Diz-se de um ácido, o mesmo que diacético.

* *Acetal*,
m.
Producto da oxydação do álcool.
Líquido incolor, de cheiro ethéreo.
(De acético)

* *Acetâmido*,
m.
Amido, derivado do ácido acético.
(De acetum lat. + amido)

* *Acetanilido*, m. Chím. Corpo branco, crystallizado em lâminas.

*Acetar*,
v. t.
Tornar azêdo.
(Do lat. acetum)

*Acetário*,
m.
Medicamento, que tem por base o vinagre.
(Do lat. acetum)

*Acetato*,
m.
Sal, resultante da combinação do ácido acético com uma base.
(Do lat. acetum)

*Acéter*,
m.
Púcaro antigo.
(Cast. acetre)

*Acético*,
adj.
Relativo ao vinagre.
Ácido.
(Lat. aceticus)

* *Acetidina*,
f.
Líquido oleoso, de cheiro agradável, análogo ao do éther acético.
(Do lat. acetum)

*Acetificação*,
f.
Acto de acetificar.

*Acetificar*,
v. t.
Converter em vinagre.
Azedar.
(Do lat. acetum + facere)

* *Acetilanilina*,
f.
Substância alcalina, solúvel na água e no álcool, insolúvel no
éther.

*Acetilena*, f. O mesmo que acetilene.

* *Acetilene*,
m.
Gás, que se obtém pelo carboneto de cálcio e que começa agora a
applicar-se á illuminação.

* *Acetilênico*, adj. Diz-se de um grupo de carbonetos.

* *Acetileno*,
m. Chím.
O mesmo ou melhor que acetylene.
Um dos carbonetos do grupo acetylênico.

* *Acétilo*,
m.
Rad. hypothético dos compostos acéticos, e cuja fórmula é C^4 H^3 O^2.
(De acético)

* *Acetilogênio*,
m.
Lâmpada de acetylene.

* *Acetímetro*,
m.
O mesmo que acetómetro.

* *Acetina*,
f.
Líquido neutro, que se obtém pela reacção do ácido acético e
da glycerina.
(De acético)

* *Aceto*, m. O mesmo que vinagre, em Alquimia. Cf. C. e Sá, Diccion.

* *Acetol*,
m.
Expressão, adoptada para designar o vinagre na sua maior pureza.
(Do lat. acetum)

* *Acetolado*,
m.
Vinagre medicinal, preparado por solução.
(De acetol)

* *Acetolato*,
m.
O mesmo que acetolado.

* *Acetomel*,
m.
Xarope de vinagre melado.
(Do lat. acetum + mel)

*Acetómetro*,
m.
Instrumento, para medir a graduação do vinagre.
(Do lat. acetum + gr. metron)

* *Acetona*,
f.
Líquido incolor, obtido pela destillação de acetatos alcalinos,
depois de muito secos.
(De acetico)

* *Acetonato*,
m.
Qualquer sal, formado pela combinação do ácido acetónico com uma base.
(De acetona)

*Acetonemia*,
f. Med.
Presença de acetona no sangue.
(De acetona + gr. haima, sangue)

* *Acetonia*,
f.
(V. acetona)

* *Acetónico*,
adj.
Diz-se de um ácido, derivado de acetatos alcalinos.
(De acetonia)

* *Acetonina*,
f.
Álcali orgânico, solúvel na água, no álcool e no éther.
(De acetonia)

* *Acetonuria*,
f. Med.
Eliminação de acetona, pela urina.
(De acetona + gr. ouron)

* *Acetosa*, f. Des. Planta, o mesmo que labaça.

* *Acetosamina*,
f.
Substância alcalina, insolúvel no éther, solúvel no álcool e
na água.
(De acetoso)

*Acetosidade*,
f.
Qualidade de acetoso.

*Acetoso*,
adj.
Que tem sabor de vinagre.
(Lat. acetosus)

* *Acetre*,
m. Ant.
Lavatório portátil.
O mesmo que acéter.

* *Acetulatura*,
f.
Vinagre, feito com sumo de plantas verdes.

* *Acetylanilina*,
f.
Substância alcalina, solúvel na água e no álcool, insolúvel no
éther.

*Acetylena*, f. O mesmo que acetylene.

* *Acetylene*,
m.
Gás, que se obtém pelo carboneto de cálcio e que começa agora a
applicar-se á illuminação.

* *Acetylênico*, adj. Diz-se de um grupo de carbonetos.

* *Acetyleno*,
m. Chím.
O mesmo ou melhor que acetylene.
Um dos carbonetos do grupo acetylênico.

* *Acétylo*,
m.
Rad. hypothético dos compostos acéticos, e cuja fórmula é C^4 H^3 O^2.
(De acético)

* *Acetylogênio*,
m.
Lâmpada de acetylene.

*Acevadado*, adj. Alimentado com cevada.

*Acevadar*, v. t. Alimentar com cevada.

*Acevar*, v. t. (V. cevar)

*Acha*,^1
f.
Cavaca, pedaço de madeira tôsca para o lume.
Pl.
Lenha.
(Do lat. astula)

*Acha*,^2
f.
Arma antiga, do feitio de machada.
(Do ant. al.)

* *Achabaçar*, v. t. Prov. beir. Despedaçar, fazer em cacos.

* *Achaboucado*,
adj. Prov.
Tôsco, mal acabado.
Desajeitado.
(Colhido no concelho de Lamego)

*Achacadamente*, adv. De modo achacado.

*Achacadiço*,
adj.
Sujeito a achaques, enfermiço.
(De achacado)

*Achacado*, adj. Adoentado. Enfermiço. * T. da Bairrada. Doente do figado.

*Achacana*, f. Espécie de cacto do Peru.

*Achacar*, v. i. Adoecer. * Ant. Accusar; denunciar. Infamar. (De achaque)

*Achacoso*, adj. Que tem achaques.

*Achada*,^1
f.
Acto ou effeito de achar.
* Ant.
Multa ou coima.

*Achada*,^2
f. Ant. e prov. alg.
Planície.
(De achaada, e achãada, contr. de achanada, de chan)

* *Achádego*,
m. Ant.
Prémio, que, segundo as Ordenações do Reino, se dava a quem achasse
alguma coisa.
(De achar)

*Achadiço*,
adj.
Que facilmente se acha.
* M. Prov.
Indivíduo de pouca importância; vadio adventício. (Colhido na Bairrada)

* *Achádigo*,
m.
O mesmo ou melhor que achádego.

* *Achadilha*,
f. Prov. trasm.
Lembrança súbitae extravagante.
Pretexto para faltar á palavra dada.
Escapatória.
(De achar)

*Achado*,
m.
Aquillo que se achou.
Descobrimento, invento.
(De achar)

* *Achadoiro*,
m.
Lugar, onde se achou alguma coisa.

*Achador*, m. O que acha.

* *Achadouro*,
m.
Lugar, onde se achou alguma coisa.

* *Achafundar*, v. t. Pop. Enterrar no lodo; meter no fundo da água.

* *Achagual*,
m.
Peixe das costas da América do Sul.

* *Achaico*, (cai)
adj.
Relativo aos Acheus.
(Lat. achaiens)

* *Achaina*, (cai)
f.
Fruto monospérmico, indehiscente, cujo pericarpo adhere ao invólucro
do grão e ao tubo do cálice, como se observa nas synanthéreas.
(Do gr. a priv. + khanein)

*Achaio*, (cai)
adj.
O mesmo que achaico.
(Lat. achaius)

* *Achalmópteros*,
m. pl.
Divisão dos lepidópteros, no systema de Blanchard, na qual se
comprehendem aquelles, cujas asas, durante o repoiso, estão erguidas.

* *Achaloucado*,
adj. Prov.
Desajeitado; precipitado.
(Colhido em Turquel)

* *Achamalotado*, adj. Semelhante a chamalote.

* *Achamalotar-se*,
v. p. Neol.
Dar aspecto de chamalote: «o crystal da corrente
achamalotou-se
». J. Alencar.

*Achamboar*, v. t. Tornar chambão, grosseiro.

* *Achamboirado*,
adj.
Tôsco, mal feito.
Desajeitado.
(De achamboar)

*Achamento*, m. O mesmo que achada^1.

* *Achamorrado*,
adj. Bras.
Achatado.
Rombo. Cp. chamorro.

* *Achanadamente*, adv. De modo nivelado, achanado.

*Achanar*, v. t. Ant. Tornar chão, plano. V. p. Tornar-se lhano, tratável.

* *Achanci*, m. Antigo magistrado da ilha de Ainão. (Cf. Peregrinação, XLV, LXXXV)

* *Achancil*,
m.
Antigo magistrado da ilha de Ainão. (Cf. Peregrinação, XLV, LXXXV)

* *Achancilado*,
m.
Jurisdição de achancil.

* *Achânia*, f. Planta malvácea da America do Sul.

* *Achantar*, v. t. Ant. O mesmo que plantar.

* *Achantis*, m. pl. Povos da Achantia, na África.

*Achaparrado*,
adj.
Semelhante a chaparro.
Grosso e baixo.
(De achaparrar)

*Achaparrar*,
v. i.
Engrossar, crescendo pouco em altura (a árvore).
(De chaparro)

*Achaque*,
m.
Disposição mórbida.
Doença habitual.
* Ant.
Motivo de queixa, acto de queixar-se.
(Cast. achaque)

*Achaquilho*,
m.
Pequeno achaque.

*Achar*,^1
v. t.
Descobrir.
Inventar.
Julgar.
(Do lat. afflare)

*Achar*,^2
m.
Especie de conserva indiana.
(T. mal)

* *Achária*, ()
f.
Gênero de plantas passiflóreas.

*Acharoado*,
adj.
Envernizado como charão.
(De acharoar)

*Acharoar*, v. t. Envernizar como charão.

* *Achatadela*, f. Fam. Acto de achatar.

*Achatado*,
adj. Fig.
Humilhado.
(De achatar^1)

* *Achatadura*,
f.
O mesmo que achatadela.

*Achatamento*,
m.
Acto de achatar^1.

*Achatar*,^1 v. t. Tornar chato. Humilhar, abater. * Fam. Vencer em discussão.

* *Achatar*,^2
v. t. Ant.
Conseguir, obter.
(Relaciona-se com o fr. acheter?)

*Achavascado*,
adj.
Grosseiro.
(De achavascar)

*Achavascar*, v. t. Tornar grosseiro, tôsco.

*Achega*, (chê)
f.
Aditamento.
Subsídio, auxílio.
* Fam.
Pequeno lucro.
Rendimento accessório ou eventual.
M. Ant.
Cada um dos partícipes de um casal, cuja pensão total era paga por
um cabecel.
(De achegar)

*Achegadamente*,
adv.
Muito de perto.
Proximamente.

* *Achegado*,
m. Ant.
Amigo.
Partidário. Cf. Rev. Lus., XVI, 1.

*Achegador*, m. O que achega. * Prov. minh. O mesmo que alcoviteiro. * Ant. Official de justiça.

*Achegamento*,
m.
Acto de achegar.

*Achegança*,
f. Ant.
Pertença.
Foragem, pensão.
(De achegar)

*Achegar*,
v. t.
Aproximar.
Conchegar.
* Ant.
Ajuntar, adquirir. Cf. Rev. Lus., XVI, 1.
(De chegar)

* *Acheguilho*,
m. Prov.
O mesmo que accessório.
(De achêga)

* *Acheira*, f. Prov. O mesmo que acha. Cf. Rev. Lus., XIII, 89.

* *Achênio*, (quê)
adj.
Diz-se de um período geológico, criado por Dumond.
M.
Terreno na base da série infra-cretácea, constituído por um conjunto
de areias brancas ou ferruginosas e de argila, que cobrem directamente
as camadas carboníferas.
(Por aachênio, de Aachen, n. p. al. de Aix-la-Chapelle)

* *Achens*, m. pl. Habitantes do antigo reino de Achém. Cf. Peregrinação.

* *Acheronte*, (que)
m.
O inferno mythológico.
(Lat. acheron, acherontis)

* *Acheronteu*, (que)
adj.
O mesmo que acherôntico.

* *Acherôntia*, (que)
f.
Insecto, cuja larva ataca e destrói as flôres do tabaco.

* *Acherôntico*, (que)
adj.
Relativo ao acheronte.

* *Acheu*, (queu)
adj.
Relativo á Achaia; achaico.
M.
Habitante da Achaia.
Pl.
Antigo povo da Grécia, o mesmo que achivos.
(Lat. achaeus)

*Achibantado*, adj. Que tem modos de chibante.

*Achicar*, v. i. Enxugar. Esgotar-se (a água das embarcações). V. t. Enxugar, esgotar.

*Achicarar*, v. t. Dar feitio de chícara a.

* *Achilária*, (qui)
f.
Monstruosidade vegetal, caracterizada pela ausência accidental dos
lábios em corollas que normalmente os têm.

* *Achilia*, (qui)
f.
Monstruosidade, caracterizada pela falta de lábios.
(Do gr. a priv. + kheilos, lábio)

* *Achilleas*, (qui)
f. pl.
Grupo de plantas corymbíferas, segundo Jussieu.
(De achilleia)

*Achilleia*, (qui)
f.
Planta, de flôres radiadas, dispostas em corymbo.
(Gr. akhilleia)

* *Achilleico*, (qui)
adj.
Diz-se do ácido que existe na achilleia.

* *Achilleja*, (qui)
f.
O mesmo que achilleia.

*Achim*,^1 m. Especie de pimentão indiano.

* *Achim*,^2 m. Lingua de Samatra.

*Achinar*,^1
v. t.
Dar forma chinesa a.
(De china)

* *Achinar*,^2 v. t. Prov. trasm. Marcar com a pedra, chamada chino, (o lugar, onde o ferro bateu, no jôgo da barra). (De chino^2)

* *Achincalhação*,
f.
Acto ou effeito de achincalhar.

* *Achincalhamento*,
m.
O mesmo que achincalhação.

*Achincalhar*,
v. t.
Tornar vil.
Ridiculizar, chacotear.
(De chinquilho?)

*Achincalhe*,
m.
O mesmo que achincalhação.

*Achincalho*,
m.
O mesmo que achincalhação.

*Achinelado*, adj. Que tem fórma de chinelo.

*Achinelar*, v. t. Dar fórma de chinela a.

*Achinesar*, v. t. O mesmo que achinar^1.

* *Achiota*, f. Fruto do achiote.

* *Achiote*, m. Árvore americana, semelhante á laranjeira.

* *Achiria*, (qui)
f. Terat.
Ausência congénita das mãos ou de uma só.
(Do gr. a priv. + kheir)

*Achiro*, (qui)
m.
Peixe pleuronecto, semelhante ao linguado.
(Do gr. a priv. + ckeir, mão)

* *Achivo*, (qui)
m. e adj.
O mesmo que grego da Thessália ou do Peloponneso; grego.
(Lat. achivus)

* *Achlamídeas*,
adj. f. pl. Bot.
Diz-se das flôres, que não têm cálice nem corolla.
(Do gr. a priv. + chlâmide)

* *Achlâmydas*,
adj. f. pl.
Diz-se das algas, cujos filamentos são desprovidos de segundo
envoltório.
(Do gr. a priv. + khlamus)

* *Achnantho*,
m.
Alga microscópica, diatomácea.
(Do gr. achne + anthos)

*…acho*, suf. (designativo de deminuição ou depreciação)

* *Achoar*, v. t. Marn. Recalcar com os pés. Prov. Deitar ao chão. Moer com pancadas. (De chão)

* *Acholia*, (co)
f. Med.
Suppressão da secreção biliar.
(Do gr. a priv. + khole, bile)

* *Achonaris*, m. pl. Aborígenes brasileiros, que habitaram no Pará.

*Achores*, ()
m. pl.
Tinha mucosa.
(Gr. akhor)

* *Achromasia*,
f.
Pallidez cachéctica.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

*Achromático*,
adj.
Que faz desapparecer as irisações produzidas por certas lentes.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

*Achromatina*,
f.
Parte da substância do núcleo cellular, sôbre a qual não têm acção
os reagentes còrantes.
(Gr. akhromatos, sem côr)

*Achromatismo*,
m.
Qualidade do objecto achromático.

*Achromatização*,
f.
Acto de achromatizar.

*Achromatizar*,
v. t.
Fazer desapparecer (as côres irisadas) na imagem de um objecto.
(De achromático)

* *Achromatopsia*,
f.
Estado de quem não póde distinguir as côres.
(Do gr. a priv. + khroma + ops)

* *Achromatóptico*,
adj.
Que tem achromatopsia.

* *Achromia*,
f. Med.
Descoramento parcial da pelle.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

*Achromo*,
adj.
Que não tem côr.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

* *Achromodermia*,
f.
O mesmo que achromasia.

* *Achromolena*,
f.
Planta composta, originária da Nova Hollanda.
(Do gr. chroma + laina)

*Achtheographia*,
f.
Descripção ou nomenclatura dos pesos.
(Do gr. achthos + graphein)

*Achtheómetro*,
m.
Instrumento, para medir o pêso dos carros sôbre as rodas.
(Do gr. akhtos + metron)

* *Achumaço*, m. Prov. alent. O mesmo que chumaço.

*Achumbar*, v. t. Tornar semelhante ao chumbo.

* *Achyrantho*, (qui)
m.
Gênero de plantas amarantáceas.
(Do gr. akhuron + anthos)

* *Achyrastro*, (qui)
m.
Planta do grupo das chicoriáceas, e cujo cálice tem a fórma de
martinete.
(Do gr. akhuron + astron)

* *Achyróphoro*, (qui)
m.
Gênero de plantas compostas.
(Do gr. akhuron + phoros)

* *Achyróphyto*, (qui)
adj.
Diz-se da planta, cuja flôr é composta de palhetas.
(Do gr. akhuron + phuton)

* *Achyrospermo*, (aki)
Gênero de plantas labiadas.
(Do gr. akhuron + sperma)

* *Aciano*, m. Designação de uma flôr, (acianus maior).

* *Acianoblepsia*,
f. Med.
Insensibilidade visual para a côr azul.
(Do gr. a priv. + kuanos + blepsis)

* *Aciantho*,
m.
Planta, da família das orchídeas.
(Do gr. akis + anthe)

* *Acianto*,
m.
Planta, da família das orchídeas.
(Do gr. akis + anthe)

*Acicalar*, v. t. (V. açacalar)

* *Acicárfio*,
m.
Planta da América do Sul.
(Do gr. akis + karphos)

* *Acicárphio*,
m.
Planta da América do Sul.
(Do gr. akis + karphos)

*Acicate*,
m.
Espora antiga, de uma só ponta.
Espora.
Fig.
Incentivo.
(Do ár.)

* *Acíclico*, adj. Bot. Diz-se das flores em que, dispostas em espiral as partes appendiculares, o intervallo, que separa um grupo de appêndices do seguinte, não coincide com um número determinado de voltas da espira. (Do gr. a priv. + kuklos, circulo)

* *Acicoca*, f. Erva medicinal do Peru.

*Acícula*,
f.
Gênero de molluscos gaterópodes.
Gancho de osso, de metal ou madeira, com que as damas romanas seguravam
os cabellos.
(Lat. acicula)

*Aciculado*,
adj.
Que tem fórma de agulha.
(De acícula)

*Acicular*, adj. O mesmo que aciculado.

* *Acidação*, f. Chím. Acção de converter em ácido.

*Acidade*, f. (V. acidez)

*Acidália*,
f.
Gênero de lepidópteros nocturnos.
(Lat. Acidalia, n. p.)

* *Acidante*, adj. Chím. Que faz mudar em ácido.

* *Acidar*, v. t. Chím. Mudar em ácido.

*Acidável*, adj. Que póde converter-se em ácido.

*Acidentação*,
f.
Qualidade de um terreno acidentado.
(De accidentar)

*Acidentado*, adj. Que não é plano: região acidentada.

*Acidental*,
adj.
Fortuito, casual, imprevisto.
Acessório.
* Mús.
Diz-se de cada uma das notas, que não fazem parte integrante dos acordes.
(De accidente)

*Acidentalmente*, adv. De modo acidental.

* *Acidentar*,
v. t. Prov. trasm.
O mesmo que acinzentar.
v. t.
Variar.
Produzir acidente em.

*Acidentariamente*,
adv.
De modo acidentário.

*Acidentário*, adj. O mesmo que acidental.

*Acidentável*, adj. Que se póde acidentar.

*Acidente*,
m.
O que é casual, fortuito.
Desgraça.
Disposição variada de terreno.
Variada distribuição de luz.
* Pop.
Ataque epiléptico; sýncope, desmaio.
(Lat. accideno)

*Acidez*, f. Propriedade das coisas ácidas.

*Acidífero*,
adj.
Que tem ou produz ácido.
(Do lat. acidus + ferre)

*Acidificação*,
f.
Acto de acidificar.

*Acidificante*, adj. Que acidifica.

*Acidificar*,
v. t.
Converter em ácido.
(Do lat. acidus + facere)

* *Acidificável*, adj. Que se póde acidificar.

* *Acidimetria*,
f.
Applicação do acidímetro.

* *Acidímetro*,
m.
Apparelho para medir o ácido contido num líquido.
(De ácido + gr. metron)

* *Acidopirástica*, f. Med. Exploração ou sondagem das partes profundas de um organismo.

* *Acidose*,
f. Med.
Impregnação ácida dos tecidos, que se observa especialmente nos
diabéticos em imminência de coma.
(De ácido)

* *Acidotão*,
m.
Planta euphorbiácea da Jamaica.
(Do gr. akidotos)

*Acidrado*, adj. Semelhante á cidra.

* *Acidulacão*,
f.
Acto de acidular. Cf. F. Lapa, Techn. Rur., 477.

*Acidulante*, adj. Que acidula.

*Acidular*, v. t. Tornar acídulo.

*Acídulo*,
adj.
Levemente ácido.
(Lat. acidulus)

* *Aciganar-se*,
v. p.
Tomar modos de cigano.
Tornar-se manhoso ou trapaceiro.

*Acima*,
adj.
Para a parte superior.
Em cima.
(Cp. cima)

* *Acimar*,
v. t. Ant.
Chegar ao cimo ou ao termo de.
Concluir, acabar.

* *Acimento*,
m. Des.
Cimo, elevação, cume.
(Cp. acima)

*Acinace*,
m.
Sabre curto e curvo, usado outrora por alguns povos orientaes.
(Lat. acinaces)

* *Acináceo*,
m.
Peixe do Atlántico, em fórma de folha de sabre.
(Do gr. akinakes)

* *Acinaciforme*,
adj.
Que tem fórma de sabre, (falando-se das folhas de certos vegetaes).
(Lat. acinaciformis)

* *Acincho*, m. Prov. beir. O mesmo que cincho.

*Acinesia*,
f.
Immobilidade.
(Do gr. a. priv. + kinein)

* *Acinésico*, adj. O mesmo que acinético.

* *Acineta*,
f.
Animálculo, da classe dos rhizópodes.
(Do gr. akinetos)

* *Acinético*,
adj. Med.
Que serve para combater a agitação; calmante.
(Do gr. a priv. + kinesis)

* *Acinetinas*,
f. pl.
Infusórios, de uma só abertura e cílios alongados.
(De acineta)

* *Acingir*,
v. t. Des.
O mesmo que cingir (especialmente falando de armas). Cf. Fr. Fort.,
Inéd., II, 62. Lat. accingere.

* *Acinia*,
f.
Insecto diptero.
(Do gr. akinos)

* *Acinóforo*,
m.
Gênero de cogumêlos.
(Do gr. akinos + phoros)

* *Acinóphoro*,
m.
Gênero de cogumêlos.
(Do gr. akinos + phoros)

* *Acinopo*,
m.
Insecto coleóptero pentâmero.
(Do gr. akinos + pous)

*Acinte*,
m.
Acção ou propósito de fazer alguma coisa, contra a vontade ou
gôsto de alguém.
Adv.
De propósito, de caso pensado.

*Acintemente*,
adv.
Por acinte.
De modo acintoso.

* *Acíntli*,
f.
Especie de gallinha, de plumagem escura e branca, no México.
(gallina purpurea, Lin.)

*Acintosamente*, adv. Acintemente, de modo acintoso.

*Acintoso*,
adj.
Em que há acinte.
Em que há propósito ou mau propósito.

* *Acinzado*,
adj.
Que tem côr de cinza.
(De acinzar)

* *Acinzador*,
m.
O que acinza.

* *Acinzamento*,
m.
Acto de acinzar.

* *Acinzar*, v. t. Dar côr de cinza a.

* *Acinzeirado*, adj. O mesmo que acinzentado.

* *Acinzelar*, v. t. (e der.) O mesmo que cinzelar, etc.

* *Acinzentado*,
adj.
Cuja côr é tirante a cinzento. Cf. Herculano, Lend. e Narr., I, 90.
(De acinzentar)

* *Acinzentar*, v. t. Tornar acinzentado.

* *Aciôa*, f. Planta das Guianas.

* *Acioto*, (ôto)
m.
Planta melastomácea das Antilhas.
(Do gr. akis)

*Acipipe*, m. (V. acepipe)

* *Acipitrário*,
m.
Armadilha para aves de rapina.
(Do lat. accipiter)

* *Acípitres*,
m. pl.
Primeiro grupo das aves de rapina, segundo Cuvier.
(Lat. accipiter)

*Acipitrianos*,
m. pl.
Sub-família dos acipitrídeos.
(Do lat. accipiter)

*Acipitrídeos*,
m. pl.
O mesmo que falconídeos.
(Do lat. accipiter + gr. eidos)

*Acipitrino*,
adj.
Relativo a aves de rapina.
(Do lat. accipiter)

* *Aciprestal*,
m.
Lugar, onde crescem aciprestes. Cf. Castilho, Fastos, III, 13.

*Acipreste*,^1
m.
O mesmo que cipreste.

* *Acipreste*,^2
m.
(Corr. pop. de arcipreste)

*Acirandar*,
v. t.
Limpar com ciranda.
Cirandar.

*Acirologia*,
f.
Impropriedade de expressão.
(Gr. akurologia)

* *Acirológico*, adj. Relativo á acirologia.

* *Acirrado*, adj. Contumaz, frenético.

* *Acirrante*,
adj.
Que acirra.
Picante, (falando-se de comida).
M.
Aperitivo, estimulante. Cf. Camillo, Narcót., I, 169.

*Acirrar*,
v. t.
Açular.
Irritar.

* *Acisantero*,
m.
Planta da Jamaica.
(Do gr. akis + antheros)

* *Acisanthero*,
m.
Planta da Jamaica.
(Do gr. akis + antheros)

* *Acisba*, m. Insecto coleóptero.

* *Aciselar*, v. t. Gal. (perpetrado por Camillo, em vez de cinzelar, nas Scenas da Foz, 12.)

* *Acisia*,
f.
Impotência; esterilidade.
(Do gr. a priv. + kuein)

* *Acistia*,
f.
Ausência da bexiga urinária.
(Gr. a + kustis)

* *Acistinervia*,
f.
Paralysia da bexiga.
(Do gr. a + kustis + neuron)

* *Acisturotrofia*,
f.
Atrophia da bexiga.
(Do gr. a + kustis + oura + trophe)

* *Acitara*, f. Ant. Espécie de cobertura.

* *Acitários*,
m. pl.
Grupo de animaes rhizóporos, cujo corpo é constituído por uma
substância mucosa sem divisão de céllulas.

* *Acizentar*, v. t. Prov. trasm. Açular, incitar.

*Aclamação*,
f.
Acto de aclamar.
(Lat. acclamatio)

*Aclamador*,
m.
O que aclama.
(De acclamar)

*Aclamar*,
v. t.
Applaudir ou approvar, bradando.
Saudar.
Proclamar, eleger por aclamação.
(Lat. acclamare)

* *Aclâmidas*,
adj. f. pl.
Diz-se das algas, cujos filamentos são desprovidos de segundo
envoltório.
(Do gr. a priv. + khlamus)

* *Aclamídeas*,
adj. f. pl. Bot.
Diz-se das flôres, que não têm cálice nem corola.
(Do gr. a priv. + chlâmide)

*Aclaração*, f. Acto ou effeito de aclarar.

*Aclaradamente*, adv. De modo aclarado.

*Aclaramento*,
m.
(V. aclaração)

*Aclarar*,
v. t.
Tornar claro: a aurora aclarou o céu.
Deixar vêr.
Embranquecer.
Purificar: aclarar o vinho.
Manifestar.
Deslindar; explicar: aclarar um negócio.
Evidenciar.
V. i.
Tornar-se claro: o dia aclarou.
(Lat. clarare)

* *Aclavado*,
adj. Bot.
Diz-se de certos órgãos vegetaes, que têm a fórma de
clava. Cf. Benevides, Gloss. Bot.
(Lat. clavatus)

* *Acleia*,
f.
Planta, semelhante ao cardo mosto.
(Grego akleia)

* *Aclerizar-se*,
v. p.
Tornar-se clérigo, fazer-se padre.
Adquirir costumes de clérigo.
(De clero)

* *Aclésia*, f. Mollusco gasteropode opistobrânchio.

* *Aclia*,
f.
Planta, semelhante ao cardo mosto.
(Grego akleia)

*Aclimação*, f. Acto de aclimar.

* *Aclimamento*,
m.
Effeito da aclimação.

*Aclimar*, v. t. Habituar a um clima. Fig. Conformar, habituar.

* *Aclimatação*,
f.
O mesmo que aclimação.

* *Aclimatar*, v. t. O mesmo que aclimar. Cf. Castilho, Fastos, II, 391.

* *Aclimatizar*, v. t. O mesmo que aclimar. Cf. Garrett, Romanceiro, II, p. XXIX.

*Aclive*,
m.
Ladeira, declive.
Adj.
Íngreme.
(Lat. acclivis)

* *Aclopo*,
m.
Insecto coleóptero pentâmero.
(Do gr. aklees + ops)

* *Acmadena*,
f.
Arbusto do Cabo da Bôa-Esperança.
(Do gr. akme + aden)

*Acmástica*,
adj. f.
Diz-se da febre que mantém no seu curso intensidade igual.
(Do gr. akme + stao)

* *Acme*,
m. Med.
Diz-se período de acme o período, em que uma doença ou um symptoma
attinge a maior intensidade.
(Gr. akme)

* *Acmela*,
f.
Planta indiana e americana.
(Do gr. akme)

*Acmeodoro*,
m.
Insecto coleóptero pentâmero.
(Do gr. akmaios + dere)

* *Acmócero*,
m.
Insecto coleóptero.
(Do gr. akme + keras)

* *Acna*,
f.
Antiga medida agrária dos Romanos, usada nos campos da Bética.
(Lat. acna)

* *Acnanto*,
m.
Alga microscópica, diatomácea.
(Do gr. achne + anthos)

* *Acne*,
f. Med.
Moléstia dos follículos sebáceos da pelle.
(Do gr. akhne)

* *Acne-caparrosa*,
f.
O mesmo que acne-rosácea.

* *Acne-mentagra*,
f.
O mesmo que mentagra.

* *Acne-rosácea*,
f.
Pequenos tubérculos duros, borbulhas pertinazes, que atacam o rosto.

* *Acnéfalo*,
m.
Insecto diptero, originário da ilha de Paxo.
(Do gr. a priv. + knephalon)

* *Acnéphalo*,
m.
Insecto diptero, originário da ilha de Paxo.
(Do gr. a priv. + knephalon.)

* *Acnisto*,
m.
Arbusto americano, da fam. das solâneas.
(Do gr. aknestis)

* *Acnite*,
f. Med.
Pequena saliência subcutânea, que amollece e deixa sair uma serosidade
sanguinolenta.
(De acne)

*…aço*, suf. (designativo de aumento)

* *Acoanhar*, v. t. Prov. alg. O mesmo que coanhar.

* *Açobar*, v. t. Prov. trasm. Açular (cães)

*Acobardadamente*, adv. De modo acobardado.

* *Acobardado*,
adj.
Atemorizado.
Acanhado.

*Acobardamento*,
m.
Acto de acobardar.

*Acobardar*,
v. t.
Tornar cobarde.
Intimidar, amedrontar.

*Acobertar*,
v. t.
Tapar com coberta.
Defender.
Encobrir; dissimular.

* *Acobilhar*, v. t. (V. acovilhar)

* *Acobreação*,
f.
Acto de acobrear.

* *Acobreado*, adj. Que tem aspecto ou côr de cobre.

* *Acobrear*, v. t. Dar aspecto de cobre a.

* *Acocéfalo*,
m.
Insecto hemíptero.
(Do gr. akoe + kephale)

* *Acocéphalo*,
m.
Insecto hemíptero.
(Do gr. akoe + kephale)

* *Acochar*,
v. t. Bras.
Conchegar, apertando ou calcando.
(De cochar)

* *Acochichar*,
v. t. Prov.
Agachar; acocorar, encolher: ficou para alli, acochichado a um
canto
. (Colhido na Bairrada)

* *Acóchlidos*,
m. pl.
Família de molluscos, que não tem concha.
(Do gr. a priv. + cocklis)

* *Acocho*, () m. Bras. Acto de acochar.

* *Acóclidos*,
m. pl.
Família de molluscos, que não tem concha.
(Do gr. a priv. + cocklis)

*Acocoradamente*, adv. De cócoras.

*Acocoramento*,
m.
Acto do pôr-se de cócoras.

* *Acocorar*,
v. t.
Pôr de cócoras; abaixar (as nádegas)
V. p.
Pôr-se de cócoras.
Fig.
Humilhar-se.

*Açodadamente*, adv. De modo açodado.

*Açodado*,
adj.
Apressado.
(De açodar)

*Açodamento*,
m.
Acto de açodar.

*Açodar*,
v. t.
Instigar.
Apressar.

* *Açofaifa*,
f.
(Outra fórma de açofeifa). Cf. B. Pereira, Prosodia, vb. jujuba.

* *Açôfar*, m. Ant. Metal fingido; pechisbeque; latão.

*Açofeifa*,
f.
Fruto da açofeifeira.
(Do ár. azzofaizaif)

*Açofeifeira*,
f.
Árvore fructifera.
(De açofeifa)

* *Acognosia*,
f.
Conhecimento dos meios therapêuticos.

* *Acogombrado*,
adj. Ant.
Que tem fórma de pepino ou o sabor de pepino.
(De cogombro)

*Acoguladamente*, adv. De modo acogulado.

*Acogulado*, adj. Muito cheio; que faz cogulo: medida acogulada.

*Acoguladura*,
f.
O mesmo que cogulo.

*Acogular*, v. t. Encher, fazendo cogulo.

* *Açoiabá*, m. Bras. Tanga de pennas, usada por Índios do Brasil.

*Acoimador*, m. O que acoima.

*Acoimamento*,
m.
Acto de acoimar.

*Acoimar*,
v. t.
Impor coima a.
Punir.
*
Accusar, classificar em sentido depreciativo.
Acoimar morte, tirar vingança do matador.
(De coima)

*Acoirelado*, adj. Dividido em coirelas.

* *Acoirelamento*,
m. Ant.
Divisão de um terreno em coirelas ou casaes.
Acto de acoirelar.

*Acoirelar*, v. t. Dividir em coirelas.

* *Acoitadar*,
v. t. Prov. trasm.
Dizer palavras de compaixão a respeito de.
Lastimar.
(De coitado)

* *Açoitadiço*, adj. Que tem sido açoitado muitas vezes.

*Acoitador*, m. O que acoita.

* *Acoitadura*, f. Ant. O mesmo que acoitamento.

*Acoitamento*,
m.
Acto de acoitar.

*Açoitar*,
v. t.
Dar com açoite em.
Fustigar.
Bater.
Varejar.
Devastar.
Affligir.

*Açoite*,
m.
Instrumento de tiras de coiro, para bater.
Azorrague.
Látego.
Fam.
Pancada com a mão em nádegas de criança.
(Do ár.)

* *Açoiteiras*,
f. pl. Bras. do S.
Ponta das rédeas, com que o cavalleiro açoita o cavallo.
(De açoite)

* *Acoiteza*, f. Ant. O mesmo que coito, abrigo.

* *Acoito*,
m.
Acto de acoitar; lugar onde alguém se acoita; coito. Cf. R. Jorge,
El Greco, 21.

*Acolá*,
adv.
Além, naquelle lugar.
(Do lat. eccu'illac)

* *Acolasto*,
m.
Insecto diptero, de órgãos geradores muito desenvolvidos.
(Do gr. akolastos)

* *Acólcetra*,
f. Ant.
O mesmo que cócedra.
(Do lat. culcita)

* *Acolchetador*,
m.
O que acolcheta.

*Acolchetamento*,
m.
Acto ou effeito de acolchetar.

*Acolchetar*,
v. t.
Apertar com colchete.
Engranzar.

* *Acolchoadeira*,
f.
Mulher que acolchôa.

* *Acolchoadinho*, m. Des. Espécie de tecido branco ou de côres, que imita estofo acolchoado.

*Acolchoador*,
m.
O que acolchôa.

*Acolchoamento*,
m.
Acto ou effeito de acolchoar.

*Acolchoar*,
v. t.
Forrar ou encher, como a um colchão.
Lavrar ou tecer, á maneira de colcha.

* *Acoleijos*,
m.
Designação pop. e ant. da aquilégia. Cf. Desengano da Med., 82.

*Acolhedor*,
m. e adj.
O que acolhe.
Hospitaleiro.

*Acolheita*,
f.
O mesmo que colheita e acolhimento.
* Prov. trasm.
Lugar, onde os peixes se acolhem, no rio, debaixo de fragas.

* *Acolheitar*, v. t. Fazer colheita de. Cf. Bibl. da Gente do Campo, 276.

* *Acolhença*,
f. Des.
Acolhimento.
Affabilidade. Cf. Menina e Moça, 133 (ed. 1852); e Rui Barb.,
Répl. 157.

*Acolher*,
v. t.
Recolher, agasalhar.
Receber.
(De colher)

* *Acolherar*, v. t. Bras. do S. Atrelar ou ajoujar, por meio de colhera (cavallos).

*Acolhida*, f. O mesmo que acolhimento.

*Acolhido*, adj. * Ant. O mesmo que fugitivo.

*Acolhimento*,
m.
Acto e effeito de acolher.

* *Acolho*, () m. Bras. Acto de acolher.

* *Acolia*,
f. Med.
Suppressão da secreção biliar.
Paragem da secreção biliar.
(Do gr. a priv. + khole, bile)

*Acolim*, m. Codorniz do México.

*Acolitado*, * m. Uma das quatro Ordens menores, na vida ecclesiástica.

*Acolitar*,
v. t.
Acompanhar como acólito.
Ajudar.
Acompanhar, seguir.

*Acólito*,
m.
Pessôa, que tem a graduação ecclesiástica dêste nome, ou o que
exerce o acolitado.
O que acompanha; o que ajuda.
(Lat. acolythus)

* *Acologia*,
f. Med.
O mesmo que acognosia.
(Do gr. akos + logos)

*Acolytado*, * m. Uma das quatro Ordens menores, na vida ecclesiástica.

*Acolytar*,
v. t.
Acompanhar como acólyto.
Ajudar.
Acompanhar, seguir.

*Acólyto*,
m.
Pessôa, que tem a graduação ecclesiástica dêste nome, ou o que
exerce o acolytado.
O que acompanha; o que ajuda.
(Lat. acolythus)

* *Acomadrar-se*,
v. p.
Tornar-se comadre; entrar na intimidade de outrem, (falando-se de
mulheres).

*Acomás*, m. Árvore das Antilhas, cuja madeira é empregada em construcções.

*Acometedor*, m. e adj. O que acommete.

*Acometer*,
v. t.
Assaltar, atacar, investir.
Hostilizar.
Provocar.
Injuriar.
Aproximar-se de.
V. i.
Encetar briga.
Abalançar-se.
Sentir ímpetos.
(De commeter)

*Acometida*, f. O mesmo que acometimento.

*Acometimento*,
m.
Acto ou effeito de acometer.

* *Acometível*, adj. Que se póde acometer.

* *Acomia*,
f.
O mesmo que calvície.
(Do gr. a priv. e koma, cabello)

*Acommetedor*, m. e adj. O que acommete.

*Acommeter*,
v. t.
Assaltar, atacar, investir.
Hostilizar.
Provocar.
Injuriar.
Aproximar-se de.
V. i.
Encetar briga.
Abalançar-se.
Sentir ímpetos.
(De commeter)

*Acommetida*,
f.
O mesmo que acommetimento.

*Acommetimento*,
m.
Acto ou effeito de acommeter.

* *Acommetível*, adj. Que se póde acommeter.

*Acomodação*,
f.
Acto ou effeito de acomodar.

*Acomodadamente*, adv. De modo acomodado.

*Acomodadiço*, adj. O mesmo que acomodatício.

*Acomodamento*,
m.
(V. acomodação)

*Acomodar*,
v. t.
Tornar cômmodo.
Adequar.
Arrumar, pôr em ordem: accommodar os livros.
Empregar, dar posição a.
Applicar.
Habituar.
Sossegar.
Hospedar.
(Lat. accommodare)

*Acomodatício*, adj. Que se acomoda facilmente.

*Acomodável*, adj. Que se póde acomodar.

* *Acômodo*, adj. Ant. Opportuno, cômmodo.

*Acompadrado*,
m. Des.
O mesmo que compadrio.
(De acompadrar)

*Acompadrar*,
v. t.
Tornar compadre, amigo.
Familiarizar.

*Acompanhadeira*,
f.
Mulher que acompanha.

*Acompanhador*,
m.
O que acompanha.

*Acompanhamento*,
m.
Acto de acompanhar.
Séquito, cortejo.
Música, que acompanha recitação ou canto.

* *Acompanhante*, adj. Que acompanha.

*Acompanhar*,
v. t.
Fazer companhia a.
Seguir.
Seguir com instrumento (a recitação, o canto ou a parte cantante
da música).
(De companha)

* *Acompleicionado*,
adj.
Que tem compleição (bôa ou má).

* *Acompleiçoado*, adj. O mesmo que acompleicionado.

* *Acomplexionado*, (csi)
adj.
O mesmo que acompleicionado.

* *Acompridar*, v. t. Tornar comprido, alongar.

* *Acômpsia*,
f.
Insecto lepidóptero nocturno.
(Do gr. akompsos)

* *Aconans*,
m. pl.
Selvagens do Brasil, que habitavam no interior da antiga província
de Pernambuco.

* *Aconapar*, v. t. Prov. beir. Serzir, remendar grosseiramente: nem sabe aconapar as calças do marido!

* *Aconchado*,
adj. Archit.
Diz-se do tecto, estabelecido por fórma, que aproveita o vão do telhado.
(De concha)

* *Aconchavar*, v. t. O mesmo que conchavar. Cf. Camillo, Serões.

*Aconchegado*,
adj.
Muito aproximado.
Agasalhado: «o pescoço muito aconchegado numa pelatina
preta
». Camillo, Corja, 285.

* *Aconchegar*, v. t. (e der.) (V. conchegar, etc.)

* *Acondicionador*,
m.
O que acondiciona.

*Acondicionamento*,
m.
Acto de acondicionar.

*Acondicionar*,
v. t.
Pôr em (bôa) condição.
Guardar em sítio conveniente.
Preservar de deterioração.
* v. t.
Preparar, dispor: «mal acondicionava o surtir das empresas». Filinto,
D. Man. II, 202.

* *Acondicionável*,
adj.
Que se póde ou se deve acondicionar.

* *Acondiçoar*, v. t. O mesmo que acondicionar.

* *Acôndilo*,
m. Anat.
Que não tem côndilo.
(Do gr. a priv. + kondulos)

* *Acondimentar*,
v. t.
O mesmo que condimentar. Cf. Camillo, Caveira, 352; Arn. Gama,
Motim, 433.

* *Acôndylo*,
m. Anat.
Que não tem côndylo.
(Do gr. a priv. + kondulos)

* *Aconeína*,
f.
Substância extrahida do acónito.

*Aconfeitar*, v. t. Dar fórma de confeito a.

* *Aconfradar*,
v. t.
Tornar confrade.
Abandear.

* *Aconhecer*, v. t. O mesmo que reconhecer.

* *Aconina*, f. Um dos extractos do acónito.

* *Aconitato*,
m.
Sal, produzido pela combinação do ácido aconítico com uma base.
(De acónito)

* *Aconitela*,
f.
Planta ranunculácea, semelhante ao acónito.

* *Aconítico*, adj. Diz-se do ácido, que se acha no suco do acónito.

*Aconitina*, f. Alcaloide, extrahido da acónito.

*Acónito*,
m.
Planta venenosa e medicinal, da fam. das ranunculáceas.
(Lat. aconitum)

*Aconselhadamente*,
adj.
Prudentemente; de modo (bem) aconselhado.

*Aconselhador*,
m.
O que aconselha.
(Lat. consiliator)

*Aconselhar*,
v. t.
Dar conselho a.
Procurar convencer.
Persuadir.

* *Aconsoantar*, v. t. Tornar consoante, rimar. Cf. Filinto, VIII, 9; X, 126; XVIII, 220.

*Acontecedeiro*,
adj.
Que acontece amiúde.
Freqüente.

*Acontecer*,
v. i.
Realizar-se inesperadamente.
Succeder.
Passar a sêr realidade.
Sobrevir.
* V. p. Ant.
(A mesma sign.). Cf. Rev. Lus., XVIII.

*Acontecimento*,
m.
Aquillo que acontece.
Facto, que produz sensação.
* m.
Acaso, eventualidade. Cf. Filinto, D. Man., I, 31.

* *Acôntia*,
f.
Insecto lepidóptero nocturno.
(Do gr. akontios)

* *Acontiado*,
m. Ant.
Vassalo, que, segundo a quantia de seus haveres, devia estar prestes
a servir o rei com armas, ou com armas e cavallos.
(Do ant. contia)

* *Acôntias*,
m. pl.
Reptis ophídios.
(Do gr. akontias)

* *Acôntio*,
m.
Pequeno dardo.
Seta.
Frecha.
(Do gr. akontion)

* *Acontioso*,
adj. Ant.
Abonado, abastado.
(Do ant. contia)

*Acontista*,
m.
Frecheiro.
(Do gr. akontistes)

* *Acontraltado*,
adj. Mús.
Diz-se da voz de soprano, que desce quási como um contralto: «tenor
acontraltado
». Hyssope, nota A, ed. de 1871.

* *Acoposo*,
adj. Ant.
Dizia-se dos unguentos e outros medicamentos, que curavam o cansaço,
produzido pelo trabalho.
(De ácopo)

*Açor*,
m.
Ave de rapina, do género falcão.
(Do lat. acceptor?)

* *Açoramento*,
m.
Acto ou effeito de açorar.

*Acorão*,
m.
Nome scientifico da chamada pimenta das abelhas.
(Do gr. akoros)

*Açorar*,
v. t.
Atear grande desejo em.
Provocar com tentações.
* Ant.
O mesmo que açodar, apressar.
(De açor)

* *Acorçoar*, v. t. O mesmo que acoroçoar. Cf. Filinto, IV, 216; D. Man., III, 31O.

*Acorcovar*, v. t. (V. corcovar)

* *Acorcundado*, adj. Que é um tanto corcunda.

*Açorda*,
f.
Sôpa de pão, alhos, azeite, etc.
Fig.
Pessôa molle, negligente.
* Gír.
Bebedeira.
(Do ár. ath-thorda)

* *Acordação*, f. Ant. (V. acôrdo)

*Acordadamente*, adv. Com acôrdo.

*Acordam*,
m.
Sentença, resolução de recursos em tribunaes collectivos,
administrativos ou judiciaes.
(Da 3.^a pess. do pl. do pres. do ind. do v. acordar).

*Açordamento*,
m.
Acto de acordar.

* *Acordança*,
f.
O mesmo que acôrdo.
Melodia; consonância.

*Acordante*,
adj.
Harmonioso, acorde.
(De acordar)

*Acórdão*,
m.
Sentença, resolução de recursos em tribunaes collectivos,
administrativos ou judiciaes.
(Da 3.^a pess. do pl. do pres. do ind. do v. acordar).

*Acordar*, v. t. Despertar. Lembrar. Conciliar. V. i. Tirar-se do somno. Fazer acôrdo. * V. p. Combinar-se, ajustar-se. * Des. Recordar-se, lembrar-se. (Do lat. cor, cordis)

*Acorde*,
m.
União.
Harmonia.
Adj.
Harmónico.
Concorde.
(De acordar)

* *Acordeão*,
m.
Instrumento, composto de palhetas metállicas, que entram em vibração
por meio de um folle.
É também conhecido por harmónica.

*Acordemente*,
adv.
Harmonicamente.
(De acorde)

* *Acordina*,
f.
Relógio, que marca as horas por meio das notas de um acorde perfeito.
Também se chama relógio musical.

*Acôrdo*,
m.
Conformidade.
Conciliação.
Convenção; ajuste.
Cautela.
*
Tino, juízo; conhecimento de si próprio: não dar acôrdo de si.
(De acordar)

*Acordoar*, v. t. (V. encordoar)

* *Açoreanismo*,
m.
Palavra ou locução privativa dos Açores.

* *Açoreanista*,
m.
Aquelle que se dedica a estudos sôbre os Açores, ou que é dedicado
aos interesses dos açoreanos.

* *Açoreano*,
adj.
Relativo aos Açores.
M.
O que é natural dos Açores.

* *Açorear*, v. t. (e der.) (V. assorear, etc.)

* *Açoreiro*,
m.
O que tinha a seu cargo o tratar dos açores, para a caça.

* *Açorenha*,
f.
Ave de rapina.
(De açor)

* *Açorenho*, m. e adj. P. us. O mesmo que açoreano.

*Acôres*,
m. pl.
Tinha mucosa.
(Gr. akhor)

*Acori*, m. Coral azul.

*Acória*,
f.
Fome canina.
(Gr. akoria)

* *Açórico*, adj. O mesmo que açoreano.

* *Acoríneas*,
f. pl.
Sub-tribo de plantas da fam. das aroídeas.
(De âcoro)

* *Acório*, m. Gênero de insectos coleópteros pentâmeros.

* *Açorite*,
f.
Substância mineral, amarelada ou esverdeada, talvez um tantalato
de cal.
(De Açores, n. p.)

*Acormóseo*,
adj.
Diz-se das plantas, cujas fôlhas nascem da raiz.
(Do gr. a + kormos)

* *Acornar*, v. t. Dar fórma de côrno a.

*Acoroçoadamente*, adv. De modo acoroçoado.

* *Acoroçoado*,
adj.
Animado; incitado.
(De acoroçoar)

* *Acoroçoador*, adj. Que acoroçôa.

*Acoroçoamento*,
m.
Acto de acoroçoar.

*Acoroçoar*,
v. t.
Incitar; animar.
(De coração)

*Acorredor*, adj. Que vem em auxílio. Cf. Filinto, D. Man., II, 222.

* *Acorreitar*, v. i. Prov. trasm. Melhorar de uma doença.

*Acorrentamento*,
m.
Acto de acorrentar.

*Acorrentar*,
v. t.
Prender com corrente; encadear.
* V. i. Prov. trasm.
Curar-se de uma doença; restabelecer-se.

*Acorrer*,
v. i.
Ir em auxílio; acudir.
(Lat. accurrere)

*Acorrilhar*,
v. t.
Meter em corro.
Acantoar.

* *Acorrimento*,
m. Ant.
Soccorro, auxílio.
(De accorrer)

* *Acorro*,
m.
O mesmo que soccorro.
(De accorrer)

* *Acortinamento*,
m.
Acto ou effeito de acortinar.

*Acortinar*, v. t. Ornar com cortinas.

*Acoruchado*, adj. Que tem feitio de coruchéu.

*Acosmia*,
f.
Irregularidade no período crítico de uma doença.
(Gr. akosmia)

* *Acosmo*,
m.
Insecto coleóptero heterómero, do Cabo da Bôa-Esperança.
(Gr. akosmos)

* *Acossa*,
f. Pop.
Acto ou effeito de acossar.
Perseguição.
Estafa.

*Acossadamente*, adv. De modo acossado.

* *Acossado*,
adj.
Em que há perseguição.
Perseguido.

*Acossamento*,
m.
Acto de acossar.

*Acossar*,
v. t.
Ir no encalço de; perseguir.
Dar caça a.
(De côsso, por côrso?)

*Acostadamente*, adv. De modo acostado.

*Acostado*,
adj. * Ant.
Assoldadado por fidalgos antigos.
* M. Ant.
Aquelle que vivia ao lado de um príncipe ou fidalgo, ou ao seu
serviço, com certo ordenado ou moradia. Cf. Herculano, Bobo, 254.
* Prov. alg.
Embarcação, que acompanha e ajuda os galeões de pesca.
(De acostar)

* *Acostamento*,
m.
Moradia, que se dava aos fidalgos da côrte. Cf. Herculano, Abóbada.
(De acostar)

*Acostar*,
v. t.
Encostar.
Juntar.
* V. i. Prov. trasm.
Estar de acôrdo, annuir.
* Ant.
Confinar, ser limítrophe ou contíguo, (falando-se de prédios).
(De costa)

* *Acostável*, adj. Diz-se do caes, a que as embarcações se podem acostar.

*Acostumadamente*, adv. De modo acostumado.

* *Acostumado*,
adj.
Em que há costume.
Habituado; habitual.

*Acostumar*,
v. t.
Fazer adquirir um costume.
Habituar.

* *Açoteia*,
f. Prov. alg.
Eirado ou terrado, em substituição do telhado.
O mesmo que assoteia.
(Cp. sótão)
f. Ant.
Terraço; mirante.
(Do ár. açotheia)

* *Acothurnado*,
adj.
Diz-se do calçado, que cobre inteiramente o pé, á maneira de cothurno
ou peúga.
(De cothurno)

*Acotiar*,
v. t.
Usar a cote.
Frequentar.
Ter persistência ou assiduidade em.
(De cotio)

*Acotibóia*, f. Espécie de serpente do Brasil.

*Acoticar*, v. t. Atravessar com coticas.

*Acotiledóneas*, f. pl. Classe das plantas acotilédonas.

* *Acotiledóneo*, adj. Que não tem cotilédones.

*Acotilédono*, adj. Que não tem cotilédones.

*Acotoar*, v. t. Cobrir de cotão.

* *Acotovelado*, adj. Que tem fórma de cotovelo. Cf. F. Lapa, Techn. Rur., 245.

*Acotovelador*,
m.
O que acotovela.
(De acotovelar)

*Acotovelamento*,
m.
Acto de acotovelar.

*Acotovelar*,
v. t.
Tocar com o cotovelo.
Provocar.

* *Acoturnado*,
adj.
Diz-se do calçado, que cobre inteiramente o pé, á maneira de cothurno
ou peúga.
(De cothurno)

*Acotyledóneas*, f. pl. Classe das plantas acotilédonas.

* *Acotyledóneo*, adj. Que não tem cotylédones.

*Acotylédono*, adj. Que não tem cotylédones.

*Açougada*,
f.
Barulho, vozearia.
(De açougue)

* *Açougagem*,
f.
Imposto, que se pagava por qualquer lugar ou praça, em que se vendia
carne, e também por aquelles em que se vendia pão, fruta, peixe,
loiça, hortaliça, etc. Cf. Herculano, Hist. de Port. IV, 420, 423.
* Des.
O mesmo que açougada.
(De açougue)

* *Açougaria*,
f.
O mesmo que açougada.

*Açougue*,
m.
Matadoiro.
Talho.
Lugar, onde se matam reses para consumo, ou onde se vende a carne
dellas.
Matança.
* Ant.
Lugar ou mercado, em que se vendiam gêneros
alimentícios. Cf. Port. au Point de Vue Agr., p. XXXIII.
(Do ár. as-sougue)

* *Açougueiro*,
m. Bras.
Proprietário de açougue.
Carniceiro.

* *Acourôa*, f. Árvore medicinal das Guianas.

* *Açoutador*, m. e adj. O que açouta.

* *Açoutadura*, f. P. us. O mesmo que açoute, acto de açoutar.

*Açoutar*,
v. t.
Dar com açoite em.
Fustigar.
Bater.
Varejar.
Devastar.
Affligir.

*Açoute*,
m.
Instrumento de tiras de coiro, para bater.
Azorrague.
Látego.
Fam.
Pancada com a mão em nádegas de criança.
(Do ár.)

* *Acovar*, v. t. O mesmo que encovar.

* *Acovilhar*,
v. t.
Dar agasalho a.
Recolher em casa.
(De covil)

*Acquiescência*,
f.
Acto de acquiescêr.

*Acquiescêr*,
v. t.
Annuir, transigir.
(Lat. acquiescere)

* *Acquirente*, adj. Que acquire.

* *Acquirição*, f. Ant. O mesmo que acquisição.

* *Acquiridor*,
m.
O que acquire.

* *Acquirimento*, m. Ant. O mesmo que acquisição.

* *Acquirir*, v. t. Ant. O mesmo que adquirir.

* *Acquiritivo*, adj. Próprio para acquirir.

*Acquisição*,
f.
Acto ou effeito de acquirir.

* *Acquísito*,
adj.
Adquirido. Cf. Vieira, VI, 277.
(Lat. acquisitus)

*Acquistar*,
v. t. Ant.
O mesmo que adquirir.
(De acquisto)

*Acquisto*,
m. Des.
Acquisicão.
Conquista.
(Contr. do lat. acquisitus)

* *Acracia*,
f. Neol.
Falta de govêrno.
Desordem social, o mesmo que anarchia.
(Do gr. a priv. + kratein, governar)

* *Acradênia*,
f.
Gênero de plantas rutáceas.

* *Acrania*,
f.
Falta de crânio.
(Cp. acrânio)

* *Acranianos*,
m. pl. Zool.
Vertebrados de ordem inferior, cujo esqueleto rudimentar é de tecido
mucoso.
(De a priv. + crânio)

* *Acrânio*,
adj
Que não tem crânio.
(De a priv. + crânio)

* *Acraniota*,
m. e adj.
Diz-se dos animaes que não têm crânio.
(De a priv. e craniota)

* *Acrantera*,
f.
Planta rubiácea de Ceilão.
(Do gr. akron + antheros)

* *Acranthera*,
f.
Planta rubiácea de Ceilão.
(Do gr. akron + antheros)

* *Acrantho*,
m.
Espécie de lagarto.
(Gr. akrantos)

* *Acranto*,
m.
Espécie de lagarto.
(Gr. akrantos)

* *Acrasia*,
f. Med.
Qualquer espécie de intemperança.
(Gr. akrasia)

* *Acrata*, m. Neol. Partidário da acracia; anarchista.

* *Acratera*,
f
Planta gramínea do norte da Índia.
(Do gr. akra + ather)

* *Acrathera*,
f
Planta gramínea do norte da Índia.
(Do gr. akra + ather)

* *Acrático*, adj. Neol. Relativo á acracia ou aos acratas.

* *Acratóforo*,
m.
Taça para vinho, usada entre os Gregos e Romanos.
(Gr. akratophoron)

* *Acratóphoro*,
m.
Taça para vinho, usada entre os Gregos e Romanos.
(Gr. akratophoron)

* *Acratópoto*,
adj. Des.
Que bebe vinho puro.
(Do gr. akratos + lat. potare)

* *Acravar*,
v. t.
Atravessar com cravos.
Traspassar.
Fig.
Attribular, affligir.
(De cravo)

* *Acre-doce*,
m. e adj.
O mesmo que agridoce: «o acre-doce das flores silvestres…»
Camillo.

*Acre*,^1
m.
Medida agrária em alguns países.
(Do al. aker)

*Acre*,^2
adj.
Que tem sabor picante.
Azêdo.
O mesmo que agre.
(Lat. acer, acris, acre)

*Acreditador*,
m.
O que acredita.
(De acreditar)

*Acreditar*,
v. t.
Têr fé em.
Dar crédito a.
Abonar, afiançar.
V. i.
Têr fé, crêr.
(De crédito)

* *Acreditável*, adj. Que se póde ou se deve acreditar.

*Acredor*, (cré)
m.
O mesmo que crèdor.

* *Acrejo*, m. Ant. O mesmo que acredor.

*Acremente*, adv. De modo acre.

* *Acrescentada*,
adj. f. Prov.
Diz-se da mulher grávida. (Colhido em Turquel)
(De accrescentar)

*Acrescentador*, m. e adj. O que acrescenta.

*Acrescentamento*,
m.
Acto ou effeito de acrescentar.

*Acrescentar*,
v. t.
Tornar maior, aumentar.
Dar mais grandeza, fôrça ou número a.
(De accrescer)

* *Acrescente*,
m.
Acto de acrescentar.
Acrescentamento.
Pop.
O mesmo que chinó.

* *Acrescento*,
m.
O mesmo que acrescentamento. Cf. Castilho, Avarento, 144.

*Acrescer*,
v. i.
Ajuntar-se.
Sobrevir.
* V. t.
Juntar.
Aumentar.
(Lat. accrescere)

*Acrescido*,
m.
Aquillo que acresceu.
Annexo, accessório.
Dependência: «uma lei de Affonso III sobre os accrescidos dos rios.»
Port. Mon. Hist., I, 149.

*Acrescimento*,
m.
Acto ou effeito de acrescer.

*Acréscimo*, m. O mesmo que acrescimento, febre intermittente.

* *Acriançado*,
adj.
Que tem modos de criança.
Ingênuo.
Leviano.

* *Acriançar-se*, v. p. Adquirir modos de criança; fazer-se criança.

* *Acribologia*,
f.
Rigor e precisão no estilo.
(Gr. akribologia)

* *Acribólogo*,
m.
O que pratica a acribologia.

* *Acribómetro*,
m.
Instrumento, para medir objectos muito pequenos.
(Do gr. akribes + metron)

* *Acridão*, f. O mesmo que acridez.

*Acridez*, f. Qualidade do que é acre.

* *Acrídia*,
f.
O mesmo que gafanhoto.
(Do gr. akris, akridos)

* *Acridiano*,
adj.
Relativo ou semelhante ao gafanhoto.
M. pl.
Família de insectos, que têm por typo o gafanhoto.
(De acrídia)

* *Acrídio*,
adj.
Relativo ou semelhante ao gafanhoto.
M. pl.
Família de insectos, que têm por typo o gafanhoto.
(De acrídia)

* *Acridocarpo*,
m.
Planta americana, cujos frutos têm semelhança com os gafanhotos.
(Do gr. akris + karpos)

* *Acridófago*,
m.
O que se alimenta de gafanhotos.
(Do gr. akris + phagein)

* *Acridogenose*,
f.
Doença dos vegetaes, produzida pelos gafanhotos.
(Do gr. akris + genos)

* *Acridóphago*,
m.
O que se alimenta de gafanhotos.
(Do gr. akris + phagein)

* *Acridótero*,
m.
Ave que come gafanhotos; gaivão.
(Do gr. akris + therao)

* *Acrífico*,
adj. Des.
Que se tornou acre.
Azêdo.
Que tem mau humor. Cf. Anat. Joc., I, 358.

* *Acrimancia*,
f.
Supposta arte de adivinhar, por meio do fogo. Cf. Castilho, Fastos,
III, 311.

* *Acriminar*, v. t. O mesmo que criminar.

*Acrimónia*,
f.
O mesmo que acridez.
Azedume.
Aspereza.
(Lat. acrimonia)

* *Acrimoniar*, v. t. Tornar acrimonioso: «vá,—disse Francisco, acrimoníando o monosýllabo.» Camillo, Caveira, 166.

*Acrimonioso*, adj. Que tem acrimónia.

* *Acrinia*,
f. Med.
Ausência ou deminuição de secreção.
(Do gr. a priv. + krinein)

*Acrisolado*,
adj.
Purificado.
Intenso: amor acrisolado.

*Acrisolador*,
m.
O que acrisola.

* *Acrisolamento*,
m.
Acto de acrisolar. Cf. F. Lapa, Techn. Rur., 290.

*Acrisolar*,
v. t.
Apurar no crisol.
Purificar.
Acendrar.

*Acritude*, f. O mesmo que acridez.

* *Acrivar*,
v. t. Prov.
O mesmo que joeirar.
(De crivo)

*Acro*, adj. O mesmo que acre.

*Acróama*,
m.
Canto ou discurso harmonioso.
(Gr. akroama)

*Acroamático*,
adj.
Grato ao ouvido.
Sublime.
(Gr. akroamatikos)

* *Acroás*, m. pl. Selvagens do Brasil, que dominavam nas margens do Rio-Corrente, em Goiás.

* *Acroático*,
adj.
Dizia-se dos livros reservados, que Aristóteles só deixava que fôssem
lidos pelos seus discípulos.
(Lat. acroaticus)

* *Acrobacia*,
f.
Arte de acrobata.

*Acróbata*,
m.
O que dança em corda.
Saltimbanco.
Palhaço.
Equilibrista.
(Do gr. akros + batein)

* *Acrobaticão*,
m.
Palanque, tablado, que os antigos construíam, para melhor observar o
que se passava nas praças.
(Do gr. akrobatikon)

*Acrobático*, adj. Relativo a acrobata.

* *Acrobatismo*,
m.
Profissão ou exercicios de acrobata.
* m.
Difficuldade do equilibrio.
Fig.
Instabilidade de opiniões. Cf. Castilho, Fastos, I, 137; e Camillo,
Cavar em Ruin., 110.

* *Acrobustite*,
 f.
Inflammação na pelle dos animaes.
(Do gr. akrobustia)

* *Acrocarpo*,
m.
Espécie de musgo, que frutifica na extremidade dos ramos.
(Do gr. akron + karpos)

* *Acrocefalia*,
f.
Estado ou qualidade de acrocéfalo.

* *Acrocéfalo*,
adj.
Que tem grande altura de crânio.
(Do gr. akros + kephale)

* *Acrocephalia*,
f.
Estado ou qualidade de acrocéphalo.

* *Acrocéphalo*,
adj.
Que tem grande altura de crânio.
(Do gr. akros + kephale)

* *Acrochado*,
adj. Prov. trasm.
Muito embuçado.
Embiocado (Por acarochado, de carocha).

* *Acrochar-se*, v. p. Prov. trasm. Embiocar-se. Tapar o rosto quási todo, puxando para a frente o lenço ou envolvendo a cabeça com o chale. (Por acarochar-se, de carocha)

* *Acrocheta*, (quê)
Insecto díptero do Brasil.
(Do gr. akron + khaita)

* *Acrochirismo*, (qui)
m.
Na gymnástica antiga, espécie de luta, em que os lutadores apenas se
serviam da extremidade dos dedos.
(Do gr. akron + kheir)

* *Acrocino*,
m.
Insecto coleóptero.
(Do gr. akron + kineios)

* *Acroclado*,
m.
Gênero de algas.

* *Acrocómia*,
f.
O mesmo que acrócomo.

* *Acrócomo*,
m.
Espécie de palmeira.
(Do gr. akron + komé)

* *Acrocórdio*,
m.
Reptil ophidio, não venenôso.
(Do gr. akrokhordon)

* *Acrodinia*,
f.
Moléstia epidêmica, caracterizada por uma dolorosa comichão nos pés
ou nas mãos.
(Do gr. akron + odune)

* *Acrodynia*,
f.
Moléstia epidêmica, caracterizada por uma dolorosa comichão nos pés
ou nas mãos.
(Do gr. akron + odune)

* *Acrofobia*,
f.
Receio mórbido de lugares muito altos.
(Do gr. akron, cume, + phobos, medo)

* *Acróforo*,
m.
Apparelho portátil, com reservatório do ar, para substituir a
respiração de uma atmosphera viciada ou deletéria.
(Do gr. akros + pheros)

*Acrogênias*,
f. pl.
Plantas acotyledóneas, cujo crescimento se manifesta só na parte
superior.
(Do gr. akros + genos)

* *Acroleato*,
m.
Sal, formado pela combinação do ácido acroleico com uma base.

* *Acroleico*, adj. Diz-se de um ácido, resultante da oxydação da acroleína.

* *Acroleína*,
f.
Liquido incolor, que se obtém pela destillação de uma mistura de
glycerina e ácido phosphórico anhydro.
(De aere + oleina)

* *Acrolínio*,
m.
Gênero de plantas dos jardins.

* *Acrólitho*,
m.
Estátua antiga, cuja extremidade superior era de pedra, e de outra
substância o resto.
(Do gr. akros + lithos)

* *Acrólito*,
m.
Estátua antiga, cuja extremidade superior era de pedra, e de outra
substância o resto.
(Do gr. akros + lithos)

* *Acrólofo*,
m.
Insecto lepidóptero nocturno.
(Do gr. akron + lophos)

* *Acrologia*,
f.
Investigação do absoluto, dos primeiros principios.
(Gr. akron + logos)

* *Acrológico*, adj. Relativo á acrologia.

* *Acrólopho*,
m.
Insecto lepidóptero nocturno.
(Do gr. akron + lophos)

* *Acromania*,
f.
Loucura completa, incurável.
(Do gr. akros + mania)

* *Acromasia*,
f.
Pallidez cachéctica.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

*Acromático*,
adj.
Que faz desapparecer as irisações produzidas por certas lentes.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

*Acromatina*,
f.
Parte da substância do núcleo cellular, sôbre a qual não têm acção
os reagentes còrantes.
(Gr. akhromatos, sem côr)

*Acromatismo*,
m.
Qualidade do objecto acromático.

*Acromatizaçao*,
f.
Acto de acromatizar.

*Acromatizar*,
v. t.
Fazer desapparecer (as côres irisadas) na imagem de um objecto.
(De achromático)

* *Acromatopsía*,
f.
Estado de quem não póde distinguir as côres.
(Do gr. a priv. + khroma + ops)

* *Acromatóptico*, adj. Que tem achromatopsia.

* *Acromegalia*,
f. Med.
Trophoneurose, caracterizada pelo crescimento notável das extremidades
do corpo, especialmente mãos, pés e cabeça.
(Do gr. akron, extremidade, + megas, grande)

* *Acromelalgia*,
f. Med.
Moléstia, caracterizada por dores na extremidade dos membros.
(Do gr. akron + melos + algos)

* *Acromia*,
f. Med.
Descoramento parcial da pelle.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

*Acromial*, adj. Relativo ao acrómio.

*Acrómio*,
m.
Apóphyse, que termina a espinha da omoplata.
(Lat. acromium)

*Acromo*,
adj.
Que não tem côr.
(Do gr. a priv. + khroma, côr)

* *Acromodermia*,
f.
O mesmo que acromasia.

* *Acromolena*,
f.
Planta composta, originária da Nova Hollanda.
(Do gr. chroma + laina)

* *Acromphálio*,
m. Anat.
Extremidade do cordão umbilical, que fica presa ao feto, depois do
nascimento.
(Do gr. akron + omphalos)

* *Acroneurose*,
f. Med.
Perturbações nervosas das extremidades do corpo.
(Do gr. akros + neuron)

* *Acronfálio*,
m. Anat.
Extremidade do cordão umbilical, que fica presa ao feto, depois do
nascimento.
(Do gr. akron + omphalos)

*Acrónico*,
adj.
Diz-se de um astro, que apparece em lugar opposto ao do sol.
(Gr. akronukhos)

*Acrónyco*,
adj.
Diz-se de um astro, que apparece em lugar opposto ao do sol.
(Gr. akronukhos)

*Acropathia*,
f.
Doença na extremidade do corpo.
(Do gr. akros + pathos)

*Acropatia*,
f.
Doença na extremidade do corpo.
(Do gr. akros + pathos)

* *Acrophobia*,
f.
Receio mórbido de lugares muito altos.
(Do gr. akron, cume, + phobos, medo)

*Acróphoro*,
m.
Apparelho portátil, com reservatório do ar, para substituir a
respiração de uma atmosphera viciada ou deletéria.
(Do gr. akros + pheros)

* *Acropódio*,
m.
Plintho baixo e quadrado, em que se firma uma estátua.
(Lat. acropodium)

*Acrópole*,
f.
A parte mais alta nas cidades gregas.
(Gr. akrópolis)

* *Acropólio*, m. Ant. O mesmo que acrópole.

* *Acropostite*,
f. Med.
Inflamação do prepúcio.
(Do gr. akros + poste)

* *Acroquetas*,
Insecto díptero do Brasil.
(Do gr. akron + khaita)

* *Acroquirismo*,
m.
Na gymnástica antiga, espécie de luta, em que os lutadores apenas se
serviam da extremidade dos dedos.
(Do gr. akron + kheir)

*Acrosofia*,
f.
A sabedoria superior.
A sabedoria de Deus.
(Do gr. akros + sophos)

*Acrosophia*,
f.
A sabedoria superior.
A sabedoria de Deus.
(Do gr. akros + sophos)

* *Acrospermo*,
m.
Espécie de cogumelo.
(Do gr. akros + sperma)

*Acróstico*,
m.
Composição poética, cujo objecto é determinado por uma palavra,
cada uma de cujas letras é a primeira de cada verso.
(Do gr. akros + stikhos)

* *Acrostólio*,
m.
Ornato que, em fórma de capacete, escudo, pescoço de cysne, etc.,
os antigos collocavam na prôa dos navios.
(Gr. akrostolion)

*Acrotério*,
m.
Pedestal das figuras, sobrepostas na frontaria de edificios.
(Lat. acroterium)

* *Acroteriose*,
f.
Gangrena senil das extremidades dos membros.
(De acrotério)

* *Acrotismo*,
m.
Falta de pulsações.
Philosophia transcendente.
(Cp. lat. acroteria)

* *Acrotóforo*,
m.
Vaso, em que os Romanos tinham á mesa o vinho puro.
(Do gr. akroton + phoros)

* *Acrotomia*,
f. Cir.
Amputação das extremidades.
(Do gr. akron, extremidade, + temnein, cortar)

* *Acrótomo*,
adj. Miner.
Que tem clivagem parallela á base.
(Gr. akrotomos)

* *Acrotóphoro*,
m.
Vaso, em que os Romanos tinham á mesa o vinho puro.
(Do gr. akroton + phoros)

*Acta*,
f.
Registo de sessão de corporações.
(Lat. acta)

*Acteáceas*,
f. pl.
Familia de plantas, que tem por typo o ébulo ou erva-de-San-Christovam.
(Do lat. acte)

* *Acteão*,
m.
Mollusco gasterópode.
Insecto lepidóptero nocturno.

* *Actébia*,
f.
Lepidóptero nocturno.
(Do gr. akte + bio)

* *Actéfila*,
f.
Planta euphorbiácea, de flores monoicas.
(Do gr. akte + philein)

* *Acteia*,
f.
Planta venenosa, ranunculácea.
(Gr. aktaia)

* *Actenista*,
f.
Insecto coleóptero pentâmere, do Brasil.
(Gr. aktenistos)

*Acteografia*,
f.
Descripção ou nomenclatura dos pesos.
(Do gr. achthos + graphein)

*Acteómetro*,
m.
Instrumento, para medir o pêso dos carros sôbre as rodas.
(Do gr. akhtos + metron)

* *Actéphila*,
f.
Planta euphorbiácea, de flores monoicas.
(Do gr. akte + philein)

* *Actigeia*,
f.
Espécie de cogumelo.
(Do gr. aktis + ge)

* *Actinanta*,
f.
Planta umbellifera.
(Do gr. aktis + anthe)

* *Actinantha*,
f.
Planta umbellifera.
(Do gr. aktis + anthe)

* *Actineia*,
f.
Planta, da fam. das synanthéreas.
(Do rad. do gr. aktis)

* *Actinéria*,
f.
Pólypo, da fam. dos actinianos.
(Do rad. do gr. aktis)

*Actínia*,
f.
Pólypo.
Nome scientífico do pólypo, chamado vulgarmente anêmona-do-mar.
(Do gr. aktis)

* *Actinianos*,
m. pl.
Gênero de pólypos coraliários.
(De actínia)

* *Actínico*,
adj.
Diz-se da luz e dos raios luminosos, que exercem acção chímica em
certas substâncias.
(Cp. actinismo)

* *Actinimorfo*,
adj.
Que tem fórma radiada.
(Do gr. aktin + morphe)

* *Actinimorpho*,
adj.
Que tem fórma radiada.
(Do gr. aktin + morphe)

* *Actínio*,
m.
Outro elemento do pechurano, descoberto em 1890, mas pouco conhecido
por ora.

* *Actinismo*,
m.
Influência dos raios do sol em certas substâncias, resultando daí
uma acção chímica, como succede na photographía.
(Do gr. aktin)

* *Actino*,
m.
Gênero de insectos dípteros.
(Do gr. aktin)

* *Actinobolismo*,
m.
Designação antiga do phenómeno physiológico, que hôje se chama
hypnotismo.

* *Actinóbolo*,
m.
Gênero de protozoários.

* *Actinocarpo*,
m.
Gênero de plantas alismácias.
(Do gr. aktin + karpos)

* *Actinocéfalo*,
m.
Gênero de algas.

* *Actinocéphalo*,
m.
Gênero de algas.

* *Actinodafno*,
m.
Gênero de plantas lauríneas.

* *Actinodaphno*,
m.
Gênero de plantas lauríneas.

* *Actinodendro*,
m.
Gênero de celenterados.

* *Actinodermo*,
m.
Espécie de cogumelo.
(Do gr. aktin + derma)

* *Actínodo*,
m.
Gênero de plantas myrtáceas.

* *Actinóforo*,
m.
Gênero de insectos coleópteros pentámeros.
(Do gr. aktin + phoros)

* *Actinogênico*,
adj.
Que produz irradiação eléctrica, (falando-se dos tubos do apparelho
radiográphico). Cf. Vergílio Machado, Raios X.
(Do gr. aktin + geneia)

* *Actinoide*, adj. Semelhante á actínia.

* *Actinólitho*,
m. Miner.
O mesmo que actinoto.
(Do gr. aktin + lithos)

* *Actinólito*,
m. Miner.
O mesmo que actinoto.
(Do gr. aktin + lithos)

* *Actinologia*,
f.
Descripção dos animaes radiados.
(Do gr. aktin + logos)

* *Actinológico*, adj. Relativo á actinologia.

* *Actinomancía*,
f.
Arte de adivinhar por meio das estrêllas.
(Do gr. aktin + manteia)

* *Actinometria*,
f.
Avaliação do grau da irradiação solar.
(De actinómetro)

* *Actinómetro*,
m.
Apparelho, para medir a intensidade da luz pela da electricidade
desenvolvida.
(Do gr. aktin + metron)

* *Actinomiceto*,
m.
Cogumelo parasito, que produz a actinomycose.
(Do gr. aktin, raio, + mukes, muketos, cogumelo)

* *Actinomicose*,
f. Med.
Moléstia parasitária, produzida por um cogumelo especial, e cujo
principal symptoma são alterações nas gengivas.

* *Actinomórfico*,
adj. Bot.
Diz-se das flôres, de simetria radiada, regulares.
(Do gr. aktin + morphe)

* *Actinomórphico*,
adj. Bot.
Diz-se das flôres, de symetria radiada, regulares.
(Do gr. aktin + morphe)

* *Actinomyceto*,
m.
Cogumelo parasito, que produz a actinomycose.
(Do gr. aktin, raio, + mukes, muketos, cogumelo)

* *Actinomycose*,
f. Med.
Moléstia parasitária, produzida por um cogumelo especial, e cujo
principal symptoma são alterações nas gengivas.

* *Actinóphoro*,
m.
Gênero de insectos coleópteros pentámeros.
(Do gr. aktin + phoros)

* *Actinospira*,
f.
Gênero de cogumelos, segundo Corda.

* *Actinóstemo*,
m.
Gênero de plantas euphorbiáceas.

* *Actinóstomo*,
adj.
Diz-se dos animaes, cuja boca é rodeada de raios com tentáculos.
(Do gr. aktin + stoma)

* *Actinoto*,
m. Miner.
Silicato de cálcio, magnésio e ferro.
(Gr. aktinotos)

*Activa*,
f.
Voz activa dos verbos.
Parte principal, exercida na realização de um acto.
(De activo)

*Activamente*, adv. De modo activo.

*Activar*,
v. t.
Dar actividade a.
Tornar activo.
Dar impulso a.

*Actividade*,
f.
Diligência.
Faculdade de operar.
(Lat. activitas)

*Activo*,
adj.
Diligente, expedito.
Que tem acção, que actua.
Que opéra com energia.
Ininterrupto.
Gram.
Que denota a acção de um verbo.
(Lat. activus)

*Acto*,
m.
O que se fez ou se póde fazer.
Acção.
Exame final em cada anno dos cursos de Universidade.
Divisão de obra dramática.
(Lat. actus)

* *Actol*, m. Medicamento antiséptico de lactato de prata.

*Actor*,
m.
Agente; o que pratica o acto.
Aquelle que representa em theatro.
(Lat. actor)

*Actriz*,
f.
Mulher, que representa em theatro.
(Fem. de actor)

*Actuação*, f. Acção de actuar.

*Actual*,
adj.
Effectivo.
Que existe presentemente.
(Lat. actualis)

*Actualidade*,
f.
Effectividade.
Occasião presente.
(De actual)

* *Actualizar*, v. t. Tornar actual; modernizar.

*Actualmente*,
adv.
Nesta occasião.
De modo actual.

*Actuante*, adj. Que actua.

*Actuar*,
v. i.
Exercer acção.
(De acto)

* *Actuário*, m. Escriba, encarregado de redigir os discursos pronunciados no senado romano e noutras reuniões públicas. Secretário. Modernamente, dá-se este nome ao indivíduo, encarregado por Companhia de Seguros de Vida de estabelecer as bases das suas operações e verificar-lhes os resultados, devendo reunir as qualidades de estatistico, financeiro e mathemático. (Lat. actuarius)

*Actuável*,
adj.
Dócil.
Dirigivel.
(De actuar)

* *Actuosamente*,
adv.
Com actividade.
De modo actuoso.

* *Actuoso*,
adj.
Que opéra.
Activo, muito diligente.
(Lat. actuosus)

* *Açu*, m. Bras. Espécie de jacaré das margens do Amazonas.

* *Acuação*,
f. Bras.
Acto de acuar.
Acto de perseguir a caça até a obrigar a meter-se na toca.
Acto de perseguir o inimigo até metê-lo em reducto, donde não possa
sair.

* *Acuador*,
adj. Bras. de Minas.
Diz-se da cavalgadura que recusa andar.
(De acuar)

*Acuamênto*, m. Acto de acuar.

*Acuar*, v. i. Abaixar as nádegas, para fazer salto. Recuar, retroceder. * V. p. (a mesma sign.) * V. t. Bras. Perseguir (caça ou inimigo). (De cu)

* *Acubito*,
m.
Cadeira-leito, espécie de canapé, em que os Romanos se sentavam á mesa.
(Lat. accubilum)

* *Acubitor*,
m. Ant.
O mesmo que commensal.
Criado, que dormia perto do leito dos imperadores de
Constantinopla. Cf. C. e Sá, Diccion.
(Lat. accubitor)

*Açúcar*,
m.
Substância doce de certos vegetaes e de algumas secreções animaes.
Corpo, que, dissolvido em água e em contacto com o fermento, se converte
em álcool e ácido carbónico.
Fig.
Suavidade.
Prazer.
Lisonja.
(Do ár. çucar)

*Açucaradamente*,
adv.
De modo açucarado.
Com modos mellífluos.

*Açucarado*,
adj.
Que foi adoçado com açucar.
Fig.
Lisonjeiro.
Mellifluo: palavras açucaradas.

*Açucarar*,
v. t.
Temperar, cobrir, ou misturar com açúcar.
Adoçar.
Fig.
Tornar agradável, suave, meigo.

*Açucareiro*,
adj.
Relativo a açúcar: indústria açucareira.
Que tem ou produz açúcar.
M.
Pequeno vaso, em que se serve o açúcar.
Fabricante de açúcar.

*Açucena*,
f.
Espécie de lírio branco.
* Bras.
O mesmo que arandela.
(Do ár. çucena)

* *Açucenal*,
m.
Lugar, onde crescem açucenas.

* *Açucre*, m. Fórma popular de açúcar.

* *Açuçuapara*, f. Bras. Espécie de veado grande? Cf. J. J. Lisboa, Descripção Curiosa.

*Acucular*, v. t. (V. acogular)

* *Açuda*, f. Prov. trasm. O mesmo que açude.

*Açudada*, f. Porção de água, represada por açude.

*Açude*, m. Construcção de pedra ou madeira, para represar águas de rio ou levada, destinadas a rega ou moagem. * Prov. beir. Batoréu, arrêto. (Ár. azud)

* *Acudidor*, adj. Que acode. Cf. Filinto, XX, 208.

* *Acudimento*,
m.
Acto de acudir. Cf. Filinto, D. Man., 100.

*Acudir*,
v. i.
Ir em soccorro.
Concorrer.
Retorquir.

* *Acuera*,
m., f. e adj. Bras. do N.
Diz-se de coisas antigas, abandonadas ou extintas.
(Do tupi)

* *Açugar*, v. t. T. da Bairrada. O mesmo que açular.

*Acuidade*, (cu-i)
f.
Qualidade do que é agudo.
Penetração, perspicácia.
(Do rad. do lat. acus)

* *Acuitar*, v. t. Ant. O mesmo que coitar^2.

* *Acujar*,
v. i. Ant.
Preguntar com insistência.
(De cujo)

*Açulador*, m. O que açula.

*Açulamento*,
m.
Acto de açular.

*Açular*,
v. t.
Incitar (cães) a morder.
Provocar.
(Do ár. çaula)

*Aculear*,
v. t.
Armar de aguilhão.
(De acúleo)

*Aculeiforme*,
adj.
Que tem fórma de acúleo.
(Do lat. aculeus + forma)

*Acúleo*,
m.
Aguilhão.
*
Espinho de certas plantas, como as silvas, roseiras, etc.
(Lat. aculeus)

*Acumbente*,
adj.
Diz-se da radicula das plantas cruciferas, quando curvada na borda dos
cotylédones.
(Lat. accumbens)

*Acume*,
m.
O mesmo que cume.
(Lat. acumen)

*Acúmetro*,
m.
Instrumento, para medir a qualidade auditiva do homem.
(Do gr. akouen + metron)

* *Acuminação*, f. Geom. Angulo sólido. Cf. Eug. Pacheco, Phýs. Posit., 95.

*Acuminar*,
v. t.
Aguçar.
(Lat. acuminare)

*Acumulação*,
f.
Acto ou effeito de acumular
(Lat. accumulatio)

*Acumuladamente*, adv. Com acumulação.

*Acumulador*,
m. e adj.
O que acumula.
* Phýs.
Máquina, que armazena a fôrça, para a restituir, quando necessária.
Máquina, que armazena o potencial eléctrico.

*Acumulamento*,
m.
(V. acumulação.)

*Acumular*,
v. t.
Amontoar, pôr em cúmulos.
V. p. * Fig.
Reunir em si (várias funcções ou occupações).
Succeder-se, sobrevir.
(Lat. accumulare)

*Acumulativamente*,
adv.
De modo acumulativo; conjuntamente.

*Acumulativo*, adj. Que se póde acumular.

* *Acúmulo*, m. Neol. O mesmo que acumulação.

*Acunhar*,
v. t.
Apertar com cunha.
* Náut.
Pôr os mastaréus á cunha, isto é, içá-los por ante-avante dos
mastros, até ficarem no seu lugar.
* Fam.
Proteger com empenhos.

*Acunhear*, v. t. Dar fórma de cunha a.

* *Acuo*, m. Bras. Acto de acuar.

* *Acupalpo*,
m.
Coleóptero pardo.
(Do lat. acus + palpum)

* *Acupressura*,
f.
Operação cirúrgica, para suspender a hemorragia arterial ou venosa.
(Do lat. acus + pressura)

*Acupunctura*,
f.
Operação cirúrgica, em que uma agulha metállica é introduzida no
corpo humano.
(Lat. acupunctura)

*Acuradamente*, adv. Cuidadosamente.

* *Acurar*,
v. t.
Tratar com cuidado, com desvelo.
(Lat. accurare)

* *Acursar*,
v. t. Ven.
Alcançar (certo espaço) uma espingarda com o tiro: a minha caçadeira
acursa oitenta passos
.
(De curso)

* *Acurtar*, v. t. O mesmo que encurtar.

*Acurvar*, v. t. O mesmo que encurvar e curvar.

* *Acurvejar-se*,
v. p. T. da Guarda.
Curvar-se.
Humilhar-se.
(De curvar)

*Acurvilhar*, v. t. (freq. de acurvar)

*Acusação*,
f.
Acto ou effeito de acusar.
(Lat. Accusatio)

*Acusado*,
m.
Aquelle a quem se imputa delito ou crime.
(De accusar)

*Acusador*,
m. e adj.
O que acusa.
(Lat. accusator)

* *Acusamento*,
m.
O mesmo que acusação.

*Acusante*, m. Aquelle que acusa.

*Acusar*,
v. t.
Imputar falta ou crime a.
Notificar: acusar a recepção de uma carta.
Mostrar.
Confessar: acusar os próprios defeitos.
(Lat. accusare)

*Acusativo*,
adj.
Que serve para acusar.
M. Gram.
Caso que, na declinação dos nomes latinos e gregos, designa
principalmente o regime directo.
(Lat. accusativus)

*Acusatoriamente*, adv. Do modo acusatório.

*Acusatório*,
adj.
Relativo á acusação.
(Lat. accusatorius)

*Acusável*,
adj.
Que póde ou deve sêr acusado.
(Lat. accusabilis)

* *Acuse*, m. (V. acuso)

* *Acusma*, f. O mesmo que acúsmata.

* *Acúsmata*,
m.
Ruído imaginário.
Ruído, de que se não vê ou de que se não conhece a causa.
(Gr. akousma)

* *Acusmático*, adj. Relativo a acusma.

* *Acúsmato*,
m.
O mesmo que acúsmata.

* *Acuso*,
m.
O mesmo que acusação.
Designa a declaração que, no jôgo da bisca, o parceiro faz, de têr
reunido, entre as suas cartas, duas figuras do mesmo valor.
Também há acuso no jôgo dos Três-setes.

*Acústica*,
f.
Parte da Phýsica, que se occupa das leis dos sons.
(De acústico)

*Acústico*,
adj.
Relativo aos sons.
(Gr. akoustikos)

*Acuta*,
f.
Esquadria.
Instrumento para medir ângulos.
(Lat. acuta)

*Acutangulado*,
adj.
Que tem ângulos agudos.
(De acutângulo)

*Acutangular*,
adj.
Que fórma ângulo agudo.
(De acutângulo)

*Acutângulo*,
adj.
Que tem ângulos agudos.
(Do lat. acutus + angulus)

*Acutelado*, adj. Que tem fórma de cutelo.

* *Acutenáculo*,
m.
Instrumento cirúrgico, para segurar as agulhas, quando se fazem suturas
onde as mãos não podem funccionar.
(Do lat. acus + tenaculum)

* *Acuticórneo*,
adj.
Diz-se dos animaes, que têm as antennas terminadas em ponta.
(Do lat. acutuscornu)

* *Acutifólio*,
adj.
Diz-se das plantas, que têm fôlhas acuminadas.
(Do lat. acutus + folium)

* *Acutiladiço*,
adj.
Acutilado com frequência: «contra o acutiladiço Don Lourenço da
Chamusca
». Camillo, M. da Fonte, 178; Idem, Narcót., I, 116.
M. Ant.
O mesmo que acutilador.

* *Acutilador*,
m.
Aquelle que acutila.
Indivíduo brigoso.

*Acutilamento*,
m.
Acto de acutilar.

*Acutilar*,
v. t.
Dar cutiladas em. Golpear.
(Corr. de acutelar, de cutelo)

* *Acutipuru*, m. Bras. do N. Macaco pequenino, de pelle felpuda, lustrosa e preta.

* *Acutirostro*, (rós)
adj.
Diz-se dos animaes, cuja cabeça se prolonga em bico.
(Do lat. acutus + rostrum)

* *Acutirrostro*,
adj.
Diz-se dos animaes, cuja cabeça se prolonga em bico.
(Do lat. acutus + rostrum)

* *Acyanoblepsia*,
f. Med.
Insensibilidade visual para a côr azul.
(Do gr. a priv. + kuanos + blepsis)

* *Acýclico*, adj. Bot. Diz-se das flores em que, dispostas em espiral as partes appendiculares, o intervallo, que separa um grupo de appêndices do seguinte, não coincide com um número determinado de voltas da espira. (Do gr. a priv. + kuklos, circulo)

*Acyrologia*,
f.
Impropriedade de expressão.
(Gr. akurologia)

* *Acyrológico*, adj. Relativo á acyrologia.

* *Acysia*,
f.
Impotência; esterilidade.
(Do gr. a priv. + kuein)

* *Acystia*,
f.
Ausência da bexiga urinária.
(Gr. a + kustis)

* *Acystinervia*,
f.
Paralysia da bexiga.
(Do gr. a + kustis + neuron)

* *Acysturotrophia*,
f.
Atrophia da bexiga.
(Do gr. a + kustis + oura + trophe)

* *Acyttários*,
m. pl.
Grupo de animaes rhizóporos, cujo corpo é constituído por uma
substância mucosa sem divisão de céllulas.

*Ad…*, pref. (designativo de direcção, juncção, fim, movimento, etc.)

*…ada*, suf. (designativo de collectividade, impulso, acção, etc.)

* *Adaca*, f. Planta medicinal do Malabar.

* *Adactilia*,
f.
Qualidade ou estado de adáctilo.

* *Adáctilo*,
adj. Zool.
Que não tem dedos.
(Do gr. a priv. + daktulos, dedo)

* *Adactylia*,
f.
Qualidade ou estado de adáctylo.

* *Adáctylo*,
adj. Zool.
Que não tem dedos.
(Do gr. a priv. + daktulos, dedo)

* *Adafina*, f. Espécie de guisado, que os Judeus usavam em Espanha.

*Adaga*,
f.
Arma branca, larga e curta.
(B. lat. daga)

*Adagada*, f. Golpe de adaga.

*Adagial*, adj. Relativo a adágios.

* *Adagiar*, v. i. Citar adágios.

* *Adagiário*,
m.
Collecção de adágios.

* *Adagieiro*, adj. Que sabe e emprega muitos adágios. Cf. Anat. Joc., I, 353.

*Adágio*,
m.
Provérbio, sentença moral.
Trecho musical, de andamento vagaroso.
(Lat. adagium)

* *Adague*,
m. Prov. beir.
Pilha de madeira.
Camada de telha, que se põe a cozer no respectivo forno.
(Colhido no Fundão)

*Adagueiro*,
m.
Veado novo, cujas pontas são agudas como adagas.
(De adaga)

* *Adai*,
f.
Planta, de que os Abexins fazem palitos para os dentes, (salvadora
persica
, Lin.).

*Adail*,
m.
Antigo cabo de guerra.
Vedeta.
Caudilho.
(Do ár. ad-dalil)

* *Adalide*, m. Chefe militar, entre os antigos Moiros. Cf. Garrett, D. Branca, 72.

*Adamado*,
adj.
Vestido com affectação ou com o cuidado próprio de dama.
* Prov.
Diz-se do vinho que não é verde.
* Prov.
Diz-se do vinho licoroso, que não excede a fôrça alcoólica de 15%.

*Adamanes*, m. pl. Atabales, usados na Índia.

*Adamante*,
m.
Planta medicinal, crucífera.
(Lat. adamas, adamantis)

*Adamantino*,
adj.
Semelhante ao diamante; diamantino.
(Lat. adamantinus)

*Adamar-se*,
v. p.
Enfeitar-se com o cuidado próprio de dama.
Effeminar-se.

*Adamascar*, v. t. Dar lavor ou côr de damasco a.

* *Adamásia*,
f.
Planta liliácea.

* *Adamastoriano*, adj. Relativo ao Adamastor, gigante imaginário dos Lusíadas.

* *Adâmeo*, adj. O mesmo que adâmico. Cf. Filinto, XVI, 292.

* *Adâmia*,
f.
Planta saxífraga.
(De Adam, n. p.)

* *Adamiano*, adj. O mesmo que adâmico.

*Adâmico*,
adj.
Primitivo.
Relativo ao primeiro homem.
(De Adam, forma lat. de Adão, n. p.)

*Adamita*,
m.
Membro de uma seita que imitava a nudez de Adão.
(Cp. adâmico)

* *Adamítico*,
adj.
Que diz respeito aos tempos primitivos. Cf. Garrett, D. Branca, 128.
(De adamita)

*Adanar*,
v. i. Pop. açor.
Nadar.
(Metáth. de nadar)

*Adansónia*,
f.
Robusta árvore africana, o mesmo que baobab.
(De Adanson, n. p.)

* *Adão*, m. Árvore da Índia portuguêsa.

* *Adaptabilidade*,
f.
Qualidade do que é adaptável.

*Adaptação*, f. Acto de adaptar.

* *Adaptadamente*, adv. De modo adaptado.

* *Adaptado*,
adj.
Que se adaptou.
Apropriado.

* *Adaptador*,
m.
O que adapta.

* *Adaptar*,
v. t.
Tornar apto a.
Ajustar; apropriar.
(Lat. adaptare)

*Adaptativo*, adj. Próprio para se adaptar.

* *Adaptável*, adj. Que se póde adaptar.

* *Adarce*, m. Salsugem, que no tempo da séca se péga ás plantas, junto das lagôas.

* *Adarço*, m. Ant. Escolho, baixio.

*Adarga*,
f.
Antigo escudo oval, de coiro.
(Ár. ad-daraca)

*Adargado*,
adj.
Que tem adarga.
Protegido.

*Adargar*,
v. t.
Defender com adarga.
Amparar; proteger. Cf. Eufrosina, 15.

*Adargueiro*,
m.
Militar, que usava adarga.
Fabricante de adargas.

*Adarme*,
m.
Pêso antigo, meia oitava.
*
Calibre da bala.
(T. cast.)

*Adarvar*, v. t. Fortificar com adarves.

*Adarve*,
m.
Muro de fortaleza, com ameias.
Rua estreita, sôbre o muro da fortaleza.
(Ár. addarb)

*Adastra*,
f.
Instrumento de ourives, para corrigir aros de anéis.
Bigorna de estender folha.
(De adastrar)

*Adastragem*,
f.
Acto de adastrar.

* *Adastrar*,
v. t.
Endireitar na adastra.
(Alter. de adestrar)

* + *Addenda*,
f.
Aquillo que se accrescenta ou se deve accrescentar no fim de um livro.
(Pl. de addendus, gerundivo do v. lat. addere, juntar)

*Addensa-nuvens*, adj. Poét. Que accumula as nuvens.

*Addensar*,
v. t.
Condensar.
(Lat. addensare)

* *Addental*,
m. e adj.
Diz-se, em
Anatomia, de uma das peças elementares de uma das vértebras cephálicas.

*Addição*,
f.
Acto ou effeito de addir.
Somma.
Parcella.
Successo recente.
Appêndice de uma construcção.
(Lat. additio)

*Addicionação*,
f.
Acto ou effeito de addicionar.

*Addicionador*,
m.
O que addiciona.
(De addicionar)

*Addicional*,
adj.
Que se addiciona.
Que accresce.
M.
Aquillo que accresce ou se addiciona.
(Lat. additio, additionis)

*Addicionamento*,
m.
O mesmo que addicionação.

*Addicionar*,
v. t.
Ajuntar.
Accrescentar em nota ou commentário.
(Do lat. additio, additionis)

* *Addicionável*, adj. Que se póde addicionar.

*Addicto*, adj. Afeiçoado; dedicado. * adj. Adjunto. (Lat. addictus)

*Addido*,
m.
Funccionário, que está junto a um dignitário ou corporação,
para auxiliar.
*
Funccionário de qualquer categoria, que está a mais do quadro
respectivo, por exceder o número legal, ou por sêr officialmente
dispensado de servir.

*Addir*, v. t. Accrescentar. Ajuntar; aggregar. V. p. Ajuntar-se, ligar-se. Cf. Camillo, O Senh. do Paço de Nin., 152.

* *Additamento*,
m.
Acto de addittar.
Aquillo que se additou.

*Additar*,
v. t. (e der.)
O mesmo que addicionar.
(Do lat. additus, de addere)

* *Adducção*,
f.
Acto ou effeito de adduzir.

* *Adducente*,
adj.
Que adduz.
(Lat. adducens)

*Adductivo*,
adj.
Que póde adduzir.
(Do lat. adductus)

*Adductor*,
m.
O que adduz.
(Lat. adductor)

* *Adduzer*, v. t. Ant. O mesmo que adduzir.

*Adduzir*,
v. t.
Trazer.
Expor, apresentar.
(Lat. adducere)

* *Ade*,
m. T. de Macau.
O mesmo que adem.
Qualquer ave palmípede.

*Adeantadamente*,
adv.
Com antecipação.
De modo adeantado.

*Adeantado*,
m.
Antigo governador de província.
Adj.
Pago antecipadamente: dinheiro adeantado.
Que mostra progressos: nação adeantada.
Que vai adeante de outros na carreira escolar: um estudante adeantado.
(De adeantar)

*Adeantamento*,
m.
Acto de adeantar, ou de se adeantar.
Progresso.
Abono de dinheiro, antes do tempo, a que corresponde o respectivo
pagamento.

*Adeantar*,
v. t.
Fazer com antecedência.
Pagar antecipadamente.
Fazer progredir.
Accelerar: adeantar o relógio.
V. p.
Avançar.
Avantajar-se.
Fam.
Atrever-se.

*Adeante*,
adv.
Na frente.
Em primeiro lugar.
No lugar immediato.
No futuro.
Successivamente.
Na página ou páginas seguintes.
(De a + deante)

* *Adecto*,
adj.
Diz-se do medicamento brando, que acalma o effeito de um medicamento
enérgico.
M.
Gênero de fêtos, proposto por Link.
(Gr. adektos)

* *Adedentro*, adv. Interiormente. Cf. Rui Barbosa, Répl., 157.

* *Adefagia*,
f. Med.
Voracidade; apetite insaciável.
(Do gr. aden + phagein)

* *Adefora*,
adv. Ant.
Exteriormente.
Apparentemente.
(De fóra)

*Adega*,
f.
Casa térrea, em que se guarda vinho envasilhado, e outras bebidas
alcoólicas.
(Do lat. apotheca)

* *Adegar*, v. t. Guardar em adega. V. i. Fig. Beber demasiadamente.

*Adegueiro*, m. Homem que trata de adega.

* *Adeito*, m. Prov. beir. Porção de linho, antes de assedado, e atado de fórma que dá ideia de uma boneca. (Colhido no Fundão)

*Adejar*,
v. i.
Librar as asas.
Pairar.
Esvoaçar.
Voejar.
(Por alejar, do lat. ala, asa)

*Adejo*,^1 m. Acto de adejar.

* *Adejo*,^2
adj. Bras. do N.
Diz-se do cavallo, que vagueia sem cavalleiro nem carga.
(Alter. de andejo, provavelmente)

*Adela*,^1
f.
Mulher, que compra e vende fato feito, e outros objectos, usados.
(De adelo)

* *Adela*,^2 f. Ant. O mesmo que aduela.

* *Adelaida*,
f.
Copada árvore americana.

* *Adelaide*, f. Pop. O mesmo que adelaidinha.

* *Adelaidinha*,
f.
Designação pop. da planta, também conhecida por bons-dias.

* *Adeleira*,
f.
Mulher, que compra e vende fato e outros objectos, usados.
T. do Porto.
Mulher, que inculca criadas de servir.
(De adeleiro)

* *Adeleiro*, m. Prov. dur. O mesmo que adelo. T. do Porto. Inculcador de criadas.

*Adelfa*,
f.
O mesmo que loendro.
(Do ár. addifla)

* *Adelfeira*, f. Bot. O mesmo que adelfa. Cf. Coutinho, Flora, 462.

* *Adelfia*,
f. Bot.
União dos estames por meio dos seus filetes.
(De adelpho)

*Adelfo*,
adj. Bot.
Que tem ligados entre si os filetes dos estames.
* M.
Gênero de insectos coleópteros heterómenos.
(Gr. adelphos)

*Adelgaçadamente*, adv. De modo adelgaçado.

*Adelgaçado*,
adj.
Que se tornou delgado.
Desgastado com o uso.
(De adelgaçar)

*Adelgaçador*,
m.
O que adelgaça.

*Adelgaçamento*,
m.
Acto ou efeito de adelgaçar.

*Adelgaçar*,
v. t.
Tornar delgado, agudo.
Desgastar.
(Do b. lat. addelicatiare)

*Adelgadar*,
v. t.
O mesmo que adelgaçar.
(De delgado)

* *Adelgar*, v. t. O mesmo que adelgaçar.

* *Adelha*, ()
f. Prov. minh.
Caixa de madeira, em fórma de pyrâmide invertida, e na qual se deita
o cereal que vai cair no adelhão, para sêr moído.
Tremonha; canoira; moéga.

* *Adelhão*,
m. Prov. minh.
Pequena caleira, suspensa da adelha, e cuja inclinação é regulada
por um cordel, preso ao pau da varela, nas azenhas.
(De adelha)

* *Adélia*,
f.
Planta euphorbiácea.
(Do gr. a priv. + delos)

* *Adelicadar-se*, v. p. P. us. Tornar-se delicado.

* *Adélido*,
adj. Pathol.
Pouco sensível; que mal se percebe.
(Do gr. adelos, pouco apparente, incerto)

* *Adélio*, m. Gênero de insectos hymenópteros.

*Adelo*, ()
m.
O que compra e vende fato e outros objectos, usados.
(Do ár. ad-dellala)

* *Adelóbio*,
m.
Gênero de insectos coleópteros.
(Do gr. adelos + bios)

* *Adelobrânchio*, (qui)
adj.
Que tem as brânchias visíveis.
M. pl.
Grupo de molluscos gasterópodes.
(Do gr. adelos + brankhia)

* *Adelobrânquio*,
adj.
Que tem as brânchias visíveis.
M. pl.
Grupo de molluscos gasterópodes.
(Do gr. adelos + brankhia)

* *Adelópode*,
adj. Zool.
Que não tem pés apparentes.
(Do gr. adelos + pous, podos)

* *Adelopódio*,
adj. Zool.
Que não tem pés apparentes.
(Do gr. adelos + pous, podos)

* *Adelosa*,
f.
Gênero de plantas verbenáceas.
(Do gr. adelos)

* *Adelphia*,
f. Bot.
União dos estames por meio dos seus filetes.
(De adelpho)

*Adelpho*,
adj. Bot.
Que tem ligados entre si os filetes dos estames.
* M.
Gênero de insectos coleópteros heterómenos.
(Gr. adelphos)

*Adem*,
f.
Ave palmipede, lamellirostra.
(Do lat. anas, anatis)

* *Adema*, f. Ant. Terreno cultivado.

* *Ademado*, adj. (?) («…outro mar achou a nao tão ademada, que quasi a acabou de meter debaixo de agoa…» Hist. Trág.-Marít., 50). Provavelmente, é êrro typográphico, devendo lêr-se adernada.

* *Ademães*, m. pl. O mesmo que ademanes. Cf. Castilho, Metam., XXII.

*Ademan*,
m.
Gestos, trejeitos.
Modos affectados.
(Do lat. ad + de + manus)

*Ademanes*,
m. pl.
Gestos, trejeitos.
Modos affectados.
(Do lat. ad + de + manus)

*Adêmea*,
f.
Terreno susceptível de cultura, entre monte e várzea.
(Cp. adema)

*Adempção*,
f.
Revogação (de legado).
(Lat. ademptio)

* *Adenacantho*,
m.
Gênero de plantas acantháceas.

* *Adenacanto*,
m.
Gênero de plantas acantháceas.

* *Adenalgia*,
f.
Dôr numa glândula.
(Do gr. aden + algos)

* *Adenálgico*, adj. Relativo a adenalgia.

* *Adenandro*,
m.
Gênero de plantas rutáceas.

* *Adenantero*,
m.
Gênero de plantas leguminosas.
(Do gr. aden + anthera)

* *Adenanthero*,
m.
Gênero de plantas leguminosas.
(Do gr. aden + anthera)

* *Adenantho*,
m.
Gênero de plantas protáceas.
(Do gr. aden + anthos)

* *Adenanto*,
m.
Gênero de plantas protáceas.
(Do gr. aden + anthos)

*Adenção*,
f.
Revogação (de legado).
(Lat. ademptio)

* *Adenia*,
f.
Doença das glândulas.
Planta trepadeira, venenosa, da Arábia.
(Do gr. aden)

*Adenite*,
f.
Inflammação de glândulas.
(Do gr. aden)

* *Adenocancro*,
m.
O mesmo que adnocarcinoma.

* *Adenocarpo*,
m.
Gênero de plantas papilionáceas.
(Do gr. aden + karpos)

* *Adenófora*,
f.
Gênero de plantas campanuláceas.
(Do gr. aden + phoros)

* *Adenografia*,
f. Anat.
Descripção das glândulas.
(Do gr. aden + graphein)

* *Adenograma*,
m.
Gênero de plantas, da fam. das figueiras, (stendelia, Presl.).

* *Adenogramma*,
m.
Gênero de plantas, da fam. das figueiras, (stendelia, Presl.).

* *Adenographia*,
f. Anat.
Descripção das glândulas.
(Do gr. aden + graphein)

* *Adenoide*,
adj.
Que tem fórma de glândula.
(Do gr. aden + eidos)

*Adenologia*,
f.
Parte da Anatomia, que trata de glândulas.
(Do gr. aden + logos)

* *Adenoma*,
m.
Tumor glandular.
(Do gr. aden)

* *Adenomalacia*,
f. Med.
Amollecimento das glândulas.
(Do gr. aden + malakia)

* *Adenomixoma*, (csô)
m. Med.
Tumor, desenvolvido á custa dos elementos de uma glândula.
(Do gr. aden + muxa)

* *Adenomyxoma*, (csô)
m. Med.
Tumor, desenvolvido á custa dos elementos de uma glândula.
(Do gr. aden + muxa)

* *Adenopata*,
m.
O que soffre de adenopatia.

* *Adenopatha*,
m.
O que soffre de adenopathia.

* *Adenopathia*,
f.
Doença das glândulas em geral e dos gânglios lympháticos em
particular.
(Do gr. aden + pathos)

* *Adenopatia*,
f.
Doença das glândulas em geral e dos gânglios lympháticos em
particular.
(Do gr. aden + pathos)

* *Adenóphora*,
f.
Gênero de plantas campanuláceas.
(Do gr. aden + phoros)

* *Adenos*, m. Designação antiga do algodão.

* *Adenosclerose*,
f. Med.
Endurecimento das glândulas.
(Antónymo de adenomalacia)
(Do gr. aden + skleros)

* *Adenostêmono*,
adj.
Diz-se das plantas que têm glândulas nos filetes dos estames.
(Do gr. aden + stemon)

* *Adenostíleas*, f. pl. Tribo de synanthéreas, segundo Cassini.

* *Adenostýleas*, f. pl. Tribo de synanthéreas, segundo Cassini.

* *Adenotomia*,
f.
Dissecção das glândulas.
(Do gr. aden + tome)

* *Adenotómico*, adj. Relativo á adenòtomia.

*Adensa-nuvens*, adj. Poét. Que accumula as nuvens.

*Adensar*,
v. t.
Condensar.
(Lat. addensare)

* *Adental*,
m. e adj.
Diz-se, em
Anatomia, de uma das peças elementares de uma das vértebras cephálicas.

*Adentar*, v. t. O mesmo que dentar.

* *Adente*, adv. Prov. minh. O mesmo que adeante.

* *Adentrar*, v. i. O mesmo que adentrar-se. Cf. Filinto, D. Man., I, 67.

* *Adentrar-se*,
v. p.
Entrar, concentrar-se.
(De adentro)

*Adentro*,
adv.
Para dentro.
Interiormente.
(De dentro)

*Adeos*,
adv.
Fica com Deus.
Deus vá contigo.
M.
Despedida.
Fim.
(De a + Deus, n. p., segundo a opinião corrente; mas a fórma antiga
ay-Deos contraria essa opinião)

* *Adephagia*,
f. Med.
Voracidade; appetite insaciável.
(Do gr. aden + phagein)

*Adepto*,
m.
Sectário; partidário.
(Lat. adeptus)

*Adequação*,
f.
Acto de adequar.
(Lat. adaequatio)

*Adequadamente*, adv. De modo adequado.

* *Adequado*,
adj.
Apropriado.
Proporcionado.
(De adequar)

*Adequar*,
v. t.
Accommodar.
Proporcionar.
(Lat. adaequare)

* *Ader*, v. t. Ant. O mesmo que addir.

* *Aderar*,
v. t. Ant.
Taxar a dinheiro.
Avaliar, apreçar.
(Do lat. ad + aes, aeris, moéda)

*Adereçamento*,
m.
Acto ou effeito de adereçar.

*Adereçar*,
v. t.
Adornar.
Dirigir, enviar.
(De aderêço)

*Aderecista*,
m.
O que adereça ou enfeita.
O encarregado de adereços de theatro.

*Aderêço*,
m.
Enfeite, adôrno.
Indicação da residência ou estabelecimento de alguém.
(Do lat. hyp. directius)

*Aderençar*, v. t. Adereçar. Endereçar. * V. i. Ant. Dirigir-se, encaminhar-se. (Cp. adereçar)

*Aderência*,
f.
Qualidade do que é adherente.
Acto de adherir.

*Aderente*,
m. e adj.
O que adhere.
M.
Partidário, prosélyto.

*Adergar*, v. i. O mesmo que adregar. * V. t. Encontrar por acaso. Descobrir. Conseguir. Cf. Castilho, Fastos, II, 161.

*Aderir*,
v. i.
Estar unido.
Conformar-se, aprovando.
* V. t.
Unir, juntar: «veja-se póde adheri-los ao epicrânio.» Camillo,
Sebenta, VII, 19.

*Adernar*, v. i. Náut. Inclinar-se, ficando, de um lado, debaixo de água (o navio).

*Aderno*,
m.
Arbusto, da fam. das rhamnáceas.
(Do lat. alaternus)

*Adesão*,
f.
Acto de adherir.
Ligação.
Acôrdo.
(Lat. adhaesio)

* *Adesivado*, adj. Que tem adesivo: paus adesivados.

* *Adesivamente*,
adv.
Com adesão.
De modo adhesivo.

*Adesivo*,
m.
Emplasto, que adere á pelle.
Adj.
Que adere.
(De adheso)

* *Adesmia*, f. Bot. Falta de soldadura ou de juncção em certos órgãos vegetaes.

*Adeso*,
Part. irr. de aderir.
(Lat. adhaesus)

* *Adesol*, m. Produto pharmacêutico, que tem o mesmo uso que o collódio.

* *Adestra*,
adv. Ant. e bras.
Ao lado.
De refôrço.
(De adestro)

*Adestradamente*, adv. De modo adestrado.

*Adestrado*,
adj.
Que se adestrou.
Hábil.
Perito.

*Adestrador*,
m.
O que adestra.

*Adestramento*,
m.
Acto ou effeito de adestrar.

*Adestrar*,
v. t.
Tornar destro.
Ensinar.

*Adestro*,
adj.
Que vai ao lado; que acompanha para refôrço ou por luxo: «mandou-lhe
dar outro andor, que trazia adestro.
» Barros, Déc. I.
(Do lat. ad + dextram)

*Adeus*,
adv.
Fica com Deus.
Deus vá contigo.
M.
Despedida.
Fim.
(De a + Deus, n. p., segundo a opinião corrente; mas a fórma antiga
ay-Deos contraria essa opinião)

*Adeusar*, v. t. O mesmo que endeusar.

* *Adevão*, adj. Bras. do N. Valente; corajoso.

* *Adeveres*, ()
m. pl. Prov. trasm.
Attenções, honras, deferências.
Prov. minh.
Roupa e calçado, que o patrão dá annualmente ao criado de lavoira.
(De dever)

*Adherência*,
f.
Qualidade do que é adherente.
Acto de adherir.

*Adherente*,
m. e adj.
O que adhere.
M.
Partidário, prosélyto.

*Adherir*,
v. i.
Estar unido.
Conformar-se, aprovando.
* V. t.
Unir, juntar: «veja-se póde adheri-los ao epicrânio.» Camillo,
Sebenta, VII, 19.

*Adhesão*,
f.
Acto de adherir.
Ligação.
Acôrdo.
(Lat. adhaesio)

* *Adhesivado*, adj. Que tem adhesivo: paus adhesivados.

* *Adhesivamente*,
adv.
Com adhesão.
De modo adhesivo.

*Adhesivo*,
m.
Emplasto, que adhere á pelle.
Adj.
Que adhere.
(De adheso)

*Adheso*,
Part. irr. de adherir.
(Lat. adhaesus)

* *Adhesol*, m. Produto pharmacêutico, que tem o mesmo uso que o collódio.

* *Adhortar*,
v. t.
Exhortar.
Excitar, estimular. Cf. Rui Barbosa, Répl., 157.

*Adi*, f. Espécie de palmeira de San-Thomé.

*Adiado*,
adj.
Que se adiou.
Demorado, retardado.
*
Diz-se do estudante que, não ficando approvado em exame, se considera
esperado para outra época de exames.

* *Adiafa*,
f. Prov. alent. e alg.
Gorgeta, gratificação.
Refeição, que se dá aos trabalhadores, depois da conclusão de
uma obra.
Volta dos trabadores da colheita da azeitona.
O mesmo que diafa.

* *Adiáfano*,
adj.
Que não é transparente; opaco.
(De _a_priv. + diáphano)

*Adiáforo*,
adj.
Accessório, não essencial.
(Gr. adiaphoros)

*Adiamantado*, adj. Brilhante e duro, como o diamante.

*Adiamento*, m. Acto ou effeito de adiar.

* *Adiantáceas*, f. pl. Grupo de fêtos, que têm por typo o adianto.

*Adiante*, adv. (e der.) (V. adeante, etc.)

*Adianto*,
m.
Planta medicinal, da fam. dos fêtos.
(Gr. adiantos)

* *Adiáphano*,
adj.
Que não é transparente; opaco.
(De _a_priv. + diáphano)

*Adiáphoro*,
adj.
Accessório, não essencial.
(Gr. adiaphoros)

*Adiar*,
v. t.
Deixar para outro dia; procrastinar.
Demorar.

*Adiatésico*,
adj.
Que não tem diátese.
(De _a_priv. + diáthese)

*Adiathésico*,
adj.
Que não tem diáthese.
(De _a_priv. + diáthese)

* *Adiável*, adj. Que se póde ou se deve adiar.

*Adibe*,^1
m.
Espécie de lobo ou chacal (canis vulpes).
(Do ár. ad-dzib)

* *Adibe*,^2
m.
Accrescentamento, addição: «se eu alargasse a esta nota as ensanchas
com os adibes que lhe vêm ao justo…
» Filinto, XII, 210.

* *Adiça*, f. Ant. Mina de oiro.

*Adição*,
f.
Acto ou effeito de adir.
Somma.
Parcella.
Successo recente.
Appêndice de uma construcção.
(Lat. additio)

* *Adicar*,
v. ir. Gír.
Vêr.
(Or. ind.)

*Adicção*, v. t. (V. dicção)

* *Adiceiro*, m. Ant. O que trabalhava em adiças.

*Adicionação*,
f.
Acto ou effeito de ddicionar.

*Adicionador*,
m.
O que adiciona.
(De addicionar)

*Adicional*,
adj.
Que se adiciona.
Que acresce.
M.
Aquillo que acresce ou se adiciona.
(Lat. additio, additionis)

*Adicionamento*,
m.
O mesmo que adicionação.

*Adicionar*,
v. t.
Ajuntar.
Acrescentar em nota ou comentário.
(Do lat. additio, additionis)

* *Adicionável*, adj. Que se póde adicionar.

*Adicto*, adj. Afeiçoado; dedicado. * adj. Adjunto. (Lat. addictus)

*Adido*,
m.
Funccionário, que está junto a um dignitário ou corporação,
para auxiliar.
* m.
Funccionário de qualquer categoria, que está a mais do quadro
respectivo, por exceder o número legal, ou por sêr officialmente
dispensado de servir.

*Adietar*, v. t. Pôr em dieta.

* *Adigar*, m. O mesmo que digar.

* *Adil*,
m. Prov. trasm.
O mesmo que poisio: a terra ficou de adil.
Terreno de poisio.

* *Adilado*, adj. Prov. trasm. Diz-se do terreno que ficou de adil.

* *Adilar*, v. t. Prov. trasm. Deixar de adil (um terreno).

* *Adimplemento*,
m.
Acto de completar; complemento.
Preenchimento.
Realização.
(Do lat. adimplere)

*Adinamia*,
f.
Debilidade, prostração de fôrças.
(Gr. adunamia)

*Adinâmico*, adj. Relativo á adinamia.

* *Adinamizar*, v. t. Tornar adínamo.

* *Adínamo*,
adj.
Débil, enfraquecido.
(De adynamia)

*Adinheirado*, adj. O mesmo que endinheirado.

* *Adinho*, m. Filho pequeno do adem. Cf. Peregrinação, c. XCVII.

* *Adino*, m. Gênero de plantas rubiáceas das regiões quentes da América e da Ásia.

*Adipocera*, ()
f.
Gordura de cadáver.
(De ádipe + cera)

* *Adipocira*,
f.
O mesmo que adipocera.

* *Adipociriforme*,
adj.
Que tem a apparência de adipocira.

* *Adipociro*,
m.
O mesmo que adipocera.

* *Adipogenia*,
f. Med.
Formação da gordura no organismo.
(Do lat. adeps, adipos + gr. genos)

* *Adipoma*,
m.
Tumor gorduroso.
Lipoma.
(Do lat. adeps)

* *Adipose*,
f. Med.
Estado mórbido, caracterizado por acumulação de gordura no tecido
cellular subcutâneo.
(De ádipe)

*Adiposo*,
adj.
Que tem gordura.
(De ádipe)

*Adipsia*,
f.
Privação de appetite de liquidos.
(Do gr. _a_priv. + dipsos)

*Adir*,^1
v. t.
Entrar na posse de (herança).
(Lat. adire)

*Adir*,^2 v. t. Accrescentar. Ajuntar; aggregar. V. p. Ajuntar-se, ligar-se. Cf. Camillo, O Senh. do Paço de Nin., 152.

* *Adita*, f. Prov. minh. Agrado, sympathia.

* *Aditamento*,
m.
Acto de adittar.
Aquillo que se aditou.

*Aditar*,^1 v. t. Causar a dita de; tornar feliz.

* *Aditar*,^2
v. t.
Entrar.
(De ádito^1)

*Aditar*,^3
v. t. (e der.)
O mesmo que adicionar.
(Do lat. additus, de addere)

*Adival*,
m.
Antiga medida agrária, de 12 braças.
* Prov.
Corda de carro.

*Adivinha*,^1
f.
Coisa para se adivinhar; enigma.

*Adivinha*,^2
f.
Mulher, de quem se diz que adivinha o futuro e as coisas occultas.
(Fem. de adivinho)

*Adivinhação*,
f.
Acto de adivinhar.
Adivinha.

*Adivinhadeira*,
f.
(V. adivinha^2)

*Adivinhadeiro*,
m.
(V. adivinho)

*Adivinhador*,
m.
O mesmo que adivinho.

*Adivinhamento*,
m.
(V. adivinhação)

* *Adivinhança*, f. Ant. O mesmo que adivinhação.

*Adivinhão*, m. (V. adivinho)

*Adivinhar*,
v. t.
Prever (o futuro), por meio de sortilégio ou de falsas sciências.
Conhecer por meios sobrenaturaes.
Decifrar.
Conjecturar.
Interpretar.
(Lat. divinare)

*Adivinho*,
m.
Homem, de quem se diz que adivinha.
(De adivinhar)

*Adjacência*,
f.
Estado, qualidade do que é adjacente.

*Adjacente*,
adj.
Que está contíguo ou junto.
* Geom.
Diz-se dos dois ângulos contíguos, de entre os quatro, formados por
duas rectas que se cortam.
(Lat. adjacens)

*Adjazer*,
v. i.
Estar próximo ou junto. Cf. Castilho, Fastos, III, 113.
(Lat. adjacere)

*Adjecção*,
f.
Addição.
(Lat. adjectio)

*Adjectivação*,
f.
Acto ou effeito de adjectivar.

*Adjectivadamente*,
adv.
De modo adjectivado.

*Adjectivado*,
adj.
Diz-se do estilo ou da linguagem em que abundam os adjectivos ou
termos empregados adjectivamente.

* *Adjectival*, adj. P. us. Relativo ao adjectivo.

*Adjectivamente*, adv. Á maneira de adjectivo.

*Adjectivar*,
v. t.
Acompanhar de adjectivo.
Qualificar.
Tomar como adjectivo.
*
Ornar (uma phrase, um periodo) com grande cópia de adjectivos.

*Adjectivo*,
m. Gram.
Palavra, que se junta ou se refere a outra, para a qualificar ou
determinar, indicando louvor, vitupério, meio, ou accidente.
Adj.
Que se junta.
Adjecto.
Relativo ao adjectivo.
(Lat. adjectivus)

*Adjecto*,
adj.
Accrescentado.
(Lat. adjectus)

*Adjudicação*,
f.
Acto ou effeito de adjudicar.

*Adjudicador*,
m.
O que adjudica.

*Adjudicar*,
v. t.
Dar, por sentença.
Declarar judicialmente que (uma coisa) pertence a alguém.
(Lat. adjudicare)

*Adjudicatário*,
m.
Aquelle, a quem alguma coisa se adjudica.

*Adjudicativo*, adj. O mesmo que adjudicatório.

*Adjudicatório*, adj. Diz-se do acto ou sentença que adjudica.

* *Adjudoiro*, m. Ant. O mesmo que adjutório.

*Adjunção*,
f.
Acto ou effeito de unir ou de associar.
(Lat. adjunctio)

*Adjuncção*,
f.
Acto ou effeito de unir ou de associar.
(Lat. adjunctio)

*Adjuncto*,
adj.
Unido.
Associado.
Contíguo.
M.
O que é aggregado, associado.
Auxiliar.
* Prov. trasm.
Ajuntamento, reunião.
* Bras.
O mesmo que muxirão.
(Lat. adjunctus)

* *Adjungir*,
v. t.
Reunir, associar. Cf. Castilho, Fastos, II, 159.
(Lat. adjungere)

*Adjunto*,
adj.
Unido.
Associado.
Contíguo.
M.
O que é aggregado, associado.
Auxiliar.
* Prov. trasm.
Ajuntamento, reunião.
* Bras.
O mesmo que muxirão.
(Lat. adjunctus)

*Adjuração*, f. Acto ou effeito de adjurar.

* *Adjurador*,
m.
O que adjura.

*Adjurar*,
v. t.
Esconjurar.
Exorcismar.
Pedir com instância.
(Lat. adjurare)

*Adjutor*,
m.
Ajudante.
(Lat. adjutor)

*Adjutório*,
m.
Ajuda.
(Lat. adjutorium)

*Adjuvante*,
adj.
Que ajuda.
(Lat. adjuvans)

* *Adlegação*,
f.
Direito, que os antigos Estados germânicos tinham, de delegar ministros
que, juntamente com os do imperador, tratassem dos negócios de interesse
commum.
(Do lat. ad + legatio)

* *Adligado*,
adj.
Diz-se, em Botânica, da planta fixada por appêndices.
(Do lat. ad + ligatus)

* *Adligante*,
adj.
Diz-se da raiz que fixa um vegetal parasito ao corpo em que vive.
(Do lat. ad + ligans)

* *Adlúmia*, f. Espécie de planta juncácea.

* *Adlúmio*, m. O mesmo que adlúmia.

* *Admena*, f. O mesmo que admene.

* *Admene*,
m. Ant.
Rua, ladeada de árvores frondosas.
Alameda.

*Adminiculante*, adj. Que serve de adminículo.

*Adminicular*,
adj.
O mesmo que adminiculante.
* V. t.
Subsidiar.

* *Adminiculativo*,
adj.
Que serve para adminicular.

*Adminículo*,
m.
Subsídio.
Auxílio, apoio.
M. pl.
Enfeites, que orlam uma medalha.
(Lat. adminiculum)

*Administração*,
f.
Gerência de negócios.
Acção de administrar.
(Lat. administratio)

* *Administracionalizar*,
v. t. Neol.
Sujeitar aos regulamentos administrativos, ou a um systema de
administração.
(Fr. administrationaliser)

* *Administradeira*, f. Bras. Mulher que administra.

*Administrador*,
m.
O que administra.
(Lat. administrator)

* *Administrante*,
adj.
Que administra.
(Lat. administrans)

*Administrar*,
v. t.
Gerir (negócios).
Dar a alguém (medicamentos).
Ministrar; applicar.
(Lat. administrare)

*Administrativamente*,
adv.
De modo administrativo.

*Administrativo*,
adj.
Relativo a administração: autoridades administrativas.
(Lat. administrativus)

*Admirábil*, adj. (V. admirável)

*Admirabilidade*,
f.
Qualidade do que é admirável.
(Lat. admirabilitas)

*Admiração*,
f.
Acto de admirar.
Espanto.
(Lat. admiratio)

*Admiradamente*,
adv.
De modo admirado.
Com admiração.

*Admirado*,
adj.
Que sente admiração: fiquei admirado.
Que é objecto de admiração: um trabalho admirado.

*Admirador*, m. O que admira.

*Admirando*, adj. Que merece admiração: «um novo rio admirando». Andrade Caminha.

*Admirante*,
adj.
Que admira.
(Lat. admirans)

*Admirar*, v. t. Vêr com espanto. Causar espanto a. v. p. Sentir espanto, admiração. (Lat. admirari)

* *Admirativamente*,
adv.
De modo admirativo.

*Admirativo*,
adj.
Que envolve admiração.
Cheio de admiração.

*Admirável*,
adj.
Que é digno de admiração.
(Lat. admirabilis)

*Admiravelmente*, adv. De modo admirável.

*Admissão*,
f.
Acto ou effeito de admittir.
(Lat. admissio)

*Admissibilidade*,
f.
Qualidade do que é admissivel.
(Do lat. admissibilis)

*Admissível*,
adj.
Que se póde admittir.
(Lat. admissibilis)

*Admitir*,
v. t.
Receber; deixar entrar.
Concordar com; concordar em.
(Lat. admittere)

*Admittir*,
v. t.
Receber; deixar entrar.
Concordar com; concordar em.
(Lat. admittere)

*Admoestação*, (mo-es)
f.
Acto ou effeito de admoestar.

*Admoestador*, (mo-es) m. e adj. O que admoésta.

* *Admoestamento*, (mo-es)
m.
Acto ou effeito de admoestar; admoestação.

*Admoestar*, (mo-es)
v. t.
Reprehender levemente.
Advertir de uma falta.
(Do lat. ad + molestare?)

* *Admoestativo*, (mo-es)
adj.
O mesmo que admoestatório.

* *Admoestatório*, (mo-es)
adj.
Que envolve admoestação.
Próprio para admoestar.

* *Admonenda*,
f.
Admoestação, reprehensão leve. Cf. Cortesão, Subsídios.

*Admonição*,
f.
Admoestação.
(Lat. admonitio)

*Admonitor*,
m. e adj.
Admoestador.
(Lat. admonitor)

*Admonitório*,
m.
Admoestação.
Adj.
Que serve de admoestar.
(Lat. admonitorium)

* *Adnasal*,
adj. Anat.
Diz-se de uma das peças elementares de uma das vértebras cephálicas.
(De ad… + nasal)

* *Adnascente*,
adj. Bot.
Diz-se do rebento, que se apresenta na axilla dos cascos periphéricos
de um bolbo.
(De ad… + nascente)

* *Adnata*,
f. Anat.
Túnica exterior do globo ocular.
(Fem. de adnato)

*Adnato*,
adj.
Ligado a alguma coisa, de que parece fazer parte.
(Lat. adnatus)

* *Adnex…*,
O mesmo que annex…

* *Adnocarcinoma*,
m. Med.
Cancro, de origem glandular, e que se observa principalmente no fígado.
(Do gr. aden + karkinoma)

*Adnominação*,
f.
(V. paranomasia)
(De ad… + nominação)

*Adnotação*,
f.
Resposta do Pontífice a uma súpplica, resposta que consiste só numa
assignatura.
(Cp. annotação)

* *Adnotar*, v. t. (e der.) O mesmo que annotar, etc.

*Adnumerar*, v. t. Des. (V. enumerar)

* *Adoba*,^1 ()
f.
O mesmo que adobe.

* *Adoba*,^2 () f. Ant. O mesmo que algema.

* *Adobar*,^1
v. t. Ant.
O mesmo que algemar.
(De adôba^2).

* *Adobar*,^2 v. t. (?) «…logo que adobou as naus… mandou… levantar âncora». Filinto, D. Man. I, 74.

*Adobe*, ()
m.
Tijolo cru.
Seixo arredondado do leito dos rios.
(Do ár. at-tob)

*Adobo*, ()
m.
O mesmo que adobe.

*Adoçamento*,
m.
Acto de adoçar.
*
Canelura, que liga uma parede á saliência de uma moldura.
*
Moldura côncava, que liga um plintho a uma cornija.

*Adoçante*, adj. Que adoça. M. Medicamento adoçante.

*Adoçar*,
v. t.
Tornar doce.
Abrandar.
Aplanar.
Atenuar.
Polir.
*
Tornar dúctil (o metal), por meio do fogo.

*Adocicado*,
adj.
Um tanto doce.
Suave, mas um pouco affectado: palavras adocicadas.
(De adocicar)

* *Adocicamento*,
m.
Acto ou effeito de adocicar.

*Adocicar*, v. t. Adoçar um pouco.

*Adoecer*, (do-e)
v. i.
Tornar-se doente; enfermar.
V. t.
Tornar doente.
(Do lat. dolescere)

*Adoecimento*, (do-e)
m.
Acto ou effeito de adoecer.

*Adoentado*,
adj.
Um tanto doente.
Fraco, abatido, (falando-se de alguém ou de animaes).

*Adoentar*, v. t. Tornar doente, ou um pouco doente.

*Adoidado*,
adj.
Um tanto doido.
Imprudente, leviano.
(De adoidar)

*Adoidar*, v. t. Tornar doido, ou um pouco doido.

* *Adoito*,
m. Ant.
Hábito, costume.
(Talvez do lat. adductus)

*Adolescência*,
f.
Período na vida humana, entre a puberdade e a virilidade.
(Lat. adolescentia)

*Adolescente*,
m. e adj.
O que está na adolescência.
(Lat. adolescens)

*Adolescêntulo*,
m. Des.
Rapazinho.
(Lat. adolescentulus)

*Adolescer*,
v. i.
Entrar na adolescência.
Desenvolver-se.
(Lat. adolescere)

* *Adoli*, m. Planta do Malabar.

* *Adólia*, f. Planta rhamnácea; o mesmo que adoli?

* *Adólio*, m. Gênero de insectos lepidópteros diurnos.

* *Adolorado*, adj. Des. Que tem dores: a Virgem adolorada.

* *Adomar*, v. i. Prov. minh. Dormir em pé.

* *Adomingado*, adj. Vestido de roupas domingueiras.

* *Adomingar-se*,
v. p.
Vestir-se de roupas domingueiras.
(De domingo)

*Adonai*,
m.
Um dos nomes que os Hebreus davam á Divindade.
Um dos nomes que os Judeus davam á divindade.
(Lat. Adonai)

* *Adonairar*,
v. t.
Dar donaire a. Cf. Arn. Gama, Ultima Dona, 39.; Idem, Segr. do
Abbade
, 6, 76, 96, 118.

*Adonde*, adv. Ant. (V. aonde) * Pop. O mesmo que onde.

*Adónico*, adj. O mesmo que adónio.

* *Adónida*, f. Planta ranunculácea.

* *Adonidina*,
f.
Princípio activo vegetal, empregado como tónico cardíaco.

*Adónio*,
adj.
Diz-se do verso, em que entra um dáctylo e um espondeu.
(Lat. adonius)

* *Adónis-da-Itália*,
m.
Planta medicinal, ranunculácea, (adonis vernalis).

*Adónis*,^1
m.
Rapaz galante e presumido.
Planta ranunculácea, de aspecto elegante.
(Do gr. Adonis^2, n. p.)

*Adonisar*,
v. t.
Tornar galante; embellezar. Cf. Camillo, Canc. al., 342.
(De adónis)

*Adopção*,
f.
Acto ou effeito de adoptar.
(Lat. adoptio)

*Adoperar*,
v. t.
Empregar numa obra.
Empregar.
Manufacturar.
(Do lat. ad + operare)

* *Adoptação*,
f.
O mesmo que adopção.

*Adoptante*,
adj.
Que adopta.
(Lat. adoptans)

*Adoptar*,
v. t.
Tomar; acceitar.
Perfilhar.
(Lat. adoptare)

*Adoptivamente*, adv. De modo adoptivo.

*Adoptivo*,
adj.
Relativo a adopção.
Que adoptou.
Que foi adoptado.
(Lat. adoptivus)

*Adorabundo*, adj. Poét. Que está em adoração.

*Adoração*,
f.
Acto de adorar.
(Lat. adoratio)

* *Adôrádo*, adj. Ant. Adoentado. Dolorido. Prov. trasm. Muito dado ou dedicado a alguma coisa. (De dôr)

*Adorador*, m. e adj. O que adora.

* *Adoramento*,
m.
O mesmo que adoração.

*Adorando*,
adj.
Adorável.
(Lat. adorandus)

*Adorante*,
adj.
Que adora.
(Lat. adorans)

*Adorar*,
v. t.
Prestar culto a.
Reverenciar.
Amar muito.
Venerar.
(Lat. adorare)

* *Adorativo*, adj. Que tem o carácter de adoração: affeição adorativa.

*Adorável*,
adj.
Digno de sêr adorado.
(Lat. adorabilis)

*Adoravelmente*, adv. De maneira adorável.

* *Adorbital*,
m. e adj. Anat.
Diz-se do osso que fórma a órbita.
(De ad… + orbital)

*Adoriás*, m. pl. Selvagens, que habitaram nos sertões do Pará.

* *Adório*, m. Gênero de plantas umbellíferas.

*Adormecedor*, adj. Que adormece.

* *Adormecente*, adj. Que adormece. Cf. Filinto, VI, 277.

*Adormecer*,
v. t.
Fazer dormir.
Acalentar.
Entorpecer.
Acalmar.
V. i. e p.
Cair no somno.
Immobilizar-se.

*Adormecido*, adj. Que adormeceu; que está dormindo.

*Adormecimento*,
m.
Acto de adormecer.
Entorpecimento.

*Adormentado*,
adj.
Dormente.
Entorpecido.
(De adormentar)

*Adormentador*,
adj.
Que adormenta.
M.
Medicamento que adormenta.

*Adormentar*,
v. t.
Tornar dormente.
Causar somno a.
Suavizar.

* *Adormido*, adj. Ant. O mesmo que adormecido. Cf. G. Vicente, I, 157.

* *Adormir*, v. i. O mesmo que adormecer. Cf. Pacheco, Promptuário.

*Adornadamente*,
adv.
De modo adornado.
Com adôrno.

*Adornado*,
adj.
Em que há adôrno.
Enfeitado.
(De adornar)

* *Adornamento*,
m.
Acto de adornar^1.

*Adornar*,^1
v. t.
Pôr adôrno em.
Aformosear.
(Lat. adornare)

*Adornar*,^2 v. i. (V. adernar)

*Adôrno*,
m.
Enfeite, ornato, atavio.
(De adornar)

* *Adortar*,
v. t.
Exhortar.
Excitar, estimular. Cf. Rui Barbosa, Répl., 157.

*Adossado*,
adj. Heráld.
Que está costas com costas, (falando-se de certas peças do escudo).
(Fr. adossé)

* *Adotar*, v. t. Prov. trasm. O mesmo que dotar.

* *Adoutar*, v. t. (e der.) Ant. O mesmo que adoptar, etc.

* *Adova*, ()
f. Ant.
Chamava-se casa da adova a sala livre, annexa ás cadeias, na qual
passeavam os réus de culpas mais leves.
(Cp. adoba^2)

* *Adoxa*, (csa)
f.
Gênero de plantas, de cheiro almiscarado.

* *Adoxo*, (cso)
m.
Parasito das plantas, e cuja larva é perigosa para as videiras.

*Adquirente*, adj. Que adquire.

*Adquirição*,
f.
(V. acquisição)

*Adquiridôr*, m. e adj. O que adquire.

* *Adquirimento*,
m.
O mesmo que acquisição.

*Adquirir*,
v. t.
Obter; alcançar; conseguir.
Receber.
Ganhar.
(Do lat. ad + quaerere)

*Adquirível*, adj. Que se póde adquirir.

*Adquisição*,
f.
(V. acquisição)

* *Adquisitivo*, adj. Relativo a acquisicão. Cf. Assis, Águas, 324.

* *Adrachne*,
f.
Arbusto, semelhante ao medronheiro, e de que se faz papel na China.
(Gr. adrakhne)

* *Adracne*,
f.
Arbusto, semelhante ao medronheiro, e de que se faz papel na China.
(Gr. adrakhne)

* *Adraganta*,
f.
O mesmo que tragacantha.

* *Adraganthina*,
f.
Princípio immediato do adragantho.

*Adragantho*,
m.
(Alter. de tragacantho)

* *Adragantina*,
f.
Princípio immediato do adragantho.

*Adraganto*, m. (Alter. de tragacantho)

* *Adraguncho*, m. Des. Enfermidade nas pernas e peito dos cavallos, procedente de tumores ruíns.

* *Adrasto*, m. Insecto coleóptero pentâmero.

*Adrede*,
adv.
De propósito; acintemente.
(Provn. adreit, do lat. directus)

*Adregar*,
v. i.
Acontecer por acaso.
Chegar a propósito.
Acertar casualmente.
* Prov. trasm.
Enganar; illudir: não me adregas, descansa. Cf. Rev. Lus., XI, 288.

* *Adrêgo*,
m. Prov. alent.
Acaso, casualidade.
(De adregar)

*Adrenal*, (re)
adj. Anat.
Diz-se da glande ou cápsula, que está sobre o rim.
(Do lat. ad + renalis)

* *Adrenalina*, (re)
f. Pharm.
Substância medicamentosa, crystallina, de propriedades hemostáticas,
extrahida das cápsulas supra-renaes.

*Adriça*,
f.
Cabo, para içar velas ou bandeiras, nos navios.
(It. addrizza)

*Adriçar*, v. t. Erguer, por meio de adriças.

* *Adrípia*,
f.
Planta hortense, mencionada em documentos da Idade-Média e hoje
desconhecida.

*Adro*,
m.
Terreiro, em frente, e ás vezes em volta, da igreja.
(Do lat. atrium)

* *Adrogação*, (ro)
f.
Acto de adrogar.

* *Adrogar*, (ro)
v. t.
Adoptar, ou tomar por adopção, pessôa de maior idade.
(Lat. adrogare)

* *Adscrever*,
v. t.
Addicionar ao que está escripto.
Inscrever, registar. Cf. Castilho, Fastos, II, 489; III, 55.

*Adscripção*,
f.
Additamento ao que se escreveu.
(Lat. adscriptio)

*Adscriptício*,
adj.
Dizia-se do colono, obrigado a viver e trabalhar em terra determinada.
(De adscripto)

*Adscripto*,
adj.
Aditado.
Arrolado.
(Do lat. adscriptus)

* *Adsperso*,
adj. Bot.
O mesmo que rajado.
(Lat. adspersus)

*Adstrição*, f. Emprêgo de substância adstringente.

*Adstricção*,
f.
Emprêgo de substância adstringente.

*Adstrictivo*, adj. Que adstringe.

*Adstricto*,
adj.
Adjunto, ligado.
Dependente.
Submetido.
Med.
Unido, apertado.
(Lat. adstrictus)

* *Adstrictório*, adj. O mesmo que adstrictivo.

*Adstringência*,
f.
Qualidade do que é adstringente.

*Adstringente*, m. e adj. O que adstringe.

*Adstringir*,
v. t.
Unir; apertar.
Obrigar.
(Do lat. ad + stringere)

* *Adstringitivo*, adj. (V. adstringente)

*Adstringivo*, m. e adj. (V. adstringente)

*Adstritivo*, adj. Que adstringe.

*Adstrito*,
adj.
Adjunto, ligado.
Dependente.
Submetido.
Med.
Unido, apertado.
(Lat. adstrictus)

* *Adstritório*, adj. O mesmo que adstrictivo.

* *Adu*, adv. Ant. Para onde.

*Adua*,^1
f. Prov. alent.
Matilha de cães em correria.
* Prov.
Quadrilha de carrêtas.
Ant.
Chamamento á guerra.
Obrigação de alistamento.
Impôsto, para isenção de alistamento.
Correria.
Rebanho.
Água de partilhas entre camponeses.
* Prov. beir.
Local, onde os porcos, pertencentes a diversos habitantes da mesma
povoação, permanecem durante o dia.

* *Adua*,^2 f. Ant. Imposto para isenção do recrutamento; anaduva.

* *Aduada*,
f. Prov. beir.
Manada (de porcos).
(De adua^1)

* *Aduagem*, f. Acto de aduar^2.

*Aduana*,
f.
Alfândega.
Imposto alfandegário.
Bairro de christãos em terras de moiros.
(Do ár. adainan)

*Aduanar*, v. t. Despachar, registar na aduana.

*Aduaneiro*, adj. Relativo a aduanas; alfandegário.

*Aduar*,^1
m. Ant.
Acampamento moirisco.
(Do ár. ad-duar)

*Aduar*,^2 v. t. Dividir em aduas (quinhões) a água de rega.

* *Aduba*, f. O mesmo que anaduva.

* *Adubabela*,
f. Prov. minh.
Grande sova ou tareia. (Colhido em Paredes-de-Coira)
(De adubar)

* *Adubação*,
f.
Acto ou effeito de adubar.

*Adubador*, m. O que aduba.

* *Adubagem*,
f.
Acto de adubar.

* *Adubamento*,
m.
Acto de adubar.

*Adubar*,
v. t.
Temperar; condimentar.
Curtir.
Ant.
Concertar.
* Ant.
Preparar; apromptar. Cf. Port. Mon. Hist., Script., 245.
(Do germ. dubba)

* *Adube*,
m. T. do Porto.
O mesmo que adubo.
Toicinho para tempêro.

*Adubiar*,
v. t. Ant.
O mesmo que adubar.
(De adúbio)

*Adubio*,
m. Ant.
Amanho de terras.
Trabalho de reparação e concêrto.
(Alter. de adubo)

*Adubo*,
m.
Tempêro.
Aquillo com que se aduba.
*
Aquillo com que se estrumam os terrenos.
Producto industrial, destinado a misturar-se com a terra arável ou
cultivável, para a tornar mais productiva.

* *Aduboiro*, m. Ant. O mesmo que adubo.

* *Adução*, f. Acto ou effeito de aduzir.

* *Aducente*,
adj.
Que aduz.
(Lat. adducens)

*Aduchar*,
v. t. Náut.
Colhêr e enrolar (cabo e amarra)
(De aducho)

*Aduchas*,
f. pl. Náut.
Voltas dos cabos enrolados.
(De aduchar)

* *Aducho*,
adj. Ant.
Dizia-se da testemunha adduzida ou apresentada.
M.
Conducção.
(Do lat. adductus)

*Adueiro*,
m.
Guarda de rebanho; pastor.
(De adua^1)

*Aduela*,
f.
Cada uma das tábuas, que formam o corpo dos tonéis, pipas, dornas,
selhas, etc.
Cada uma das pedras do arco da abóbada.
Madeira americana.
Abertura do fôrro dos sacatrapos.
* Loc. pop.
Aduela de menos, mania, bolha, falta de tino.
(Cast. duela)

* *Aduelagem*,
f.
Execução e collocação de aduelas.

*Adufa*,
f.
Resguardo exterior das janelas, feito de tábuas estreitas, mas não
unidas. Comporta.
Roda de pedra, galga, que esmaga a azeitona no lagar de azeite.
(Do ár. ad + duffa)

* *Adufar*,^1 v. t. Tapar com adufas.

* *Adufar*,^2 v. i. Tocar adufe.

* *Adufe*,
m.
Pandeiro quadrado.
(Do ár. addofe)

*Adufeiro*, m. O que toca adufe ou faz adufes.

* *Adufo*,^1 m. Peça quadrilonga de barro, amassado e sêco ao sol.

* *Adufo*,^2 m. Bras. O mesmo que adufe.

* *Adugar*,
v. t. Ant.
Fazer apparecer.
Apresentar como testemunha.

*Adulação*,
f.
Lisonja; acto de adular.
(Lat. adulatio)

*Aduladamente*, adv. Com adulação.

*Adulador*,
m.
O que adula.
(Lat. adulator)

* *Adulante*, adj. Que adula.

* *Adulão*, m. e adj. O mesmo que adulador.

*Adular*,
v. t.
Lisonjear servilmente; bajular.
Gabar, por interesse próprio.
(Lat. adulari)

*Adulária*,
f.
O mesmo que orthosa.
(De Adule, n. p.)

* *Adulativo*, adj. P. us. Próprio para adular; que envolve adulação: carta adulativa.

*Adulatoriamente*, adv. De modo adulatório.

*Adulatório*,
adj.
Que contém adulação.
(Lat. adulatorius)

* *Adulçorar*, v. t. Adoçar; suavizar. Cf. Cortesão, Subsídios.

* *Adulo*, adv. Ant. e prov. trasm. O mesmo que onde.

* *Aduloso*, adj. O mesmo que adulante.

*Adúltera*, (fem. de adúltero)

*Adulteração*,
f.
Acto de adulterar.
Adultério.
Falsificação.
(Lat. adulteratio)

*Adulteradamente*,
adv.
De modo adulterado; com adulteração.
Falsificadamente.

*Adulterado*,
adj.
Falsificado.
Imitado dolosamente: vinho adulterado.
(De adulterar)

*Adulterador*,
m.
O que adultera.
(Lat. adulterator)

*Adulteramente*,
adv.
Com adultério.
(De adúltero)

*Adulterar*, v. t. Falsificar; contrafazer. Corromper. V. i. Commeter adultério. (Lat. adulterare)

*Adulterino*,
adj.
Proveniente de adultério: filho adulterino.
Que soffreu adulteração.
(Lat. adulterinus)

*Adultério*,
m.
Infidelidade conjugal.
Falsificação; adulteração.
(Lat. adulterium)

* *Adulterioso*,
adj.
Adulteroso.
Que tem o carácter de adultério.

* *Adulterismo*,
m.
Palavra ou nome adulterado.

*Adúltero*,
m.
O que violou a fé conjugal.
(Lat. adulter)

*Adulteroso*,
adj.
Em que há adultério.
Propenso ao adultério.
(De adúltero)

*Adulto*,
m.
Homem, que passou a época da puberdade e está na idade da adolescência
ou da virilidade.
Adj.
Que chegou á idade madura e vigorosa.
(Lat. adultus)

* *Adumar*, v. i. Prov. minh. Dormir em pé.

*Adumbrar*,
v. t.
Sombrear, assombrear.
(Lat. adumbrare)

*Adunação*, f. Acto de adunar.

*Adunar*,
v. t.
Reunir em um.
Congregar.
Coadunar.
(Lat. adunare)

* *Aduncado*, adj. O mesmo que adunco. Cf. Camillo, Caveira, 415.

* *Aduncidade*,
f.
Qualidade de adunco.

* *Aduncirostro*, (rós)
adj.
Que tem bico adunco.
(Do lat. aduncus + rostrum)

* *Aduncirrostro*,
adj.
Que tem bico adunco.
(Do lat. aduncus + rostrum)

*Adunco*,
adj.
Curvo, em fórma de gancho.
(Lat. aduncus)

*Adúnia*,
adv. Ant.
De toda a parte.
Em abundância.

*Adur*,^1
adv. Ant.
Difficilmente.
Apenas; mal.
M.
Maldade.
Traição.
(Talvez do lat. dure)

* *Adur*,^2
m. Ant.
Burla; traição.
Velhacaria.

* *Adurar*, v. t. Ant. O mesmo que durar. Cf. C. de Barcellos, L. das Cantigas.

* *Adurência*,
f.
Qualidade de adurente.

*Adurente*,
m.
Medicamento cáustico.
Adj.
Que queima.
(Lat. adurens)

*Adurir*,
v. t. Des.
Queimar.
(Lat. adurere)

* *Aduro*, adv. Ant. O mesmo que adur^1.

* *Adussia*, f. Ant. Capella-mór. * Adj. f. Dizia-se da cadeira de braços ou de espaldar.

*Adustão*,
f.
Cauterização com fogo.
(Lat. adustio)

* *Adustível*, adj. O mesmo que combustível.

*Adustivo*, adj. O mesmo que adurente.

*Adusto*,
adj.
Queimado.
Ardente, esbraseado.
(Lat. adustus)

*Adutivo*,
adj.
Que póde aduzir.
(Do lat. adductus)

*Adutor*,
m.
O que aduz.
(Lat. adductor)

* *Adutra*,
f. Ant.
Pano verde e vermelho, com pinturas que representavam aves, e usado
antigamente na Índia portuguesa.

* *Aduzer*, v. t. Ant. O mesmo que aduzir.

*Aduzir*,
v. t.
Trazer.
Expor, apresentar.
(Lat. adducere)

* *Advendiço*, adj. Ant. O mesmo que adventicio.

* *Advenidiço*, adj. O mesmo que adventicio. Cf. Latino, Humboldt, 375.

* *Adveniente*, adj. Que advém. Cf. Camillo, Am. de Salvação, 20.

*Adventiciamente*, adv. De modo adventício.

*Adventicio*,
adj.
Que chega de fóra.
Estrangeiro.
Casual.
Aquelle que vem de fóra; que é estranho ou intruso.
(Lat. adventicius)

*Advento*,
m.
Chegada; vinda.
Princípio.
Período das quatro semanas anteriores ao Natal.
(Lat. adventus)

*Adverbial*,
adj.
Relativo a advérbio.
Equivalente a um advérbio: locução adverbial.
(Lat. adverbialis)

* *Adverbialidade*,
f.
Qualidade de adverbial.

*Adverbiar*, v. t. Empregar como advérbio, ou como terminação adverbial.

*Advérbio*,
m.
Palavra invariável, que representa um complemento circunstancial.
(Lat. adverbium)

*Adversamente*, adv. De modo adverso.

*Adversão*,
f.
Advertência.
Opposição.
Acto de adversar.
(Lat. adversio)

*Adversar*,
v. t.
Contrariar; combater.
(Lat. adversari)

*Adversário*,
m.
Inimigo; o que se oppõe.
Adj.
Que luta contra.
(Lat. adversarius)

*Adversativamente*,
adv.
De modo adversativo.

*Adversativo*,
adj.
Opposto.
Gram.
Que indica differença entre o que precede e o que segue: preposicão
adversativa
.
(Lat. adversativus)

* *Adversia*,
f. Des.
Inspiração diabólica.
(De adverso)

*Adversidade*,
f.
Contrariedade.
Infelicidade; sorte adversa.
(Lat. adversitas)

* *Adversifólio*,
adj.
Diz-se das plantas que apresentam fôlhas oppostas, no mesmo tronco.
(Do lat. adversus + folium)

*Adverso*,
adj.
Opposto; contrário.
(Lat. adversus)

*Advertência*,
f.
Acto ou effeito de advertir.

*Advertidamente*, adv. Com advertência.

* *Advertimento*,
m.
O mesmo que advertência.

*Advertir*,
v. t.
Chamar a attenção de; notar.
Reprehender levemente.
(Lat. advertere)

* *Advindo*, adj. Que adveio, que sobreveio.

*Advir*,
v. i.
Chegar.
Succeder.
Accrescer.
(Lat. advenire)

*Advocação*,
f. Des.
Invocação.
(Lat. advocatio)

*Advocacia*,
f.
Profissão de advogado.
(Do lat. advocatus)

* *Advocar*, v. t. Des. O mesmo que chamar. Cf. Vieira, II, 212.

*Advocatura*,
f.
(V. advocacia)

* *Advogacia*,
f.
(V. advocacia)

*Advogado*,
m.
O que advoga em juizo.
Patrono.
Protector.
(Lat. advocatus)

*Advogar*,
v. t.
Defender; patrocinar.
V. i.
Exercer a profissão de advogado, defendendo ou atacando.
* Des.
O mesmo que avocar.
(Lat. advocare)

* *Advogaria*, f. Ant. O mesmo que advocacia.

*Ady*, f. Espécie de palmeira da ilha de San-Thomé.

*Adynamia*,
f.
Debilidade, prostração de fôrças.
(Gr. adunamia)

*Adynâmico*, adj. Relativo á adynamia.

* *Adynamizar*, v. t. Tornar adýnamo.

* *Adýnamo*,
adj.
Débil, enfraquecido.
(De adynamia)

*Aédo*,
m.
Poeta, cantor, (entre os Gregos antigos).
(Gr. aedon)

*…aens*, suf. pl. O mesmo que …ães.

* *Aer…*,
pref.
(Designativo de ar.)
(Gr. aer)

* *Aeração*, (a-e)
f.
Movimento do ar; ventilação: «apparelho de aeração». Castilho,
Fastos, III, 473.
(Do gr. aer)

* *Aereamente*, (a-e)
adv.
De modo aéreo; á tôa; levianamente.

* *Aeremia*, (a-e)
f. Med.
Conjunto de accidentes, que sobrevêm nos operários, a quem se comprime
o ar, como nos mergulhadores: hemorragias, paralysias, etc.
(Do gr. aer + haima)

* *Aeremotoxia*, (a-e…csi)
f.
Morte, produzida pela introducção de ar nas veias, durante certas
operações cirúrgicas.
(Do gr. aer + kaima + toxikon)

*Aéreo*,^1
adj.
Que é do ar.
Que vive no ar.
Semelhante ao ar.
Que está suspenso no ar.
Vão, sem fundamento.
(Lat. aereus)

* *Aéreo*,^2
adj.
O mesmo que éreo.
(Lat. aereus)

* *Aerethmia*, (a-e)
f.
Infiltração de ar no tecido cellular.

* *Aeretmia*, (a-e)
f.
Infiltração de ar no tecido cellular.

*Aerícola*, (a-e)
adj.
Que vive no ar.
(Do lat. aer + colere)

* *Aérida*,
f.
Nome commum ás plantas que vivem só no ar.
(Do lat. aer)

* *Aérido*,
m.
O mesmo que aérida.
Adj.
O mesmo que aèricola.

*Aerifero*, (a-e)
adj.
Que conduz ar.
(Do lat. aer + ferre)

*Aerificação*, (a-e)
f.
Acto de aerificar.

*Aerificar*, (a-e)
v. t.
Reduzir a estado gasoso.
(Do lat. aer + facere)

*Aeriforme*, (a-e)
adj.
Semelhante ao ar.
(Do lat. aer + forma)

* *Aerínea*, (a-e)
f.
Vestido azul celeste, usado na antiga comédia grega pelas mulheres
idosas.
(Do gr. aer)

* *Aerívoro*, (a-e)
adj.
Que vive ou se alimenta do ar.
(Do lat. aer + vorare)

* *Aerização*, (a-e)
f.
Acto de aerizar.

*Aerizar*, (a-e) v. t. O mesmo que aerificar.

* *Aerobata*, (a-e)
m.
O que anda pelo ar.
Nephelibata.
(Do gr. aer + bates)

* *Aeróbio*, (a-e)
adj.
Que vive no ar.
(Do gr. aer + bios)

* *Aeroclavicórdio*, (a-e)
m.
Instrumento, hoje desusado, espécie de cravo, cujas cordas vibravam
sob a acção do ar.

* *Aeroclube*, (a-e)
m. Neol.
Clube recreativo, em que se cultiva o desporto das ascensões
atmosphéricas.

* *Aerocolia*, (a-e)
f. Med.
Meteorismo intestinal.
(Do gr. aer + kolon)

* *Aerodinâmica*, (a-e)
f.
Parte da Phýsica, que trata das leis reguladoras do movimento dos
fluidos elásticos, ou das que regulam a pressão do ar exterior.
(De aer… + dynâmica)

* *Aeródromo*, (a-e)
m. Bras.
Barracão, destinado ao enchimento e preparação dos balões.
(Do gr. aer + dromos)

* *Aerodynâmica*, (a-e)
f.
Parte da Phýsica, que trata das leis reguladoras do movimento dos
fluidos elásticos, ou das que regulam a pressão do ar exterior.
(De aer… + dynâmica)

* *Aerófago*, (a-e)
m.
O mesmo que aérívoro.
(Do gr. aer + phagein)

* *Aerófita*, (a-e)
f.
O mesmo que aérida, segundo Lamouroux.
(Do gr. aer + phuton)

*Aerófito*, (a-e)
adj.
Diz-se da planta que vive no ar.
(Do gr. aer + phuton)

*Aerofobia*, (a-e)
f.
Doença, caracterizada pêlo horror ao ar.
(De aeróphobo)

*Aerófobo*, (a-e)
m.
O que tem horror ao ar.
(Do gr. aer + phobos)

* *Aerofónio*, (a-e)
adj.
Que canta no ar, (falando-se de aves).
M.
Grande instrumento, recentemente inventado, semelhante a um órgão,
e que, movido a vapor, produz sons de extraordinária fôrça.
Pl.
Tribo ou grupo de pássaros cultirostros.
(Do gr. aer + phone)

*Aeróforo*, (a-e)
adj.
O mesmo que aerifero.
(Do gr. aer + phoros)

* *Aerófugo*, (a-e)
adj.
Que se oppõe á introducção do ar.
Impermeável ao ar.
(Do lat. aer + fugere)

* *Aerogastrectasia*, (a-e)
f.
Dilatação do estômago, produzida pelos gases.
(Do gr. aer + gaster + ektasis)

* *Aerogênio*, (a-e)
m.
Espécie de gás de illuminação, exposto e premiado na Exposição de
Paris, em 1900, e já adoptado em muitas povoações.
(Do gr. aer + genes)

* *Aerognosia*, (a-e)
f.
Parte da Phýsica, que trata das propriedades do ar.
(Do gr. aer + gnosis)

* *Aerognosta*, (a-e)
m.
Indivíduo, sabedor de aerognosia.

* *Aerognóstico*, adj. Relativo á aerognosia.

*Aerografia*, (a-e)
f.
Descripção do ar.
(De aerographo)

*Aerógrafo*, (a-e)
m.
O que descreve o ar.
(Do gr. aer + graphein)

* *Aerograma*, (a-e)
m.
Communicação, feita pelo ar ou pela telegraphia sem fios.
(Do grego aer + gramma)

* *Aerogramma*, (a-e)
m.
Communicação, feita pelo ar ou pela telegraphia sem fios.
(Do grego aer + gramma)

*Aerographia*, (a-e)
f.
Descripção do ar.
(De aerographo)

*Aerógrapho*, (a-e)
m.
O que descreve o ar.
(Do gr. aer + graphein)

* *Aerohidro*, (a-e)
adj.
Diz-se de um corpo, que em cavidade tubulada contém um líquido e uma
bolha de ar.
(Do gr. aer + hudros)

* *Aerohidropatia*, (a-e)
f.
Tratamento de doenças, em que o ar e a água são principaes elementos.
(Do gr. aer + hudros + pathos)

* *Aerohydro*,
adj.
Diz-se de um corpo, que em cavidade tubulada contém um líquido e uma
bolha de ar.
(Do gr. aer + hudros)

* *Aerohydropathia*, (a-e)
f.
Tratamento de doenças, em que o ar e a água são principaes elementos.
(Do gr. aer + hudros + pathos)

* *Aeroide*, (a-e)
adj.
Que é da natureza do ar, ou semelhante ao ar.
(Do gr. aer + eidos)

* *Aeroides*, (a-e)
adj.
Que é da natureza do ar, ou semelhante ao ar.
(Do gr. aer + eidos)

* *Aérola*,
f.
Pústula cheia de ar.
Redoma de vidro transparente.
(Do lat. aer)

* *Aerólita*, (a-e)
f.
(V. aerólito)

* *Aerólite*, (a-e)
f.
(V. aerólito)

* *Aerólitha*, (a-e)
f.
(V. aerólitho)

* *Aerólithe*, (a-e)
f.
(V. aerólitho)

* *Aerolíthico*, (a-e)
adj.
Que pertence aos aerólithos, ou que participa da sua natureza.

*Aerólitho*, (a-e)
m.
Pedra caída do ar.
Massa mineral, que, atravessando a atmosphera, cai sôbre a terra.
(Do gr. aer + lithos)

* *Aerolítico*, (a-e)
adj.
Que pertence aos aerólithos, ou que participa da sua natureza.

*Aerólito*, (a-e)
m.
Pedra caída do ar.
Massa mineral, que, atravessando a atmosphera, cai sôbre a terra.
(Do gr. aer + lithos)

*Aerologia*, (a-e)
f.
Tratado do ar.
(De aerólogo)

* *Aerólogo*, (a-e)
m.
Aquelle que trata do ar; o que estuda os phenómenos atmosphéricos.
(Do gr. aer + logos)

*Aeromancia*, (a-e)
f.
Supposta arte de adivinhar, por meio da observação do ar.
(Do gr. aer + manteia)

*Aeromante*, (a-e)
m.
O que pratica a aeromancia.

*Aerometria*, (a-e)
f.
Sciência de medir a densidade dos elementos do ar.
(De aerómetro)

*Aerómetro*, (a-e)
m.
Instrumento, que indica o grau de condensação ou rarefacção do ar.
(Do gr. aer + metron)

* *Aeronaugrafia*, (a-e)
f.
Tratado de aeronáutica.

* *Aeronaugráfico*, (a-e)
adj.
Relativo á aeronaugraphia.

* *Aeronaugraphia*, (a-e)
f.
Tratado de aeronáutica.

* *Aeronaugráphico*, (a-e)
adj.
Relativo á aeronaugraphia.

*Aeronauta*, (a-e)
m.
O que navega no ar.
O que sobe e anda no ar, em aeróstato.
(Do gr. aer + nautes)

*Aeronáutica*, (a-e)
f.
Arte de aeronauta.

*Aeronáutico*, (a-e)
adj.
Relativo á aeronáutica.

* *Aeronave*, (a-e)
f.
O mesmo que aeróstato.

* *Aeronavegação*, (a-e)
f.
Navegação aérea, ou arte de viajar em aeróstatos.

* *Aeróphago*, (a-e)
m.
O mesmo que aérívoro.
(Do gr. aer + phagein)

*Aerophobia*, (a-e)
f.
Doença, caracterizada pêlo horror ao ar.
(De aeróphobo)

*Aeróphobo*, (a-e)
m.
O que tem horror ao ar.
(Do gr. aer + phobos)

* *Aerophónio*, (a-e)
adj.
Que canta no ar, (falando-se de aves).
M.
Grande instrumento, recentemente inventado, semelhante a um órgão,
e que, movido a vapor, produz sons de extraordinária fôrça.
Pl.
Tribo ou grupo de pássaros cultirostros.
(Do gr. aer + phone)

*Aeróphoro*, (a-e)
adj.
O mesmo que aerifero.
(Do gr. aer + phoros)

* *Aeróphyta*, (a-e)
f.
O mesmo que aérida, segundo Lamouroux.
(Do gr. aer + phuton)

*Aeróphyto*, (a-e)
adj.
Diz-se da planta que vive no ar.
(Do gr. aer + phuton)

* *Aeroplano*, (a-e)
m.
Apparelho aerostático, movido a vapor, e sustentado sobre planos ou
lâminas, postos em acção por um motor da fôrça de um cavallo.
Foi inventado recentemente, em 1896, por Langley.
(De aéreo + plano)

*Aeroposta*, (a-e)
f.
Correio aéreo.
Apparelho, que consta de um tubo, em que se move uma caixa com cartas,
e que faz serviço postal.
(De aéreo^1 + posta)

* *Aeroscopia*, (a-e)
f.
Applicação do aeroscópio.

* *Aeroscópio*, (a-e)
m.
Instrumento de Phýsica, para fazer observações no ar.
(Do gr. aer + skopein)

*Aerosfera*, (a-e)
f.
O mesmo que atmosphera.
(Do gr. aer + sphaira)

* *Aerosístilo*, (a-e) m. Archit. Systema de intercolúmnios, que consta de columnas duplas, separadas as de cada grupo pelo intervallo de um módulo, ficando cada grupo de duas columnas separado de outro pelo espaço de sete módulos.

*Aerosphera*, (a-e)
f.
O mesmo que atmosphera.
(Do gr. aer + sphaira)

*Aerostação*, (a-e)
f.
Arte de empregar o aeróstato.

* *Aeróstata*,
m.
O mesmo que aeróstato. Cf. Castilho, Fastos, I, 560 e 562.

*Aerostática*, (a-e)
f.
Parte da Phýsica, em que se estudam as leis do equilíbrio do ar.
(Fem. de aerostático)

*Aerostático*, (a-e)
adj.
Relativo a aeróstatos, á aerostação.

*Aeróstato*, (a-e)
m.
Balão, que se enche de ar aquecido ou de gás mais leve que o ar,
e que por isso se eleva e se sustém na atmosphera.
* Ext.
Qualquer vehículo ou apparelho, que, dirigido por alguém, se eleva
na atmosphera e a percorre. Cp. aerostática.
(Do gr. aer + statos)

* *Aerosýstylo*, (a-e) m. Archit. Systema de intercolúmnios, que consta de columnas duplas, separadas as de cada grupo pelo intervallo de um módulo, ficando cada grupo de duas columnas separado de outro pelo espaço de sete módulos.

* *Aerotechnia*, (a-e)
f.
Sciência, que trata do ar ou das suas applicações á indústria.
(Do gr. aer + tekhne)

* *Aerotéchnico*, (a-e)
adj.
Relativo á aerotechnia.

* *Aerotecnia*, (a-e)
f.
Sciência, que trata do ar ou das suas applicações á indústria.
(Do gr. aer + tekhne)

* *Aerotécnico*, (a-e)
adj.
Relativo á aerotechnia.

* *Aeroterapeutica*,
f.
O mesmo que aeroterapia.

* *Aeroterapia*, (a-e)
f.
Applicação do ar ao tratamento de doenças.
(Do gr. aer + therapia)

* *Aeroterápico*, (a-e)
adj.
Relativo á aeroterapia.

* *Aerotermo*, (a-e)
m.
Apparelho, em que se emprega o ar aquecido, para servir, por sua vez,
de meio de aquecimento. Cf. Castilho, Fastos, III, 482.
(Do gr. aer + thermos)

* *Aerotherapêutica*,
f.
O mesmo que aerotherapia.

* *Aerotherapia*,
f.
Applicação do ar ao tratamento de doenças.
(Do gr. aer + therapia)

* *Aerotherápico*, (a-e)
adj.
Relativo á aerotherapia.

* *Aerothermo*, (a-e)
m.
Apparelho, em que se emprega o ar aquecido, para servir, por sua vez,
de meio de aquecimento. Cf. Castilho, Fastos, III, 482.
(Do gr. aer + thermos)

* *Aerotropismo*, (a-e)
m.
Propriedade, que o protoplasma tem, de reagir perante a acção do
oxygênio.
(Do gr. aer + trophe)

* *Aerozoários*, (a-e)
m. pl.
Animaes, a cuja existência é indispensável o ar.
Os vertebrados e os articulados.
(Do gr. aer + zoon)

*Aerva*, f. Gênero de plantas amarantáceas.

*…ães*, suf. pl. de vários subst. e adj. terminados em ão.

*Aethrioscópio*, (a-e)
m.
Instrumento, para medir o calor que irradia da terra.
(Do gr. aithria + skopein)

*Aetite*, (a-e)
f.
Pedra ôca, conhecida também por pedra de águia, por se suppor que
apparecia em o ninho das águias.
(Gr. aetites)

*Aetrioscópio*, (a-e)
m.
Instrumento, para medir o calor que irradia da terra.
(Do gr. aithria + skopein)

*Afábil*, adj. Ant. (V. affável)

*Afabilidade*,
f.
Qualidade do que é afável.
(Lat. affabilitas)

* *Afacia*,
f.
Defeito ocular, que consiste na falta do crystallino.
(Do gr. a priv. + phakos)

*Afadigadamente*,
adv.
De modo afadigado.
Com trabalho.

*Afadigado*,
adj.
Que tem fadiga.
Que mostra fadiga ou cansaço.
(De afadigar)

*Afadigador*,
m.
O que afadiga.

*Afadigar*, v. t. Causar fadiga a; fatigar; cansar.

*Afadigoso*, adj. Que afadiga.

*Afadistado*, adj. Que tem modos ou hábitos de fadista.

*Afadistar-se*, v. p. Tornar-se fadista; adquirir hábitos de fadista.

* *Afagadeiro*, adj. O mesmo que afagante.

*Afagador*, m. e adj. O que afaga.

* *Afagamento*,
m. Des.
Acto de afagar.
Afago.

* *Afagante*, adj. Que afaga.

*Afagar*,
v. t.
Tratar com afago; acariciar.
Conservar com prazer: afagar esperanças.
Desbastar saliências de; alisar.
(Do lat. ad faciem lecare, segundo Cornu. Cp. cast. halagar)

*Afago*,
m.
Acto de afagar.
Carícia.
Mimo.

* *Afagoso*, adj. Ant. Que afaga; afagador.

* *Afagueiro*, adj. O mesmo que afagoso.

*Afalado*, adj. Diz-se do animal que entende as falas e se dirige por ellas.

* *Afalcassar*, v. t. Náut. Dar voltas com o fio em (chicotes dos cabos), para se não descocharem.

* *Afalcoado*, adj. Prov. alent. Fatigado. Adoentado. * Prov. Desfalcado (Colhido em Turquel). (De afalcoar)

* *Afalcoar*,
v. i. Prov. alent.
Sentir-se fatigado.
Interromper a marcha, em consequência de cansaço.
(De falcão, por allusão ás caçadas de altanaria?)

* *Afaluado*, adj. Bras. Azafamado; esbaforido.

*Afamadamente*, adv. De modo afamado.

*Afamado*, adj. Que tem fama; célebre.

* *Afamador*,
m.
O que dá bôa fama, o que nobilita.

*Afamar*,
v. t.
Dar fama a.
Tornar célebre.

* *Afamilhar-se*,
v. p. Bras.
Têr muitos filhos; encher-se de família.
(De familha, por família. Cp. fr. famille)

*Afan*,
m.
Ânsia.
Cuidado.
Trabalho.
(Cp. afano)

* *Afananto*,
m.
Gênero de plantas ulmáceas.

*Afanar*,
v. i. e p.
Trabalhar com afan.
Afadigar-se.
V. t.
Buscar, adquirir, com afan.
(B. lat. ahanare)

* *Afanchonado*, adj. Inclinado aos vícios de fanchono.

* *Afandangado*, adj. Parecido ao fandango.

* *Afanésio*,
m.
Arseniato cúprico, hidratado, solúvel nos ácidos e no ammoníaco.

*Afanípteros*,
m. pl.
Ordem de insectos.
(Do gr. aphanes + pteron)

* *Afanita*,
f.
Espécie de rochas amphiboloides.
(Do gr. a priv. + phanos)

* *Afanítico*, adj. Relativo á afanita.

* *Afano*,
m.
O mesmo que afan. Cf. Filinto, VII, 202.
(De afanar)

* *Afanosamente*,
adv.
Com afan.
(De afanoso)

* *Afanoso*,
adj.
Cheio de afan.
Trabalhoso.

* *Afão*, m. P. us. O mesmo que afan.

* *Afaquear*, v. t. T. da Guarda. O mesmo que esfaquear.

* *Afaragatar*,
v. t. Prov. trasm.
Attrahir a casa, afazer a ella (cães, gatos, rapazes, etc.).
(Cp. afragatar-se)

* *Afarvar-se*,
v. p. Prov. trasm.
Afanar-se.
Apressar-se.
Mostrar-se atarefado.
* Prov.
Apanhar calor demasiado.
(Por afervar-se, de fervor?)

*Afasia*,
f.
Perda total ou parcial da voz.
(Do gr. a priv. + phasis)

*Afásico*, adj. Que tem afasia.

*Afasta!*, interj. (Imper. de afastar)

*Afastadamente*, adv. De modo afastado.

*Afastado*,
adj.
Distante: terras afastadas.
Que passou há muito: tempos afastados.
Diz-se do parente, que o não é nos primeiros graus: parente afastado.
(De afastar)

*Afastador*, m. O que afasta.

*Afastamento*,
m.
Acto de afastar.

*Afastar*,
v. t.
Desviar.
Apartar.
Tirar para longe.
(Do ant. cast. fasta)

*Afatiar*,
v. t.
Cortar em fatias.
Retalhar.

*Afável*,
adj.
Benévolo.
Cortês; delicado.
(Lat. affabilis)

*Afavelmente*, adv. De modo afável, com afabilidade.

*Afazendar-se*,
v. p.
Adquirir ou têr fazendas.
Enriquecer.

*Afazer*, v. t. Acostumar; habituar. Aclimar. * M. Prov. trasm. Trabalho agrícola. (De fazer)

* *Afazeres*,
m. pl. Gal.
Negócios; occupações, faina.
(Do fr. affaire)

* *Afazimento*,
m. Ant.
Communicação deshonesta; cóito.
Costume, hábito.
(De afazer)

*Afeadamente*,
adv.
De modo afeado.
Com fealdade.

*Afeado*,
adj.
Que se tornou feio.
Um tanto feio.
(De afear)

*Afeador*, m. O que afeia.

*Afeamento*, m. Acto de afear.

*Afear*,
v. t.
Tornar feio.
(Do ant. fêo==feio)

*Afecção*,
f.
Phenómeno mórbido do organismo animal.
(Lat. affectio)

*Afectação*,
f.
Acto ou effeito de afectar.
Fingimento.
Presumpção, vaidade.
(Lat. affectatio)

*Afectadamente*, adv. De modo afectado.

*Afectado*, adj. Que tem afectação. Presumido. Pretensioso. * Bras. Tísico, tuberculoso.

* *Afectante*, adj. Que afecta ou finge o que não é.

*Afectar*,
v. t.
Fingir.
Têr disposição para offender.
V. p.
Esmerar-se ridiculamente.
(Do lat. affectare)

* *Afectativo*, adj. Des. Desejoso.

*Afectivamente*, adv. De modo afectivo, com afecto.

* *Afectividade*,
f.
Faculdade, relativa aos sentimentos afectivos.

*Afectivo*,
adj.
Relativo a afecto.
Que mostra afecto; afectuoso.
(Lat. affectivus)

*Afecto*,
m.
Sentimento de inclinação para alguém.
Amizade.
Sympathia.
Paixão.
Adj.
Dedicado.
Afeiçoado.
Incumbido.
Pendente ou dependente de resolução superior: o assumpto está
affecto ao Ministro da Guerra
.
(Lat. affectus)

*Afectuosamente*, adv. De modo afectuoso.

*Afectuoso*,
adj.
Que tem afecto.
(Lat. affectuosus)

* *Afegane*,
adj.
Relativo ao Afeganistão.
M.
Habitante do Afeganistão.
Língua dêste país.

*Afeição*,
f.
Affecto.
(Lat. affectio)

*Afeiçoadamente*, adv. De modo affeiçoado.

*Afeiçoado*,^1
adj.
Que tem certa feição.
Apropriado.
(De afeiçoar)

*Afeiçoado*,^2
adj.
Que tem afeição (a alguém ou a alguma coisa).
Inclinado (a certas ideias ou systema).
(De affeiçoar)

*Afeiçoador*,
m.
O que afeiçôa.

* *Afeiçoamento*,
m.
Acto de afeiçoar.

*Afeiçoar*,^1
v. t.
Dar feição a.
Formar.
Adaptar, apropriar.

*Afeiçoar*,^2 v. t. Tomar afeição a. V. i. Adquirir afeição. V. p. Tomar afeição.

* *Afeitar*,^1 v. t. Ant. O mesmo que enfeitar.

* *Afeitar*,^2 v. t. Ant. O mesmo que afectar.

* *Afeite*, m. O mesmo que enfeite. Arrebique pretensioso: «versos que são afeites e desdoiros do estilo». Castilho, Primavera, (notas) Cf. Eufrosina, 294; Ferreira, Cioso, III; Peregrinação, Vieira, etc.

* *Afeitear*, v. t. Prov. minh. O mesmo que afeitar.

* *Afeito*,
adj.
Acostumado, habituado.
(De afazer)

* *Afelandra*,
f.
Gênero de plantas solâneas.
(Do gr. aphiles + aner, andros)

*Afelear*, v. t. Misturar com fel. Dar fel a. Fig. Desgostar.

*Afélio*,
m.
O ponto mais afastado, em que um planeta se encontra, em relação ao Sol.
(Do gr. apo + helios)

* *Afemear*, v. t. Des. O mesmo que effeminar.

* *Afemençar*, v. t. Ant. Avistar, vêr.

* *Afemia*, f. O mesmo que afasia.

*Afeminar*, v. t. (e der.) (V. effeminar, etc.)

* *Aferência*,
f.
Qualidade de aferente. Cf. Castilho, Fastos, I, 139.

*Aferente*,
adj.
Que conduz, que leva.
(Lat. afferens)

*Aférese*,
f. Gram.
Suppressão de sýllaba ou letra no princípio de palavra: batina,
por abbatina.
(Do gr. aphairesis)

* *Afergulhar-se*, v. t. Prov. trasm. O mesmo que afarvar-se.

*Aferição*, f. Acto ou effeito de aferir.

*Aferido*, m. Cale do moinho, caneiro de água para mover a azenha.

*Aferidor*, m. O que afere.

* *Aferimento*,
m.
O mesmo que aferição.

*Aferir*,
v. t.
Conferir; cotejar, comparar.
(Refl. de conferir?)

* *Aferível*,
adj.
Que se póde aferir: «medidas aferíveis.» Bol. do Trab. Industr.,
LXXXII, 17.

* *Afermosear*,
v. t. Ant.
O mesmo que aformosear.
(De fermoso)

* *Afermosentar*,
v. t. Ant.
O mesmo que aformosentar.
(De fermoso)

*Aferradamente*, adv. De modo aferrado.

*Aferrado*,
adj.
Teimoso; obstinado.
(De aferrar)

* *Aferrador*, m. Bras. Ave, o mesmo que ferrador ou araponga.

*Aferramento*,
m.
O mesmo que afêrro.

*Aferrar*, v. t. Prender com ferro. Segurar. * V. i. Ant. Lançar arpão. V. p. Teimar, obstinar-se.

* *Aferrenhadamente*,
adv.
Com afêrro; obstinadamente.

* *Aferrenhar*,
v. t.
Endurecer como ferro.
Obstinar.
Emperrar.

*Aferretoar*, v. t. (V. aferroar)

*Afêrro*,
m.
Acto ou effeito de aferrar.
Obstinação.
Grande dedicação.

*Aferroador*,
m.
O que aferrôa.

*Aferroar*, v. t. Picar com ferrão. Espicaçar. * V. i. Prov. dur. Amuar; embezerrar.

*Aferrolhador*,
m.
O que aferrolha.

*Aferrolhar*,
v. t.
Fechar com ferrolho.
Meter na prisão.
Guardar com cuidado: aferrolhar dinheiro.

* *Aferventação*,
f.
Acto de aferventar.

* *Aferventamento*,
m.
O mesmo que aferventação.
Calor.

*Aferventar*,
v. t.
Fazer ferver pouco.
Cozer com uma só fervura.
(De fervente)

* *Afervescido*, adj. Que se aferventou. Cf. Filinto, XVIII, 114.

*Afervoradamente*,
adv.
Com fervor.
Fervorosamente.

*Afervorar*,
v. t.
Pôr em fervura.
Communicar fervor, ardor, a.
Estimular: afervorar o zêlo de alguém.

* *Afestoar*,
v. t.
O mesmo ou melhor que festoar. Cf. Camillo, Brasileira, 201;
Filinto, V, 20.

* *Afestonar*, v. t. O mesmo que afestoar.

* *Afétena*,
f. Obsol.
Hostilidade; guerra.
(Do ár. al-fitna)

* *Afezoar*, ()
v. t. Ant.
Prometer casamento, jurando.
(De )

*Affábil*, adj. Ant. (V. affável)

*Affabilidade*,
f.
Qualidade do que é affável.
(Lat. affabilitas)

* *Affabilmente*, adv. O mesmo que affavelmente. Cf. Filinto, D. Man. I, 184.

*Affável*,
adj.
Benévolo.
Cortês; delicado.
(Lat. affabilis)

*Affavelmente*, adv. De modo affável, com affabilidade.

*Affecção*,
f.
Phenómeno mórbido do organismo animal.
(Lat. affectio)

*Affectação*,
f.
Acto ou effeito de affectar.
Fingimento.
Presumpção, vaidade.
(Lat. affectatio)

*Affectadamente*, adv. De modo affectado.

*Affectado*, adj. Que tem affectação. Presumido. Pretensioso. * Bras. Tísico, tuberculoso.

* *Affectante*, adj. Que affecta ou finge o que não é.

*Affectar*,
v. t.
Fingir.
Têr disposição para offender.
V. p.
Esmerar-se ridiculamente.
(Do lat. affectare)

* *Affectativo*, adj. Des. Desejoso.

*Affectivamente*, adv. De modo affectivo, com affecto.

* *Affectividade*,
f.
Faculdade, relativa aos sentimentos affectivos.

*Affectivo*,
adj.
Relativo a affecto.
Que mostra affecto; affectuoso.
(Lat. affectivus)

*Affecto*,
m.
Sentimento de inclinação para alguém.
Amizade.
Sympathia.
Paixão.
Adj.
Dedicado.
Afeiçoado.
Incumbido.
Pendente ou dependente de resolução superior: o assumpto está
affecto ao Ministro da Guerra
.
(Lat. affectus)

*Affectuosamente*, adv. De modo affectuoso.

*Affectuoso*,
adj.
Que tem affecto.
(Lat. affectuosus)

*Affeição*,
f.
Affecto.
(Lat. affectio)

*Affeiçoadamente*, adv. De modo affeiçoado.

*Affeiçoado*,
adj.
Que tem affeição (a alguém ou a alguma coisa).
Inclinado (a certas ideias ou systema).
(De affeiçoar)

* *Affeiçoamento*,
m.
Acto de affeiçoar.

*Affeiçoar*, v. t. Tomar affeição a. V. i. Adquirir affeição. V. p. Tomar affeição.

* *Affeitar*, v. t. Ant. O mesmo que affectar.

* *Afferência*,
f.
Qualidade de afferente. Cf. Castilho, Fastos, I, 139.

*Afferente*,
adj.
Que conduz, que leva.
(Lat. afferens)

*Affiliação*,
f.
Acto ou effeito de affiliar.

*Affiliar*,
v. t.
Aggregar, juntar, a uma corporação ou sociedade.
(Do lat. ad + filium)

*Affim*,
m. e adj.
Parente por affinidade.
Igual, semelhante: linguas affins.
(Lat. affinis)

* *Affimento*,
m. Des.
Limite commum de herdades.
(Cp. affim)

*Affinidade*,
f.
Parentesco, que um cônjuge contrái com a família do outro cônjuge.
Relação.
Semelhança; analogia.
Conformidade.
Chím.
Attracção molecular.
Relações orgânicas, (entre os vegetaes e os animaes).
(Lat. affinitas)

*Affirmação*,
f.
Acto de affirmar.
(Lat. affirmatio)

*Affirmadamente*, adv. Com affirmação.

*Affirmador*,
m.
O que affirma.
(Lat. affirmator)

*Affirmante*,
adj.
Que affirma.
(Lat. affirmans)

*Affirmar*,
v. t.
Asseverar; declarar com firmeza.
Confirmar.
V. p.
Certificar-se, vendo.
Olhar bem, attentamente.
* Ant.
Tornar firme; segurar bem. Cf. Rev. Lus., XVI, 1.
(Lat. affirmare)

*Affirmativa*,
f.
Declaração que affirma.
Affirmação.
* Náut.
Nos códigos de sinaes, a bandeira com que se affirma.

*Affirmativamente*,
adv.
De modo affirmativo.

*Affirmativo*,
adj.
Que affirma.
Que confirma.
Que envolve affirmação.
(Lat. affirmativus)

*Affixação*, f. Acto de affixar.

*Affixar*,
v. t.
Tornar fixo; segurar.
Pregar em logar público: affixar annúncios.
(Do lat. affixus)

* *Affixivo*, adj. Glot. Que tem affixo; que se caracteriza por affixos.

*Affixo*,
m.
Designação commum dos prefixos e suffixos.
Adj.
Fixado a; unido.
(Lat. affixus)

* *Afflante*,
adj.
Que respira.
Offegante. Cf. Camillo, Narcót, I, 156.
(Lat. afflans)

*Afflar*,
v. t.
Bafejar.
Soprar.
Inspirar.
(Lat. afflare)

*Afflato*,
m.
Sopro; bafejo; hálito.
(Lat. afflatus)

*Afflicção*,
f.
Grande soffrimento.
Atribulação.
Tormento.
(Lat. afflictio)

* *Afflictamente*,
adv.
De modo afflicto.
Com afflicção.

*Afflictivamente*, adv. De modo afflictivo: gritar afflictivamente.

*Afflictivo*,
adj.
Que produz afflicção; que contém afflicção.
(De afflicto)

*Afflicto*,
adj.
Que tem ou mostra afflicção.
Angustiado.
(Lat. afflictus)

* *Affligente*, adj. O mesmo que afflictivo.

*Affligidamente*, adv. O mesmo que afflictivamente.

* *Affligidor*, m. e adj. O que afflige.

* *Affligimento*,
m.
O mesmo que afflicção.

*Affligir*,
v. t.
Causar afflicção a.
Atormentar.
Angustiar.
(Lat. affligere)

*Affluência*,
f.
Corrente abundante.
Abundância.
Grande concorrência (de pessôas ou coisas)
(Lat. affluentia)

*Affluente*,
adj.
Que aflue; que corre.
Abundante.
M.
Corrente de água, que se vai lançar noutra.
(Lat. affluens)

*Affluir*,
v. t.
Correr para um lugar ou lado.
Derivar.
Concorrer.
(Lat. affluere)

*Affluxo*,
m.
Acto de affluir.
(Lat. affluxus)

* *Affonsim*,
adj. Ant.
O mesmo que affonsino.
Antiga moéda portuguesa.

* *Affonsinhos*,
m. pl.
Us. na loc. fam. era dos affonsinhos, (falando-se de coisa antiga ou
fóra da moda).
(Cp. affonsino)

*Affonsino*,
adj.
Relativo á 1.^a dynastia dos reis portugueses.
Também se diz das Ordenações, publicadas por Affonso V.
*
Antiquado, obsoleto: «termos affonsinos». Filinto, I, 5.

* *Affonsista*,
m.
Partidário de Affonso XII, em Espanha.

* *Affricata*,
f. Gram.
Dithongo consonântico, cujo principal elemento é uma explosiva e
o segundo uma fricativa do mesmo órgão. Cf. G. Viana, Pronúncia
Norm.
, 21.

* *Affundir*, v. t. Banhar em jactos de água.

*Affusão*,
f.
Acto de derramar.
Banho.
Aspersão.
Jacto de água no corpo, para se obter resfriamento subito.
(Do lat. ad + fusio)

*Afiação*, f. Acto de afiar.

*Afiado*,
adj.
Que tem fio cortante.
Acicalado.

* *Afiador*, m. O que afia.

* *Afiambrado*,
adj. Fam.
Diz-se do indivíduo demasiadamente apurado no trajar.
(De afiambrar-se)

* *Afiambrar-se*,
v. p.
Apurar-se demasiadamente no trajar.
(De fiambre)

*Afiançador*,
m.
O que afiança.

*Afiançar*,
v. t.
Sêr fiador de; abonar; responsabilizar-se por.
(De fiança)

*Afiar*, v. t. Dar fio a. Tornar cortante. Fig. Irritar. Aperfeiçoar.

* *Aficadamente*,
adv.
Com insistência.
(De aficado)

* *Aficado*,
adj.
Assediado.
Apertado. Cf. Fernão Lopes.
(De aficar)

* *Aficamento*, m. Ant. Acto de aficar.

* *Aficar*,
v. i. e p. Ant.
Insistir, teimar.
(Cp. fixar)

*Afidalgadamente*, adv. Á maneira de fidalgo.

*Afidalgado*,
adj.
Que tem ares ou maneiras de fidalgo.
(De afidalgar)

* *Afidalgamento*,
m.
Acto de afidalgar ou de se afidalgar.

*Afidalgar*,
v. t.
Tornar fidalgo.
Dar semelhança de fidalgo a.

*Afidífagos*,
m. pl.
Insectos coleópteros da secção dos trímeros.
(Do gr. aphis + phagein)

*Afídios*,
m. pl.
Nome scientifico dos pulgões, que vivem nos vegetaes e os damnificam.
(Do gr. aphis + eidos)

* *Afifano*,
m.
Homem natural de Afife, no termo do Porto.
Fig.
Trolha, caiador.

* *Afifar*, v. t. e i. Prov. O mesmo que afinfar.

*Afiguração*,
f.
Acto ou effeito de afigurar.

* *Afiguradamente*,
adv.
Em figura; na presença.

*Afigurar*,
v. t.
Representar.
Imaginar.
Dar figura, fórma a.
V. p.
Dar ideia.
Parecer: afigura-se-me que é verdade.

* *Afigurativo*, adj. Que encerra figura ou parábola.

* *Afilado*,
adj.
Adelgaçado.
Ponteagudo: nariz afilado.
(De afilar^3)

* *Afilador*,
m.
O mesmo que aferidor.
(De afilar^1)

* *Afiladura*,
f.
Acto de afilar^1; aferição.

* *Afilamento*,
m.
Acto ou effeito de afilar^1, aferição.

*Afilar*,^1
v. t.
Aferir, examinar ou cotejar com outro (pêso, balança ou medida).
(Cf. afiar)

*Afilar*,^2
v. t.
Açular, instigar (um cão) para que file.
(De filar)

*Afilar*,^3
v. t.
Adelgaçar.
Tornar afiado.
(Do lat. filum, fio)

*Afilhada*, f. (flexão fem. de afilhado) * Prov. alent. Porca, que já conhece os filhos e que, para isso, teve de estar fechada com êlles, por alguns dias. * Adj. Prov. alent. Diz-se da fêmea que tem filhos.

* *Afilhadagem*,
f.
Os afilhados; porção de afilhados.
Patronato.
Nepotismo.

*Afilhado*,
m.
Diz-se, em relação aos padrinhos, o que recebe o baptismo ou
confirmação; o que se casa; o que se bate em duello, etc.
O que é protegido, em relação ao protector.
(De afilhar)

* *Afilhador*, m. Prov. alent. O cabreiro que afilha as cabras.

*Afilhar*, v. i. Dar filhos, rebentos, (falando-se de plantas). * V. t. Prov. alent. Distribuir a (cabras) os filhos destas.—Quando as mães voltam sem êlles do pasto ao corveiro, onde ficaram os filhos, o cabreiro distribue a cada uma o filho respectivo.

* *Afilharar*, v. i. Prov. Ter filharada, ter muitos filhos.

* *Afilhastro*,
m. T. de Moncorvo.
Filho natural.
Enteado.

*Afiliação*, f. Acto ou effeito de afiliar.

*Afiliar*,
v. t.
Aggregar, juntar, a uma corporação ou sociedade.
(Do lat. ad + filium)

*Afilo*,
adj.
Que não tem fôlhas.
(Do gr. a priv. + phullon)

*Afim*,
m. e adj.
Parente por afinidade.
Igual, semelhante: linguas afins.
(Lat. affinis)

* *Afimento*,
m. Des.
Limite commum de herdades.
(Cp. affim)

*Afinação*,
f.
Acto de afinar.
Qualidade de afinado.

*Afinadamente*, adv. Com afinação.

*Afinado*,
adj.
Que se afinou; que está no devido tom, (falando-se de instrumentos
músicos).
* Prov. dur.
Finório, sagaz.

*Afinador*, m. O que afina.

* *Afinagem*,
f.
Purificação de metaes.

*Afinal*,
adv.
Em-fim, finalmente.
(De final)

* *Afinamento*,
m.
Acto de afinar, (metaes, instrumentos, etc.).

*Afinar*,
v. t.
Tornar fino.
Apurar.
Pôr no devido tom.
*
Purificar, depurar (um metal).
* Pop.
Irritar. Cf. Moreno, Comédia, II, 153.
* Prov. dur.
Escutar; espreitar.

*Afincadamente*, adv. Com afinco.

*Afincamento*,
m.
(V. afinco)

* *Afincância*,
f. Prov. alent.
Persistência no trabalho, no esfôrço.
(De afincar)

*Afincar*, v. t. Plantar de estaca. * Pop. Afinfar. V. i. Aferrar-se. Insistir; persistir. (De fincar)

*Afinco*,
m.
Acto de afincar.
Afêrro, pertinácia.

* *Afincoar*, v. t. e i. Pôr fincões.

* *Afinfar*, v. t. Gír. Dar, despedir (pancada). V. i. Bater. Chul. Têr cópula (um homem).

* *Afinhar*,
v. t. Prov. trasm.
Importunar; fatigar.
V. i.
O mesmo que emmagrecer.
(Cp. afinar)

* *Afinheiro*,
adj. Prov. trasm.
Que afinha, que mortifica.
Importuno.
Teimoso.
(De afinhar)

*Afinidade*,
f.
Parentesco, que um cônjuge contrái com a família do outro cônjuge.
Relação.
Semelhança; analogia.
Conformidade.
Chím.
Attracção molecular.
Relações orgânicas, (entre os vegetaes e os animaes).
(Lat. affinitas)

*Afirmação*,
f.
Acto de afirmar.
(Lat. affirmatio)

*Afirmadamente*, adv. Com afirmação.

*Afirmador*,
m.
O que afirma.
(Lat. affirmator)

*Afirmante*,
adj.
Que afirma.
(Lat. affirmans)

*Afirmar*,
v. t.
Asseverar; declarar com firmeza.
Confirmar.
V. p.
Certificar-se, vendo.
Olhar bem, attentamente.
(Lat. affirmare)

*Afirmativa*,
f.
Declaração que afirma.
Afirmação.
* Náut.
Nos códigos de sinaes, a bandeira com que se afirma.

*Afirmativamente*, adv. De modo afirmativo.

*Afirmativo*,
adj.
Que afirma.
Que confirma.
Que envolve afirmação.
(Lat. affirmativus)

* *Afistulado*,
adj.
Que tem fístulas; fistuloso.
(De fistular)

*Afistular*,
v. t.
Fazer fístula a.
Converter em fístula.

* *Afitado*,
adj. Bot.
Diz-se das fôlhas lineares, muito compridas.
(De afitar^1)

*Afitar*,^1 v. t. (e der.) (V. fitar, etc.)

*Afitar*,^2
v. t. Ant.
Causar indigestão, diarreia.
(De afito)

*Afito*, m. Ant. Indigestão, diarrheia.

* *Afiusar*, (fi-u)
v. t.
Inspirar confiança a.
V. p.
Têr confiança ou esperança em alguma coisa.
(De fiúsa)

*Afivelar*,
v. t.
Apertar com fivela.
Segurar.

*Afixação*, f. Acto de afixar.

*Afixar*,
v. t.
Tornar fixo; segurar.
Pregar em logar público: afixar annúncios.
(Do lat. affixus)

* *Afixivo*, adj. Glot. Que tem afixo; que se caracteriza por afixos.

*Afixo*,
m.
Designação commum dos prefixos e suffixos.
Adj.
Fixado a; unido.
(Lat. affixus)

*Aflamengado*, adj. Semelhante aos Flamengos.

* *Aflante*,
adj.
Que respira.
Offegante. Cf. Camillo, Narcót, I, 156.
(Lat. afflans)

* *Aflar*,^1 v. t. Ant. O mesmo que achar.

*Aflar*,^2
v. t.
Bafejar.
Soprar.
Inspirar.
(Lat. afflare)

*Aflato*,
m.
Sopro; bafejo; hálito.
(Lat. afflatus)

*Aflautar*,
v. t.
Tornar semelhante á flauta no feitio, no som.
Tornar esguio.

*Afleimar*, v. t. (V. afleumar)

*Afleimar-se*,
v. p. Pop.
Irritar-se.
Impacientar-se.
(Do lat. flamma)

*Afleumar*,
v. t.
Tornar fleumático, pachorrento.
(De fleuma)

*Aflição*,^1
f.
Grande soffrimento.
Atribulação.
Tormento.
(Lat. afflictio)

* *Afligente*, adj. O mesmo que aflitivo.

*Afligidamente*, adv. O mesmo que aflitivamente.

* *Afligidor*, m. e adj. O que aflige.

* *Afligimento*,
m.
O mesmo que aflição.

*Afligir*,
v. t.
Causar aflicção a.
Atormentar.
Angustiar.
(Lat. affligere)

* *Aflitamente*,
adv.
De modo aflicto.
Com aflicção.

*Aflitivamente*, adv. De modo aflictivo: gritar aflictivamente.

*Aflitivo*,
adj.
Que produz aflicção; que contém aflicção.
(De afflicto)

*Aflito*,
adj.
Que tem ou mostra aflicção.
Angustiado.
(Lat. afflictus)

*Aflogístico*,
adj.
Que arde sem chamma.
(De phlogístico)

* *Afloixar*, v. t. Ant. O mesmo que afroixar.

* *Afloração*,
f.
Acto ou effeito de aflorar.
Nivelamento.
Emergencia de um filão á superficie da terra.
Extremidade dêsse filão.

* *Afloramento*,
m.
Acto de aflorar. Cf. Techn. Rur., 45.

* *Aflorar*,
v. t.
Nivelar (uma superficie) com outra.
Nivelar.
V. i.
Emergir á superficie. Cf. Castilho, Fastos, III, 421.
(De flôr)

* *Aflouxar*, v. t. Ant. O mesmo que afrouxar.

* *Afloxar*, v. t. Ant. O mesmo que afroixar. Cp. Usque, Tribulações, 24.

*Afluência*,
f.
Corrente abundante.
Abundância.
Grande concorrência (de pessôas ou coisas).
(Lat. affluentia)

*Afluente*,
adj.
Que aflue; que corre.
Abundante.
M.
Corrente de água, que se vai lançar noutra.
(Lat. affluens)

*Afluir*,
v. t.
Correr para um lugar ou lado.
Derivar.
Concorrer.
(Lat. affluere)

*Afluxo*,
m.
Acto de afluir.
(Lat. affluxus)

* *Afobado*, adj. Bras. pop. Atrapalhado, precipitado.

* *Afobar-se*,
v. p. Bras. pop.
Atrapalhar-se.
Fazer qualquer coisa com precipitação.

*Afocinhamento*,
m.
Acto de afocinhar.

*Afocinhar*,
v. t.
Escavar com o focinho, fossar.
Bater com o focinho.
*
Fazer cair de focinhos.
V. i.
Ir ao chão.

*Afofadamente*, adv. Á maneira de objecto afofado.

*Afofado*, adj. Que se tornou fofo.

*Afofamento*,
m.
Effeito de afofar.

*Afofar*,
v. t.
Tornar fofo, molle.
* V. i. Prov. alent.
Antegostar qualquer coisa; preparar-se para gozar.

* *Afogação*,
f. Ant.
Imposto, que os emphyteutas pagavam pelo direito de moradia.
(De fogo)

*Afogadamente*,
adv.
De afogadilho.
Á pressa.

*Afogadela*, f. (V. afogadilho)

*Afogadiço*, adj. Que facilmente se afoga; falto de ar.

*Afogadilho*, m. Pressa. Loc. adv. De afogadilho, apressadamente. Atabalhoadamente. (De afogar)

*Afogador*,
m. e adj.
O que afoga.
Abafador.
M.
Collar de mulher, gargantilha.
*
O mesmo que o abafador, em certas seitas.

* *Afogadura*,
f.
O mesmo que afogamento.

* *Afogamento*,
m.
Acto de afogar.

*Afogar*,
v. t.
Asphyxiar, abafar.
Impedir: afogar expansões.
Ensopar.
Não deixar crescer: as ervas afogam as flores.
Acanhar.
Extinguir.
(Do lat. offocare)

*Afôgo*,
m.
Suffocação.
Oppressão.
Afflicção.
Pressa.
(De afogar)

*Afogueadamente*,
adv.
Com calor.
Enthusiasticamente.

*Afogueado*,
adj.
Esbraseado.
Vermelho, còrado: faces afogueadas.
Que tem côr de fogo; avermelhado: na fimbria afogueada do poente.
(De afoguear)

* *Afogueamento*,
m.
Acto ou effeito de afoguear.
Cf. Camillo, Estrêl. Fun., 153.

*Afoguear*,
v. t.
Queimar.
Enrubescer; tornar còrado.
Dar côr de fogo a.
Enthusiasmar.
(De fogo)

* *Afoguentar*,
v. t. Prov. alg.
Apressar.
(De fogo)

* *Afoicinhado*,
adj. Ant.
Dizia-se do capão, cujas pennas na cauda são grandes e reviradas como
uma foice.

*Afoitadamente*, adv. (V. afoitamente)

*Afoitamente*,
adv.
Com afoiteza.
(De afoito)

*Afoitar*,
v. t.
Tornar afoito.
Estimular.

*Afoiteza*,
f.
Qualidade do que é afoito.
Coragem.
Ousadia.

*Afoito*,
adj.
Ousado.
Corajoso.
Audaz.

* *Afolar*, m. O mesmo que folar.

*Afolhamento*,
m.
Acto de afolhar.

*Afolhar*, v. t. Dividir (o campo) em fôlhas ou porções, para lhes alternar a cultura.

* *Afomear*, v. t. Causar fome a. Cf. Filinto, XI, 123.

*Afonia*, f. O mesmo que afasia.

*Afónico*, adj. Que tem afonia.

* *Afonsim*,
adj. Ant.
O mesmo que afonsino.
Antiga moéda portuguesa.

* *Afonsinhos*,
m. pl.
Us. na loc. fam. era dos afonsinhos, (falando-se de coisa antiga ou
fóra da moda).
(Cp. affonsino)

*Afonsino*,
adj.
Relativo á 1.^a dynastia dos reis portugueses.
Também se diz das Ordenações, publicadas por Affonso V.
*
Antiquado, obsoleto: «termos affonsinos». Filinto, I, 5.

* *Afonsista*,
m.
Partidário de Affonso XII, em Espanha.

*Afora*,
prep.
Á excepção de.
Além de.
(De a + fora)

* *Aforação*,
f.
O mesmo que aforamento.

* *Aforador*,
m.
O que afora ou dá alguma coisa de aforamento.

*Aforamento*,
m.
Acto ou effeito de aforar.

*Aforar*,
v. t.
Receber, com foro.
Dar, por meio de foro.

* *Aforciar*, v. t. Ant. O mesmo que forçar ou violentar (uma mulher).

*Aforçurado*,
adj.
Apressado, afanoso.
(De aforçurar)

* *Aforçuramento*,
m.
Acto de aforçurar.

*Aforçurar*,
v. t. Pop.
O mesmo que apressar.
(Talvez corr. de apressurar, sob a infl. de fôrça)

* *Aforia*, f. Med. Esterilidade.

* *Aforismático*, adj. Relativo a aforismo.

*Aforismo*,
m.
Máxima, sentença, que em poucas palavras encerra princípio de grande
alcance.
(Gr. aphorismos)

*Aforista*, m. Aquelle que faz ou usa aforismos.

*Aforístico*,
adj.
Que encerra aforismo.
(Gr. aphoristikos)

* *Aformosar*, v. t. O mesmo que aformosear. Cf. Filinto, I, 28 e 199.

*Aformoseadamente*,
adv.
De modo aformoseado.

*Aformoseado*,
adj.
Que se tornou formoso.
Enfeitado.
(De aformosear)

* *Aformoseador*,
m.
O que aformoseia.

*Aformoseamento*,
m.
Acto ou effeito de aformosear.

*Aformosear*,
v. t.
Tornar formoso.
Enfeitar.

*Aformosentar*, v. t. O mesmo que aformosear.

* *Aforquilhamento*,
m.
Acto de aforquilhar.

*Aforquilhar*,
v. t.
Prender com forquilha.
Dar fórma de forquilha a.

* *Aforradamente*,
adv.
Livremente. Cf. Herculano, Lend. e Narr., II, 67; e Bobo, 102.
(De aforrar^2)

*Aforrado*,^1
adj.
Forrado, enchumaçado.
*
Disfarçado em traje que não é seu.
(De forrar^1)

*Aforrado*,^2 adj. Ant. Apressado. Cf. Góes, D. Man. II, 21.

* *Aforramento*,
m.
Acto ou effeito de aforrar.

*Aforrar*,^1
v. t.
Pôr fôrro em, enchumaçar.
O mesmo que forrar^1.
Arregaçar (a manga), dobrando o bocal para cima.

*Aforrar*,^2
v. t.
Tornar fôrro, libertar.
Economizar, juntando.
O mesmo que forrar^2.
* V. i.
Viajar como escoteiro. Cf. Camillo, Caveira.

* *Aforritar*,
v. i. Prov.
Fugir, voar, (falando-se de ave, que escapou das mãos de alguém).
(Cp. fôrro^2)

*Afortalezar*,
v. t. Ant.
Fortificar.
(De fortaleza)

* *Afortelegar*, v. t. Ant. O mesmo que afortalezar.

*Afortunadamente*, adv. De modo afortunado.

*Afortunado*,
adj.
Favorecido pela fortuna.
Feliz.
(De afortunar)

*Afortunar*,
v. t.
Dar fortuna a; tornar feliz.
(Lat. fortunare)

* *Afortunoso*, adj. O mesmo que afortunado.

* *Afosseirado*,
adj. Ant.
Onerado com o imposto ou encargo de fossadeira. Cf. Herculano, Hist. de
Port.
, III, 323 e 327.

*Afouto*,
adj.
Ousado.
Corajoso.
Audaz.

*Afracado*, adj. Que está fraco.

*Afracamento*,
m.
Acto de afracar.

*Afracar*, v. t. O mesmo que enfraquecer.

* *Afracto*,
m.
Navio longo, sem coberta, entre os antigos.
(Gr. aphraktos)

* *Afragar*, m. Ant. O mesmo que verdete.

* *Afragatado*,
adj.
Semelhante a um fragata, (embarcação). Cf. B. Pereira, Prosódia,
vb. ratiariae.

* *Afragatar-se*,
v. p. T. de Lisbôa.
Galantear, requestar alguém.
Insinuar-se, para attingir fins libidinosos.

* *Aframengado*,
adj.
Descomposto, desenvolto? «aframengado de gesto». Anat. Joc. I, 3.
*
Que parece framengo.
Alvo e loiro.
(Por aflamengado, de flamengo?)

*Afrancesadamente*,
adv.
Á francesa; á maneira dos Franceses.

*Afrancesado*,
adj.
Que tem modos, aspecto ou feitio de francês.
(De afrancesar)

*Afrancesar*, v. t. Tornar semelhante a francês; dar modos de francês a.

* *Afraquentar*, v. t. Des. Tornar fraco; enfraquecer.

*Afrechado*, (fré)
adj.
Que tem fórma de frecha.
(De afrechar)

*Afrechar*, (fré)
v. t.
Dar fórma de frecha a.
Ferir com frecha.

*Afreguesado*, (fré)
adj.
Que se tornou freguês.
Cliente.
(De afreguesar)

*Afreguesar*, (fré)
v. t.
Tornar freguês, cliente.
Adquirir fregueses, clientes, para: afreguesar um botequim.

* *Afregulhado*,
adj.
Apressado; precipitado.
(Talvez por afagulhado, de fagulha. Cp. fagulha)

*Afreimar*,
v. t.
O mesmo que afleumar.
Tornar apressado, impaciente. Cf. Castilho, Fausto, 117 e 390.
(De freima)

* *Afrentar*,
v. i. Ant.
Confinar, convizinhar, sêr contíguo.
(De frente)

*Afrescar*, v. t. (e der.) (V. refrescar, etc.)

*Afretar*, v. t. (e der.) (V. fretar, etc.)

* *Africanada*,
f. Açor.
Fanfarronada.
(De africano)

* *Africanamente*,
adv.
Á maneira de africano.
Como na África.

* *Africanas*,
f. pl.
Argolas de oiro para as orelhas, á semelhança das que usam indígenas
da África.

*Africanismo*,
m.
Vício, costume ou modo próprio da África.

* *Africanista*,
m.
O que se dedica ao estudo das coisas da África.

* *Africanizar*, v. t. Tornar africano; dar feição africana a.

*Africano*,
adj.
Relativo á África.
M.
Indivíduo natural da África.
(Lat. africanus)

* *Africata*,
f. Gram.
Dithongo consonântico, cujo principal elemento é uma explosiva e
o segundo uma fricativa do mesmo órgão. Cf. G. Viana, Pronúncia
Norm.
, 21.

*Afro*,
m. e adj.
O mesmo que africano.
(Lat. afer)

* *Afrodíseas*, f. pl. Antigas festas gregas, em honra de Vênus.

*Afrodisia*,
f.
Aptidão para a geração.
(Gr. aphrodisia)

*Afrodisíaco*,
adj.
Que restaura as fôrças geradoras.
(De aphrodisia)

* *Afrodisiasmo*,
m.
Cópula carnal.
(Cp. aphrodisia)

* *Afrodisiografia*,
f.
O mesmo que afroditografia.

* *Afrodisiográfico*,
adj.
Relativo á afrodisiografia.

* *Afrodisiógrafo*,
m.
Aquelle que se occupa de afrodisiografia.

* *Afroditas*,
f. pl.
Designação, dada por alguns naturalistas ás plantas cryptogâmicas.
(Do gr. Aphrodite, n. de Vênus)

* *Afroditografia*,
f.
Descripção do planeta Vênus.

*Afroixadamente*, adv. O mesmo que froixamente.

*Afroixamento*,
m.
Acto ou effeito de afroixar.

*Afroixar*,
v. t.
Tornar froixo.
Alargar.
Deminuir o movimento de.

*Afroixelar*,
v. t.
Tornar macio como froixel.
Cobrir de froixel.

* *Afronhado*, adj. Que tem fórma de fronha.

* *Afrónitro*,
m. Des.
Flôr ou escuma de nitro.
(Lat. aphronitrum)

*Afronta*,
f.
Desprêzo ou injúria lançada em rosto.
Assalto; violência.
(De afrontar)

*Afrontadamente*, adv. Com afronta.

*Afrontadiço*, adj. Que facilmente se afronta.

*Afrontador*,
m.
O que afronta.

*Afrontamento*,
m.
Acto de afrontar.
Estado do que se afronta.
Perturbação de cabeça.

* *Afrontante*, adj. Que afronta. Cf. Ortigão, Praias, 118.

*Afrontar*,
v. t.
Desprezar; injuriar pessoalmente, directamente.
Ultrajar de cara a cara.
Causar perturbação de cabeça a.
Prov. minh.
Segurar; tornar firme de um lado.
* V. p.
Encontrar-se de frente, de cara a cara: «até que se afrontou com dous
mercadores de Tunes.
» Filinto, D. Man., I, 92.
(B. lat. frontare)

*Afrontosamente*, adv. De modo afrontoso.

*Afrontoso*,
adj.
Que envolve afronta.
Que causa afronta.
(De afrontar)

*Afrouxar*,
v. t.
Tornar froixo.
Alargar.
Deminuir o movimento de.

* *Afruitejugar*, v. i. Ant. O mesmo que afruitenegar.

* *Afruitenegar*,
v. i. Ant.
O mesmo que afrutar; tornar-se productivo, depois de sêr estéril,
(falando-se de terrenos).

* *Afrutado*,
adj.
Carregado de frutos.
Fecundo; prolífico.

* *Afrutar*, v. i. Carregar-se de frutos. Frutificar. * V. t. Prov. Pôr a dar fruto; cultivar.

*Afta*,
f.
Pequena ulceração na mucosa, principalmente dentro da bôca.
(Do gr. aphtai)

* *Aftaguir*,
m.
Pendão, usado nas solennidades gentílicas da Índia
Portuguesa. Cf. Th. Ribeiro, Jornadas, II, 113.

*Aftoso*,
adj.
Relativo a aftas.
Que tem aftas.

* *Afugentador*,
m.
O que afugenta.

*Afugentamento*,
m.
Acto de afugentar.

*Afugentar*,
v. t.
Pôr em fuga.
Repellir: afugentar os inimigos.
(De fugente)

* *Afumados*, m. pl. T. de Moncorvo. Arredores, cercanias.

* *Afumadura*,
f.
Acto ou effeito de afumar.

* *Afumar*,
v. t.
Tornar escuro; esfumar.
Ant.
Tornar cultivado e habitado (um terreno). Cf. Garrett, Camões.
(De fumo)

* *Afumear*, v. t. O mesmo que afumar. Cf. Filinto, XVIII, 232.

* *Afumegar*, v. i. O mesmo que fumegar. Cf. Herculano, Hist. de Port., III, 369.

* *Afundamento*,
m.
Repressão.
Acto ou effeito de afundar.

*Afundar*, v. t. Meter no fundo. Escavar. Examinar: afundar um problema. * V. i. Ir ao fundo. Cf. Filinto, IV, 101.

*Afundir*,^1 v. t. O mesmo que afundar.

* *Afundir*,^2 v. t. Banhar em jactos de água.

*Afuniladamente*, adv. Á maneira de funil.

*Afunilado*, adj. Que tem fórma semelhante á de funil, ou fórma de funil.

*Afunilar*, v. t. Dar fórma de funil a.

* *Afurá*, m. Bras. Bolo de arroz fermentado.

*Afuroador*, m. O que afurôa.

*Afuroar*,
v. t.
Lançar o furão a.
Investigar.
Descobrir. Cf. Castilho, Fausto, 44.
* V. i.
Investigar, fazer pesquisas. Cf. Filinto, III, 101.

*Afusado*,
adj.
Aguçado como um fuso.
(De afusar)

* *Afusal*, m. O mesmo que efusal.

*Afusão*,
f.
Acto de derramar.
Banho.
Aspersão.
Jacto de água no corpo, para se obter resfriamento subito.
(Do lat. ad + fusio)

*Afusar*, v. t. Aguçar como um fuso.

* *Afustuado*,
adj.
Que tem fustes. Cf. Benalcanfor, Cartas de Viagem, LVI.
(Má derivação de fuste)

*Afuzilar*, v. t. e i. (e der) O mesmo que fuzilar, etc.

* *Afzélia*,
Planta, africana, da fam. das leguminosas.
(De Afzélius, n. p.)

*Agá*,^1 m. Nome da letra H.

* *Agá*,^2 m. Dignidade militar entre os Turcos.

* *Agabar*, v. t. (e der.) Ant. O mesmo que gabar, etc.

* *Agachadamente*, adv. Ás escondidas.

* *Agachadeira*,
f.
Pequena ave pernalta do Brasil.

* *Agachados*,
m. pl. Bras. de Minas.
Mesuras; adulação.
(De agachar)

* *Agachamento*,
m.
Acto ou effeito de agachar.

*Agachar*, v. t. Esconder, encobrir. V. p. Abaixar-se, encolher-se, para se esconder.

* *Agachis*,
m. Prov. beir.
Cabana de mato, onde o caçador se agacha, esperando a caça.
(De agachar)

*Agacho*, m. O mesmo que agachamento.

*Agadanhador*,
m.
O que agadanha.

*Agadanhar*,
v. t.
Agarrar com o gadanho.
Ferir com as unhas; agatanhar.

*Agafanhar*,
v. t.
Agarrar com a gafa.
Empolgar.

* *Agafita*, f. Turquesa azul, vulgarmente turquesa oriental.

* *Agaiar*, v. t. Prov. trasm. Esconder. V. p. Fazer parede (o estudante).

* *Agaiatado*,
adj.
Que tem modos de gaiato.
Malicioso.

*Agaiatar-se*, v. p. Tornar-se gaiato; adquirir modos de gaiato.

* *Agaitado*,
adj. Prov. minh.
Diz-se da voz ou do som, semelhante ao de uma gaita. (Colhido em
Paredes-de-Coira)

* *Agajar*,
v. t. Ant.
Seguir ou acompanhar por obrigação.
(Cp. engajar)

* *Agalactação*,
f.
Falta ou suppressão de leite no peito das mulheres, sôbre o parto.
(Do gr. _a_priv. + gala, leite)

*Agalactia*,
f.
Falta de leite para amamentar.
(Do gr. _a_priv. + gala)

* *Agaláctico*, adj. Relativo á agalactia.

*Agalanar*, v. t. (e der.) (V. engalanar, etc.)

* *Agalardoar*, v. t. (e der.) Ant. O mesmo que galardoar, etc.

* *Agalaxia*, (csi)
f.
O mesmo que agalactia.

*Agalegadamente*, adv. Á maneira de galego.

*Agalegado*,
adj.
Relativo aos Galegos.
Que tem modos de galego.

*Agalegar*,
v. t.
Tornar semelhante a galego.
Tornar indelicado.

* *Agalgado*, adj. Parecido com o galgo.

* *Agalha*, f. Des. O mesmo que galha^2.

* *Agalimar*, v. t. Prov. beir. Acarinhar; afagar.

*Agallegadamente*, adv. Á maneira de gallego.

*Agallegado*,
adj.
Relativo aos Gallegos.
Que tem modos de gallego.

*Agallegar*,
v. t.
Tornar semelhante a gallego.
Tornar indelicado.

*Agálloco*, m. Planta euphorbiácea, cuja madeira é o chamado calambuco.

* *Agalmatólitho*,
m.
Talco compacto, de que se fazem na China figuras grutescas.

* *Agalmatólito*,
m.
Talco compacto, de que se fazem na China figuras grutescas.

*Agaloado*,
adj.
Guarnecido de galões.
Que usa traje com galões.

*Agaloadura*,
f.
Guarnição de galões.
Acto de agaloar.

*Agaloar*, v. t. Guarnecer de galões.

*Agáloco*, m. Planta euphorbiácea, cuja madeira é o chamado calambuco.

* *Agalostêmono*,
adj.
Diz-se das plantas, cujos estames existem alternadamente no cálice e
na corolla.
(Do gr. galos + stemon)

*Agami*, f. Ave gallinácea da América do Sul.

*Agamia*, f. Qualidade das plantas ágamas.

* *Agamianos*, m. pl. Familia de reptis sáurios.

* *Agamogênese*,
m. Physiol.
Geração asexual.
(Do gr. agamos + genesis)

* *Aganado*,
adj.
Entanguido, cansado. Cf. Techn. Rur., 80; Camillo, Brasileira, 205.
(De aganar)

* *Aganar*,
v. t.
O mesmo que [[entanguir|estanguir-se]].
V. i. Prov. trasm.
Offegar, deitando a língua de fóra, (falando-se dos cães).

* *Aganísia*,
f.
Planta americana, da fam. das orchídeas.
(Do gr. aganos)

* *Aganistos*, m. pl. Gênero de insectos lepidópteros.

* *Agapânthia*,
f.
Insecto coleóptero tetrâmero.
(Do gr. agapao + anthos)

* *Agapantho*,
m.
Planta liliácea, de origem africana, raiz bulbosa, e flôres azues.
(Do gr. agape + anthos)

* *Agapântia*,
f.
Insecto coleóptero tetrâmero.
(Do gr. agapao + anthos)

* *Agapanto*,
m.
Planta liliácea, de origem africana, raiz bulbosa, e flôres azues.
(Do gr. agape + anthos)

*Agapetas*, ()
f. pl.
Virgens ou viúvas, que, nos primeiros tempos do Christianismo, faziam
vida commum.
(Gr. agapete)

*Agapetos*, ()
m. pl.
Clérigos, que, nos primeiros tempos do Christianismo, viviam em commum.
(Gr. agapetos)

* *Agaporni*,
m.
Pequeno papagaio da América do Sul.
(Do gr. agapao + ornis)

* *Agar*, m. Bacter. O mesmo que gelatina: cultura de bacillos em agar.

* *Agar-agar*,
m.
Gêlo compacto, preparado pelos Malaios, e de que actualmente se fazem
na Europa diversas applicações industriaes.

* *Agara*, m. Madeira da China e do Japão, também conhecida por madeira de cheiro.

* *Agaranis*, m. pl. Indígenas brasileiros das margens do Rio-Branco.

* *Agaras*,
f. pl.
Gênero de esponjas, de fibras longitudinaes simples, separadas por
membrana finíssima.

* *Agárdias*, f. pl. Gênero de algas.

* *Agaré*, m. Bras. Planta têxtil.

* *Agarejo*, m. Prov. alent. O mesmo que algarejo.

*Agareno*,
m. e adj.
Descendente de Agar; ismaelita; árabe; moiro.
(De Agar, n. p.)

* *Agaricáceas*,
f. pl.
Família de cogumelos, que têm por typo o agárico.
(De agariceo)

* *Agaríceas*,
f. pl.
Família de cogumelos, que têm por typo o agárico.
(De agariceo)

* *Agariceo*, adj. Relativo ou semelhante ao agárico.

* *Agarícia*,
f.
Pólypo dos países quentes, semelhante ao agárico.

* *Agaricícola*,
adj.
Diz-se dos insectos, que vivem nos agáricos.
(Do gr. ogaricon + lat. colere)

* *Agaricina*,
f. Chím.
Princípio activo do agárico, usado em Medicina para combater os suores
frios dos tísicos.

* *Agaricíneas*, f. pl. O mesmo que agaríceas.

*Agárico*,
m.
Nome de vários cogumelos.
(Lat. agaricum)

* *Agarimar*, v. t. Prov. minh. O mesmo que agalimar.

* *Agaristos*,
m. pl.
Gênero de insectos lepidópteros.
(Gr. akharistos)

* *Agarnachar*, v. t. Vestir de garnacha.

*Agarotado*, adj. Semelhante a garoto; que tem modos de garoto.

*Agarotar*, v. t. Tornar garoto, travesso.

* *Agarração*,
f.
Acto de agarrar: «seria inverosímil agarração». Camillo,
Caveira, 64. Cf. Filinto, I. 94.

* *Agarradiço*, adj. Costumado a agarrar-se.

* *Agarrado*,
adj. Fam.
Muito económico.
Sovina, avarento.
(De agarrar)

*Agarrador*,
m.
O que agarra.
* m.
Nome de um peixe, o mesmo que rêmora.

* *Agarrante*, m. e adj. Aquelle que agarra. Cf. Herculano, M. de Cister, II, 90.

*Agarrar*,
v. t.
Segurar com garra.
Prender.
Apanhar.
(De garra)

*Agarrochar*,
v. t.
Picar com garrocha.
Estimular, incitar.

*Agarrotar*, v. t. (e der.) (V. garrotar, etc.)

*Agarruchar*, v. t. Ant. Atar com garruchas.

*Agarrunchar*, v. t. Ligar com garruncho.

*Agasalhadamente*, adv. Com agasalho.

*Agasalhadeiro*, adj. Que dá agasalho.

* *Agasalhado*,
m.
O mesmo que agasalho; hospedagem carinhosa. Cf. Pant. de Aveiro,
Itiner., 142, (2.^a ed.).
(De agasalhar)

*Agasalhador*,
m.
Aquelle que agasalha.
Adj.
Que agasalha.

*Agasalhar*,
v. t.
Hospedar.
Abrigar.
Aquecer.
Dar agasalho a.
* V. p.
Resguardar-se do frio ou da chuva, com roupa de abafo.
(De agasalho)

*Agasalho*,
m.
Acção de agasalhar.
Hospedagem.
Roupa para aquecer o corpo.
(Cast. agasajo)

* *Agássia*,
f.
O mesmo que pêga.
(B. lat. agasia)

*Agastadamente*, adv. Com ira ou enfado.

*Agastadiço*, adj. Atreito a agastar-se.

*Agastado*,
adj.
Que se agastou.
Irritado.
Enfurecido.
(De agastar)

* *Agastadura*,
f.
O mesmo que agastamento.

*Agastamento*,
m.
Acto de agastar.

*Agastar*,
v. t.
Irar, irritar; enfadar.
* V. i. Pop.
Têr debilidade, por falta de alimento.
(De gastar)

* *Agastria*,
f.
Qualidade do animal que é agástrico.
(Do gr. a priv. + gaster)

* *Agástrico*,
adj.
Diz-se dos animaes acéphalos, que não têm indícios de canal
intestinal.
(Do gr. a priv. + gaster)

* *Agastronervia*,
f.
Falta de acção nervosa do estômago.
(Do gr. a priv. + gaster + neuron)

* *Agastronomia*, f. Med. Falta de acção nervosa no estômago, o mesmo que agastronervia.

* *Agastrozoários*,
m. pl.
Infusórios, que não têm cavidade digestiva.
(Do gr. a priv. + gaster + zoon)

* *Agasturas*,
f. pl. Prov. alent.
Debilidade, por falta de alimento.
Necessidade de comer.
(De agastar)

*Agatanhadura*,
f.
Arranhadura.
(De agatanhar)

*Agatanhar*,
v. t.
Arranhar, ferir com as unhas.
(De gato? Por agadanhar, de gadanho?)

* *Agateado*, adj. Bras. de Minas. Diz-se dos olhos azulados ou semelhantes aos dos gatos.

* *Agateia*,
f.
Planta, da fam. das compostas, e semelhante á cinerária.
(Do gr. agatheos)

* *Agáteo*, adj. Miner. Que tem veios semelhantes aos da ágata.

* *Agatheia*,
f.
Planta, da fam. das compostas, e semelhante á cinerária.
(Do gr. agatheos)

* *Agathídia*,
f.
Insecto coleóptero tetrâmero, que vive nos cogumelos.
(Do gr. agathis)

* *Agathino*,
m.
Gênero de molluscos gasterópodes.

* *Agathoide*,
adj.
Que possue a natureza do bem.
Benigno.
(Gr. agathoeides)

* *Agati*, m. Planta leguminosa, de grãos comestíveis, originária da Índia.

* *Agatídia*,
f.
Insecto coleóptero tetrâmero, que vive nos cogumelos.
(Do gr. agathis)

* *Agatífero*,
adj. Geol.
Que contém ágata.
(Do gr. akhates + lat. ferre)

*Agatificar*,
v. t.
Transformar em ágata.
(Do gr. akhates + lat. facere)

* *Agatinhar*,
v. t.
Subir, trepando com difficuldade: «Aníbal, agatinhando as agruras
dos Alpes
». Camillo, Sc. da Foz, 4.^a ed., 37.
(Cp. gatinha)

* *Agatino*,^1 adj. O mesmo que agáteo.

* *Agatino*,^2
m.
Gênero de molluscos gasterópodes.

* *Agatizar*, v. t. Converter em ágata.

*Agatoide*,^1
adj.
Semelhante a ágata.
(Do gr. akhates + eidos)

* *Agatoide*,^2
adj.
Que possue a natureza do bem.
Benigno.
(Gr. agathoeides)

* *Agatomérida*,
f.
Planta corymbífera.

* *Agatosmo*,
m.
Planta aromática, da fam. das diósmeas.

* *Agaturrar*,
v. t. Bras.
Agarrar; prender.
(De caturar, =capturar, sob a infl. de gato e agarrar)

* *Agauchar-se*, (ga-u) v. p. Bras. Tomar hábitos de gaúcho.

*Agave*,
f.
Planta americana, da fam. das amaryllídeas.
(Fr. agave)

* *Agávea*, f. Bras. O mesmo que agave.

*Agavelar*, v. t. Juntar e atar em gavelas; engavelar.

* *Agazar*,
v. t. Prov. minh.
Apupar.
(Colhido em Lanhoso)

* *Agazela*, f. Ant. (V. gazela)

*Agazuado*, adj. Semelhante a gazua.

* *Agazular*,
v. t. Prov. trasm.
Catrafilar.
Agarrar pela golla da véstia.

* *Agedoíte*,
f.
Substância crystallina, que se extrai do alcaçus.

* *Agedra*, f. Ant. O mesmo que mangerona.

* *Agédula*,
f.
Cúpula de alguns cogumelos.
Urnário de certos musgos.

* *Agegelado*,
adj. Ant.
Dizia-se do terreno que, sendo inclinado, se fez plano para sêr cultivado
em leiras.

* *Ageia*,
f.
Passagem ou corredor, nas embarcações romanas, por onde o mestre da
equipagem communicava com os remadores.
(Lat. agea)

*Ageitar*, v. t. (e der.) (V. ajeitar, etc.)

* *Agelaia*,
f.
Insecto hymenóptero.
(Gr. agelaios)

* *Agelástica*,
f.
Gênero de insectos coleópteros.
(Do gr. agelastos)

* *Ageleia*,
f.
Insecto hymenóptero.
(Gr. agelaios)

* *Agelena*,
f.
Espécie de aranha.
(Do gr. agele)

*…agem*, suf. (design. de acção continuada)

* *Agema*,
f.
Divisão militar, espécie de guarda real, no antigo exército macedónio.
(Gr. agema)

* *Agenceio*,
m. Prov. trasm.
Ganho, provento.
(De agenciar)

*Agência*,
f.
Actividade; indústria.
Funcções de agentes.
Retribuïção do agente.
Estabelecimento, onde se tratam negócios por conta alheia.
(De agente)

*Agenciador*,
m.
O que agencía.

*Agenciar*,
v. t.
Negociar.
Promover.
(De agência)

*Agencioso*,
adj.
Diligente; activo.
Que agencía.
(De agenciar)

*Agenda*,
f.
Carteira, taboleta ou quadro, em que se nota o que se tem de fazer.
(Lat. agenda)

* *Agênere*, f. Espir. Apparição tangível, ou estado de certos espíritos, que podem momentaneamente assumir a fórma de pessôas vivas, produzindo perfeita illusão.

*Agenesia*,
f.
Impossibilidade de gerar.
(Do gr. a priv. + genesis)

* *Agenésico*,
adj.
Que não póde gerar.
(De agenesia)

* *Agenória*,
f.
Gênero de plantas.
(De Agenor, n. p.)

* *Agenosômo*,
m.
Monstruosidade, com eventração lateral ou mediana, em a parte inferior
do abdome.
(Do gr. agenos + soma)

*Agente*,
m.
Tudo o que opéra.
Aquelle que trata de negócios alheios.
A causa, o autor.
* Gram.
Sujeito da oração, se o verbo respectivo é transitivo.
*
Aquelle ou aquillo, a que é devida a acção significada pelo verbo
passivo.
Adj.
Que opéra.
(Lat. agens)

* *Ageolhar*,
v. i. Ant.
O mesmo que ajoelhar.
(De geôlho)

* *Ageometria*,
f.
O mesmo que ageometrosia.

* *Ageometrosia*,
f.
Ignorância dos princípios da Geometria.
(Do grego a priv. + geos + metron)

*Agerasia*,
f.
Qualidade de quem não envelhece.
Velhice robusta.
(Do gr. a priv. + geras)

* *Agerato*, m. Planta ornamental, de bellas flôres azues.

*Agermanar*,
v. t.
Tornar irmão; igualar.
(Do lat. germanus)

* *Agermolho*, ()
m. Prov. alg.
O mesmo que caspacho.
(Por agromolho, de agro + môlho?)

* *Ageropigado*, adj. Que tem sabor de geropiga. Cf. Techn. Rur., 38.

* *Agestrata*,
f.
Insecto coleóptero pentâmero, originário de Java e da China.
(Gr. agestratos)

* *Ageustia*,
f.
Ausência de paladar.
Deminuíção do sentido do gôsto.
(Do gr. a priv. + geusis)

* *Aggédula*,
f.
Cúpula de alguns cogumelos.
Urnário de certos musgos.

*Agglomeração*,
f.
Ajuntamento.
Acto de agglomerar.

*Agglomerado*,
* M.
Conjunto de cimento e pedras, que imita mármore.
*
Argamassa hydráulica de cimento e pedra britada.
* Pl. Zool.
Fragmentos, que constituem uma rocha elástica, sem que se lhes interponha
substância alguma, estranha.
(Cp. conglomerados)

*Agglomerar*,
v. t.
Ajuntar; acumular.
(Lat. agglomerare)

* *Agglutinabilidade*,
f.
Qualidade de agglutinável: «a agglutinabilidade das
bactérias
». Rev. da Univ. de Coímbra, II, 67.

*Agglutinação*,
f.
Acto de agglutinar.
(Lat. agglutinatio)

*Agglutinante*,
adj.
Que agglutina.
(Lat. agglutinans)

*Agglutinar*,
v. t.
Collar.
Unir.
Reunir (palavras) a outra, principal, para formar um todo.
(Lat. agglutinare)

* *Agglutinativo*, adj. O mesmo que agglutinante.

* *Agglutinável*, adj. Que se póde agglutinar.

*Aggravação*,
f.
O mesmo que aggravamento.

*Aggravadamente*, adv. Com aggravamento.

* *Aggravador*, m. e adj. O que aggrava.

*Aggravamento*,
m.
Acto de aggravar.

*Aggravante*,
adj.
Que aggrava.
(Lat. aggravans)

*Aggravar*,
v. t.
Tornar grave.
Augmentar.
Fazer aggravo a.
(Lat. aggravare)

* *Aggravista*,
m. Ant.
Juiz, que, nos tribunaes superiores, tomava conhecimento dos aggravos
e os julgava.

*Aggravo*,
m.
Offensa; injúria.
Recurso judicial, contra uma presumida injustiça.
(De aggravar)

*Aggravoso*, adj. Que causa aggravo.

*Aggredir*,
v. t.
Atacar.
Assaltar.
Insultar.
Ir contra.
(Lat. aggredi)

*Aggregação*,
f.
Acto de aggregar.

*Aggregado*,
adj.
Annexo.
Adjunto.
Reunido.
* M.
Funccionário, que um diploma legal aggrega a uma classe ou
corporação, além do número normal dos funccionários dessa
corporação ou classe: na Relação de Lisbôa há quatro aggregados.
(De aggregar)

*Aggregar*,
v. t.
Ajuntar, anexar.
Associar.
(Lat. aggregare)

*Aggregativo*, adj. Que aggrega.

*Aggregato*, adj. (V. aggregado)

*Aggressão*,
f.
Ataque.
Acto de aggredir.
(Lat. aggressio)

* *Aggressiva*,
f. Med.
Substância, segregada por certas bactérias, e que é aggressiva para
as céllulas do organismo.
(Cp. aggressivo)

*Aggressivamente*, adv. De modo aggressivo.

*Aggressivo*,
adj.
Que envolve aggressão.
(Do lat. aggressus)

*Aggressor*,
m. e adj.
O que aggride.
Provocador.
(Lat. aggressor)

* *Aggressório*, adj. O mesmo que aggressivo.

* *Aggriçar*, v. i. Náut. ant. Pôr a cordagem.

* *Agicrânio*,
m.
Ornato de esculptura antiga, o qual representa uma cabeça de cabra ou
de bode.

*Agigantadamente*,
adv.
De modo descommunal.
Á semelhança de gigante.

*Agigantado*,
adj.
Que tem aspecto de gigante.
Muito encorpado.
Descommunal.

*Agigantamento*,
m.
Acto de agigantar.

*Agigantar*,
v. t.
Tornar gigante.
Engrandecer.
Avolumar.

* *Agigantear*, v. t. O mesmo que agigantar. Cf. Castilho, Montalverne.

*Agilidade*,
f.
Presteza.
Desembaraço.
(Lat. agilitas)

* *Agilitar*,
v. t.
Tornar ágil.
Desenvolver.

*Agilmente*,
adv.
Com agilidade.
(De ágil)

*Aginário*,
adj.
Diz-se, segundo De-Candolle, das flores, formadas pelos tegumentos
floraes e estames transformados, e em que falta o pistillo.
(Do gr. a priv. + gune)

* *Aginha*, adv. Ant. O mesmo que azinha.

* *Aginhado*,
adv. Ant.
Promptamente.
(De aginha)

*Aginiano*,
m.
Membro de uma seita christan, que proscrevia o casamento.
(Do gr. a priv. + gune)

*Agínico*,
adj. Bot.
Diz-se da inserção dos estames, quando estes não adherem ao ovário.
(Do gr. a priv. + gune)

*Agiografia*,
f.
História de santos.
(De agiógrapho)

*Agiógrafo*,
m.
Aquelle que descreve vidas de santos.
(Do gr. agios + graphein)

*Agiographia*,
f.
História de santos.
(De agiógrapho)

*Agiógrapho*,
m.
Aquelle que descreve vidas de santos.
(Do gr. agios + graphein)

*Agiólogico*, adj. Relativo ao agiológio.

*Agiológio*,
m.
Tratado de santos.
(Do gr. agios + logion)

*Agiólogo*,
m.
Aquelle que escreve á cêrca de santos.
(Do gr. agios + logos)

* *Agiospermia*,
f.
Segunda ordem de uma das classes botânicas de Linneu.

* *Agiospérmico*,
adj.
Diz-se dos vegetaes, cujos grãos estão revestidos por um pericarpo
distinto.
(De agiosperma)

* *Agiostíride*, f. Ant. Oratório com portas.

* *Agiostýride*, f. Ant. Oratório com portas.

*Agiota*,
m.
Aquelle que procura ágio.
Usurário.
Homem interesseiro.

* *Agiotado*, adj. Contratado com agiotas: empréstimo agiotado.

* *Agiotador*,
m. e adj.
O que exerce agiotagem.
Ant.
Ladrão astucioso.
(De agiotar)

*Agiotagem*,
f.
Usura.
Especulação exaggerada.
(De agiotar)

*Agiotar*,
v. i.
Exercer agiotagem.
(De agiota)

* *Agiotista*,
m.
Agiotador.
Aquelle que joga com fundos públicos.
(De agiota)

*Agir*, * v. i. Proceder. Pôr em prática um plano, um intuito. V. t. Des. Obrar, realizar. (Lat. agere)

* *Agirafado*, adj. Burl. Esguio como a girafa: estas inglesas agirafadas…

* *Agironado*,
adj. Ant.
Debruado; guarnecido.
(De girão)

*Agitação*,
f.
Perturbação.
Acto de agitar.

*Agitadamente*, adv. Com agitação.

* *Agitadiço*, adv. Que se agita facilmente; que se agita muitas vezes.

*Agitador*, m. Aquelle que agita.

*Agitamento*,
m.
O mesmo que agitação.

*Agitante*,
adj.
Que agita.
(Lat. agitans)

*Agitar*,
v. t.
Mover com frequência.
Abalar; commover.
Suscitar: agitar discussões.
(Lat. agitare)

* } *Agitato*, adv. Mús. T. it., que indica que um trecho musical se deve executar com agitação.

*Agitável*, adj. Que se póde agitar.

* *Agla*, f. O mesmo que águila.

*Aglaia*,
f.
Gênero de plantas meliáceas.
(Gr. aglaia)

* *Aglobulia*,
f.
Deminuição dos glóbulos vermelhos do sangue.
(De a priv. e glóbulo)

*Aglomeração*,
f.
Ajuntamento.
Acto de aglomerar.

*Aglomerar*,
v. t.
Ajuntar; acumular.
(Lat. agglomerare)

* *Aglossa*,
f.
Gênero de insectos lepidópteros, que se alimentam de manteiga e
toicinho.
(Fem. de aglosso)

* *Aglossia*,
f.
Estado ou qualidade de aglosso.

*Aglosso*,
adj.
Que não tem língua.
Que fala barbaramente.
* M.
O mesmo que aglossa.
(Gr. aglossos)

*Aglutição*,
f.
Impossibilidade de engulir.
(De a priv. + lat. glutitio)

* *Aglutinabilidade*,
f.
Qualidade de aglutinável: «a aglutinabilidade das
bactérias
». Rev. da Univ. de Coímbra, II, 67.

*Aglutinação*,
f.
Acto de aglutinar.
(Lat. agglutinatio)

*Aglutinante*,
adj.
Que aglutina.
(Lat. agglutinans)

*Aglutinar*,
v. t.
Collar.
Unir.
Reunir (palavras) a outra, principal, para formar um todo.
(Lat. agglutinare)

* *Aglutinativo*, adj. O mesmo que aglutinante.

* *Aglutinável*, adj. Que se póde aglutinar.

* *Agmatologia*,
f. Med.
Tratado das fracturas.
(Do gr. agma + logos)

* *Agminado*, adj. Physiol. Diz-se de vários órgãos elementares da mesma espécie, quando reunidos ou aproximados. (Do lat. agminari)

*Agnação*, f. Qualidade de agnado.

* *Agnacato*,
m.
Árvore americana.

*Agnado*,
m.
Parente por varonia.
(Lat. agnatus)

* *Agnantho*,
m.
Arbusto, da fam. das verbenáceas, originário das Antilhas.
(Do gr. agnos + anthos)

* *Agnanto*,
m.
Arbusto, da fam. das verbenáceas, originário das Antilhas.
(Do gr. agnos + anthos)

* *Agnathos*,
m. pl.
Nome, que os naturalistas deram a uma família de insectos, com quatro
asas reticuladas, boca pequena e sem mandíbulas.
(Do gr. _a_priv. + gnathos)

*Agnatício*,
adj.
Relativo aos agnados.
(De agnato)

*Agnático*, adj. O mesmo que agnatício.

*Agnato*, m. (V. agnado)

* *Agnatos*,
m. pl.
Nome, que os naturalistas deram a uma família de insectos, com quatro
asas reticuladas, boca pequena e sem mandíbulas.
(Do gr. _a_priv. + gnathos)

*Agnelina*,
f.
Pelle de cordeiro com lan.
(Fr. agneline, do lat. agnellus)

*Agnellina*,
f.
Pelle de cordeiro com lan.
(Fr. agneline, do lat. agnellus)

*Agnição*,
f. Ant.
Conhecimento.
Reconhecimento.
Acção de conhecer.
(Lat. agnitio)

*Agno*, m. (V. anho)

*Agnocasto*,
m.
Arbusto aromático, da fam. das verbenáceas.
(Do lat. agnus + castus)

* *Agnóia*,
f. Med.
Estado do doente, que não conhece nada do que o cérca.
(Do gr. _a_priv. + gnoo)

*Agnome*,
m.
Epítheto, ou apellido, que, entre os Romanos, se accrescentava
ao cognome.
(Lat. agnomen)

*Agnominação*,
f.
Repetição de uma palavra, variando-se-lhe o sentido com a simples
mudança de uma letra ou letras.
(Lat. agnominatio)

* *Agnosia*, f. O mesmo ou melhor que agnoia.

* *Agnosticismo*,
m.
Systema philosóphico, que exclue da competência da razão humana o
conhecimento do absoluto.
(De _a_priv. + gnosticismo)

* *Agnóstico*, adj. Partidário do agnosticismo.

* *Ago*, m. Planta medicinal da ilha de San-Thomé.

*Agoa*,
f.
Substância líquida, incolor e inodora, composta de hydrogênio e
oxygênio.
Qualquer líquido, em que água é parte principal.
Chuva.
Lustre de diamantes e pérolas.
Infusão.
*
Mãe de água, o mesmo que fonte. Cf. Castilho, Escavações, 15.
* Pl.
Vertentes do telhado.
Marés.
Hemorragia, que precede o parto.
(Lat. aqua)

* *Agoge*,
f.
Subdivisão, na música antiga.
(Gr. agoge)

* *Agógico*, adj. Gram. Diz-se do sentido que se infere das palavras.

*Agoiral*, adj. Relativo a agoiro.

*Agoirar*,^1
v. t.
Fazer agoiro de.
Antever; predizer.

*Agoirar*,^2 v. i. Archit. Collocar fragmentos de telha na juntura das telhas de cobrir, para se fazerem as braceiras. (Por agueirar, de agueiro?)

*Agoireiro*, adj. Que agoira.

*Agoirentar*,
v. t.
Tornar agoirento.
Fazer mau agoiro sôbre.
Ameaçar com desgraça.

*Agoirento*, adj. Que envolve mau agoiro.

* *Agoirice*,
f.
Mania ou hábito de agoirar. Cf. Filinto, VI, 238.

*Agoiro*,
m.
Predicção.
Preságio; sinal que presagia.
(Lat. augurium)

* *Agolfinhado*,
adj.
Que tem feitio ou ares de golfinho. Cf. Camillo, N. de Insómn.,
X, 43.

*Agolpear*, v. t. (e der.) (V. golpear, etc.)

*Agomado*,
adj. Bot.
Que deita gomos.
(De agomar)

* *Agoman*, m. O princípio do mal, na Mythologia brasílica.

*Agomar*,
v. i. Bot.
Deitar gomos.
Germinar.

*Agomia*,^1
f.
Arma curva, usada no Malabar.
Faca, de ponta recurvada, que usam alguns trabalhadores do campo.

* *Agomia*,^2
f.
O mesmo que agomil.

*Agomiada*, f. Golpe de agomia^1.

*Agomil*, m. Ant. O mesmo que gomil.

*Agomilado*, adj. Que tem fórma de gomil.

* *Agomphíase*,
f.
O mesmo que agomphose.

* *Agomphose*,
f.
Estado dos dentes que, abalados, se movem nos alvéolos.

* *Agomphosíaco*, adj. Diz-se dos dentes, que tem agomphose. Cf. Pacheco, Promptuário, 20.

* *Agonaes*,
f. pl.
Festas em honra de Jano.
(Lat. agonalia)

* *Agonais*,
f. pl.
Festas em honra de Jano.
(Lat. agonalia)

* *Agonal*, adj. Relativo ás festas agonaes. Cf. Castilho, Fastos, I, 35.

* *Agone*,
m.
Sacrificador romano, que, antes de ferir a victima, preguntava ao povo:
agone? Cf. Castilho, Fastos, I, 35.

* *Agonfíase*,
f.
O mesmo que agonfose.

* *Agonfose*,
f.
Estado dos dentes que, abalados, se movem nos alvéolos.

* *Agonfosíaco*, adj. Diz-se dos dentes, que tem agonfose. Cf. Pacheco, Promptuário, 20.

* *Agongorado*, adj. Diz-se do estilo obscuro e rebuscado, como o de Gôngora.

*Agonia*,
f.
Extincção gradual das fôrças vitaes.
Último gráu de decadência.
Afflicção; náuseas.
* Prov. minh.
Ralho, discussão, zanga.
(Gr. agonia)

*Agoniadamente*, adv. Com agonia.

*Agoniado*,
adv.
Que sente agonias, ânsias.
Amargurado, afflicto.

*Agoniador*,
adj.
Que produz agonias. Cf. Arn. Gama, Motim, 272.
(De agoniar)

*Agoniar*,
v. t.
Causar agonia, afflicção, náuseas a.
Affligir; desgostar.
Inquietar.

*Agónico*, adj. Neol. Relativo a agonia.

*Agonística*,
f.
Parte da antiga gymnástica, relativa aos combates dos athletas.
(Gr. agonistike)

*Agonístico*,
adj. Ant.
Relativo a combates.
(Do gr. agonizein)

*Agonizadamente*, adv. O mesmo que agoniadamente.

*Agonizante*,
adj.
Que está agonizando, moribundo.
Que causa agonia.

*Agonizar*, v. t. Causar agonia a. V. i. Estar moribundo. Ir acabando. (Gr. agonizein)

* *Agonóstomo*,
m.
Gênero de insectos acanthopterýgios.
(Do gr. _a_priv. + gonia + stoma)

*Agonoteto*,
m.
Presidente dos jogos sagrados, na Grécia.
(Gr. agonothete)

*Agonotheto*,
m.
Presidente dos jogos sagrados, na Grécia.
(Gr. agonothete)

*Agora*,
adv.
Nesta hora.
Presentemente.
* Conj.
Todavia, mas: poderás mentir-me; agora enganar-me, isso nunca!
(Do lat. hac + hora)

* *Agorafobia*,
f.
Estado mórbido, caracterizado pelo medo de atravessar largos ou
praças.
(Do gr. agora + phobos)

* *Agoráfobo*,
m.
Aquelle que soffre agorafobia.

* *Agoranomia*,
f.
Cargo ou funcções de agorânomo.

*Agorânomo*,
m.
Magistrado atheniense, que tinha a seu cargo a polícia dos mercados.
(Gr. agoranomos)

* *Agòrantes*, adv. Prov. Pouco antes. Cf. Rui Barbosa, Répl., II, 157.

* *Agoraphobia*,
f.
Estado mórbido, caracterizado pelo medo de atravessar largos ou
praças.
(Do gr. agora + phobos)

* *Agoráphobo*,
m.
Aquelle que soffre agoraphobia.

* *Agorarca*,
m.
Magistrado, que, em Esparta, desempenhava as mesmas funcções que o
agorânomo em Athenas.
(Do gr. agora + arkhe)

* *Agorarcha*, (ca)
m.
Magistrado, que, em Esparta, desempenhava as mesmas funcções que o
agorânomo em Athenas.
(Do gr. agora + arkhe)

* *Agorentar*,
v. t.
Encurtar.
Deminuir.
Aparar em roda.
Aguarentar.

* *Agorinha*,
adv. Bras.
Agora mesmo; neste instante.
(Dem. de agora)

* *Agostadoiro*, m. Prov. alent. Acto de pastar o gado em Agosto.

* *Agostadouro*, m. Prov. alent. Acto de pastar o gado em Agosto.

* *Agostar-se*,
v. p. Prov. trasm.
Murchar, por falta de frescura; estiolar-se.
(De Agosto)

* *Agostenga*,
f.
Videira do Brasil.

* *Agostinha*,
f.
Variedade de pera.
Variedade de maçan.
Variedade de cerejas de Agosto.
Variedade de batata.

* *Agostinhas*,
f. pl.
Congregação de religiosas enfermeiras, fundada em França no século
VII.

*Agostinho*,
m.
Frade, da Ordem de Santo Agostinho.
Adj.
Relativo àquella ordem.

*Agosto*, (gôs)
m.
Oitavo mês do anno romano.
(Lat. augustus)

*Agoural*, adj. Relativo a agouro.

*Agourar*,^1
v. t.
Fazer agouro de.
Antever; predizer.

*Agourar*,^2 v. i. Archit. Collocar fragmentos de telha na juntura das telhas de cobrir, para se fazerem as braceiras. (Por agueirar, de agueiro?)

*Agoureiro*, adj. Que agoura.

*Agourentar*,
v. t.
Tornar agourento.
Fazer mau agouro sôbre.
Ameaçar com desgraça.

*Agourento*, adj. Que envolve mau agouro.

* *Agourice*,
f.
Mania ou hábito de agourar. Cf. Filinto, VI, 238.

*Agouro*,
m.
Predicção.
Preságio; sinal que presagia.
(Lat. augurium)

*Agra*,^1
Prov. e ant.
Campo.
Brejo, pântano.
(V. agro)

* *Agra*,^2 m. Gênero de insectos coleópteros pentâmeros, da fam. dos carábicos.

* *Agracarambo*,
m.
Madeira odorífera da China.

*Agraciação*,
f.
Acto de agraciar.

* *Agraciadamente*,
adv.
De bom grado. Cf. Pacheco, Promptuário, 79.

*Agraciado*,
adj.
Que recebeu graça ou título honorífico: indivíduo, agraciado com
uma commenda
.
*
Que tem graça: «linguagem agraciada de meninices». Camillo,
Caveira, 203.
(De agraciar)

*Agraciador*,
m.
Aquelle que agracia.

*Agraciar*,
v. t.
Conceder graça ou mercê, a.
(Do lat. gratia)

*Agraço*,
m.
Estado das uvas, antes de amadurecerem.
As uvas verdes.
Verdura.
(De agro)

*Agradábil*, adj. Ant. (V. agradável)

*Agradabilissimo*, adj. (sup. de agradável)

*Agradar*,^1
v. i.
Sêr bem-quisto.
Parecer bem; aprazer.
* V. t. Ant.
Sêr agradável a: «quanto mais o ama, mais procura agradállo em
todas as coisas
». Luz e Calor, 86 e 93.
V. p.
Que sente prazer.
Que se compraz.
(De grado)

* *Agradar*,^2 v. t. Prov. O mesmo que gradar.

*Agradável*,
adj.
Que agrada.
Prazenteiro.
Suave, ameno.

*Agradavelmente*, adv. De modo agradável.

* *Agrade*, f. O mesmo que grade.

*Agradecer*, v. t. Mostrar gratidão por. V. i. Dar agradecimentos. Dizer-se grato. (De grado)

*Agradecidamente*, adv. De modo agradecido.

*Agradecido*,
adj.
Grato; reconhecido.
*
Que se agradece: favor agradecido.

*Agradecimento*,
m.
Acto de agradecer.
Gratidão; reconhecimento.

*Agradecível*, adj. Que merece sêr agradecido.

*Agrado*,
m.
Satisfação; aprazimento.
Affabilidade.
(De agradar)

* *Agrafia*,
f. Med.
Abolição do movimento necessário para a escrita.
(Do gr. _a_priv. + graphein)

* *Agráfico*,
adj. Med.
Que tem impossibilidade phýsica de escrever.
(Do gr. _a_priv. + graphein)

* *Agramatismo*,
m. Med.
Vício de pronúncia, que consiste na omissão de um ou mais sons de
uma palavra.
Impossibilidade de colocar as palavras, segundo a sintaxe.
(Do gr. a priv. + grammata)

*Agramente*, (á-gra)
m.
O mesmo que acremente.

* *Agrammatismo*,
m. Med.
Vício de pronúncia, que consiste na omissão de um ou mais sons de
uma palavra.
Impossibilidade de collocar as palavras, segundo a syntaxe.
(Do gr. a priv. + grammata)

* *Agranar*,
v. i. Prov.
Criar grão, (falando-se de cereaes).
(Do lat. granum)

* *Agranizar*, v. t. Cobrir de granizo. Cf. Filinto, XIII, 218.

* *Agrão*, m. Ant. Grande agro^1? Cf. G. Vicente, II, 29.

* *Agraphia*,
f. Med.
Abolição do movimento necessário para a escrita.
(Do gr. _a_priv. + graphein)

* *Agráphico*,
adj. Med.
Que tem impossibilidade phýsica de escrever.
(Do gr. _a_priv. + graphein)

* *Agrapim*,
m. Ant.
Alamar.
Espécie de colchete.
(Fr. grappin)

* *Agrar*, v. t. Converter em agro; tornar plano (um terreno) para semear ou cultivar.

*Agrário*,
adj.
Relativo a campos.
(Lat. agrarius)

* *Agraudar*, (gra-u)
v. i.
Crescer, tornar-se graúdo.

* *Agraula*, f. Gênero de plantas gramíneas.

* *Agráulias*, f. pl. Antigas festas athenienses, em honra de Minerva.

* *Agraulis*,
m.
Gênero de insectos lepidópteros.

*Agravação*, f. O mesmo que agravamento.

*Agravadamente*, adv. Com agravamento.

* *Agravador*, m. e adj. O que agrava.

*Agravamento*,^2
m.
Acto de agravar.

*Agravante*,
adj.
Que agrava.
(Lat. aggravans)

*Agravar*,
v. t.
Tornar grave.
Augmentar.
Fazer agravo a.
(Lat. aggravare)

* *Agravista*,
m. Ant.
Juiz, que, nos tribunaes superiores, tomava conhecimento dos agravos e
os julgava.

*Agravo*,
m.
Offensa; injúria.
Recurso judicial, contra uma presumida injustiça.
(De aggravar)

*Agravoso*, adj. Que causa agravo.

* *Agraz*,
m. Prov. trasm.
Têr agraz no ôlho, sêr muito fino ou perspicaz.
Pl.
Uvas verdes.
Ext.
Fruta verde.
(Cast. agraz)

*Agre*, m. O mesmo que acre.

* *Agrear*, v. t. Tornar agro ou agre; azedar. Cf. Pato, Ciprestes, 52.

*Agredir*,
v. t.
Atacar.
Assaltar.
Insultar.
Ir contra.
(Lat. aggredi)

*Agregação*, f. Acto de agregar.

*Agregado*,
adj.
Annexo.
Adjunto.
Reunido.
* M.
Funccionário, que um diploma legal aggrega a uma classe ou
corporação, além do número normal dos funccionários dessa
corporação ou classe: na Relação de Lisbôa há quatro agregados.
(De aggregar)

*Agregar*,
v. t.
Ajuntar, anexar.
Associar.
(Lat. aggregare)

*Agregativo*, adj. Que agrega.

*Agregato*, adj. (V. agregado)

* *Agreira*,
f.
O mesmo que lódão.
(De agre?)

* *Agreiro*, m. (Fórma pop. de argueiro)

* *Agrela*,
f. Ant.
Pequeno campo.
(De agra)

* *Agrelo*, (grê) m. Ant. e Prov. minh. Pequeno agro, agrela.

* *Agrém*,
m.
Espécie de tribuna ou púlpito, em pagodes
chineses. Cf. Peregrinação, CXXVII.

* *Agremente*, adv. De modo agre; com azedume. Cf. Sousa, Vida do Arc., II, 15.

*Agremiação*,
f.
Ajuntamento, reunião.
Associação.
Acto de agremiar.

*Agremiadamente*,
adv.
Em grêmio, em associação.
Em commum.

*Agremiado*,
adj.
Que faz parte de um grêmio.
* M.
Membro de uma agremiação.
(De agremiar)

*Agremiar*, v. t. Reunir em grêmio, em assembleia, em associação.

*Agressão*,
f.
Ataque.
Acto de agredir.
(Lat. aggressio)

* *Agressiva*,
f. Med.
Substância, segregada por certas bactérias, e que é agressiva para
as células do organismo.
(Cp. agressivo)

*Agressivamente*, adv. De modo agressivo.

*Agressivo*,
adj.
Que envolve agressão.
(Do lat. aggressus)

*Agressor*,
m. e adj.
O que agride.
Provocador.
(Lat. aggressor)

* *Agressório*, adj. O mesmo que agressivo.

* *Agresta*,
f.
Sumo de agraço.
(De agre)

*Agreste*,
adj.
Relativo a agro, (campo).
Rústico; silvestre.
Áspero.
Indelicado.
* M. Bras. do N.
O mesmo que litoral, por opposição a sertão.
(Lat. agrestis)

*Agrestia*, f. Bras. Qualidade de agreste; rudeza; desabrimento.

*Agrião*,^1
m.
Planta herbácea, da fam. das crucíferas.
(Gr. agrion)

* *Agrião*,^2
m.
Tumor duro e sem dôr, no curvilhão das bêstas.

* *Agriçar*, v. i. Náut. ant. Pôr a cordagem.

* *Agrico-industrial*,
adj.
Relativo á agricultura e á industria simultaneamente.
(De agri*cola + industrial)

*Agrícola*,
m.
O mesmo que agricultor.
Adj.
Relativo á agricultura: trabalhos agrícolas.
(Lat. agricola)

*Agricolar*, adj. (V. agrícola, adj.)

*Agricultado*,
adj.
Cultivado, (falando-se de terrenos).
(De agricultar)

*Agricultar*,
v. t.
Cultivar (o campo).
V. i.
Dedicar-se a trabalhos de agricultura.
(Do lat. ager + cultus)

*Agricultável*, adj. Que póde sêr agricultado.

*Agricultor*,
m.
O que agriculta.
Adj.
Que agriculta.
(Lat. agricultor)

*Agricultura*,
f.
Arte de cultivar os campos.
Cultivo da terra.
(Lat. agricultura)

*Agridoce*, adj. Agro e doce.

* *Agridoçura*,
f.
Qualidade de agridoce. Cf. Lapa, Processos de Vin., 9.

* *Agridulce*, adj. O mesmo que agridoce. Cf. Castilho, Fausto, 11.

* *Agrigentino*, m. e adj. O que é natural de Agrigento. Cf. Latino, Or. da Corôa, CXCII.

* *Agrilhoamento*,
m.
Acto de agrilhoar.

*Agrilhoar*,
v. t.
Prender com grilhões.
Prender.
Comprimir.

* *Agrimar-se*,
v. p. Prov. beir.
Acolher-se á protecção de alguém.
(Cp. agalimar)

*Agrimensão*,
f.
(V. agrimensura)

*Agrimensor*,
m.
O que mede as terras, os campos.
(Lat. agrimensor)

*Agrimensório*, adj. Relativo á agrimensura.

*Agrimensura*,
f.
Arte de medir campos.
Medida das terras.
(Lat. agrimensura)

*Agrimónia*,^1
f.
Planta herbácea, de caule hirsuto e fôlhas negras.
(Lat. agrimonia)

*Agrimónia*,^2
f.
(V. acrimónia)

* *Agrinaldar*, v. t. (e der.) O mesmo que engrinaldar, etc. Cf. Camillo, Regicida, 31.

* *Agriodafno*,
m.
Planta laurácea.

* *Agriodaphno*,
m.
Planta laurácea.

* *Agriodendro*, m. Bot. Gênero de liliáceas.

*Agriógrafo*,
m.
Aquelle que se alimenta de animaes selvagens.
(Do gr. agrios + phagein)

*Agriógrapho*,
m.
Aquelle que se alimenta de animaes selvagens.
(Do gr. agrios + phagein)

* *Agriónias*, f. pl. Antigas festas em honra de Baccho, na Beócia.

* *Agriopo*,
m.
Peixe dos mares austraes.
Insecto lepidóptero nocturno.
(Gr. agriopos)

* *Agriota*,
f.
Cereja brava.
(Por agreota de agre)

* *Agriote*, m. Insecto coleóptero pentâmero.

* *Agriothymia*,
f.
Tendência irresistível para actos de crueldade.

* *Agriothýmico*, adj. Relativo á agriothymia.

* *Agriotimia*,
f.
Tendência irresistível para actos de crueldade.

* *Agriotímico*, adj. Relativo á agriotimia.

* *Agripa*, adj. Med. Diz-se da criança que, ao nascer, apresenta primeiro os pés.

*Agripalma*, f. Planta medicinal labiada.

* *Agripene*,
adj.
Diz-se das aves que têm a cauda em fórma aguçada.
(Do lat. acer + penna)

* *Agripenne*,
adj.
Diz-se das aves que têm a cauda em fórma aguçada.
(Do lat. acer + penna)

*Agripina*, f. Espécie de borboleta brasileira.

* *Agripnia*,
f. Med.
O mesmo que insómnia. Cf. Pacheco, Promptuário, 25.
Ausência de somno; insómnia.
(Gr. agripnia)

* *Agripnocoma*,
f. Med.
Insómnia, com entorpecimento ou vontade de dormir. Cf. Pacheco,
Promptuário, 25.

* *Agripnodo*, adj. Que priva do somno. Cf. Pacheco, Promptuário, 25.

* *Agrippa*, adj. Med. Diz-se da criança que, ao nascer, apresenta primeiro os pés.

*Agrippina*, f. Espécie de borboleta brasileira.

*Agrisalhado*,
adj.
Um tanto grisalho.
(De agrisalhar)

*Agrisalhar*, v. t. Tornar grisalho.

*Agro*,^1
m. Ant.
Campo.
Terra cultivada ou cultivável.
* Prov. alent.
Rendimento de sementeiras e gados de uma herdade.
(Lat. ager)

*Agro*,^2
adj.
O mesmo que acre.
Azêdo.
Escabroso.
M.
Sabor ácido.
*
O mesmo que azedume. Cf. Garrett, Romanceiro, I, 27.
(Lat. acrus)

*Agrodoce*, adj. (V. agridoce)

*Agrografia*,
f.
Descripção de coisas relativas á agricultura.
(Do gr. agros + graphein)

*Agrográfico*, adj. Relativo á agrografia.

* *Agrógrafo*,
m.
Aquelle que trata de agrografia.

*Agrographia*,
f.
Descripção de coisas relativas á agricultura.
(Do gr. agros + graphein)

*Agrográphico*, adj. Relativo á agrographia.

* *Agrógrapho*,
m.
Aquelle que trata de agrographia.

* *Agrologia*,
f.
Sciência, que tem por objecto o conhecimento dos terrenos, nas suas
relações com a agricultura.
(Do gr. agros + logos)

* *Agrológico*, adj. Que diz respeito á agrologia.

* *Agrólogo*,
m.
Aquelle que trata de agrologia.

* *Agromancia*,
f.
Supposta arte de adivinhar, por meio de terra.
(Do lat. ager + gr. manteia)

*Agromania*,
f.
Paixão, mania, pela agricultura.
(De agro^1 + mania)

*Agromaníaco*, m. e adj. O que é maníaco pela agricultura.

* *Agromante*,
m.
Aquelle que pratica a agromancia.

* *Agromântico*, adj. Relativo á agromancia.

*Agromiza*, f. Gênero de insectos dípteros.

*Agromyza*, f. Gênero de insectos dípteros.

* *Agronometria*,
f.
Conhecimento do que póde produzir um terreno cultivado.
(Do gr. agronomia + metron)

*Agronomia*,
f.
Complexo de preceitos e theorias sobre agricultura.
(Cp. agrónomo)

*Agronómico*, adj. Relativo á agronomia.

*Agrónomo*,
m.
Aquelle que tem diploma official de agronomia.
Aquelle que é versado em agronomia.
Aquelle que a professa.
(Gr. agronomos)

* *Agropila*,
m.
Bezoar das cabras e de outros animaes.

* *Agropiro*,
m.
Gênero de planta gramíneas.

* *Agropyla*,
m.
Bezoar das cabras e de outros animaes.

* *Agropyro*,
m.
Gênero de planta gramíneas.

* *Agror*,
m.
Azedume.
Amargura. Cf. Crespo, Miniaturas, 21.
(Lat. acror)

* *Agrósteas*, f. pl. O mesmo que agrostídeas.

* *Agrostema*,
f.
Gênero de plantas, que crescem entre o trigo.

* *Agróstero*,
m.
Secção de lepidópteros.

* *Agrostícula*,
f.
Gênero de gramíneas.

*Agróstide*,
f.
Planta vivaz, da fam. das gramíneas.
(Gr. agrostis)

* *Agrostídeas*,
f. pl.
Tribo de plantas gramíneas.
(De agróstide)

*Agróstido*, m. O mesmo que agróstide.

* *Agróstis*,
f.
(V. agróstide)

* *Agrostografia*,
f.
Parte da Botânica, que estuda as plantas gramíneas.
(Cp. agrostógrapho)

* *Agrostográfico*,
adj.
Relativo á agrostografia.

* *Agrostógrafo*,
m.
Aquelle que se dedica á agrostografia.
(Do gr. agrostis + graphein)

* *Agrostographia*,
f.
Parte da Botânica, que estuda as plantas gramíneas.
(Cp. agrostógrapho)

* *Agrostográphico*,
adj.
Relativo á agrostographia.

* *Agrostógrapho*,
m.
Aquelle que se dedica á agrostographia.
(Do gr. agrostis + graphein)

* *Agrostologia*,
f.
O mesmo que agrostographia.

* *Agrostológico*, adj. O mesmo que agrostográphico.

* *Agrostólogo*, adj. O mesmo que agrostógrapho.

* *Agrótide*,
f.
Gênero de insectos da fam. dos agrotídeos.
(Gr. agrotis)

* *Agrotídeos*,
m. pl.
Família de insectos nocturnos, da ordem dos lepidópteros.
(Do gr. agrotis + eidos)

* *Agrótido*,
m.
(V. agrótide)

* *Agroujado*, adj. T. de Avintes. O mesmo que adoentado.

*Agrumelar*, v. t. (e der.) (V. agrumular, etc.)

*Agrumular*, v. t. Fazer coagular em grúmulos.

* *Agrupação*,
f.
O mesmo que agrupamento. Cf. A. Serpa, Da Nacionalidade, 18.

* *Agrupamento*,
m.
Reunião.
Acto ou effeito de agrupar.

*Agrupar*,
v. t.
Formar grupo de.
Dispor em grupo.

*Agrura*,
f.
Qualidade do que é agro.
Aspereza.
Dissabor.

* *Agrypnia*, f. Med. O mesmo que insómnia. Cf. Pacheco, Promptuário, 25.

* *Agrypnocoma*,
f. Med.
Insómnia, com entorpecimento ou vontade de dormir. Cf. Pacheco,
Promptuário, 25.

* *Agrypnodo*, adj. Que priva do somno. Cf. Pacheco, Promptuário, 25.

* *Aguá*, m. Grande reptil batrácio do Brasil.

*Agua-ardente*,
f.
(V. aguardente)

* *Aguaça*,
f.
Porção de água, que corre pelo chão, depois de um aguaceiro;
enxurrada.
(Cast. aguaza)

*Aguaçal*, (á-gu)
m.
Charco.
(De aguaça)

* *Aguacate*,
m.
Árvore laurácea.
Fruto da mesma árvore.
Espécie de esmeralda, cuja fórma se assemelha á do fruto do aguacate.

*Aguaceira*, (á-gu)
f.
Água ou saliva que, por indisposição de estômago, sai da boca.

*Aguaceiro*, (á-gu)
m.
Chuva forte e repentina.
Fig.
Contratempo, infortúnio.
Ralhos, zanga.
(De aguaça)

*Aguacento*, (á-gu)
adj.
Semelhante a água.
Impregnado de água.
Aquoso.
(De aguaça)

* *Aguachado*,
adj. Bras.
Diz-se do cavallo gordo e barrigudo.
(De guacho^2?)

* *Aguacuacuan*,
m.
Sapo grande do Brasil.

*Aguada*, (á-gua)
f.
Abastecimento de água doce, para viagens marítimas.
Lugar, onde se faz êsse abastecimento.
Mistura de água e claras de ovos, empregada pelos encadernadores.
*
Desenho a tinta ou a lápis, sôbre que se applicam tintas
transparentes.
(De aguado)

* *Aguadeira*, (á-gu) f. Mulher, que vende água ou a leva aos domicílios. * Adj. Prov. e ant. Dizia-se de uma capa, própria para resguardar da água da chuva. Cf. Cancion. da Vaticana. (Cp. aguadeiro)

* *Aguadeiras*, (á-gu)
f. pl.
As pennas maiores das asas dos falcões e de outras aves que se empregavam
em altanaria.
(Corr. de aguiadeiras, de guiar)

*Aguadeiro*, (á-gu)
m.
Aquelle que anda pelas ruas vendendo água.
Aquelle que fornece, acarretando-a, água para consumo doméstico.
Feixe de linho em rama, para meter na água.

*Aguadilha*, (á-gu)
f.
Sorosidade.
Humor semelhante á água.
(De aguada)

*Aguado*, (á-gu)
adj.
Misturado com água: Vinho aguado.
Que padece aguamento.
Diz-se do cabello fino e levantado.
* Ant. e Prov. minh.
O mesmo que guloso. Cf. Andrade Caminha.

* *Aguadoiro*, (á-gu)
m.
Mólho de linho em rama, que se vai enriar.
(De aguar)

*Aguador*, (á-gu)
m.
Regador, borrifador.
Vaso para regar.
(De aguar)

* *Aguaforte*, (á-gu)
f.
Ácido nítrico dissolvido.
(It. acqua-forte)

* *Aguafortista*, (á-gu)
m.
Gravador, que se serve de aguaforte.

*Aguagem*,
f.
Acção de aguar.
Movimento de águas, que faz jogar o navio.

*Aguamá*, (á-gu)
f. Pop.
Mollusco, que se desfaz em água e que não é comestível.
*
Nome que os pescadores dão ao celenterado physalia pelagica.

*Aguamãe*, (á-gu)
f.
Água, que contém grande porção de saes.
(De água + mãe)

*Aguamãi*, (á-gu)
f.
Água, que contém grande porção de saes.
(De água + mãe)

*Aguamento*, (á-gu)
m.
Doença de animaes domésticos, por excesso de trabalho ou resfriamento.
(De aguar)

*Aguante*, (á-gu)
m.
Velame, que o navio comporta.
(De aguantar, por aguentar)

*Aguapá*, (á-gu)
f.
Planta medicinal da América.

*Aguapeca*, ()
f.
Ave brasileira.

*Aguar*, (á-gu)
v. t.
Regar, borrifar.
Misturar com água.
Frustrar.
V. i.
Adquirir o mal de aguamento.
Adoecer (uma criança), por apetecer um alimento que lhe não deram.
(De água)

*Aguarapondá*,
f.
Planta do Brasil.

* *Aguardadoiro*,
adj.
Digno de se aguardar.
Cortejado.

*Aguardador*,
m.
Aquelle que aguarda.

* *Aguardadouro*,
adj.
Digno de se aguardar.
Cortejado.

* *Aguardamento*,
m.
Acto de aguardar.

* *Aguardante*, m. e adj. Des. O que guarda ou observa as condições de um contrato.

*Aguardar*,
v. t.
Vigiar.
Esperar.
Acatar.
Cortejar.
* V. i.
Estar esperando.
(De guardar)

* *Aguardentação*, (á-gu)
f.
Acto ou effeito de aguardentar. Cf. F. Lapa, Alm. do Lavrador, 1869.

*Aguardentadamente*, (á-gu)
adv.
De modo aguardentado.

*Aguardentado*, (á-gu)
adj.
Misturado com aguardente.
Que tem sabor de aguardente.
Que denota o hábito de beber aguardente: voz aguardentada.

*Aguardentar*, (á-gu)
v. t.
Misturar com aguardente.
Fartar de aguardente.

*Aguardente*, (á-gu)
f.
Bebida espirituosa e branca, resultante de destillação de substâncias
susceptíveis de fermentação.
(De água + ardente)

*Aguardenteiro*, (á-gu)
m.
Aquelle que faz aguardente; aquelle que a vende; aquelle que a bebe
em abundância.

* *Aguardentia*, (á-gu) f. Chul. Estado de quem se embriagou com aguardente.

* *Aguardentoso*, (á-gu)
adj.
Aguardentado.
Que tem o sabor ou o cheiro da aguardente.

* *Aguardo*,
m. Prov. alent.
Sítio, onde o caçador espera a caça.
(De aguardar)

* *Aguareira*, f. Açor. Espécie de gaivota.

*Aguarela*, (á-gu)
f.
Tinta diluída em água.
Lavadura de gesso moído e colla de baldreu.
Pintura com tintas diluídas em água, sem sobreposição de umas
a outras.
(It. acquarella)

*Aguarelista*, (á-gu)
m.
Aquelle que pinta aguarelas.

*Aguarella*, (á-gu)
f.
Tinta diluída em água.
Lavadura de gesso moído e colla de baldreu.
Pintura com tintas diluídas em água, sem sobreposição de umas
a outras.
(It. acquarella)

* *Aguarentador*,
m.
Aquelle que aguarenta.
Detractor.

* *Aguarentar*,
v. t.
Cercear, aparar em roda.
Murmurar de; desacreditar.
Dissaborear. Cf. J. Dinis, Morgadinha, 114.

*Aguariço*, m. Planta, de fôlhas semelhantes ás do zimbro.

* *Aguastar*,
v. i. Ant.
Ir com todas as velas (o navio).
(De água + estar)

*Aguazil*, (á-gu)
m.
Antigo empregado administrativo e judicial.
Designação genérica de qualquer empregado inferior de justiça,
como o official de diligências.
(Do ár. al-uazir)

* *Aguça*,
f. Ant.
Pressa.
Diligência, zêlo.
(De aguçar)

*Aguçadamente*,
adv.
* Apressadamente; com zêlo.
De modo aguçado.

*Aguçadeira*,
f.
Pedra de aguçar ou de amolar.

*Aguçado*, adj. Agudo. Afiado. Ant. Apressado; diligente.

*Aguçadura*, f. Acto de aguçar.

*Aguçamento*,
m.
Effeito de aguçar.

*Aguçar*,
v. t.
Tornar agudo, adelgaçar na ponta.
Afiar.
Amolar.
Fig.
Incitar; estimular.
Tornar perspicaz.
Tornar activo, ligeiro, zeloso.
* V. i. Bras.
Avançar para o poste do vencedor, em corridas de cavallos.
(B. lat. acutiare)

* *Aguço*,
m.
Objecto aguçado; espêto; estoque.
Acto ou effeito de aguçar.

* *Aguçosamente*, adv. De modo aguçoso.

* *Aguçoso*,
adj. Ant.
Apressado.
Activo, diligente.
(De aguçar)

*Agudamente*,
adv.
De modo agudo.
Sagazmente; com agudeza.

*Agude*, f. Formiga grande, luzidia, e com asas, aproveitada pelos passarinheiros como isca, em caça de aves. (Alter. de alúdea = cast. aluda, fem. de aludo = port. alado, que tem asas)

*Agúdea*, f. Formiga grande, luzidia, e com asas, aproveitada pelos passarinheiros como isca, em caça de aves. (Alter. de alúdea = cast. aluda, fem. de aludo = port. alado, que tem asas)

* *Agudelho*, ()
m.
O mesmo que agudenho.

* *Agudenho*,
m.
Casta de uva do Doiro e do Alentejo.
(De agudo)

* *Agudento*,
adj. Ant.
Ponteagudo: «o nariz afilado e agudento». Chrón. dos Carmelitas,
t. I, p. III.

* *Agudez*, f. O mesmo que agudeza.

*Agudeza*,
f.
Qualidade do que é cortante ou agudo.
Fig.
Perspicácia; intensidade.

*Agudo*,
adj.
Terminado em ponta ou gume.
Fino; penetrante.
Fig.
Sagaz.
*
O mesmo que ácido. Cf. Leal Conselheiro, in Cortesão, Subsíd.
* Ant.
Irado; exasperado. Cf. Port. Mon. Hist., Script., 281.
(Lat. acutus)

* *Agueira*, (á-gu) f. Prov. beir. O mesmo que goteira.

*Agueiro*, (á-gu)
m.
Rêgo, em que se juntam as águas da estrada.
Cano, em que se reúnem as águas do telhado.
Orifício, nos muros das propriedades rústicas, pelo qual entram as
águas aproveitaveis na cultura.

*Aguentador*, (á-gu-en)
m.
O que aguenta.
(De aguentar)

*Aguentar*, (á-gu-en)
v. t.
Conservar em equilíbrio.
Sustentar na mão.
Soffrer, supportar.
(It. agguantare)

* *Aguente*, (gu-en)
m.
O mesmo ou melhor que aguante.

* *Aguerrear*, v. t. A*fazer á guerra; acostumar a ella.

* *Aguerridamente*,
adv.
De modo aguerrido.

*Aguerrido*,
adj.
Inclinado á guerra.
Que tem modos bellicosos.
Valente.
(De aguerrir)

* *Aguerrilhar*, v. t. Converter em guerrilha; formar guerrilhas de.

* *Aguerrimento*,
m.
Acto de aguerrir.

*Aguerrir*,
v. t.
Acostumar á guerra.
Afazer ás lutas, aos trabalhos.
(T. cast.)

* *Aguiamento*,
m. Ant.
Prudência, discrição.
Perspicácia.
(De aguiar por guiar)

* *Aguian*,
m.
Gênio do mal que, segundo a crença dos Índios do Brasil, tem o poder
de transformar os homens em demónios; o mesmo que agoman.

*Aguião*, m. Ant. O mesmo que aquilão.

* *Aguiarado*, adj. Ant. Esburacado; esfarrapado.

* *Aguida*, f. Prov. alg. O mesmo que agude.

* *Aguieiro*,
m.
Pau que vai do frechal ao pau de fileira.
(Corr. de guieiro?)

*Aguieta*, (êia)
f.
Pequena águia.

* *Aguiguiar*, v. t. Prov. beir. Soltar o grito de guigui.

* *Aguiguros*,
m. pl.
Índios do Brasil, que habitavam a costa marítima, entre a Baía
e Pernambuco.

*Aguíla*, f. Tecido de algodão de Alepo.

*Aguilhada*,
f.
Pau delgado e comprido, ordinariamente com ferrão na ponta, para picar
os bois na lavoira e na carretagem.
*
Antiga medida agrária, de 18 palmos de comprimento.
(De aguilhar)

*Aguilhão*,
m.
Ponta de ferro.
Ferrão.
Espécie de pequeno dardo retráctil na extremidade do abdome de alguns
insectos, como a vespa.
Fig.
Estímulo.
Sofrimento.
* Prov. trasm.
Pedra oval, no fundo do rodizio, o mesmo que gogo.
*
Pedra aguda, submersa no leito de um rio. Cf. Port. Ant. e Mod.,
XII, 2128.

*Aguilhar*, v. t. Ant. O mesmo que aguilhoar.

*Aguilhó*, m. Antigo toucado de mulher.

*Aguilhoada*,
f.
Picada com aguilhão.

*Aguilhoadamente*, adv. Com aguilhoadas.

* *Aguilhoadela*,
f.
O mesmo que aguilhoamento.

*Aguilhoamento*,
m.
Acto de aguilhoar.

*Aguilhoar*,
v. t.
Picar com aguilhão ou aguilhada.
Ferir.
Magoar.
Estimular.

* *Aguisadamente*, adv. Ant. Apropriadamente; em bôa ordem, de modo aguisado.

* *Aguisado*, adj. Ant. Concertado; pôsto em ordem.

*Aguisar*,
v. t. Ant.
Pôr em ordem; combinar, concertar.
(De guisa)

* *Aguista*, (gu-is)
adj. Neol.
Relativo a águas thermaes.
M.
Aquelle que toma águas thermaes.

*Aguitarrado*,
adj.
Que se parece á guitarra, no feitio ou no som.
(De guitarra)

*Agulha*,
f.
Pequena e fina haste de metal, aguçada de um lado, com um orifício no
outro, por onde se enfia a linha ou cordão que serve na costura.
Offício de costureira.
Varinha curva, de metal, que tem, em vez de orifício, um pequeno gancho,
e que serve para fazer meia.
Peça de máquina de costura, que tem o orifício próximo do lado
aguçado. Obelisco.
* Prov. dur.
Dente canino.
* Prov.
Fôlha de pinheiro.
Lâmina de aço magnetizado, que gira livremente sôbre um fulcro.
Extremidade do campanário.
*
Travessa horizontal, entre as orcellas, que serve, de eixo, á vara
do lagar.
* Prov. trasm.
O pique de certas bebidas: êste vinho tem agulha.
Carris de ferro móveis, para facilitar a passagem dos carros, de uma
para outra via.
*
Lâmina de aço, que percute o fulminante nas modernas armas de fogo.
*
Peixe de Portugal.
Ponto de juncção das espáduas.
*
Pique da uva, em resultado do acido carbónico.
Nome de uma armação de pesca da sardinha, na costa de Cesimbra.
* Fam.
Agulha ferrugenta, pessoa intrigante.
* Pl. Bras.
Pedaço de carne, unido ao osso do espinhaço do boi.
* T. da Guarda.
Cada uma das travessas, que unem as chedas do carro.
*
Cume da cernelha do cavallo.
(It. aguglia, do lat. hyp. acucula, de acus)

*Agulha-de-mato*,
f.
Planta brasileira, da fam. das leguminosas.

* *Agulha-de-pastor*,
f.
O mesmo que erva-agulheira.

*Agulhada*, f. Ferimento com agulha.

* *Agulhadoiro*,
m.
Furo no coice da vara do lagar, e nas pedras chamadas orcellas, madres
ou virgens, e pelo qual passa a agulha da vara.

* *Agulhadouro*,
m.
Furo no coice da vara do lagar, e nas pedras chamadas orcellas, madres
ou virgens, e pelo qual passa a agulha da vara.

* *Agulhando*, m. Ant. Alvíçaras ou presentes de anno novo. Cf. Cancion. C. Brancuti.

*Agulhão*,
m.
Nome, que os pescadores do Algarve dão ao peixe-agulha.
*
Bússola, usada a bordo, na qual se fazem as marcações da terra,
e pela qual se guia o official de quarto.

*Agulhar*, v. t. Ferir com agulha. * V. i. Meter a agulha do lagar nos agulhadoiros.

*Agulheado*, m. Que tem fórma de agulha.

*Agulheira*,
f.
Planta, da fam. das corymbíferas.
(De agulha)

*Agulheiro*,
m.
Pequeno estojo, em que se guardam agulhas.
Fabricante de agulhas.
Homem, que trabalha nas agulhas das linhas férreas.
Abertura estreita e profunda.
*
Tubo de grânulos ou lentículas de medicamentos dosimétricos.
* Ant.
O mesmo que balhesteira.
* Pl. Prov. dur.
Orifícios, feitos expressamente entre o ensaio e as cavernas dos barcos
rabelos, para escoamento da água que invade a embarcação.

*Agulheta*, (lhê)
f.
Agulha sem ponta, e de fundo largo, para enfiar cordões ou fitas,
que hão de entrar em baínhas ou ilhós.
Extremidade metállica de cordões, com que se abotôam espartilhos,
botas, etc.
Tubo metállico, que, adaptado a um tubo de borracha, em communicação
com um depósito de água, serve para rega.
*
Uma das insígnias de general.
* M.
Bombeiro, que trabalha com as agulhetas de incêndio.

*Agulheteiro*,
m.
Fabricante de agulhas ou de agulhetas.

* *Agurina*, f. Medicamento diurético.

*Agustina*,
f.
Certa terra da Saxónia, que se dizia sêr formada de saes insípidos.
(De a priv. e do lat. gustus)

*Aguti*, m. Mammífero americano, da ordem dos roedores.

*Agutiguepá*,
f.
Planta medicinal do Brasil.

* *Agynário*,
adj.
Diz-se, segundo De-Candolle, das flores, formadas pelos tegumentos
floraes e estames transformados, e em que falta o pistillo.
(Do gr. a priv. + gune)

* *Agyniano*,
m.
Membro de uma seita christan, que proscrevia o casamento.
(Do gr. a priv. + gune)

* *Agynico*,
adj. Bot.
Diz-se da inserção dos estames, quando estes não adherem ao ovário.
(Do gr. a priv. + gune)

* *Agyno*,
adj.
Que não tem órgãos femininos, (falando-se de vegetaes).
(Do gr. _a_priv. + gune)

*Ah!*,
interj.
(design. de admiração, dôr, alegria, etc.)
(T. commum a muitas línguas)

*Ah! ah! ah!*, interj. (correspondente ao riso franco, á gargalhada)

*Ahí*, adv. (Escrita usual, mas incorrecta. V. *aí*)

* *Ahibi*, (a-i) m. Bras. Pequeno molusco comestível, de concha bivalve.

* *Ahiva*,
m. f. e adj. Bras. do S.
Pessôa ou coisa sem valor, insignificante.
(Do tupi)

* *Ahoai*, m. O mesmo que ahovai.

* *Ahovai*, m. Planta solânea americana, de uma só fôlha.

* *Ahume*, m. Ant. O mesmo que alúmen.

*Aí*,
adv.
Nesse lugar.
(Da prep. a e do adv. ant. i)

*Ai!*,^1 m. Grito de dôr, de alegria. Interj. (design. de dôr ou de alegria) * Anel muito delgado. * Num ai, num instante: «chegariamos a Salvaterra num ai». Corvo, Anno na Côrte, III, 53.

*Ai-Jesus*, m. O mais querido, o predilecto. Interj. (design. de dôr)

*Ai*,^2 m. Quadrúpede, de marcha muito vagarosa.

*Ai*,^3
m.
Espécie de vinho francês, no Marne.
(De Ai, n. p.)

*Aia*,
f.
Criada para companhia.
Criada de quarto; criada particular; camareira.
(De aio)

* *Aiabeba*, f. Ant. O mesmo que arrabil.

*Aiabutipita*,
f.
Árvore brasileira.

* *Aiai*,
m. Fam.
Chôro; lamento: fez-lhe cantar o aiai. «…os seus
aiais
». Castilho, Fausto, 140.

* *Aiáia*,
f. Bras.
Brinquedo.
Vestido de criança.

* *Aiapaina*, f. Bras. Planta medicinal, que os Índios applicam contra o veneno das cobras.

* *Aiapana*, f. Bras. Planta medicinal, que os Índios applicam contra o veneno das cobras.

* *Aiar*,
v. i.
Dar ais.
M.
O acto de dar ais de agonia: «o aiar dos moribundos…» Castilho,
Metam., 237.

*Aibi*, (a-i) m. Bras. Pequeno molusco comestível, de concha bivalve.

* *Aicuna!*, interj. Bras. do S. (Designa admiração, enthusiasmo)

* *Aido*, m. O mesmo que eido.

* *Aidro*,
m. Prov. trasm.
Átrio; entrada.
(Metáth. de ádrio, lat. atrium)

* *Aigoto*, ()
m. Prov. trasm.
O filho da águia.
(Por aguioto, de águia. Cp. perdigoto)

* *Ailanthicultura*,
f.
Cultura de ailantho, em cujas fôlhas se cria um bicho da seda.
(De ailantho + cultura)

* *Ailanthina*,
f.
Matéria têxtil, fornecida pelo bicho da seda que se cria no ailantho.

* *Ailantho*,
m.
Árvore terebinthácea, de que se extrai o chamado verniz do Japão.

*Ailanticultura*,
f.
Cultura de ailanto, em cujas fôlhas se cria um bicho da seda.
(De ailantho + cultura)

*Ailantina*, f. Matéria têxtil, fornecida pelo bicho da seda que se cria no ailanto.

* *Ailanto*, m. Árvore terebinthácea, de que se extrai o chamado verniz do Japão.

* *Ailila*,
m. T. de Moncorvo.
Janota.
Pedante.

* *Aimará*, m. Língua dos indígenas da América, entre o Peru e a Bolívia.

* *Aimbirés*,
m.
O mesmo que aimborés.

* *Aimborés*,
m. pl.
Selvagens do Brasil, que habitavam nas serranias entre as antigas
províncias da Baía, Espírito-Santo e Rio-de-Janeiro.
*
O mesmo que botocudos, segundo Vivien de Saint-Martin.

* *Aimorés*, m. pl. Indígenas do Brasil, o mesmo que aimborés.

*Ainda*,
adv.
Até agora: ainda não veio.
Até então: ainda não tinha vindo.
Além disso: e ainda outras coisas.
Apesar: ainda que jures não te creio.
(Do lat. ab + inde)

* *Ainhum*,
m. Bras.
Affecção, peculiar á raça negra, e caracterizada pela amputação
espontânea de um ou mais dedos do pé.

* *Ainos*, m. pl. Tribo bárbara do Japão.

*…ãins*, suf. pl. O mesmo que …ães.

*Aio*,
m.
Aquelle que está encarregado de educar crianças illustres ou filhos
de gente rica.
Criado grave.
Camareiro.
Escudeiro.
(Do vasc.)

* *Aioro*, m. Árvore de Timor, de madeira branca.

*Aipim*,
m.
Planta brasileira.
Mandioca doce.
(De aipo?)

*Aipo*,^1
m.
Planta umbellífera, de applicação culinária.
(Lat. apium)

*Aipo*,^2 m. T. da Bairrada O mesmo que apo^2.

* *Aira*,
f.
Gênero de plantas gramíneas.
(Gr. aira, joio)

*Airado*,
adj.
Aéreo. Desvairado.
Vadio; próprio de vadio: vida airada.
(Do cast. aire)

*Airão*,^1
m.
Espécie de andorinha.
(Do lat. hirundo?)

* *Airão*,^2
m. Ant.
Ramo de flôres artificiaes, formadas de pedras finas, para enfeite
de toucados.

* *Airar*, (a-i) v. i. Ant. Olhar com ira; odiar.

* *Aire*,^1 m. Ave marítima da costa de Portugal.

* *Aire*,^2 m. Ant. O mesmo que ária.

* *Airela*, f. Árvore, o mesmo que arando.

*Airi*, m. Espécie de coqueiro do Brasil.

*Airiri*, m. Espécie de coqueiro do Brasil.

*Airitucum*, m. Linha, que se faz de filamentos de airi, para fabricação de redes.

* *Airo*,
m.
Ave aquática, (uria troile, Lin.).
O mesmo que aire?

* *Airol*, adj. Chím. Substância sólida, derivada do dermatol e usada como antiséptico.

*Airosamente*,
adv.
De modo airoso.
Com donaire.

*Airosia*, f. Prov. minh. Aspecto airoso, agradável.

*Airosidade*,
f.
Gentileza; qualidade do que é airoso.

*Airoso*,
adj.
Elegante, gentil, esbelto, garboso.
(Do cast. aire)

* *Ais*, m. pl. (?) «…Cupido, cercado de huma rosa de jacintos, com os ays da mesma flor por rayos». Vieira, IV, 194.

*…ãis*,^1 suf. pl. O mesmo que ães.

*…ãis*,^2 suf. pl. de vários subst. e adj. terminados em ão.

* *Aissana*,
m.
Homem incrédulo? «Assim como os fanáticos e os aissanas se excitam
mutuamente…
» Camillo, Freira no Subt., 109.

* *Aitão*,
m.
Antigo magistrado chinês, que parece superintendia em negócios
commerciaes.

* *Aito*, m. Ant. O mesmo que auto.

* *Aitona!*,
interj.
(Design. de alegria): «aitona! vai haver aqui partida rija». Camillo,
Corja, 166.

* *Aitónia*, f. Gênero de plantas sapindáceas.

* *Aiua!*, interj. Bras. (Designa gracejo ou mofa)

*Aiuê!*, interj. Bras. (Designa gracejo ou mofa)

* *Aiunar*, v. i. T. de Miranda. O mesmo que jejuar.

* *Aíva*,
m. f. e adj. Bras. do S.
Pessôa ou coisa sem valor, insignificante.
(Do tupi)

*Aivaca*, f. O mesmo que aiveca.

*Aivão*,
m.
Faisão ordinário.
Espécie de andorinha.

*Aiveca*,
f.
Cada uma das duas peças arqueadas, que, na charrua, erguem a terra que
se lavra.

* *Aixe*, m. O mesmo que axe^1.

* *Aizôa*, f. Gênero de plantas.

* *Ajadas*,
f. pl. Ant.
Dádiva do vassallo ao senhor feudal, em occasiões de festa.
(Por hajadas, de haja, de haver)

*Ajaezadamente*, (ja-e)
adv.
De modo ajaezado.
Á maneira de jaêzes.

*Ajaezado*, (ja-e)
adv.
Que tem jaêzes.
Enfeitado.
(De ajaezar)

*Ajaezar*, (ja-e)
v. t.
Ornar de jaêzes.
Enfeitar.
(De jaez)

* *Ajaja*,
f. Açor.
Buraco, na quilha dos barcos de pesca, pelo qual cai a água, com que
êlles se lavam.

* *Ajanas*, m. pl. Povo indi*gena das costas de Moçambique.

* *Ajanotadamente*,
adv.
Á maneira de janota; como os janotas.

*Ajanotado*,
adj.
Que tem disposições para janota.
Que se veste ou se apresenta semelhando um janota.

* *Ajanotar-se*, v. p. Tornar-se janota.

* *Ajans*, m. pl. O mesmo que ajanas.

*Ajantarado*, adj. Semelhante a um jantar; abundante como um jantar: almôço ajantarado.

*Ajardinado*, adj. Convertido em jardim: terreno ajardinado.

*Ajardinar*, v. t. Dar fórma de jardim a; converter em jardim: ajardinar um terreno.

* *Ajarobá*, m. Peixe do Brasil.

*Ajeitadamente*,
adv.
Com jeito.
Acommodadamente.

* *Ajeitamento*,
m.
Acto de ajeitar. Cf. F. Lapa, Proc. de Vin., 33.

*Ajeitar*, v. t. Pôr a jeito; acommodar.

* *Ajeitivar*,
v. t. Des.
Pôr a seu jeito.
O mesmo que ajeitar.

* *Ajenil*, m. Peixe das costas do Algarve.

* *Ajetivar*, ()
v. t. Prov.
Ajeitar, aperfeiçoar.
(Colhido em Turquel)

* *Ajicubo*, m. Arbusto do Japão.

* *Ajimez*,
m.
Janela arqueada superiormente, bipartida por um columnelo central
e vertical.
(Cast. ajimez)

* *Ajipas*,
f. pl.
Tubérculos, que se apanham na Bolívia e que são semelhantes aos
da dhália.

* *Ajo*,
Pop.
Estado, situação: eu no teu ajo, repellia a proposta.
(De haja, de haver?)

*Ajoelhação*, (jo-e)
f.
Acção de ajoelhar.

* *Ajoelhada*,
f.
Planta gramínea.

*Ajoelhar*, (jo-e)
v. t.
Fazer dobrar os joêlhos.
V. i.
Pôr o joêlho ou os joêlhos no chão.

* *Ajorcado*,
adj. Ant.
Ataviado; loução.
(Por axorcado, de axorca)

*Ajornalar*, v. t. Tomar para serviço a jornal.

* *Ajoujador*, v. t. Que ajouja. Cf. Filinto, I, 85.

*Ajoujamento*,
m.
Acto de ajoujar.

* *Ajoujante*, adj. Bras. O mesmo que ajoujador.

*Ajoujar*,
v. t.
Ligar com ajoujo.
Carregar.
Opprimir.

*Ajoujo*,
m.
Cordão ou corrente, com que se prendem ou jungem dois animaes
pelo pescoço.
União violenta.
* Bras.
Espécie de barca, formada por duas canôas emparelhadas.

* *Ajóvea*, f. Árvore da Guiana, (laurus hexandra, Swertz).

* *Ajoviar*, v. t. Ant. Causar assombro a. V. i. Ficar assombrado.

*Ajuaga*, f. Tumor nos cascos das bêstas.

*Ajuda*,
f.
Acto de ajudar; auxílio.
Favor.
Clyster.
* f.
Espécie de tributo feudal.
* Prov. alent.
O segundo pastor do rebanho, ou o pastor inferiormente immediato
ao rabadão.

* *Ajudada*,
f. Prov. alg.
Auxílio, que a um agricultor dão muitos outros, em qualquer trabalho
de campo.
(De ajudar)

* *Ajudadeira*,
f. Ant.
Foro ou pensão, que onerava alguns prazos da sé de Viseu.
Tributo feudal, com que o vassallo auxiliava as despesas do príncipe ou
do suzerano.
(De ajudar)

* *Ajudadoiro*,
m.
O mesmo que ajudoiro.

*Ajudador*, m. O que ajuda.

* *Ajudância*, f. Bras. Cargo de ajudante. Cf. Diário Official de 15-VI-901.

*Ajudante*,
m.
Aquelle que ajuda.
(Do lat. adjuvans)

*Ajudar*,
v. t.
Auxiliar; soccorrer.
Favorecer.
V. p. * Prov. alent.
Poder alguém fazer, só por si, qualquer trabalho.
Aguentar certo pêso.
(Do lat. adjutare)

* *Ajudeado*, adj. O mesmo que ajudengado.

*Ajudengado*, adj. Des. Que tem modos de judeu ou de coisa judaica.

* *Ajudoiro*,
m. Ant.
Soccorro; auxílio.
(Do lat. adjutorium)

* *Ajuga*,
m.
Planta labiada, annual, que comprehende três secções, (ajugarepta,
Lin.).
O mesmo que búgula.

* *Ajúgeas*,
f. pl.
Tríbo de plantas labiadas.
(De ajuga)

* *Ajugoide*,
adj.
Semelhante ao ajuga.
(De ajuga + gr. eidos)

*Ajuizadamente*, (ju-i)
adv.
De modo ajuizado; com tino.

*Ajuizado*, (ju-i)
adj.
Que mostra têr juizo.
Atilado.
(De ajuizar)

*Ajuizador*, m. O que ajuiza.

*Ajuizar*, (ju-i)
v. t.
Formar juizo de: julgar.
Dar juizo a, tornar sensato.
Levar a juizo, ao tribunal; tornar objecto de processo, de demanda.

* *Ajular*, v. t. Bras. Sotaventear, impellir para julavento; lançar (o navio) para trás.

* *Ajumentado*, adj. Que tem apparência ou modos de jumento.

* *Ajunta*, f. Acto de ajuntar. Prov. beir. Pão de ajunta, pão de milho, com mistura de algum trigo.

*Ajuntadamente*, adv. O mesmo que juntamente.

*Ajuntadeira*,
f.
Mulher, que junta e cose as peças superiores do calçado.
(De ajuntar)

*Ajuntadoiro*,
m.
Lugar, onde se juntam águas pluviaes, ou outras coisas.
(De ajuntar)

*Ajuntador*, m. O que ajunta.

*Ajuntadouro*,
m.
Lugar, onde se juntam águas pluviaes, ou outras coisas.
(De ajuntar)

*Ajuntamento*,
m.
Reunião de pessôas.
Acto de ajuntar.

*Ajuntar*, v. t. Aproximar. Unir. Accrescentar. Colligir. * v. t. Economizar (dinheiro, quantias) Bras. do N. Apanhar, levantar. (De juntar)

*Ajuntável*, adj. Que se póde ajuntar.

* *Ajuntoira*,
f.
Pedra, que atravessa uma parede em toda a sua espessura.
(De ajuntar)

*Ajuramentadamente*,
adv.
Com juramento.

*Ajuramentar*, v. t. Fazer jurar; deferir juramento a.

*Ajurativa*, f. Arbusto brasileiro.

*Ajuru*,^1 m. Árvore fructífera do Brasil.

*Ajuru*,^2
m. Bras.
Designação genérica do papagaio.
(Do tupi a, gente, e juru, boca)

*Ajurujuru*,
m. Bras.
Designação genérica do papagaio.
(Do tupi a, gente, e juru, boca)

* *Ajuso*,
adv. Ant.
Abaixo.
(De juso)

* *Ajustador*,
m.
Aquelle que, nos caminhos de ferro, é encarregado de collocar no
respectivo lugar as peças de uma máquina, vagão ou carruagem.
(De ajuntar)

* *Ajustagem*, f. Bras. (?) «…officina de serralharia mecânica e ajustagem para servir de prompto ás pequenas reparações (náuticas)». Do Jornal de Notícias, do Rio, de 9-IX-907.

*Ajustamento*,
m.
Acto ou effeito de ajustar.

*Ajustar*,
v. t.
Adaptar.
Tornar exacto, justo.
Contratar.
Completar.
*
Collocar no respectivo lugar (as peças de uma máquina, vagão ou
carruagem).
(De justo)

*Ajuste*,
m.
Acto de ajustar.
Contrato, convenção.

* *Ajustiçar*,
v. t. Ant.
Apresentar como justo.
Justiçar.
(De justiça)

* *Ajustura*,
f.
Pequena cavidade numa ferradura, para que esta se adapte facilmente
ao pé.
(Fr. ajusture)

* *Ajutório*, m. Bras. O mesmo que muxirão, quando êste, passado um dia, entra pelo seguinte.

* *…al*, suf. (design. de conveniência ou relação) (Do suf. lat. …alis)

*Al*,^1
pron. Ant.
Outra coisa.
O mais.

*Al*,^2
pref.
De origem árabe, que entrou na formação de palavras portuguesas,
como Almada.

* *Al*,^3 (contr. ant. da prep. a e do art. lo)

* *Alá*, adv. Ant. O mesmo que .

*Ala!*,^2
interj.
Eia! vamos! anda!
(Imp. do v. alar)

* *Ala-e-larga!*,
interj. Náut.
Voz de manobra, para virar de bordo, ou para se dar uma volta com a
embarcação, ao atracar a um caes ou a um navio.

*Ala*,^1 f. Fileira; renque. Fachada lateral. * Prov. trasm. Asa * Prov. trasm. Pedra de loisa, com que se encimam os muros, para que as pedras miúdas se não derrubem facilmente. * Prov. O mesmo que labarêda. * Mil. Grupo militar, que fórma uma das divisões de um regimento; metade de um batalhão. Cada uma das duas extremidades de um exército, formado em ordem de batalha. * Dar ala, dar occasião, ensejo: «os seus nervosismos dão ala ao espirito». Camillo, Cartas, 132.

* *Alabaça*,^1 f. Prov. dur. Pedaço de tábua, com que se veda o rombo de um navio.

* *Alabaça*,^2
f.
Planta, o mesmo que labaça.

*Alabancioso*, adj. Des. Que costuma alabar-se.

* *Alabanda*,
f.
Mármore negro, encontrado por Plínio na cidade daquelle nome.
(De Alabanda, n. p.)

*Alabandina*,
f.
Pedra vermelho-escura, que é um sulfureto de manganés.
(De alabanda)

* *Alabandite*,
f.
O mesmo que alabandina.

*Alabão*,
m. Prov. alent.
Rebanho, que dá leite por meio da ordenha.
(Do ár. al-laban)

*Alabar-se*,
v. p.
Têr bazófia; jactanciar-se.
(Cast. alabar)

* *Alabarar*,
v. t.
Denegrir com o fogo.
Queimar.
Consumir.
(Relaciona-se com labareda?)

* *Alabarca*,^1
m.
Recebedor dos direitos de importação, entre os antigos Romanos.
(Lat. alabarches)

*Alabarca*,^2 Prov. O mesmo que abarca.

*Alabarda*,
f.
Arma, composta de longa haste, que termina em ferro largo e ponteagudo,
atravessado por outro ferro em fórma de meia lua.
(Do alto al. méd. hëlmbart)

*Alabardada*,
f.
Golpe de alabarda.

*Alabardado*, adj. Armado de alabarda.

*Alabardar*, v. t. Armar de alabarda. V. p. Des. Jactanciar-se; gabar-se, alabar-se.

* *Alabardeiras*, f. pl. Prov. minh. Espécie de tamancos, usados pelas mulheres de Castro-Laboreiro.

*Alabardeiro*,
m.
Aquelle que usa alabarda.

*Alabardino*, adj. Que tem feitio de alabarda.

*Alabarque*,
m.
Recebedor dos direitos de importação, entre os antigos Romanos.
(Lat. alabarches)

*Alabástrico*, adj. O mesmo que alabastrino.

* *Alabastrilha*,
f.
Instrumento náutico, o mesmo que balestilha.

*Alabastrino*, adj. Que tem a cór ou outras propriedades do alabastro.

* *Alabastrita*,
f.
O mesmo que alabastrite.

*Alabastrite*,
f.
Variedade do sulfato de cal, semelhante ao alabastro.
(Gr. alabastrites)

*Alabastro*,
m.
Espécie de mármore branco e pouco duro.
Fig.
Alvura.
(Lat. alabastrum)

* *Alabirintado*,
adj.
Que tem fórma de labirinto.
Fig.
Confuso. Cf. Camillo, Mulher Fatal, 10.

* *Alabirintar*,
v. t.
Dar fórma de labirinto a.
Delinear complicadamente, com sinuosidades.

* *Alabregado*, adj. Que tem modos de labrego.

* *Alabyrinthado*,
adj.
Que tem fórma de labyrintho.
Fig.
Confuso. Cf. Camillo, Mulher Fatal, 10.

* *Alabyrinthar*,
v. t.
Dar fórma de labyrintho a.
Delinear complicadamente, com sinuosidades.

* *Alacaiado*, adj. Que tem modos de lacaio.

* *Alacar*, v. i. Pop. Vergar, ceder ao pêso ou carga.

* *Alacoado*, adj. Que tem côr de lacão ou de presunto.

* *Alacrã*, f. O mesmo que lacrau.

* *Alacraia*, f. Prov. trasm. O mesmo que alacran.

* *Alacran*, f. O mesmo que lacrau.

* *Alacrar*, v. i. Prov. minh. Entanguir-se; não se desenvolver devidamente na parte superior, (falando-se da espiga do milho).

*Alacrau*, m. (V. lacrau)

* *Alacreado*, adj. Que tem côr de lacre.

* *Alacremente*, adv. De modo álacre.

*Alacridade*,
f.
Vigor.
Alegria.
Enthusiasmo.
(Lat. alacritas)

*Alado*,
adj.
Que tem asas.
(De ala)

*Aladroado*,
adj.
Que tem tendência para ladrão.
Que furta alguma coisa.
*
Cerceado ou deminuido com fraude: «o Carneiro tem os pesos muito
aladroados
». Macedo, Burros, 225.

* *Aladroar*, v. t. Cercear ou deminuir com fraude.

*Alaela*,
f.
Arraial moirisco.
(Do ár. al-hila)

* *Alafé*,
adj. Ant.
Á fé; em verdade; certamente.
(De a + la + )

*Alagadeira*,
f. Des.
Mulher gastadora.
(De alagar)

* *Alagadela*,
f.
Acto de alagar ou encher de água. Cf. Museu Techn., 90.

*Alagadiceiro*, adj. Bras. Que pasta em terreno alagadiço.

*Alagadiço*,
adj.
Sujeito a sêr alagado.
Pantanoso; encharcado.

*Alagador*, m. O que alaga.

*Alagamar*,
m.
Pequenina angra, por natureza guarnecida de penedos, e onde entra a maré,
perdida a sua maior violência.
(De alagar + mar. Cp. lagamar)

*Alagamento*,
m.
Acto de alagar.

*Alagar*,
v. t.
Converter em lago.
Cobrir de água; inundar.
Encher ou cobrir de qualquer líquido.
Invadir.
Deitar ao chão.
Subverter.
* Ant.
Dissipar.

* *Alagartado*, adj. Que tem côr de lagarto.

* *Alagartar*, v. t. Dar côr de lagarto a. Cf. Filinto, III, 211.

* *Alagartear*,
v. t.
Pôr traços ou manchas em, á feição de lagartas. Cf. Filinto,
IV, 163.

* *Alagem*, f. Acto de alar.

*Alagite*, m. Variedade de manganês silicífero.

*Alagôa*, adj. (V. lagôa)

* *Alagoano*,
f.
Relativo ao estado de Alagôas, no Brasil.
M.
Aquelle que é natural de Alagôas.

* *Alagoar*,
v. t.
Encher ou inundar em fórma de logo: a maré, quando sobe alagôa
estas covas
.
(De alagôa)

* *Alagoso*,
adj.
Diz-se do terreno paludoso ou alagado de água.
(De alagar)

* *Alagosta*, (gôs)
f. Prov. trasm.
Mulher desgovernada, muito gastadora.
(De alagar, e infl. de lagosta?)

*Alagostado*, adj. Que tem côr de lagosta.

* *Alagostice*, f. Prov. trasm. Esbanjamento, acto de alagosta.

* *Alaguna*, f. O mesmo que laguna.

*Alahela*,
f.
Arraial moirisco.
(Do ár. al-hila)

* *Alale!*, interj. Grito de guerra, entre os antigos Gregos.

* *Alalhana*,
adv. Ant.
Chanmente; com lisura, com clareza.
(De a + la + lhano)

* *Alalia*,
f.
Paralysia dos órgãos da voz.
Mutismo accidental.
Impossibilidade de falar.
(Do gr. a priv. e laleo)

* *Alálitho*,
f.
Mineral esverdeado, do valle de Ala, em Itália.
(De Ala, n. p. + gr. lithos)

* *Alálito*,
f.
Mineral esverdeado, do valle de Ala, em Itália.
(De Ala, n. p. + gr. lithos)

* *Alalonga*,
m.
Peixe das cercanias de Nice.

* *Alamal*,
m
Lugar, plantado de álamos; alameda.

* *Alamanda*,
f.
Gênero de plantas apocýneas.
(De Allamand, n. p.)

* *Alamão*, m. adj. Prov. alent. Indivíduo forte ou corpulento. Prov. beir. Vendedor ambulante de fazendas e lençaria. (Por alemão)

*Alamar*,
m.
Cordão de requife ou de metal, que guarnece e abotôa a frente de
um vestuário.
(Do ár. al-amara)

*Alamarado*, adj. Ornado de alamares.

* *Alambari*,
m.
Pequeno peixe do Brasil.

*Alambazadamente*, adj. De modo alambazado.

*Alambazado*, adj. Lambaz. Grosseiro. * Prov. minh. Orgulhoso. Casquilho.

*Alambazar-se*,
v. p.
Fazer-se lambaz, glotão.
Comer muito.
* v. p.
Tornar-se desajeitado, grosseiro.
* Prov. trasm.
Estatelar-se no chão, cair de bruços.

*Alâmbel*, m. Des. Pano de côres, para cobrir mesas, tabuleiros, etc.

*Alambicadamente*, adv. De modo alambicado.

*Alambicado*,
adj.
Pretensioso; arrebicado.
(De alambicar)

* *Alambicamento*,
m.
Affectação; requinte. Cf. Castilho, Tartufo, XVI.

*Alambicar*,
v. t.
Destilar no alambique.
Fig.
Tornar affectado, pretensioso.
Arrebicar.
Requintar.

*Alambique*,
m.
Apparelho de destillação.
(Ár. al-ambique, do gr.)

*Alambor*,
m. Ant.
Aumento de espessura na base das construcções de alvenaria.
(De alamborar)

* *Alamborar*,
v. t.
Dar declive a, tornar convexo, alombar.
(Por alomborar, de lombo)

* *Alambra*,
f.
Álamo negro.
Resina, extrahida do choupo.
(De alambre)

* *Alambrado*,
m.
Terreno, cercado de fios de arame.
(De alambrar)

* *Alambrador*,
m.
Aquelle que fabrica fios de arame.
(De alambrar)

* *Alambrar*, v. t. Cercar (terrenos) com fios de arame.

*Alambre*,
m.
O mesmo que âmbar, (tendo a mais o art. ár. al)
* Pop.
Pessôa fina, muito esperta, que tem lume no ôlho.

*Alambreado*,
adj.
Que tem côr de alambre.
* Pop. des.
Que tem muito vinho no estômago.

*Alameda*, ()
f.
Lugar, plantado de álamos.
Bosque.
Parque.
Rua de árvores.

*Alamedar*, v. t. Converter em alameda.

* *Alâmel*, m. O mesmo que alâmbel.

*Alamira*, (á-la)
adv.
Á espera. A espreitar.
De prevenção: «Mulei Maluco, estando alamira da determinação do
exército…
» B. da Cruz, Chrón. D. Sebast. c. LXII.
(De a + la + mira)

*Alamiré*, m. O mesmo que lamiré.

*Alamoda*, (á-la)
adv.
Á moda; segundo a moda.
(De a + la + moda)

*Alâmpada*, f. (V. lâmpada)

*Alampadário*,
m.
(V. lampadário)

*Alampadeiro*,
m.
(V. lampadeiro)

* *Alampar*,
v. i. Gír.
Vêr.
(T. cast.)

* *Alampião*, m. Pop. e ant. O mesmo que lampião. Cf. B. Pereira, Prosódia, vb. polymixus.

* *Alampreado*, adj. Semelhante á lampreia, no gôsto, côr ou fórma.

* *Alamutu*, m. Árvore fructífera de Madagáscar.

* *Alancado*, adj. Prov. trasm. Curvado por um pêso; ajoujado.

*Alanceado*,
adj.
Ferido com lança.
Fig.
Amargurado, torturado.
(De alancear)

*Alanceador*,
m.
Aquelle que alanceia.

*Alancear*,
v. t.
Ferir com lança.
Fig.
Causar grande dôr a; affligir.
Estimular.

* *Alanco*, m. T. de Lanhoso. Impulso; auxílio de fôrça.

*Alandeado*, adj. Semelhante á lande.

*Alandro*, m. O mesmo que loendro.

*Alandroal*, m. Lugar, plantado de alandros.

* *Alangiáceas*,
f. pl.
Família de plantas, que abrange árvores corpulentas, de fôlhas
alternas, pecioladas, simples.
(De alangião)

* *Alangião*,
m.
Planta, que se tomou como typo das alangiáceas.

* *Alangio*, m. O mesmo que alangião.

* *Alanguidar-se*,
v. p.
O mesmo que languescer.
(De lânguido)

*Alanhador*, m. Aquelle que alanha.

*Alanhar*,
v. t.
Fazer lanhos em.
Esfaquear.
Golpear.
Cansar.
Opprimir.
(Do lat. e-laniare, segundo Cornu)

*Alânia*, f. Gênero de plantas leguminosas.

* *Alânico*, adj. Relativo aos alanos.

* *Alanita*, f. Substância negra e vitrea, que corta o crystal.

* *Alanite*, f. O mesmo que alanita.

* *Alano*, m. Cão grande de caça grossa; alão.

* *Alanos*,
m. pl.
(não *Álanos*)
Povo da Scýthia, que no século V assolou a Gállia e a Espanha.
(Lat. Alani)

*Alanta*,
f. Náut.
Apparelho, que passa em dois cadernaes pelos gornes da embarcação.
(Por alenta, de alentar?)

*Alanterna*, f. (V. lanterna)

*Alanterneiro*,
m.
(V. lanterneiro)

* *Alantíase*,
f.
Entoxicação alimentar, devida á ingestão de salsichas alteradas.
(Do gr. allas, salsicha)

* *Alantina*,
f.
O mesmo que dhalina.

* *Alanto*, m. Gênero de insectos hymenópteros.

*Alantoico*, adj. (V. alantoidiano)

*Alantoide*,
f.
Membrana do féto dos mammíferos, durante os dois primeiros meses de
vida intra-uterína, e da qual ao depois se fórma a bexiga e a placenta.
(Gr. allantoeides)

* *Alantoídea*,
f. Veter.
Vesícula, situada entre o chórion e o amnios. Cf. M. Pinto, Comp. de
Veter.
, II, 230.

*Alantoidiano*, adj. Relativo á alantoide.

*Alantoína*, f. Substância neutra, que se encontra no líquido alantoidiano.

* *Alantos*,
m. pl.
Gênero de insectos hymenópteros.
(Do gr. allas, allantos)

* *Alanzoador*,
m.
Aquelle que alanzôa.

* *Alanzoar*, v. t. Dizer á tôa. V. i. Tagarelar. Fanfar, têr bazófia. (De zoar, com um pref. incerto)

*Alão*,^1
m.
Cão grande de fila.
Pl. alãos.
(B. lat. alanus)

* *Alão*,^2 m. Prov. trasm. Grande pedra de loisa, com que se encimam os muros, para que as pedras miúdas não desabem facilmente. (De ala^1)

*Alapado*,
adj.
Escondido em lapa.
Agachado.

*Alapar*,^1
v. t.
Esconder em lapa.
Occultar, debaixo ou detrás de alguma coisa.

* *Alapar*,^2
adv. Ant.
Igualmente.
Ao lado: «…se moveram a lapar». Jornada de África, c. VI.
(De a + la + par)

* *Alaparavante*, adv. Ant. (?) «…as cameras [q~] hiam dallaparavante.» Hist. Trág. Marít., 51.

* *Alapardadamente*,
adv.
Ás occultas, furtivamente.
(De alapardado)

*Alapardado*,
adj.
Alapado.
Escondido atrás ou debaixo de alguma coisa.
(De alapardar-se)

*Alapardar-se*,
v. p.
Agachar-se.
Occultar-se.
Abaixar-se para não sêr visto.
(De láparo?)

*Alapoado*, adj. Que tem modos de lapão; grosseiro.

* *Alaptos*,
m. pl.
Gênero de insectos hymenópteros, cuja única espécie se encontra
na Inglaterra.

* *Alaque*, m. O mesmo que plintho.

* *Alaqueca*,
f.
O mesmo que laqueca. Cf. Castanheda, liv. I, c. 13.

*Alar*,^1
v. t.
Formar em alas.
Dar asas a.
Fazer voar.
Içar; levantar.
* Prov. dur.
Arrastar ou guiar (barcos) á sirga.

* *Alar*,^2 v. i. Gír. Viver.

* *Alar*,^3
v. i. Gír.
Ir.
(Fr. aller)

* *Alar*,^4
adj.
Que tem fórma de asa.
(Do lat. ala)

* *Alara*,
f. Ant.
Leque, com que os acólytos, nas festas de igreja, enxotavam as môscas
da cabeça e da cara dos celebrantes.
(B. lat. alare)

* *Alárabe*,
m. Ant.
Árabe beduíno.
(Cp. alarve)

*Alaranjado*,
adj.
Que tem côr ou fórma de laranja.
(De alaranjar)

* *Alaranjar*, v. t. Dar côr ou forma de laranja. Cf. Eça, P. Amaro, 61.

* *Alarar*, v. t. Estender no lar, na lareira.

* *Alárave*,
m. Ant.
Árabe beduíno.
(Cp. alarve)

* *Alarcónia*,
f.
Planta, da fam. das compostas, tribo das senecionídeas.
(De Alarcon, n. p.)

*Alarde*,
m.
Vanglória; ostentação; apparato; vaidade.
(Ár. al + ardh)

*Alardeador*,
m.
Aquelle que alardeia.

*Alardeamento*,
m.
Acto de alardear.

*Alardear*,
v. t.
Fazer alarde de.
Ostentar.
Gabar-se de.

*Alardo*,
m.
Revista de tropas, que se fazia annualmente.
*
Gente de armas, preparada para combate ou para embarque.
*
Resenha minuciosa.
*
Caderno ou rol, por onde se faz chamada de pessoal.
O mesmo que alarde.
(V. alarde)

*Alares*,
m. pl.
Laços de crina de cavallo, para caçar perdizes.
* m. pl.
Cabos, com que os pescadores do rio Minho alam para a terra a rede
algerife.
(De alar)

*Alargadamente*, adv. Com largueza.

* *Alargador*,
m.
Aquelle que alarga.

*Alargamento*,
m.
Acto de alargar.

*Alargar*,
v. t.
Tornar largo, extenso.
Dilatar.
Afroixar.
Prolongar.

* *Alariciano*, adj. Relativo a Alarico. Cf. Herculano, Hist. Port., IV, 388.

*Alarida*, f. (V. alarido)

*Alarido*,
m.
Gritaria; clamor.
(Do ár. garida)

* *Alarife*,
m. Ant.
Architecto; mestre de obras.
(Ár. alarif)

* *Alariz*,
m.
Nome de um tecido, que se fabrica na Galliza.
(De Allariz, n. p.)

*Alarma*,
m.
Grito para chamar ás armas.
Rebate.
Abalo.
Confusão.
Vozearia; tumulto.
(Talvez do it. all'arma)

* *Alarmante*, adj. Que alarma, assusta, perturba.

*Alarmar*,
v. t.
Pôr em alarma.
Assustar.
Alvorotar.

*Alarme*, m. (Corr. de alarma)

* *Alarmista*,
m.
Aquelle que se compraz em espalhar boatos alarmantes.

* *Alarpar-se*,
v. p. Pop.
Abaixar-se, para não ser visto.
Alapardar-se.
(Metáth. de alap'rar-se, por alaparar-se, de láparo)

* *Alarvado*, adj. Que tem modos de alarve.

* *Alarvajado*, adj. Que tem modos de alarve; incivil, descortês.

*Alarvaria*, f. Brutalidade; acção de alarve.

*Alarve*,
m.
Aquelle que é brutal, selvagem, rude.
Comilão.
Ant.
Árabe beduíno.
(Ár. al-arabi)

*Alarvia*, f. Multidão de alarves.

* *Alarvice*, f. P. us. Qualidade ou acção de alarve.

* *Alarvidade*,
f.
Qualidade de alarve. Cf. Arn. Gama, Motim, 21.

* *Alassar*,
v. i. Marn.
Destacar-se facilmente (o sal) do casco da marinha. Cf. Museu Techn.,
21.

*Alastrado*,
adj.
Disposto como lastro.
(De alastrar)

*Alastramento*,
m.
Acto de alastrar.

*Alastrar*,
v. t.
Cobrir com lastro, lastrar.
Cobrir, espalhando.
Espalhar; derramar.
Alargar gradualmente.

* *Alastrim*,
m. Bras.
O mesmo que varíola-mansa.
(Cp. alastrar)

*Alaterna*,
f.
Designação scientífica do aderno.
(Lat. alaternus)

*Alaterno*,
m.
Designação scientífica do aderno.
(Lat. alaternus)

*Alatinadamente*, adv. De modo alatinado.

*Alatinado*,
adj.
Que tem fórma ou syntaxe latina.
(De alatinar)

*Alatinar*, v. t. Dar fórma ou syntaxe latina a.

* *Alatita*,
f.
Crystal transparente e levemente colorido de verde, que se encontra no
valle de Ala, (Piemonte), e noutros pontos.
(De Ala, n. p.)

*Alatoar*, v. t. Guarnecer com cintas ou embutidos de latão.

*Alauate*, (la-u)
m.
Espécie de macaco.

* *Alauda*,
m.
Gênero de pássaros conirostros, que comprehende a calhandra, o
cochicho, etc.
(Lat. alauda)

*Alaúde*,^1
m.
Antigo instrumento de cordas.
(Do ár. al-ud)

* *Alaúde*,^2 m. Pequena embarcação, ainda hoje usada na pesca do atum. Cf. Ortigão, Culto da Arte. «…Mandou o Conde logo acerca destas cousas Mose Martim de Pumar em um Alaude…» Azurara, Chrón. do Conde D. Pedro, cap. LXI, p. 417.

* *Alaudídeos*,
m. pl.
Família de pássaros, que tira nome do alauda.
(De alauda + gr. eidos)

* *Alaudíneos*, m. pl. Sub-família dos alaudídeos.

*Alaúna*,
adv.
Á uma.
Juntamente.
* M. Prov. alent.
Jôgo de rapazes, em que se emprega o salto e certos estribilhos.
(Loc. cast.)

* *Alaus*,
m. pl.
Gênero de insectos coleópteros pentâmeros.
(Gr. alaos)

*Alavanca*,
f.
Barra de ferro ou madeira, para mover ou levantar corpos pesados.
(Cast. palanca, sob a infl. de levantar?)

*Alavanco*, m. O mesmo que adem.

*Alavão*,^1 m. O mesmo ou melhor que alabão.

*Alavão*,^2
m. Prov. alent.
Rebanho, que dá leite por meio da ordenha.
(Do ár. al-laban)

* *Alavercar*, v. t. Ant. Abaixar; humilhar. * v. t. Ant. Altercar? «…num alavercar antre elles.» Aulegrafia, 159. (De laverca, alludindo ao vôo descendente da laverca?)

* *Alavês*, m. e adj. O que é da província de Alava, em Espanha.

*Alavoeiro*, m. Aquelle que pastoreia alavões.

*Alazão*,
m.
Cavallo de côr de canela.
Adj.
Que tem côr de canela, (falando-se do cavallo).
(Cast. alazan)

* *Alazarado*,
adj. Prov. beir.
Que tem muitas dívidas.
(Colhido no Fundão)

* *Alazeirado*, adj. Que tem lazeira.

* *Alba*, f. Gênero de poesia provençal.

*Albácar*,
m.
Porta de fortaleza moirisca.
Barbacan.

*Albaciga*, f. Arbusto do Chile.

*Albacora*,
f.
Peixe escômbrida, cujo gênero abrange o atum e outras espécies.
(Do ár. al-bacar)

*Albafar*,
m.
Perfume. Incenso.
Peixe, o mesmo que albafora.
(Do ár. ?)

* *Albafôr*, m. Ant. Espécie de perfume, extrahido da raiz de uma planta.

*Albafora*, ()
f.
Grande peixe, das costas de Portugal.
O mesmo que albacora?

*Albanês*,^1
adj.
Relativo á Albânia.
M.
Homem natural da Albânia.
Língua dêste país.

* *Albanês*,^2 m. Prov. alent. O mesmo que alvanel.

*Albanesa*, ()
f.
Anêmona branca.
(Fem. de albanês,^1)

*Albará*, m. Bras. Espécie de cana da Índia.

*Albarda*,
f.
Sella grosseira de bêstas de carga.
* Pop.
Jaqueta ou casaco mal feito.
* Pesc.
O dorso da Pescada.
(Do ár. al-bardaa)

*Albardada*,
f. Pop.
Fatia, envolta em ovos batidos, frita e recoberta de açúcar.
(De albardar)

*Albardado*,
adj.
Que traz albarda.
* adj.
Diz-se do toiro, que tem sôbre o lombo uma mancha de côr differente
da do resto do pêlo, não sendo o toiro malhado nem sardo.
(De albardar)

*Albardadura*,
f.
Arreios de bêstas, comprehendida a albarda, cabeçada, atafal, retranca,
etc.
* f.
Acto ou effeito de albardar.

* *Albardan*, f. Ant. O mesmo que capuz. Cf. Af. el Sabio. Cant. de María, 401.

*Albardão*,
m.
Albarda para montar; albarda grande.
* Bras.
Cadeia de cerros e baixadas; sellada.

*Albardar*,
v. t.
Pôr albarda em.
Ajaezar com albarda.
Cobrir (fatias) com ovos e açúcar.
Cobrir (sardinhas) com ovos para fritura.
Fig.
Vexar.
Burl.
Vestir, enroupar.
* Pop.
Fazer á pressa e mal (qualquer coisa).

*Albardeira*,
f.
Rosa silvestre.
* Adj.
Diz-se da agulha grande, com que se cosem albardas.

*Albardeiro*,^1
m.
Aquelle que faz ou vende albardas.
* Pop.
Mau alfaiate.
* Adj. Bras. de Minas.
Que trabalha mal, que é mau artista.

*Albardeiro*,^2 adj. Prov. trasm. Mentiroso. (por aldrabeiro?)

*Albardilha*,
Pequena albarda. Cf. Goes, Chrón. de D. Man., XXXVI.

* *Albardina*,
f. Bot.
Peónia silvestre, vulgar nas abas da serra de Albardos.
(De Albardos, n. p.)

* *Albarela*,
f.
Cogumelo comestível, que cresce nos castanheiros.

*Albarrã*,
f.
Espécie de cebola, da fam. das liliáceas.
Tôrre saliente em castellos ou muralhas.
(Ár. al-barran)

*Albarrada*, f. Ant. Muro de resguardo. * f. Ant. Vaso para beber. * f. Ant. Vaso com flôres, para ornato de mesas. (Do ár. al-barrada)

*Albarran*,
f.
Espécie de cebola, da fam. das liliáceas.
Tôrre saliente em castellos ou muralhas.
(Ár. al-barran)

*Albarrana*, f. O mesmo que albarran.

* *Albarrão*, m. Prov. Perdigão, que perdeu a fêmea, e anda descasalado no monte.

* *Albarraz*,
m.
Designação antiga do paparraz.

* *Albatoça*,
f.
O mesmo que albetoça.

*Albatroz*, m. Grande ave palmípede, muito voraz.

* *Albente*,
adj.
Que branqueja; que alveja.
(Lat. albens)

*Albergador*,
m.
Aquelle que alberga.

* *Albergagem*,
f.
Direito, que os senhorios tinham, de sêr albergados pelos seus
emphyteutas.

* *Albergala*,
f.
(Apparece em documentos antigos, talvez como cópia errada de albergata,
por alpercata)

*Albergamento*,
m.
Acto de albergar.

*Albergar*,
v. t.
Dar albergue, hospedagem, agasalho, a.
Conter: albergar maus sentimentos.
V. i.
Estar num albergue; estar hospedado.
* V. i.
Co-habitar.

*Albergaria*,
f.
Lugar, em que se dá albergue; estalagem; hospedaria.
Contrato de hospedagem.

*Albergue*,
m.
Hospedagem.
Hospedaria, albergaria.
(Do ár. al-barga? Do alt. al. ant. hari-bëre)

*Albergueiro*,
m.
Aquelle que alberga, hospéda, agasalha.

*Albérsia*, f. Gênero de plantas amarantáceas.

* *Alberta*, f. Planta rubiácea, de inflorescência terminal.

* *Albérteas*, f. pl. Tribo de plantas, que têm por typo a alberta.

*Albertina*,
f.
Espécie de anêmona.
Espécie de tulipa raiada.
(De Albertina, n. p.)

* *Albertinho*, m. T. de Serpa. Pequena infusa, da capacidade de meio alberto.

* *Albertínia*,
f.
Arbusto do Brasil.

* *Albertino*,
m.
Moéda antiga, em França e noutros países.
(De Alberto, n. p.)

* *Albertipia*,
f. Phot.
Processo, com que a matriz se traslada para uma placa de vidro coberta
de chromato de potassa.

* *Alberto*, m. T. de Serpa. Pequena infusa, ou meia quarta. Cf. Tradição, II, n.^o 11.

* *Albertypia*,
f. Phot.
Processo, com que a matriz se traslada para uma placa de vidro coberta
de chromato de potassa.

*Albetoça*, f. Embarcação indiana, dizem os lexicógraphos. Rui de Pina porém fala-nos das albetoças, em que se passeava no Tejo, e poderá daqui inferir-se que o termo se applicou a mais de uma espécie de embarcação, não só oriental. (Alter. do ár. al-botça?)

*Albicante*,
f.
Espécie de anêmona, de fôlhas esbranquiçadas.
* Adj.
Esbranquiçado.
(Lat. albicans)

* *Albicastrense*,
adj.
Relativo a Castello-Branco.
M.
Habitante de Castello-Branco.
(Do lat. Albicastrum, n. p.)

* *Albicaude*,
adj.
Que tem cauda branca.
(Do lat. albus + cauda)

* *Albicaule*,
adj.
Que tem tronco branco ou esbranquiçado.
(Do lat. albus + caulis)

* *Albicole*,
adj.
Que tem pescoço branco.
(Do lat. albus + collum)

* *Albicolle*,
adj.
Que tem pescoço branco.
(Do lat. albus + collum)

*Albicorque*, m. Prov. (V. albricoque)

*Albificação*,
f.
Acto de albificar.

*Albificar*,
v. t.
Tornar alvo, branco; branquear.
(Do lat. albus + facere)

*Albiflor*,
adj.
Que dá flôres brancas.
(Do lat. albus + flos, floris)

*Albigenses*,
m. pl.
Partido ou seita politico-religiosa, que se diffundiu ao sul da França,
mormente em Albí.
(De Albiga, n. p. lat. de Albi)

* *Albina*, f. Mineral opaco e terroso da Bohêmia.

* *Albinágio*,
m. Jur.
Direitos, que o Fisco recebia outrora da successão de estrangeiros.
Acto de o Fisco succeder ao estrangeiro, que morre sem testar e sem
deixar herdeiros necessários.
(It. albinaggio)

* *Albínia*, f. Insecto díptero, (albinia bucaclis).

*Albinismo*,
m.
Anomalia orgânica, caracterizada pela deminuição ou ausência da
matéria corante da pelle, cabellos e olhos.
Doença das plantas, que lhes torna brancas as partes verdes.
(De albino)

*Albino*,
m. e adj.
Indivíduo que tem albinismo.
(Do lat. albus)

* *Albiões*, m. pl. Antigos habitadores da Inglaterra.

* *Albiona*, f. Verme annélido, semelhante á sanguesuga.

* *Albirosado*, (ro)
adj.
Que tem côr intermédia ao branco e ao rosado.

* *Albirostro*, (rós)
adj.
Que tem o bico ou o focinho branco.
(Do lat. albus + rostrum)

* *Albirrosado*, adj. Que tem côr intermédia ao branco e ao rosado.

* *Albirrostro*,
adj.
Que tem o bico ou o focinho branco.
(Do lat. albus + rostrum)

*Albite*,
f.
Uma das espécies dos feldspathos.
(Do lat. albus)

* *Albízia*, f. Árvore leguminosa da Índia, (albízia Lebbek, Roxb.).

* *Albo*, m. Espécie de salmão, (salmo albula).

* *Albói*, m. Náut. Pequena abertura, por onde o ar e a luz penetram nas cobertas dos navios.

* *Albóio*,
m. Prov. minh.
O mesmo que alpendre.
Casa grande, mas desprezada ou abandonada.

*Alboque*,
m. Ant.
Instrumento pastoril, de sopro.
(Do ár. al-boque)

*Albor*, m. (V. alvor)

*Alborcar*,
v. t.
Receber ou entregar por alborque; trocar. Cf. Castilho, Lírica
de Anacreonte
.

*Albornó*,
m.
Manto com capuz, usado primeiro pelos árabes, e depois na Europa.
Casaco largo, com capuz ou golla grande.
(Do ár. abornoz)

*Albóroque*,
m.
Refeição, que se dá, quando se faz um contrato.
(Do ar. alboroc)

*Alborque*,
m.
Permutação; escambo.
* Pop.
Copo de vinho que, na occasião do contrato, qualquer dos contratantes,
especialmente o comprador, dá ás pessoas presentes, como sancção
do negócio.
(Contr. de albóroque)

* *Albrecha*, f. Prov. trasm. Espécie de pêssego ou damasco, talvez o mesmo que alperche.

*Albricoque*,
m.
Damasco, fruto do albricoqueiro.
(Do ár. al-barcoque)

*Albricoqueiro*,
m.
Árvore, que dá albricoques; espécie de damasqueiro.

* *Albuca*,
m.
Planta bulbosa, da fam. das liliáceas.
(Do lat. albus)

*Albudieca*,
f.
Espécie de melão.
(Ár. albilica)

*Albufeira*,
f.
Lago, formado pelas águas do mar.
Água ruça de azeitonas.
Prov. alent.
Represa artificial de águas correntes ou pluviaes, para irrigação.
(Cast. albuhera)

*Albugem*,
f.
Mancha esbranquiçada, que se fórma nos olhos; belida.
(Lat. albugo)

*Albuginado*, adj. (V. albugíneo)

*Albugínea*,
f.
Esclerótica; a parte branca do globo ocular.
(Lat. albuginea)

*Albugíneo*, adj. O mesmo que albuginoso.

* *Albuginite*,
f.
Phlegmasïa aguda ou chrónica do tecido albugíneo ou fibroso.
(De albugineo)

*Albuginoso*,
adj.
Esbranquiçado.
* adj.
Que, pela côr, mostra ter icterícia.
(Lat. albuginosus)

*Albugo*, m. O mesmo que albugem.

*Albume*,
m.
Substância, que envolve e alimenta o embryão, em algumas sementes.
Clara do ovo.
(Lat. albumen)

*Albumen*,
m.
Substância, que envolve e alimenta o embryão, em algumas sementes.
Clara do ovo.
(Lat. albumen)

*Albumina*, f. Um dos princípios immediatos dos corpos organizados, e que tem a propriedade de se coagular com o calor.—É matéria viscosa e esbranquiçada, composta de carbono, hydrogênio, azote, oxygênio, phósphoro e enxôfre. (Do lat. albumen)

*Albuminado*, adj. Que contém albumina.

* *Albuminato*,
m.
Combinação da albumina com outro corpo.

*Albuminiforme*, adj. Semelhante á albumina.

*Albuminímetro*,
m.
Instrumento de polarização, para determinar a quantidade de albumina
contida num líquido.
(De albumina + gr. metron)

* *Albuminina*,
f.
Substância, que se separa da clara do ovo, conservando-se esta, durante
um mês aproximadamente, numa temperatura inferior a zero.
(De albumina)

* *Albuminismo*,
m.
Excesso de substâncias albuminóides na alimentação.
Perturbações da nutrição, resultantes dêsse excesso.
(De albumina)

*Albuminóide*,
adj.
Diz-se dos corpos, que têm a natureza de albumina, como a fibrina e
a caseína.
(De albumina + gr. eidos)

* *Albuminómetro*,
m.
Instrumento de Chímica.

*Albuminose*,
f.
O mesmo que peptona.

*Albuminoso*, adj. Que tem albumina.

*Albuminuria*,
f.
Doença, caracterizada pela existência de albumina em as urinas.
(De albumina + gr. ourein)

* *Albuminúrico*,
adj.
Relativo á albuminuria.
M.
Aquelle que padece albuminuria.

*Albúnea*,
f.
Crustáceo, da ordem dos decápodes.
(De Albunea, n. p.)

*Alburno*,
m.
Entrecasco da árvore.
Camada mais exterior do lenho das árvores e arbustos.
(Lat. alburnum)

*Alça*,
f.
Cada uma das duas tíras que seguram as calças, passando por cima do
ombro; suspensório.
Asa ou puxadeira.
Pedaço de sola, que os sapateiros adaptam ás fôrmas, para as tornar
mais altas.
* Mil.
Peça móvel, graduada, nas espingardas de guerra, para, de combinação
com o ponto de mira, se regular o alcance do tiro.
Pequena régua, com que em artilharia se póde variar o ângulo que a
alma faz com a linha de mira.
Argola de corda, para cingir qualquer peça do poleame, a bórdo.
Ant.
Presente, donativo. Cf. Rebelo, Mocidade, II, 22.
* Ant.
Recurso, appellação.
* Pl. Prov. trasm.
Resguardos de ponte.
* Prov.
Saldo positivo. (Colhido em Turquel)—Na accepção de suspensório das
calças, algumas provincias só usam o plural da palavra.
(De alçar)

* *Alcabol*, m. O mesmo que alcabrós.

* *Alcabós*,
m.
Nome, que os pescadores de Setúbal dão a um peixe esverdeado, a que
na costa do norte chamam cabrão.
O mesmo que cabós.

* *Alcabrós*,
m.
Nome, que os pescadores de Setúbal dão a um peixe esverdeado, a que
na costa do norte chamam cabrão.
O mesmo que cabós.

* *Alçação*,
f. Typ.
Arte de contar, separar e dobrar os exemplares de cada fôlha impressa.
(De alçar)

*Alcáçar*, m. O mesmo que alcácer.

* *Alcaçarel*, m. Ant. O mesmo que alcácer.

*Alcaçaria*,
f.
Fábrica de curtir pelles.
Arruamento de lojas.
Alojamento.
Alcácer.
Lugar, onde os Judeus podiam comprar ou vender gêneros.
(Do ár. al-caiçaria)

* *Alcacel*,^1
m. Prov. trasm.
Cebolas novas, pimenteiros, tomateiros, etc., que se compram para plantar
nas hortas.
(Cp. alcacêr)

*Alcacel*,^2 m. (V. alcacêr, que é como o povo diz)

* *Alcácema*,
f. Ant.
Câmara, em que se recolhiam os tripulantes de caravela, adeante do
camarote do mestre.

* *Alcacêr*,
m. Prov. alent.
Sementeira de aveia ou cevada, para alimento de animaes.
* Açor.
Terreno, em que cresce trigo, cevada ou centeio.
Terra húmida, com erva para forragens. (Colhido na Graciosa)
(Do ár. al-cacil)

*Alcacereiro*,
m.
Guarda de alcácer.

* *Alcacereno*, adj. O mesmo que alcacerense.

* *Alcacerense*,
adj.
Relativo a Alcácer.
M.
Aquelle que nasceu em Alcácer.
(De Alcácer, n. p.)

*Alcachinado*,
adj. Pop.
Abatido.
Curvado.

* *Alcachinar*, v. t. Pop. Curvar, abater.

* *Alcachofa*,
f.
O mesmo que alcachofra.
Ornato architectónico, em fórma do pinha.

*Alcachofra*,
f.
Planta hortense, da fam. das compostas.
(Cast. alcachofa)

*Alcachofral*,
m.
Lugar, onde crescem alcachofras.

*Alcachofrar*,
v. t.
Tornar semelhante á alcachofra.
Tornar áspero, crespo.
Fazer bordados crespos em.

*Alcáçova*,
f.
Castello antigo, fortaleza.
* Prov.
Cova, lapa.
* Ant.
Castello de nau de guerra.
(Do ár. al-caçaba)

* *Alçacu*, m. Zool. Espécie de mergulhão, (pediceps minor, Bris.).

* *Alçacuello*,
m. Ant.
Collar alto, usado por homens e mulheres, para erguer o rosto, e
correspondente á parte levantada do actual cabeção ou volta de
clérigo.
(Cast. alzacuello)

*Alcaçuz*,
m.
Planta leguminosa, de raiz amarela e doce.
Raiz dessa planta.
(Do ár. arc essus)

*Alçada*,
f.
Competência, jurisdicção.
Limite da acção ou influência de alguém.
Ant.
Tribunal collectivo e ambulante que, percorrendo os povos, lhes
administrava justiça.
(De alçar)

*Alcadafe*,
m.
Vaso ou selha, sôbre que o taberneiro mede o vinho e que recebe
as verteduras.
(Do ár. al-kodaf)

* *Alcade*, m. Prov. alent. Pequeno pássaro conirosto, espécie de picanço, insectívoro e bulhento, que se atreve com aves de maior corpo. (Talvez do ár. al-cadi, donde o cast. alcalde)

* *Alcádeas*, f. pl. O mesmo que alcades.

* *Alcadefe*,^1 m. T. de Serpa. Vasilha de barro.

*Alcadefe*,^2
m.
Vaso ou selha, sôbre que o taberneiro mede o vinho e que recebe
as verteduras.
(Do ár. al-kodaf)

* *Alcades*, m. pl. Família de aves, da ordem dos palmipedes, e que têm por typo o gênero alca ou penguim. (De alca + gr. eidos)

*Alçado*,
m.
Projecção vertical, traçado, planta.
Casa ou compartimento typographico, em que se alçam as fôlhas que
saem úmidas do prelo.
* Bras.
Diz-se do gado bravo ou que ainda não foi domesticado.
(De alçar)

*Alçador*, m. Aquelle que alça.

*Alçadura*, f. Acto de alçar.

*Alçagem*, f. Acto de alçar (fôlhas impressas).

* *Alcagoita*, f. Prov. alg. Amendoim, fruto.

* *Alcagote*,
m.
O mesmo que alcaiote.
(Cp. alcaguete)

* *Alcaguete*, (gu-ê)
m. Bras. do S.
Alcoviteiro; alcaiote.
(Cast. alcahuete)

* *Alcaiata*,
f.
Pequeno utensílio de ferro, ligeiramente cónico, us. por sirgueiros.

*Alcaicha*,
f.
Faixa do costado do navio.
Espaço entre as verdugas e cintas, por fóra dos navios.
*
Uma ou mais ordens de debrum branco, no collarinho das camisas dos
marinheiros.

*Alcaico*,
adj.
Diz-se do verso grego hendecassýllabo.
E diz-se da estrophe de quatro versos, sendo alcaicos os dois primeiros.
(Gr. alkaikos)

*Alcaidaria*,
f.
Dignidade de alcaide; funcções de alcaide.
Lugar, onde o alcaide exerce a jurisdicção.
* f.
Tributo de dois dinheiros, que se pagava ao alcaide de Alenquer, por
cada carga de peixe que ia ao mercado da terra.

*Alcaide*,
m.
Antigo governador de castello ou província.
Official de justiça.
Em Espanha, autoridade administrativa.
* Ant.
Cada um dos remadores de uma fusta.
* Bras.
Fazenda, que não tem extracção, que se não vende.
* Pl. T. do Porto.
Conjunto de objectos vários e insignificantes de uma tanoaria.
(Do ár.)

*Alcaidessa*, ()
f.
Mulher de alcaide.

* *Alcaidina*, f. Ant. O mesmo que alcaidessa.

*Alcaiota*, fem. de alcaiote.

*Alcaiotaria*,
f.
Officio de alcaiote.

*Alcaiote*,
m.
Alcoviteiro.
(Do ár. al-cauad)

* *Alcaiotismo*,
m.
Acções ou modos de alcaiote: «…alcaiotismo dos amorios estampados
e atirados a milhares de leitores
». Camillo, Nov. do Minho, IX, 7.

*Alcaixa*,
f.
Faixa do costado do navio.
Espaço entre as verdugas e cintas, por fóra dos navios.
* f.
Uma ou mais ordens de debrum branco, no collarinho das camisas dos
marinheiros.

* *Alcaiz*,
m. Ant.
Livro de recenseamento.
(Do mesmo rad. que alcaidaria?)

* *Alçalá*,
m.
Antigo vaso de barro, em que se dava água, nas portarias dos conventos.
(Talvez do imp. alça, de alçar + )

* *Alcalada*,
f. Ant. (?)
«Sim, biringelas há na praça, alcaladas há na villa». Eufrosina,
V, 2.

* *Alcaldada*,
f. Prov. trasm.
Notícia extraordinária.
Balela.
Lembrança exótica.
(Do cast. alcalde?)

* *Alcaldamento*,
m. Ant.
Imposto alfandegário.
(De alcaldar)

* *Alcaldar*,
v. t. Ant.
Manifestar na alfândega (mercadorias sujeitas ao imposto do trânsito),
para pagar auto do imposto.
(Do cast. alcalde)

* *Alcalde*,
m. Ant.
Juiz do concelho, alvazil. Cf. Herculano, Hist. de Port., IV, 45 e 123.
(Cast. alcalde)

*Alcalescência*,
f.
Passagem ao estado alcalino.
(De alcalescente)

*Alcalescente*,
adj.
Que tem propriedades alcalinas.
Que passa ao estado alcalino.
(De álcali)

*Alcalí*,
m.
Grupo de corpos compostos, como a soda, a lithina, a cal.
Planta marinha, de que se extrai álcali.
(Do ár. al-cali)

*Alcalificante*,
adj.
Que manifesta propriedades alcalinas em outra substância.
(De alcalificar)

*Alcalificar*,
v. t.
Produzir em (uma substância) propriedades alcalinas.
(De álcali + lat. facere)

*Alcalígeno*,
adj.
Que produz álcalis.
(De álcali + gr. gennao)

*Alcalimetria*,
f.
Processo, com que se determina a proporção de álcali contido nas
sodas ou potassas do commércio.
(De alcalímetro)

*Alcalimétrico*, adj. Relativo á alcalimetria.

*Alcalímetro*,
m.
Instrumento, para medir o álcali contido nas sodas e potassas do
commércio.
(De álcali + gr. metron)

*Alcalinidade*,
f.
Estado de uma substância, que tem propriedades do álcali.
(De alcalino)

* *Alcalinimetria*,
f.
Dosagem da alcalinidade de um líquido orgânico, do sangue especialmente.

* *Alcalinismo*,
m.
Uso immoderado de substâncias alcalinas.
Effeitos perniciosos dêsse uso.

* *Alcalinizar*, v. t. Tornar alcalino. Cf. Diário do Govêrno, de 5-VI-1908.

*Alcalino*,
adj.
Relativo a álcali.
Que tem álcali.

*Alcalização*,
f.
Acto de alcalizar.

*Alcalizar*,
v. t.
Deixar em (sal neutro) a parte alcalina, extrahindo-lhe a parte ácida.
(De álcali)

*Alcalóide*,
m.
Substância orgânica azotada, que, tendo propriedades alcalinas,
neutraliza os saes.
(De álcali + gr. eidos)

*Alçamento*, m. Acto de alçar.

*Alcamonia*,
f.
Espécie de doce ou de bolos.
(Do ár. al-cammon)

* *Alcânave*,
adj. Ant.
Relativo ao cânhamo: «não há mais linho alcânave». Aulegrafia,
78.
(Cp. gr. kannabis, cânhamo)

*Alcançadiço*, adj. Que se póde alcançar facilmente.

*Alcançador*,
m.
Aquelle que alcança.

*Alcançadura*,
f.
Contusão, que o animal faz em si mesmo, na parte inferior dos membros,
tocando com um pé no outro.
(De alcançar)

*Alcançamento*,
m.
Acto de alcançar.

*Alcançar*,
v. t.
Chegar a. Apanhar.
Conseguir.
*
Avistar: daqui não alcanço o zimbório da Estrêlla.
Entender: alcançar o sentido de um discurso. Prever.
* V. i.
Ficar grávida (a mulher).
(De alcance)

*Alcâncara*, f. Ant. Espécie de pandeiro. * Prov. alg. Espécie de biscoito, feito do massa de pão e gordura.

*Alcancareiro*,
m.
Tangedor de alcâncara.

* *Alcançável*, adj. Que se póde alcançar.

*Alcance*,
m.
Acção de alcançar.
Encalço.
Conseguimento.
Intelligência.
Importância.
Desfalque.
*
Peça, que separa da parede as galerias de cortinas ou reposteiros.
*
Distância que se alcança.
(Corr. de encalço? Do lat. ad + calcem?)

* *Alcanchal*, m. T. de Borba. Caminho péssimo, intransitável.

*Alcanço*,
m. Pop.
O mesmo que alcance.
* m. Pop.
O dedo insulado, nos pés das aves de rapina. Cf. Fern. Pereira, Caça
de Altan.

* *Alcândor*,
m.
O mesmo que alcândora; lugar alcantilado. Cf. C. Neto, Saldunes.

*Alcândora*,
f.
Poleiro do falcão.
(Ár. alcandara)

* *Alcandoradamente*,
adv.
Em lugar elevado.
(De alcandorado)

*Alcandorado*, adj. Collocado em lugar alto.

*Alcandorar-se*,
v. p.
Poisar em alcândora.
Colocar-se alto.
Guindar-se.

* *Alcanela*,
f.
Rede, para a pesca da sardinha.

*Alcânfor*, m. ou f. Des. (V. cânfora)

*Alcânfora*, m. ou f. Des. (V. cânfora)

*Alcanforado*, adj. Des. (V. canforado)

* *Alcanforeira*, f. Bot. Gênero de lauráceas, que produz o alcânfor.

* *Alcanforeiro*,
m.
Vaso, em que se encerra o alcânfor, para cheirar.

* *Alcaniça*,
f. Des.
O mesmo que mesquita. Cf. Deusdado, Escorços.
(Cast. alcaniza)

*Alcântara*,
f.
Antiga Ordem militar.
* Des.
O mesmo que ponte.
(Do ár. al-cantara)

*Alcantil*,
m.
Rocha talhada a píque.
Cume.
Sítio alto e escarpado.

*Alcantilada*,
f.
Série de alcantis. Longo despenhadeíro.

*Alcantiladamente*,
adv.
Á maneira de alcantil.

*Alcantilado*,
adj.
Que tem fórma de alcantil.
Talhado a pique; escarpado.

*Alcantilar*,
v. t.
Dar fórma de alcantil a.
Talhar a pique.

*Alcantiloso*, adj. (V. alcantilado)

*Alcanzia*,
f.
Bóla de barro, ôca, que se atirava com flôres nas cavalhadas.
Panela de barro, que continha matéria explosiva, e se usava nas guerras
antigas.
Mealheiro de barro.
(Cast. alcancia)

*Alcanziada*,
f.
Arremêsso de alcanzia.

*Alçapão*,
m.
Porta ou postigo, que fecha de cima para baixo.
Abertura, que communica um pavimento com outro que lhe fica inferior.
Peça das calças, que, segundo o uso antigo, lhes tapava a abertura
anteríor.
* Bras.
Alçapão falso, espécie de portinhola na parte superior de gaiola ou
caixa, e que se arma por sí mesma, depois que a victima lhe caiu dentro.
(De alçar?)

*Alcaparra*,
f.
Planta hortense, da fam. das capparídeas.
Botão da flôr de alcaparra, applicável como condimento.
(Do ár. al-cabar)

*Alcaparrado*,
adj.
Temperado com alcaparra.
Desenfastiado.

*Alcaparral*,
m.
Lugar, onde se criam alcaparras.

* *Alcaparrar*, v. t. Temperar com alcaparras.

* *Alcaparreira*,
f.
O mesmo que alcaparra.

*Alçapé*,
m.
Armadilha para caça.
Acto traiçoeiro do lutador, que mete o pé entre as pernas do
adversário, para o fazer cair.
Artifício doloso.
(De alçar + )

*Alçaprema*,
f.
Alavanca.
Trave ou barrote, a pino, escorando alguma coisa.
Aboiz.
Tenaz de dentista.
Instrumento de ferrador, para apertar o focinho das bêstas.
(De alça + lat. premere)

*Alçapremar*,
v. t.
Elevar com alçaprema.
Apanhar com alçaprema.
Apertar; opprimir.

* *Alçapreme*, m. Prov. trasm. O mesmo que alçaprema.

* *Alcaptona*,
f.
Substância amarela, amorpha, inodora e insípida, contida na urina
mórbida.

* *Alcaptonuria*, f. Med. Presença da alcaptona na urina.

* *Alcaptor*,
m.
O mesmo que alcuptor.

*Alçar*,
v. t.
Tornar alto, altear.
Levantar.
Edificar.
Celebrar, exaltando.
Suspender.
*
Proclamar, acclamar.
(B. lat. altiare)

*Alcaravão*,
m.
Ave pernalta, de arribação.
(Do ár. al-caravan)

*Alcaravia*,
f.
Planta herbácea, bisannual, umbellífera.
(Do ár. al-caravia)

*Alcaravis*,
m.
Tubo de ferro, que leva o ar, do folle á forja.
(Do ár. al-carabis)

*Alcárcova*, f. O mesmo que alcórcova.

* *Alcaria*,^1
f. Ant.
Casa campestre, para guardar instrumentos de lavoira.
(Ár. al-caria)

* *Alcaria*,^2
f.
Gênero de plantas.

* *Alcarnache*,
m.
Planta damninha, escalracho.

* *Alcarovia*, f. T. do Porto. O mesmo que alcaravia.

*Alcarrada*, f. Movimento da ave de rapina, para empolgar a presa.

* *Alcarradas*,
f. pl. Pop. ant.
Arrecadas, pingentes de orelhas.
(Do ár. al-carrata)

*Alcarraza*,
f.
Espécie de moringue.
(Do ár. al-corraz ou al-carraza)

* *Alcarroteira*, f. Prov. trasm. Mulher mexeriqueira, onzeneira.

*Alcateia*,
f.
Bando de lobos.
Manada de animaes selvagens.
Quadrilha de bandidos.
Estar de alcateia, estar vigiando, estar alerta.
(Do ár. al-cati)

*Alcatifa*,
f.
Tapête grande, com que se reveste o chão.
(Do ár. al-catifa)

*Alcatifado*, adj. Coberto de alcatifa.

*Alcatifamento*,
m.
Acto de alcatifar.

*Alcatifar*,
v. t.
Cobrir com alcatifa.
Cobrir, á semelhança de alcatifa.

*Alcatifeiro*,
m.
Fabricante de alcatifas.

*Alcatira*,
f.
Arbusto leguminoso.
Goma branca, extrahida dêsse arbusto.
Adragantho.
(Do ár. al-catira)

*Alcatra*,
f.
Lugar, onde acaba o fio do lombo do boi ou vaca.
Pernas traseiras ou ancas do boi.
* Chul.
O mesmo que nádegas.
(Do ár. al-catra)

*Alcatrão*,
m.
Producto da destillação do pinheiro ou da hulha.
(Do ar. al-quitran)

* *Alcatrate*,
m.
Pranchão, que cobre os topos das aposturas do
navio. Cf. Peregrinação, LIX.
(Do ár. al-catrat, por al-catarat)

*Alcatraz*,^1
m.
Ave palmípede.
Nome de várias espécies de pelicano.
O mesmo que albatroz.
(T. cast.)

*Alcatraz*,^2
m. Pop.
Aquelle que concerta ossos deslocados.
(De alcatra?)

* *Alcatreiro*,
adj. Chul.
Que tem grandes nádegas.
(De alcatra)

*Alcatroamento*,
m.
Acto de alcatroar.

*Alcatroar*, v. i. Misturar, cobrir, untar, com alcatrão.

*Alcatruz*,
m.
Vaso de barro, que levanta a água nas noras.
* Pl. T. do Porto.
Botas grossas, largas e mal feitas.
(Do ár. al-cadus)

*Alcatruzada*,
f.
Cano de manilhas, que leva a água do caldeirão para a marinha, nas
salinas do
Sado.
O conteúdo de um alcatruz ou a porção de líquido que um alcatruz
comporta.

*Alcatruzar*, v. t. Dar fórma de alcatruz a.

*Alcavala*,
f.
* Nome antigo de um fruto.
Tributo; imposto forçado.
(Do ár. al-cavala)

*Alcavaleiro*,
m.
Antigo arrendatário de alcavalas.
Aquelle que administrava o producto de alcavalas.

* *Alcazira*, f. Ant. O mesmo que algecira.

*Alce*,
m.
Espécie de veado das regiões do norte.
(Lat. alce)

* *Alceamento*, m. Typ. Operação typográphica, que consiste na collocação de supportes, alças e fôlhas recortadas sôbre o estofo de týmpano, para que todos os pontos da fôrma tenham na tiragem o devido valor, segundo o corpo dos caracteres respectivos. (De alcear)

* *Alcear*,
v. t.
Coordenar (as fôlhas de um livro que se prepara para a encadernação).
* Náut.
Guarnecer de alça (uma peça de poleame, etc.).

* *Alcedídeos*, m. pl. O mesmo que alcedinídeos.

* *Alcedinídeos*,
m. pl.
Família de aves, que tem por typo o maçarico.
(Do lat. alcedo, alcedinis + gr. eidos)

* *Alcediões*,
m. pl.
Gênero de coleópteros tetrâmeros.
(Do lat. alcedo)

*Alcédone*, f. (V. alcyão)

* *Alcélafo*,
m.
Espécie de antílope.
(De alce + élapho)

* *Alcélapho*,
m.
Espécie de antílope.
(De alce + élapho)

*Alchaz*,
m. Ant.
Tecido de seda grossa.
(Do ár. al + khaz)

*Alchemila*, (que)
f.
Planta, da fam. das rosáceas.

* *Alcheria*,
f. Ant.
Campo de pasto ou de lavoira.
(Do ár. ?)

*Alchimia*, (qui) f. (e der.) (V. alquimia, etc.)

* *Alchumoiço*, m. Prov. trasm. Grande chumaço.

*Alcião*,
m.
Ave aquática, maçarico.
(Gr. alcuon)

*Alcicorne*,
adj.
Que tem cornos semelhantes aos do alce.
(De alce + corno)

* *Alcicórnio*,
adj.
O mesmo que alcicorne.
M.
Gênero de fêtos polypódios.

* *Alcide*, m. Gír. Pão.

* *Alcilante*, m. Gír. Relógio de senhora.

*Alcina*, f. Gênero de plantas, da fam. das heliântheas.

*Alcion*, m. (V. alcyão)

*Alcíona*, f. O mesmo que alcião.

*Alcionário*,
m.
Gênero de pólipos.

* *Alcíone*, f. O mesmo que alcião: «…a lamentosa alcíone». Garrett, Camões.

* *Alcionelas*,
f. pl.
Gênero de pólypos, da classe dos briozários.
(De alcýon)

*Alcióneo*, adj. Relativo ao alcião. Fig. Sereno, agradável. (Lat. alcyoneus)

* *Alcis*, m. Lepidóptero nocturno, semelhante ás phalenas.

* *Alcmena*,
f.
Planeta telescópico.
(De Alcmena, n. p.)

* *Alcobaça*,
m.
Lenço grande de algodão, usado principalmente por pessôas que cheiram
rapé: «aparando as lagrimas no alcobaça». Camillo, Bras. de
Prazins
, 109.
(De Alcobaça, n. p.)

* *Alcobaceira*,
f. (?)
«Que alcobaceira invocará o povo com tanta perdição de fruta?»
Filinto, II, 226.

* *Alcobacense*, adj. Relativo á villa ou mosteiro de Alcobaça.

*Alcoceifa*,
f. Ant.
Alcoice; bairro de meretrizes.
(Ár. al-coceifa)

* *Alcocerino*,
adj.
Relativo a Alcocer, no Egýpto.
M.
Habitante de Alcocer. Cf. Rot. do Mar-Vermelho, 187.

* *Alcoethina*, f. Explosivo, que se tem experimentado nos automóveis, e que se produz, fazendo actuar o álcool desnaturado no carboneto de cálcio. Cf. Benevides, Automóveis.

* *Alcoetina*, (co-e) f. Explosivo, que se tem experimentado nos automóveis, e que se produz, fazendo actuar o álcool desnaturado no carboneto de cálcio. Cf. Benevides, Automóveis.

*Alcofa*,^1 ()
f.
Cêsto flexivel de vime, de esparto ou de fôlha de palma.
(Ár. al-coffa)

*Alcofa*,^2 ()
m. e f.
Alcoviteiro, alcoviteira.
(Cp. alcoveta)

* *Alcofeira*,
f.
Alcoviteira: «isso era volta de alcofeira». Camillo, F. do
Arcediago
, c. XVII.

* *Alcofinha*,
m. e f.
Alcoviteiro, alcoviteira.
(De alcofa^2)

* *Alcofor*,
m. Ant.
O mesmo que antimónio.
E o mesmo que cânfora.
(Ár. alcafur)

* *Alcoforado*,
adj.
Diz-se dos olhos, orlados de escuro, natural ou artificialmente.
(De alcofor = antimónio)

* *Alcoforar*,
v. t.
(V. canforar)
(De alcofor)

* *Alcofra*, f. Prov. trasm. O mesmo que escrófula.

*Alcoice*,
m.
Lugar de prostituição; bordel; lupanar.
(Do ár. alcaus)

*Alcoiceiro*,
m.
Aquelle que tem casa de prostituição.
Aquelle que frequenta alcoices.

*Alcomonia*,
(V. alcamonia)

*Alcóol*,
m.
Líquido, obtido pela destillação de qualquer substância fermentável.
Pl. álcooes.
(Ár. al-cohl)

* *Alcoolado*,
m.
O mesmo que alcoolato.

*Alcoolativo*,
m.
Medicamento alcoólico, para uso externo.
(De alcoolato)

*Alcoolato*,
m.
Líquido, resultante da destillação do álcool sôbre substâncias
aromáticas.
Combinação com um sal.

* *Alcoólatra*,
m.
Amador de álcool.

*Alcoolatura*,
f.
Líquido, resultante da maceração de matérias vegetaes ou animaes
em álcool.
(De alcoolato)

*Alcoóleo*,
m.
Álcool, que se carregou de princípios solúveis de uma ou mais
substâncias.

*Alcoólico*, adj. Relativo ao álcool. Que tem álcool. * M. Indivíduo, que abusa de bebidas alcoólicas.

*Alcoolismo*,
m.
Estado mórbido, resultante do abuso de bebidas alcoólicas.

* *Alcoolista*,
m.
Aquelle que soffre alcoolismo.

* *Alcoolito*,
m.
Solução alcoólica, que não deixa resíduo.

*Alcoolizar*,
v. t.
Misturar com álcool (um líquido qualquer)
Embriagar.

* *Alcoolizável*, adj. Que se póde alcoolizar. Cf. Techn. Rur., 181.

* *Alcoolomania*, f. Período latente da entoxicação alcoólica chrónica, durante o qual a acção do álcool apenas se manifesta pelo hábito e necessidade de o usar.

*Alcoolómetro*,
m.
O mesmo que alcoómetro.

* *Alcoomel*,
m.
Excipiente pharmacêutico, formado de uma parte de álcool e três de mel.

* *Alcoometria*,
f.
Processo, com que se determina a quantidade de álcool, que há num
líquido.
(De alcoómetro)

*Alcoómetro*,
m.
Pesa-licor, espécie de areómetro, instrumento para determinar a
quantidade de álcool absoluto, contida em qualquer líquido.
(De álcool + gr. metron)

* *Alcopo*, m. Zool. Gênero de turdídeos, da Ásia meridional.

* *Alcor*, m. Pequena estrêlla na cauda da Ursa-Maior.

*Alcoranista*,
m.
Aquelle que é entendido nas doutrinas do Alcorão.
Sectário do Alcorão.

*Alcorão*,^1
m.
Livro sagrado dos Mahometanos.
Religião mahometana.
* Ant.
Tôrre, de onde se chamam os muçulmanos á oração. Cf. Tombo do
Estado da Índia
, 225, nos Subsidios de Felner.
(Do ár. al-coran)

* *Alcorão*,^2
m. Prov.
Dá-se este nome, em algumas povoações do Alentejo, (Estremoz, Évora,
etc.), ao sótão que serve para arrecadação de trastes velhos.
(Por alcovão, de alcova, infl. por alcorão^1 ?)

*Alcorça*, (côr)
f.
Massa de açúcar, para fazer ou cobrir doce.

*Alcorce*, (côr)
m.
O mesmo que alcorça.

*Alcórcova*,
f. Ant.
Fôsso dos vallados, com que se tapam as propriedades rústicas.
(Do ár. ?)

* *Alcorcovar*, v. t. Ant. (e der.) (V. corcovar, etc.)

*Alcornoque*, m. Ant. O mesmo que sobreiro. (T. cast.)

*Alcorque*,
m.
Calçado, que se usava, com sola de cortiça.
(T. cast.)

* *Alcorraça*, f. Prov. alent. O mesmo que alcorraz.

* *Alcorraz*,
m.
Peixe de Portugal, o mesmo que choupa^2.

*Alcouce*,
m.
Lugar de prostituição; bordel; lupanar.
(Do ár. alcaus)

*Alcouceiro*,
m.
Aquelle que tem casa de prostituição.
Aquelle que frequenta alcouces.

* *Alcoucês*,
m. Ant.
Vento do sul.
(De alcouço)

* *Alcouço*,
m. Ant.
O lado do sul.
As regiões que ficam para o sul.

*Alcova*, ()
f.
Pequeno quarto de dormir.
Esconderijo.
(Do ár. al-cobba)

*Alcoveta*, ()
f.
De alcoveto.

*Alcoveto*, ()
m.
O mesmo que alcaiote.
(De alcova)

* *Alcovez*, f. Des. O mesmo que alcovitagem.

*Alcovista*,
m.
Homem femeeiro.
(De alcova)

* *Alcovitagem*,
f.
Acto de alcovitar. Cf. Fialho, Gatos, II, 5.

*Alcovitar*,
v. t.
Auxiliar em relações amorosas.
Inculcar.
V. i.
Servir de alcoviteiro.
(Por alcovetar, de alcoveto)

* *Alcovitaria*,
f.
Vida de alcoviteiro.

*Alcoviteira*, (fem. de alcoviteiro)

*Alcoviteirice*,
f.
Officio de alcoviteiro.
Alliciação.
Lenocínio.
Mexerico.

*Alcoviteiro*,
m.
Corretor de prostitutas.
Intermediário de relações amorosas.
Mexeriqueiro.
(De alcovitar)

*Alcovitice*,
f.
O mesmo que alcoviteirice.

*Alcrevite*,
m. Ant.
Enxôfre.
(Do ár. al-quibrite)

* *Alçufeifa*, f. Prov. alg. O mesmo que açofeifa. Cf. Port. au Point de Vue Agr., 620.

*Alcunha*,
f.
Epitheto, dado a alguém, e derivado de qualquer particularidade phýsica
ou moral.
Appellido.
(Do ár. al-kunía)

*Alcunhar*,
v. t.
Pôr alcunha a.
Appellidar.
Designar por epitheto.

* *Alcuptor*, m. Ant. Nome de um peixe.

* *Alcursar*,
v. t. Prov. alent.
Alcançar com a vista; vêr.
V. i.
Restabelecer-se de uma doença.
(De al + cursar?)

* *Alçuz*, m. Ant. Espécie do cânfora.

*Alcyão*,
m.
Ave aquática, maçarico.
(Gr. alcuon)

*Alcýon*, m. (V. alcyão)

*Alcýona*, f. O mesmo que alcyão.

*Alcyonário*,
m.
Gênero de pólipos.

* *Alcýone*, f. O mesmo que alcyão: «…a lamentosa alcýone». Garrett, Camões.

* *Alcyonelas*,
f. pl.
Gênero de pólypos, da classe dos briozários.
(De alcýon)

*Alcyóneo*, adj. Relativo ao alcyão. Fig. Sereno, agradável. (Lat. alcyoneus)

*Alda*, f. Ant. Medida de comprimento, correspondente a 11 decimetros.

* *Aldavana*,
f.
Planta rubiácea da Índia portuguesa, (adina cordifolia, Hork).

*Aldeã*, (fem. de al-deão)

* *Aldeaga*,
m. e f.
Pessôa, que atrapalha tudo; zaranza; trapalhão.
Tagarela, palrador.

* *Aldeagante*,
m. e f. Prov. trasm.
Pessôa alegre, desenvolta.
Viandante, caminhante.

* *Aldeagar*,
v. i. Prov.
Falar á tôa, tagarelar.
Falar animadamente.
Gracejar ruidosamente.

* *Aldeamento*,
m. Bras.
Povoação de Índios, sob a direcção de missionário ou de autoridade
leiga.

*Aldean*, (fem. de al-deão)

* *Aldeana*, f. O mesmo que aldean. Cf. Castilho, Felic. pela agr., 19.

*Aldeanmente*, adv. Á maneira de aldeão.

* *Aldeano*,
m.
O mesmo que aldeão. Cf. Filinto, III, 63.
Adj.
Próprio de aldeia. Cf. Filinto, XIII, 49.

*Aldeão*,
m.
Aquelle que vive ou mora em aldeia.
Adj.
Rústico.
Simples; próprio de aldeia.
Pl. aldeãos ou aldeões.

*Aldear*,
v. t.
Dividir em aldeias.
Povoar de aldeias.
Congregar, formando aldeias.
Reunir num só povo, numa aldeia.

*Aldebaran*,
f.
Estrêlla de primeira grandeza, na constellação do Toiro.
(Do ár. al-debaran)

* *Aldehídico*, adj. Relativo ao aldeído.

* *Aldehydato*, (de-i)
m. Chím.
Corpo derivado do aldehydo pela substituição de um átomo de metal
por um de hydrogênio.

* *Aldehýdico*, adj. Relativo ao aldehydo.

*Aldehydo*,
m. Chím.
Substância derivada dos álcooes pela perda de hydrogênio.
(De álcool e hydrogênio)

* *Aldehydo-fórmico*,
m.
Substância desinfectante, o mesmo que formol.

*Aldeia*,
f.
Pequena povoação, que não tem categoria de villa ou
cidade. Povoação rústica.
Campo.
* Bras.
Povoação, composta exclusivamente de aborígenes.
* Bras.
Cada uma das casas que constituem uma povoação de indígenas.

* *Aldeidato*, (de-i)
m. Chím.
Corpo derivado do aldehydo pela substituição de um átomo de metal
por um de hydrogênio.

*Aldeído*,
m. Chím.
Substância derivada dos álcooes pela perda de hydrogênio.
(De álcool e hydrogênio)

* *Aldemenos*, adv. Pop. (Corr. de ao menos). Cf. Castilho, Escavações, 69.

* *Aldeola*, f. Pequena aldeia.

* *Aldeota*, f. O mesmo que aldeola.

* *Aldevane*,
m.
Árvore de Damão, (nauclea cordifolia).

*Aldino*,
adj.
Diz-se das edições dos célebres impressores Aldos, e dos caracteres
que êlles empregaram em typographía.
(De aldo)

*Aldo*,
m.
Edição feita pelos Aldos.
Typo próprio das edições aldinas.

*Aldraba*, f. Peça de ferro na parte anterior de uma porta, servindo para bater nesta, a chamar a attenção de quem está dentro, e para erguer a tranqueta que segura a porta do lado posterior,—(algumas vezes, é destinada a um só dêstes dois effeitos). * Tranqueta, com que se fecha a cana do leme. (Do ár. addaba)

*Aldrava*, f. Peça de ferro na parte anterior de uma porta, servindo para bater nesta, a chamar a attenção de quem está dentro, e para erguer a tranqueta que segura a porta do lado posterior,—(algumas vezes, é destinada a um só dêstes dois effeitos). * Tranqueta, com que se fecha a cana do leme. (Do ár. addaba)

*Aldravada*, f. Pancada com a aldrava na porta.

* *Aldravadamente*,
adv.
Confusamente, atrapalhadamente.

*Aldravão*,
m.
Aldrava grande.
Homem mentiroso, trapaceiro.
Pop.
Aquelle que fala confusamente, atrapalhadamente, que não é limpo ou
perfeito no seu trabalho.
Prov. trasm.
Estafermo, (falando-se de uma mulher)

*Aldravar*,
v. t.
Aferrolhar.
Pôr aldrava em.
Pop.
Executar mal (qualquer coisa).
V. i. Pop.
Falar confusamente.
Mentir muito.
* V. i. Pop.
Tocar na aldrava para chamar: «fui adrabar-lhe á porta». Camillo,
Caveira, 325.

*Aldravice*,
f. Pop.
Trapaça; patranha.
(De aldravar)

* *Aldro*, m. T. de Trancoso. O mesmo que adro.

*Aldrope*, m. (V. galdrope)

* *Aldrovanda*,
f.
Gênero de plantas droseráceas.
Planta aquática dos pântanos da Europa meridional.
(De Aldrovande, n. p.)

* *Aldrubio*,
m. Prov. beir.
Indivíduo trapaceiro, burlão.
(Por aldravio, de aldravar)

*Alé*, interj. Ant. (V. olé)

*Ale-larga*,
f. Náut.
Cabo, com que se recolhe a amarra, até suspender a âncora.
(De alar + largar)

*Aleald…*,
(V. leald…)

*Alear*, v. i. (V. alar)

*Aleatoriamente*, adv. De modo aleatório.

*Aleatório*,
adj.
Sujeito a acontecimentos futuros, que podem dar lucro ou perda.
Casual, fortuito.
(Lat. aleatorius)

* *Alecraia*, f. Prov. trasm. O mesmo que lacrau.

*Alecrim*,^1
m.
Arbusto aromático, da fam. das labiadas, (rosmarinus officinalis,
Lin.).
(Do ár. al-iclil)

* *Alecrim*,^2
m.
Peixe de Portugal.

* *Alecrinzeiro*,
m.
O mesmo que alecrim, quando êste é do tamanho de um arbusto.

* *Alectélia*,
f.
Gênero de aves gallináceas.

* *Aléctico*,
adj.
Relativo á alexia.
Que soffre alexia.

* *Alecto*,
m.
Nome de alguns animaes de diferentes ordens e famílias.
(De Alecto, n. p.)

*Alector*,
m.
Ave gallinácea da América.
(Gr. alektor)

*Alectória*,
f.
Líchen, de fronde ramosa.
(Do gr. alektor)

*Alectório*,
adj.
Relativo ao gallo.
Diz-se de uma pedra, que se supunha existir no figado ou estômago
dos gallos, e da qual se contavam maravilhas.
(De alector)

* *Alectoromachia*, (qui)
f.
Combate de gallos.
(Do gr. alektor + makhe)

* *Alectoromancia*,
f.
Antiga prática de adivinhação, por meio de um gallo, que ia apanhando
grãos dispostos sôbre as letras do alfabeto.
(Do gr. alektor + manteia)

* *Alectoromante*,
m.
Aquelle que praticava a alectoromancia.

* *Alectoromântico*,
adj.
Relativo á alectoromancia.

* *Alectoromaquia*,
f.
Combate de gallos.
(Do gr. alektor + makhe)

* *Alectras*, f. pl. Gênero de plantas, da fam. das escrofularíneas.

* *Aléctrio*, m. Bot. Gênero de sapindáceas.

*Alectriomancia*,
f.
O mesmo que alectoromancia.

* *Alectruro*,
adj. Zool.
Que tem cauda parecida á do gallo.
(Do gr. alektruron, gallo, e oura, cauda)

* *Aléctryo*, m. Bot. Gênero de sapindáceas.

*Alectryomancia*,
f.
O mesmo que alectoromancia.

* *Alécula*,^1
f.
Gênero de coleópteros.

* *Alécula*,^2
f.
Insecto coleóptero heterómero.

* *Aledar*, v. t. Tornar ledo. Cf. Rui Barb., Réplica, 157.

*Alefanginas*,
f. pl.
Certas pílulas purgativas.
(Talvez alter. do ár. al-efaui)

*Alefriz*,
m.
Fenda, encaixe, em que se pregam os topos do taboado do navio.
(Do ár. al + feridh)

*Alegação*, f. Acto de alegar.

* *Alegança*, f. Ant. O mesmo que alegação.

*Alegante*,
m. e adj.
O que alega.
(Lat. allegans)

*Alegar*,
v. t.
Citar; apresentar, como prova.
(Lat. allegare)

*Alegoria*,
f.
Exposição de uma ideia, sob fórma figurada.
Obra artística ou literária, que representa uma coisa, para dar
ideia de outra.
(Gr. allegoria)

*Alegoricamente*, adv. De modo alegórico.

*Alegórico*,
adj.
Que envolve alegoria.
Relativo a alegoria.

*Alegorismo*,
m.
Systema de explicar por alegoria.

*Alegorista*,
m.
Aquelle que faz alegorias.
Aquelle que explica por alegorias escritos de outrem.

*Alegorizar*,
v. t.
Expor, por meio de alegoria.
Explicar em sentido alegórico.

* *Alegra-campo*, m. Bot. Planta liliácea, (semele androgina, Kunth.), cujos ramos os Madeirenses empregam na ornamentação de igrejas e de janelas, por occasião de festas religiosas. Cf. Bol. da Socied. de Geogr., XXX, 620. O mesmo que legacão.

*Alegrador*, adj. Que alegra.

* *Alegramento*, m. P. us. O mesmo que alegria.

*Alegrão*, m. Fam. Grande alegria.

*Alegrar*,^1
v. t.
Tornar alegre.
Aformosear.
Embriagar um pouco.
* Fig.
Abrir um pouco as juntas de (tijolo ou cantarías), limpando-as,
para nellas vazar argamassa que lhes dê nova cohesão.

*Alegrar*,^2 v. t. Cortar com legra.

* *Alegras*, f. pl. Rede, que faz parte do apparelho da pesca da sardinha.

*Alegre*,
adj.
Que tem alegria; contente; prazenteiro.
Que dá alegria; que agrada.
Folgazão.
Um tanto ébrio.
(Do lat. alacris)

*Alegremente*, adv. De modo alegre, com alegria.

*Alegrete*,^1 (grê)
adj.
Um tanto alegre.
Um tanto ébrio.
M.
Canteiro ou receptáculo de madeira, pedra ou argamassa, que se
enche de terra e onde se criam plantas.

*Alegrete*,^2 (grê)
m. Ant.
Talvez cota de armas.
(Cp. fr. halecret)

*Alegria*,^1
f.
Contentamento; prazer moral.
Festa.
Acontecimento feliz.
* Pl. Pop.
Testículos de animal.
(De alegre)

* *Alegria*,^2
f.
Árvore mexicana, da fam. das liliáceas.

* *Alegroso*, adj. T. de Ceilão. O mesmo que alegre.

*Alegrote*, adj. O mesmo que alegrete, adj.

*Aleia*,^1
f. Gal.
Fileira, renque de árvores.
Arruamento de jardim.
(Fr. allée)

*Aleia*,^2 f. Elephante sem dentes.

*Aleijado*,
m. e adj.
O que tem deformidade phýsica.
(De aleijar)

*Aleijamento*, m. Ant. O mesmo que aleijão.

*Aleijão*,
m.
Deformidade, defeito phýsico ou moral.
(Do lat. laesio, laesionis)

*Aleijar*,
v. t.
Causar aleijão, deformidade a.
Magoar muito.

* *Aleiloar*, v. t. Pôr em leilão.

* *Aleiona*, f. e adj. Ant. Adúltera.

*Aleirado*,
adj.
Dividido em leiras.
(De aleirar)

* *Aleirar*, v. t. Dividir em leiras.

* *Aleitação*,
f.
Acto de ou effeito de aleitar^1.

* *Aleitado*,
adj. Constr.
Diz-se da pedra, a que se preparou a face para leito.
(De aleitar^2)

* *Aleitamento*,
m.
O mesmo que aleitação.

*Aleitar*,^1
v. t.
Criar com leite; amamentar.
Tornar claro, como o leite.
(Lat. lactare)

* *Aleitar*,^2
v. t. Constr.
Ajustar e preparar a superfície de (uma pedra), para receber outra
em cima.

* *Aleitativo*, adj. Relativo á aleitação.

*Aleive*,
m.
Fraude.
Calúmnia.

*Aleivosamente*, adv. De modo aleivoso.

*Aleivosia*,
f.
Qualidade do que é aleivoso.
Aleive.

*Aleivoso*,
adj.
Que procede com aleive.
Fraudulento.
Em que há aleive.

* *Aleixar*,
v. t. Ant.
Afastar.
Separar.
Distanciar.
(Do lat. hyp. adlaxare)

*Aleli*,
m.
Planta crucífera, de flôres rubras, raiadas de branco ou amarelas,
e cheirosas.
Goiveiro.
Flôr de goiveiro.—Por corresponder ao leukoion dos Gregos, há
também quem designe por aleh o lírio branco ou açucena.
(Do ár. al-kiri)

*Aleluia*, (á-lé-lúi-a)
f.
Canto de alegria.
Alegria.
O tempo da Páscoa.
Nome de uma planta, que floresce pela Páscoa.
(Hebr. halelu + iah)

* *Aleluiar*, v. i. Cantar a aleluia.

* *Aleluiático*, adj. Relativo á aleluia.

*Aleluítico*, (á-lé-lu-í)
adj.
Que louva, saúda ou celebra.
(De alleluia)

*Além*, (á-lém)
adv.
Mais adeante.
Acolá.
Da parte de lá: além da ponte.
Longe; mais longe.
Para mais.
Ainda em cima.
Afóra.
(Contr. de alli + ant. ende)

* *Além-eras*, loc. adv. Na eternidade. Cf. Castilho, Fastos, I, 308.

*Além-mar*, adv. No ultramar; além do mar.

* *Além-mundo*,
m.
A outra vida, a eternidade. Cf. Castilho, Fastos, I, p. XXIX.

* *Alemagem*, f. (?) «…dous fermosos bateis dalemagens…» (Ms. do séc. XVII, em poder de Sousa Viterbo).

*Alemânico*,
adj.
Relativo á Alemanha ou aos Alemães.
(Lat. alemannicus)

* *Alemanisco*, adj. Ant. Relativo á Alemanha: costumes alemaniscos. Cf. Jer. Cardoso, Diction.

* *Alemanismo*,
m.
O mesmo que germanismo.
(De alemão)

*Alemão*,
adj.
Relativo á Alemanha.
M.
Habitante da Alemanha.
Língua dos alemães.
(Lat. alemannus)

* *Alembrar*,
v. t.
O mesmo que lembrar: «alembra-me que outrora conheci…» Castilho,
Geórg.

*Alendroal*, m. O mesmo que loendral: «Pero Rodríguez é do Alendroal.» Camões.

*Alentadamente*, adv. De modo alentado.

*Alentado*,
adj.
Valente, esforçado.
* adj.
Farto, suculento, bom.
(De alentar)

*Alentador*, m. e adj. O que alenta.

*Alentar*,
v. t.
Dar alento, coragem, esfôrço, a.
Alimentar.

* *Alentecer*, v. i. Fazer-se lento.

* *Alentejanismo*,
m.
Locução privativa do Alentejo.

* *Alentejano*,
adj.
Relativo ao Alentejo.
M.
Habitante do Alentejo.

* *Alentejão*, m. Ant. e prov. extrem. O mesmo que alentejano. Cf. Anat. Joc., I, 123.

* *Alentejoado*, adj. Des. O mesmo que lentejoilado.

*Alento*,
m.
Hálito, respiração.
Ânimo; esfôrço.
Alimento.
Enthusiasmo.
Pl.
Orifícios nas ventas dos cavallos.
Ant.
Ornatos, de que usavam as freiras na toalha da cabeça.
(Cast. aliento)

* *Aleócara*,
f.
O mesmo que aleócaro.

* *Aleócaro*,
m.
Pequeno insecto coleóptero, que vive nos cogumelos.
(Do gr. alea + kherasso)

* *Aleonado*,
adj.
Fulvo; da côr do leão: «um saio de setim aleonado». B. Pato,
Port. na India, 13.

* *Aleopardado*,
adj. Heráld.
Díz-se do leão, quando, no campo do escudo, se representa com as patas
firmes, menos uma de deante, que está erguida na direcção do corpo.
(De leopardo)

*Alepina*, f. Certo estôfo de Alepo.

* *Alépiro*,
m.
Pequena planta ramosa da Austrália.
(Do gr. a priv. + lepuron)

* *Alepisauro*, (sau)
m.
Peixe sem escama, da fam. dos salmonídeos.
(Do gr. a priv. + lepis + sauros)

* *Alepissauro*,
m.
Peixe sem escama, da fam. dos salmonídeos.
(Do gr. a priv. + lepis + sauros)

* *Alepocéfalo*,
adj.
Diz-se dos peixes, que não têm escamas na cabeça.
(Do gr. a priv. + lepis + kephale)

* *Alepocéphalo*,
adj.
Diz-se dos peixes, que não têm escamas na cabeça.
(Do gr. a priv. + lepis + kephale)

* *Alépyro*,
m.
Pequena planta ramosa da Austrália.
(Do gr. a priv. + lepuron)

* *Alequeado*,
adj. Bot.
Que tem fórma de leque, (falando-se de certas fôlhas, como as das
palmeiras).

* *Alequeca*,
f.
O mesmo que laqueca. Cf. Peregrinação, CVII.

* *Alerce*, m. Des. O mesmo que lárice.

* *Alereão*,
m. Heráld.
Pequena águia de asas abertas e sem bico nem pés.
(Fr. alerion)

*Alerta*, (á-ler)
adv.
Com vigilância; attentamente.
M.
Sinal, para se estar vigilante.
Interj.
Cautela! sentido!
(Do it. all'erta)

* *Alertar*,
v. i.
Pôr-se alerta: «alertam ao retinir das charamelas». Filinto,
D. Man. I, 408.

* *Alestar*, (lés-tár)
v. t.
Tornar lesto, desembaraçado, prompto.

* *Alestesia*,
f. Med.
Estado pathológico, caracterizado pela localização das sensações no
lado do corpo, opposto ao que recebeu a impressão, e em ponto symétrico.
(Do gr. allos, outro, e aisthesis, sensação)

* *Aleta*, () f. Pequena ala. Archit. Lado de um membro ou pé-direito, collocado entre duas arcadas, a meio das quaes há ordinariamente uma columna ou pilastra. Cada uma das duas asas do nariz.

* *Aletargado*, adj. Pôsto em lethargo.

* *Alethargado*, adj. Pôsto em lethargo.

* *Alethologia*,
f.
Tratado ou discurso á cêrca da verdade.
(Do gr. aletheia + logos)

*Alethológico*, adj. Relativo á alethologia.

*Aleto*,
m.
Ave de rapina, da India.
(Cp. alecto)

* *Aletologia*,
f.
Tratado ou discurso á cêrca da verdade.
(Do gr. aletheia + logos)

*Aletológico*, adj. Relativo á alethologia.

* *Aletradar-se*, v. p. Fazer-se letrado.

* *Aletre*, m. Gênero de liliáceas.

*Aletria*,
f.
Massa de farínha em fios delgados, espécie de macarrão.
(Do ár. al + itria)

*Aletrieiro*,
m.
Fabricante de aletria.

* *Aletríneas*, f. pl. Tribo de plantas liliáceas.

* *Aletris*,
m.
Planta liliácea da América do Norte.
(Do gr. aletris)

*Aléu*,^1
m. Ant.
Jôgo de truque.
Pau, com que se impelle a bola, no jôgo da choca.

* *Aléu*,^2 m. Prov. alg. Descanso, alívio.

* *Aleuria*,
f.
Cogumelo, que se assemelha a um montículo de farinha.
(Do gr. aleuron)

* *Aleurisma*,
m.
Môfo, bolor.

* *Aleurite*,
f.
Planta de Ceilão, da fam. das euphorbiáceas.
(Gr. aleuritis)

*Aleuromancia*,
f.
Antigo processo de adivinhação, por meio de farinha.
(Do gr. aleuron + manteia)

* *Aleuromante*,
m.
Aquelle que pratica a aleuromancia.

* *Aleurómetro*,
m.
Pequeno instrumento, para medir a quantidade de glúten que há na
farinha.
(Do gr. aleuron + metron)

* *Aleurona*,
f.
Substância pulverulenta, fina e branca, contida nas céllulas de certas
plantas, mormente das euphorbiáceas.
(Do gr. aleuron, farinha)

* *Aleúte*,
m.
Língua hiperbórea, agglutinativa, das ilhas Aleútes, a noroéste
da América.

*Alevadoiro*,
m.
Pau, com que se ergue a pedra da moenda.
(Por elevadoiro, de elevar)

*Alevadouro*,
m.
Pau, com que se ergue a pedra da moenda.
(Por elevadoiro, de elevar)

*Alevant…*,
(V. levant…)

* *Alevanto*,
m. Des.
Sublevação.
Alvorôto, motim.
(De alevantar)

*Alevedar*, v. t. (V. levedar)

* *Alexandre*, adj. Diz-se de uma variedade de trigo rijo.

*Alexandrino*,^1
adj.
Relativo a Alexandria.
M.
Habitante de Alexandria.

*Alexandrino*,^2
adj.
Diz-se do verso de doze sýllabas, com accento tónico na 6.^a e na 12.^a.
M.
Verso alexandrino.
(De Alexandre, n. p.)

* *Alexandrite*,
f.
Pedra preciosa de côr.

* *Alexia*, (csi)
f.
Impossibilidade pathológica de lêr, em individuos que sabiam lêr e
que não perderam o uso da vista.
(Do gr. a priv. + legein)

* *Alexiaco*, (csi)
adj.
O mesmo que alexiphármaco.

*Alexifármaco*, (csi)
adj.
Diz-se dos remédios, que se applicam contra o veneno ingerido no
estômago.
(Gr. alexipharmakon)

* *Alexina*, f. Substância batericida, de soro sanguíneo normal.

*Alexiphármaco*, (csi)
adj.
Diz-se dos remédios, que se applicam contra o veneno ingerido no
estômago.
(Gr. alexipharmakon)

*Aleziriado*, adj. Cheio de lezírias.

* *Alfa*,^1 f. Planta gramínea da Argélia, (stipa tenacissima).

* *Alfa*,^2 m. Sacerdote, entre os negros mahometanos do Senegal.

* *Alfa*,^3
f. Prov.
Marco, entre bens communs e particulares.
Fronteira.

* *Alfa*,^4
f. T. de Moncorvo.
O mesmo que chamma.
Côr rosada das faces.

*Alfa*,^5
m.
Primeira letra do alphabeto syríaco e grego.
Fig.
Principio.
* Mús.
Figura, que, na antiga notação, abrangia dois lugares de um pentagramma
e representava duas notas ligadas.

* *Alfábar*, m. (V. alfâmbar)

* *Alfabareiro*,
m.
Fabricante de alfábares.

* *Alfábega*, f. T. de Vizela. O mesmo que alfavaca.

* *Alfabetação*,
f.
Acto de alfabetar.

*Alfabetadamente*, adv. De modo alfabetado; pela ordem alfabética.

*Alfabetado*, adj. Disposto pela ordem alfabética.

*Alfabetador*,
m.
Aquelle que alfabeta.

* *Alfabetamento*,
m.
O mesmo que alfabetação.

*Alfabetar*, v. t. Dispor, segundo a ordem das letras do alfabeto.

*Alfabetário*,
adj.
Relativo ao alfabeto.
Que tem alfabeto.

*Alfabeticamente*, adv. De modo alfabético.

*Alfabético*,
adj.
Alfabetário.
Disposto segundo a ordem das letras do alfabeto.

* *Alfabetista*,
m.
O mesmo que alfabetador.

*Alfabeto*,
m.
Abecedário.
Ordem ou disposição convencional das letras de uma língua.
Conjunto das mesmas letras.
Rudimentos de qualquer sciência ou arte.
Qualquer série convencional.
(De alpha + beta, nome das prímeiras letras do alphabeto grego)

* *Alfaça*, f. Des. O mesmo que alface. Cf. G. Vicente, Reis Magos.

*Alfaçal*, m. Lugar, onde se criam alfaces.

*Alface*,
f.
Planta herbácea, hortense, da fam. das compostas.
(Do ár. al-cass)

* *Alface-de-cordeiro*,
f.
Planta valerianácea, (valeriana, locusta olitoria, Brotero).

* *Alface-do-mar*,
f.
Espécie de moliço dos sapaes baixos, conhecido também por
folhada. Cf. Museu Techn., 54.

* *Alface-dos-montes*, f. Bot. Planta, o mesmo que tripa-de-ovelha.

* *Alfácia*, f. T. dos vendilhões de Lisbôa. O mesmo que alface.

*Alfacinha*,
m. Pop.
Habitante de Lisbôa.
(De alface)

* *Alfaco*,
m.
Cogumelo de copa vermêlha.
(Ár. al-faque)

* *Alfada*,
adj. f. Mús. ant.
Dizia-se da figura que também se chamava alpha.
(Cp. alpha)

* *Alfádega*, f. * Prov. dur. Mangericão de fôlha larga. Ant. O mesmo que mangerona, segundo um dicc. ms., archivado na Tôrre do Tombo.—Supponho que é alter. de alfábega, uma das fórmas cast., correspondentes á nossa alfavaca. (Cf. C. Viana, Apostilas, vb. alfavaca).

* *Alfafa*,
f. Bras.
Nome vulgar da luzerna.
(Cast. alfalfa)

*Alfageme*,
m. Ant.
Barbeiro.
Fabricante de espadas, armeiro.
(Do ár. al-haddgem)

*Alfaia*,
f.
Utensilio de casas ou pessôas.
Adôrno.
Baixela.
Jóia.
* Prov. alent.
Forquilha com três dentes.
(Do ár. al-caja)

*Alfaiamento*,
m.
Acto de alfaiar.

*Alfaiar*,
v. t.
Guarnecer com alfaias.
Mobilar.
Adornar.

*Alfaiata*, f. De alfaiate.

*Alfaiatar*,
v. t.
Coser ou talhar (peças de vestuário).
V. i.
Exercer o offício de alfaiate.

* *Alfaiataria*,
f.
Officina de alfaiate.

*Alfaiate*,
m.
Aquelle que faz vestuário para homens.
*
Áve ribeirinha, (recurvirostra avocetta, Lin.).
* Pop.
Insecto, o mesmo que joaninha.
* T. da Bairrada.
Insecto aquático, de compridas pernas, chamado também cabra.
(Do ár. al-caiate)

* *Alfaifa*, f. Ant. O mesmo que alfafa.

* *Alfaique*,
m.
O mesmo que alfaque. Cf. Peregrinação, XLVIII.

*Alfaizar*, m. (V. alfeizar)

* *Alfalema*, m. Ant. Espécie de turbante ou gorro. Cf. G. Vicente. III, 270.

*Alfama*,
m. Ant.
Bairro ou alcoice de judeus.
Asylo, refúgio.
(Do ár.)

* *Alfâmar*, m. Ant. O mesmo que alfâmbar.

* *Alfâmbar*,
m. Ant.
Cobertor de lan, vermelho.
(Do ár. al-hambal)

* *Alfambareiro*,
m.
Aquelle que fabricava alfâmbares.

*Alfamista*,
m.
Habitante de Alfama, em Lisbôa.
Tunante; fadista.

* *Alfamoxa*, () f. Mús. ant. Alpha sem pellica. Cf. Diccion. Mús.

* *Alfanado*, m. Prov. O mesmo que piadeira.

* *Alfanar*, v. t. Ant. O mesmo que alfenar.

*Alfândega*,
f.
Repartição pública, onde se cobram os direitos de entradas e saídas
de mercadorias.
Casa, em que está essa repartição.
Aduana.
Depósito; trapiche.
* Ant.
O mesmo que albergaria.
* Pop.
Casa de muito movimento, de muita azáfama.
(Do ár. alfondak)

* *Alfandegagem*,
f.
Acto de alfandegar.

* *Alfandegamento*, m. Bras. O mesmo que alfandegagem.

*Alfandegar*,
v. t.
Despachar na alfândega.
Armazenar na alfândega.

*Alfandegário*, adj. O mesmo que alfandegueiro.

*Alfandegueiro*,
adj.
Relativo á alfândega.
Aduaneiro: «preias alfandegueiras.» Camillo, Regicida, 3.^a ed., 11.

*Alfaneque*,
m.
Espécie de falcão.
Pequeno quadrúpede africano.
(Ár. al-faneque)

*Alfange*,
m.
Sabre de fôlha larga e curta.
(Ár. al-canjar)

*Alfanjada*, f. Golpe de alfange.

*Alfanjado*, f. adj. Semelhante ao alfange.

*Alfaque*,
m.
Banco de areia movediça; recife.
Fundão, produzido pelos ferros que ali garram.
(Cp. alfaqueque)

*Alfaqueque*, (quê)
m. Ant.
Emissário.
Aquelle que ia encarregado de resgatar cativos.
* Prov. alg.
Peixe-gallo.
(Do ár. al-faqueque)

* *Alfaquete*, (quê)
m.
Peixe, o mesmo que al-faqueque, (zeus faber, Lin.).

*Alfaqui*,
m.
Legista e sacerdote entre os Muçulmanos.
(Ár. al-faqui)

*Alfaquim*,
m.
O mesmo que peixe-gallo.
(De al-faque?)

* *Alfaquique*,
m.
O mesmo que alfaquim.

* *Alfar*, v. i. T. de Moncorvo. O mesmo que abostar-se.

* *Alfar-se*,
v. p. Prov. trasm.
Adquirir alforra.
Engelhar e secar, antes de formado o grão, (falando-se de searas).
Secar, apresentando malhas, (falando-se de frutos).

*Alfaras*,
m.
Cavallo árabe, exercitado na guerra.
*
Cavalleiro destro, bem montado.
(Do ár. al-faras)

* *Alfarda*,
f. Ant.
Espécie de vestuário feminino, usado talvez só por mulheres burguesas
ou plebeias.
(Ár. al-farda?)

* *Alfarema*,
f. Ant.
Touca ou véu para a cabeça.
(Do ár. al-harem)

* *Alfareme*,
m.
O mesmo que alfarema.

* *Alfarge*,^1
m. Ant.
Moínho de vento.
(Da mesma or. que alfarja)

* *Alfarge*,^2
m. e adj.
Diz-se de um estilo peninsular de artes decorativas, caracterizado por
lavores multiformes.

*Alfarío*,
adj.
Diz-se do cavallo que brinca, saltando e rinchando.
(De alfarás)

* *Alfarja*,
f. Prov. trasm.
Grande vaso de pedra, em que gira a roda que mói a azeitona.
(Do ár. al-farche)

*Alfarrábio*,
m.
Livro antigo e pouco prestadio.
(Do ár. ?)

*Alfarrabista*,
m.
Aquelle que lê ou collecciona livros antigos. Aquelle que negocía
com êlles.
(De alfarrábio)

* *Alfarrabístico*,
adj.
Relativo a alfarrabista: aspecto alfarrabístico.

* *Alfarreca*,
f. Gír. ant.
Cabelleira.
(Alter. de alforreca)

*Alfarricoque*,
m. Ant.
Homem de pequena estatura.
(Cp. farricoco)

*Alfarroba*, ()
f.
Fruto da alfarrobeira.
(Do ár. al-carroba)

* *Alfarrobado*,
adj.
Diz-se da ameixa e de outras frutas, que se deformaram, fazendo lembrar
a alfarroba.
(De alfarrobar)

*Alfarrobal*,
m.
Lugar, onde há alfarrobeiras.

* *Alfarrobar*,
v. t.
Esfregar (linhas de pesca) com alfarroba verde, para as tornar mais
rijas e mais escuras.

*Alfarrobeira*,
f.
Árvore leguminosa, (ceratonia siliqua, Lin.).
(De alfarroba)

* *Alfarva*,
f.
Planta daninha, que ataca os trigaes, (trigonella foenum graecum).
(B. lat. alfarfa)

* *Alfas*,^1
f. pl. Prov. trasm.
Malhas, que atacam as searas e os frutos, fazendo-os secar antes do tempo.
(Cp. alfar-se)

* *Alfas*,^2 f. pl. Prov. trasm. Evaporações quentes, que afogueiam a cara do transeunte, partindo de uma parede caiada, onde o sol bate de chapa, ou de uma estrada arenosa que o sol aqueceu.

*Alfavaca*,
f.
Planta labiada, semelhante ao mangericão.
* T. do Ribatejo.
Flôr da oliveira.
(Do ár. al-habaq)

*Alfavaca-de-cobra*,
f.
Planta urticácea.

*Alfavaca-do-campo*,
f.
Planta aromática, brasileira.
Segurelha.

* *Alfazar*,
m. Ant.
Estrada; caminho largo.
(Talvez do ár. al-fesha)

*Alfazema*,
f.
Arbusto odorífero, da fam. das labiadas.
(Do ár. al-cuzema)

* *Alfazemar*, v. t. Defumar ou perfumar com alfazema. Cf. Arn. Gama, Motim, 335.

*Alfeça*,
f.
Pedaço de ferro, vazado no centro, e sôbre o qual se assenta a chapa
em que se quere fazer abertura por meio de puncção, que, atravessando
a chapa, entra na parte vazada.
O cravo ou puncção, com que se faz aquella abertura.
*
Alvião; picareta.
(Cp. alferce)

* *Alfece*, m. O mesmo que alfeça.

* *Alfeia*,
f.
Gênero de plantas malváceas.
Gênero de crustáceos decápodes.

* *Alfeirada*,
f. Prov. alent.
Alfeire.
Rebanho de gados de alfeire.

*Alfeire*,
m.
Curral de porcos.
Gado, que não cria.
*
Rebanho de ovelhas, que não tiveram nem estão para têr borregos.
Terreno cerrado, em que se recolhem porcos.
(Do ár. al-heire)

*Alfeireiro*,
m.
Aquelle que guarda o alfeire.

*Alfeirio*, adj. O mesmo que alfeiro^1.

*Alfeiro*,^1
adj.
Relativo ao gado que não tem crias.
M.
O mesmo que alfeire.

* *Alfeiro*,^2
adj. Prov.
Tomado do cio.
Irrequieto. (Colhido em Turquel)
(Relaciona-se com alfário?)

*Alfeizar*,
m.
Pau, que se encaixa nas testeiras da serra.
(Cast. alfeizar)

*Alféloa*,
f.
Massa de açúcar ou melaço em ponto, de que se fabricam objectos
de confeitaria.
(Do ár. al-helua)

*Alfeloeiro*,
m.
Aquelle que negocía em alféloa.
Confeiteiro.

*Alfena*,
f.
Arbusto, da fam. das oleáceas, (ligustrum vulgare).
(Do ár. al-hinna)

*Alfenado*,
adj.
Enfeitado pretensiosamente; ajanotado.
(De alfenar)

*Alfenar*,
v. t.
Tingir com baga ou pós de alfena.
Enfeitar.
Tornar effeminado.

*Alfeneiro*, m. (V. alfena)

* *Alfenheiro*,
m.
O mesmo que alfeneiro.

* *Alfeni*, m. O mesmo que alfenim.

* *Alfenicado*, adj. Neol. Que tem modos de alfenim ou casquilho.

* *Alfênico*,
m.
Açúcar cândi.

*Alfenim*,
m.
Massa branca de açúcar e óleo de amêndoas doces.
Pessôa delicada, melindrosa.
Janota, peralta.
(Do ár. al-fenid)

*Alfeninado*, adj. O mesmo que alfenado.

*Alfeninar-se*,
v. p.
Tornar-se frágil, delicado.
Fazer-se effeminado.
(De alfenim)

*Alferce*,
m.
Alvião.
Picareta.
(Do ár. al-fes)

*Alférece*, m. O mesmo que alferes. Cf. Eurico, 94.

*Alferena*,
f. Ant.
A bandeira, que o alferes levava, em occasião de guerra ou de qualquer
expedição militar.
(De alferes)

*Alferes*,
m.
Official do exército português, immediatamente inferior ao tenente.
*
Peixe dos Açores.
Ant.
Porta-bandeira.
*
Fazer pé de alferes, fazer côrte, galantear, namorar.
(Do ár. al-feris)

*Alférez*,
m.
Official do exército português, immediatamente inferior ao tenente.
*
Peixe dos Açores.
Ant.
Porta-bandeira.
*
Fazer pé de alferes, fazer côrte, galantear, namorar.
(Do ár. al-feris)

* *Alferga*, f. Prov. Medida de semente de sirgo.

* *Alferro*, f. Prov. alent. Jôgo de rapazes, também conhecido por porca.

* *Alfil*, m. A peça que no xadrez representa o elephante.

*Alfim*,
adv. Des.
Em-fim.
(De al^3 + fim)

* *Alfinago*, m. Ant. Pandilha; biltre.

*Alfinetada*,
f.
Acto de alfinetar.

* *Alfinetadela*,
f.
O mesmo que alfinetada.

*Alfinetar*,
v. t.
Picar com alfinete.
Dar fórma de alfinete a.
* Fig.
Satirizar.
Criticar, magoando.
Ferir com palavras.

*Alfinete*, ()
m.
Hastezinha de metal, aguçada de um lado, limitada do outro por uma
espécie de cabeça do mesmo metal, e que serve para pregar ou segurar
peças de vestuário.
Objecto análogo de outra substância, para segurar o cabello das
mulheres.
* Prov. minh.
Broche de senhora.
*
Designação vulgar de um insecto, muito nocivo aos cereaes. Cf. Bibl. da
Gente do Campo
, 304.
* Pl. Jur. ant.
Prestação periódica, prometida pelo marido a sua mulher para despesas
particulares e adôrno della.
* Marn.
Crystaes de sal, compridos e finos, que, com o vento quente e sêco,
apparecem entre os crystaes de sal commum nas marinhas. Cf. Museu
Techn
., 72, 82 e 91.
* Bras.
O mesmo que silena.
(Do ár. al-quilele)

*Alfinete-de-toucar*,
m.
Planta geraniácea, (geranium fulgidum).

* *Alfinetear*, v. t. O mesmo que alfinetar.

*Alfineteira*,
f.
Pregadeira de alfinetes.

*Alfineteiro*,
m.
Fabricante de alfinetes.
Aquelle que negocía em alfinetes.
O mesmo que alfineteira.

* *Alfinetes-da-raínha*, m. pl. Antiga contribuição que se Pagava no Pôrto.

* *Alfir*, m. O mesmo que alfil.

* *Alfirme*, m. Prov. trasm. Corda delgada de esparto. Prov. alent. e alg. Corda delgada, baraço. * Recinto, formado por cordas, em que as ovelhas são ordenhadas.

* *Alfirmeira*, f. Prov. alg. Ovelha, que tem por costume evadir-se do alfirme.

*Alfitete*,
m.
Composição culinária de ovos, açucar, vinho e manteiga.
Pastelão.
Iguaria.
(Do ár. al-fitita)

* *Alfitomancia*,
f.
Supposta adivinhação, por meio de farinha.
(Do gr. alphiton + manteia)

*Alfitra*,
f. Ant.
Tributo, que pagavam os Moiros conquistados, e que constava da décima
parte dos seus gados.

*Alfobre*, ()
m.
Viveiro, em que se semeiam plantas, e onde crescem até é sua
transplantação.
Canteiro, entre dois regos por onde corre água.
(Do ár. al-hofre)

* *Alfôfre*,
m. Ant. e prov. minh.
Pequena porção de terra.
(Cp. alfobre)

* *Alfol*, m. Producto chímico, usado como antiséptico e anti-rheumático.

* *Alfola*, ()
f. Ant.
Vestuário mais ou menos precioso: «e nom casei por me cobrir de
alfollas
». Canc. da Vaticana.

* *Alfolla*, ()
f. Ant.
Vestuário mais ou menos precioso: «e nom casei por me cobrir de
alfollas
». Canc. da Vaticana.

*Alfombra*,
f.
Tapete, alcatifa.
Campo arrelvado.
(Do ár. al-homra)

* *Alfombrar*,
v. t.
Cobrir de alfombra.
Atapetar.

* *Alfonsia*,
f.
Ferrugem das plantas; alfôrra.

*Alfonsim*,
m.
Antiga moéda portuguesa.
(De Alfonso, n. p.)

* *Alfonsino*,
m.
Antigo instrumento de cirurgia.

* *Alforfa*, (fôr) f. Prov. alent. O mesmo que alfova.

* *Alforfilhar*, v. i. Ant. Fugir á socapa; esgueirar-se.

*Alforjada*,
f.
O que está dentro do alforje.
Porção de coisas várias.

*Alforjar*,
v. t.
Meter no alforge.
Meter nas algibeiras; arrecadar.

*Alforje*,
m.
Espécie de saco, fechado nas extremidades, e aberto no meio, por onde
se dobra, formando dois compartimentos.
O que o alforge leva.
* Pl. Náut.
Saliências nos dois cantos da popa.
(Do ár. al-cordj)

* *Alforjeiro*,
m.
Homem que traz alforje. Cp. Filinto, XII, 16.

* *Alforna*, (fór) f. Ant. O mesmo que alforva.

* *Alfornes*, m. pl. Cabos que, em certas redes, partem da cadoira para as tralhas.

*Alfôrra*,
f.
Cogumelo microscópico, que se desenvolve com a humidade nas searas,
ennegrecendo o grão quando vem o calor.
Moléstia das searas, determinada pela presença daquelle cogumelo.
(Do ár. al-harr)

*Alforrar*, v. i. Produzir alfôrra; mostrar que tem alfôrra.

*Alforreca*,
f.
Mollusco, do feitio de umbrella e de tecídos semi-transparentes.
(Do ár. al-horreque)

*Alforria*,
f.
Liberdade, dada ao escravo pelo senhor.
Libertação.
(Do ár. ?)

*Alforriar*,
v. t.
Dar alforria a.
Libertar.

*Alforva*, (fôr)
f.
O mesmo que alfarva.

* *Alforza*, f. Ant. O mesmo que alfurja.

*Alfós*,
m. Ant.
Distrito autónomo.
Arrabalde, aros de uma povoação.
Terreno plano.
(Do ár. alhauz)

*Alfóstico*, m. O mesmo que alfóstigo.

*Alfóstigo*,
m.
Árvore resinosa, da fam. das terebintháceas, (pistacia vera).
(Do ár. al-fostaq)

* *Alfostigueiro*,
m.
O mesmo que alfóstigo.

* *Alfoucim*,
m.
Peixe dos Açores.

* *Alfova*, ()
f.
O mesmo que alforva. Cf. B. Pereira, Prosodia, vb. ceratis.

* *Alfovre*, ()
m.
O mesmo que alfobre e alfofre.

*Alfoz*,
m. Ant.
Distrito autónomo.
Arrabalde, aros de uma povoação.
Terreno plano.
(Do ár. alhauz)

* *Alfreces*, m. pl. O mesmo que alfrezes.

* *Alfrecha*, f. T. de Moncorvo. Variedade de pêssego.

* *Alfrédia*,
f.
Gênero de plantas da Sibéria, da fam. das compostas.
(De Alfredo, n. p.)

* *Alfrezes*,
m. pl. Ant.
Mobília de uma casa.
Panos ricos, próprios para armações.
Certos enfeites de vestuário.

*Alfridária*,
f.
Influência, que se suppunha sêr exercida pelos planetas, durante
certo tempo.

* *Alfrocheiro*,
m.
Casta de uva duriense e beirôa.
(Por alforjeiro, de alforje?)

* *Alfunda*, f. Prov. O mesmo que funda, para atirar pedras. (Colhido em Turquel)

* *Alfur*, m. Uma das línguas da Malásia.

* *Alfuras*, m. pl. Tribo meio selvagem das montanhas das Molucas.

*Alfurja*,
f.
Saguão.
Monturo.
(Ár. alfurja)

* *Alfusqueiro*,
m.
Casta de uva do distrito de Aveiro.

*Alga*,
f.
Planta cryptogâmica, que vive no fundo ou á superfície das águas.
(Lat. alga)

*Algáceo*, adj. Relativo a algas.

*Algaço*,
m.
Designação genérica da vegetação que o mar expelle.
(De alga)

*Algália*,^1
f.
Sonda ôca, para extracção de urinas, e para outras applicações
cirúrgicas.
(B. lat. algalia)

*Algália*,^2
f.
Quadrúpede, semelhante á marta.
Gato-de-algália.
Almiscareiro.
(Do ár. al-galia)

*Algaliar*, v. t. Sondar com algália^1.

* *Alganame*,
m. Ant.
Maioral de pastores.
(Do ár. al-gannam)

*Algar*,
m.
Caverna.
Gruta.
Despenhadeiro.
(Ár. al-gar)

*Algara*,
f. Ant.
Expedição militar; sortida; investida.
(Do ár. al-gara)

* *Algarada*,
f.
Algazarra, vozearia. Cf. Paganino, Contos.
* Ant.
Incursão, o mesmo que algara.

* *Algarafa*,
f. Ant.
O mesmo que garrafa.
(Do ár. al-garraf)

* *Algarão*, m. Prov. beir. Grande algar, grande caverna.

* *Algaravazes*, m. pl. Ant. Orla ou fímbria de vestido talar.

*Algaravia*,
f.
Linguagem árabe.
Confusão de vozes.
Linguagem diffícil de entender.
(Do ár. al-arabia)

*Algaraviada*,
f.
Confusão de vozes.
Berreiro.
Imbróglio.
(De algaravia)

*Algaraviar*,
v. i.
Falar ou escrever confusamente.
Fazer algaravia.

* *Algaraviz*, m. Des. Cano de ferro, que conduz o ar, dos folles ao ôlho da forja.

* *Algarejo*, m. T. de Serpa. Pequeno algar ou furna, de mato crescido. Cf. Tradição.

* *Algarido*, m. Ant. O mesmo que alarido.

* *Algarismeira*,
f. Prov. trasm.
Mulher linguareira ou mexeriqueira, que ao que conta accrescenta sempre
alguma coisa.
(De algarismo)

*Algarismo*,
m.
Cada um dos caracteres ou sinaes, de origem árabe, que representam
os números.

* *Algaroba*, f. Bras. Planta medicinal do Rio-Grande-do-Sul, applicada contra as ophthalmias.

* *Algarvão*,
m.
Ave, o mesmo que alcaravão.

* *Algarve*, m. Prov. alent. Dá-se êste nome nas feiras aos productos algarvios ou ao lugar onde se vendem êsses productos, como esteiras, figos, etc. * Pl. Des. Tripulantes das reaes galés. (De Algarve, n. p.)

*Algarvio*, * adj. Relativo ao Algarve. Fig. Tagarela; palrador. * M. Habitante do Algarve. * Remador.

* *Algarvismo*,
m.
Palavra ou locução privativa do Algarve.

*Algaz*, m. Fruto de algumas palmeiras.

*Algazarra*,
f.
Vozearia; assuada; clamor.
Tumulto.
(Do ár. al-gazarra)

* *Algazarrar*, v. i. Neol. Fazer algazarra.

*Algazela*, f. (V. gazela)

* *Algazu*,
f. Ant.
Pregão de guerra dos Moiros contra os Christãos.
(Do ár. al-gazu)

* *Algazuna*, f. Ant. Hoste? Cf. Cortesão, Subs.

* *Algebria*,
f.
Arte de algebrista. Cf. Filinto, I, 196.

*Algebricamente*, ()
adv.
De modo algébrico.

*Algébrico*, adj. Relativo á Álgebra.

*Algebrista*,
m.
Aquelle que é conhecedor da Álgebra.
Aquelle que medíca fracturas de ossos, ou ossos deslocados.
(De álgebra)

*Algebrizar*, v. t. Encher de fórmulas algébricas.

* *Algecira*,
f. Ant.
O mesmo que ilha. Cf. G. Vicente, I, 185.
(Do ár. algezira)

*Algedo*, ()
m.
Inflammação, produzida por gonorreia.
(Do gr. algos)

*Algela*,
f.
Arraial moirisco, em que se armam tendas para pernoitar.
(Do ár. al-hilla)

*Algema*,
f. pl.
Instrumento de ferro, com que se prende alguém pelos pulsos.
Cadeia; grilheta.
Oppressão.
(Do ár. al-jamia)

*Algemado*,
adj.
Preso com algemas.
(De algemar)

*Algemar*,
v. t.
Prender com algemas.
Dominar; coagir.

*Algemia*,
f.
Alteração, produzida nos dialectos da Espanha pelo contacto dos Árabes.
Linguagem mesclada de espanhol e árabe.
Texto espanhol ou português em caracteres arábicos.
(Do ár. al-jamia)

*Algemiar*,
v. t.
Escrever (texto espanhol) em caracteres arábicos.
V. i.
Falar ou escrever algemia.
(De algemia)

*Algenibe*,
m.
Estrêlla da constellação do Pégaso.
(Do ár. al-genib)

*Algente*,
adj.
Muito frio; glacial.
(Lat. algens)

* *Algeramolho*, () m. Prov. alg. O mesmo que agermolho.

* *Algeravia*,
f.
O mesmo que aljaravia.

* *Algerevia*, f. Ant. O mesmo que aljaravia.

*Algerife*,
m.
Rede grande de arrastar, usada no Minho.
(Do ár. al-zeriba)

* *Algerifeiro*, m. Prov. minh. Aquelle que, de Fevereiro a Junho, pesca com algerife no rio Minho.

*Algerive*, m. (V. algerife)

*Algerós*,
m.
Cano, por onde se escôam as águas do telhado.
*
Parte saliente do telhado, para desviar as águas da parede que o
sustenta.
(Do ár. aljorob)

* *Algesímetro*,
m. Med.
Apparelho, para medir a intensidade da excitação, necessária para
produzir uma impressão dolorosa.
(Do gr. algesis + metron)

*…algia*, suf. (design. de soffrimento, dôr) (Do gr. algos)

*Algibe*, m. Des. Cisterna. * Marn. Nome de alguns tanques menores, nas salinas. (Do ár. al-jubb?)

*Algibeba*, fem. De algibebe.

*Algibebe*,
m.
Aquelle que vende fato.
(Do ár. al-djabeb)

*Algibeira*,
f.
Pequeno saco ou bôlso, que faz parte integrante do fato.
Pequena bôlsa, separada do fato, e que as mulheres do povo prendem á
cintura, por baixo dos vestidos.
(Do ár. al-jebira?)

* *Algibeta*, () f. Ant. O mesmo que aljubeta.

* *Algibetaria*,
f. Ant.
Arruamento de algibebes.
(De algibeta)

* *Algidez*, f. Qualidade ou estado de álgido; frialdade: algidez cadavérica.

*Algirão*, m. Abertura, por onde os peixes entram na rede.

*Algo*,
pron. ind.
Alguma coisa.
Adv.
Um tanto, um pouco.
M.
Alguma coisa.
Fazenda.
Aquelle que possue ou que é rico.
(Do lat. aliquot)

*Algodão*,
m.
Pennugem ou tênues filamentos vegetaes, que cercam a semente do
algodoeiro.
Fio de algodão.
Tecido de algodão.
Lanugem, que cobre as fôlhas de alguns vegetaes.
(Do ár. al-eoton)

*Algodão-pólvora*, m. Substância explosiva, obtida pela acção do ácido azótico sôbre o algodão.—Também se lhe dão os nomes de collódio, algodão-collódio, nitro-cellulose, pyróxila, pyróxilo, pyroxilina, xyloidina, nitro-amido, trinitrocellulose, pyroxylol, colloxylina, etc.

*Algodoal*, m. Lugar, onde se criam algodoeiros.

* *Algodoar*, v. t. Encher de algodão. Cf. Primo Basilio, 212.

*Algodoaria*,
f.
Fábrica de fiação ou de tecidos de algodão.

*Algodoeiro*,
m.
Planta malvácea (gossypium, ou xilum), de que há doze espécies,
e que produz o algodão.
Fabricante de tecidos de algodão.
Adj.
Que diz respeito ao algodão: industria algodoeira.

* *Algodoeiro-do-mato*,
m.
O mesmo que punheira.

* *Algodoim*,
m.
Espécie de algodoeiro do Brasil.

* *Algofilia*, f. Med. Estado do algófilo.

*Algófilo*,
m. e adj. Neol.
Aquelle que tem prazer na dôr phýsica, como os mártyres e os
penitentes.
(Do gr. algos + philos)

* *Algofobia*,
f. Med.
Terror mórbido das dores.
(Do gr. algos + phobein)

* *Algoide*,
adj.
Semelhante á alga.
(Do lat. alga + gr. eidos)

*Algol*,
m.
Uma das estrêllas da constellação de Perseu.
(Do ár. al-gul)

* *Algologia*,
f.
Tratado ou estudo das algas.
(Cp. algólogo)

* *Algológico*, adj. Relativo á algologia.

* *Algologista*,
m.
O mesmo que algólogo.

* *Algólogo*,
m.
Botânico, que se dedica ao estudo das algas.
(Do lat. alga + gr. logos)

*Algonquino*,
m.
Grupo de línguas, faladas pelos algonquinos.

*Algonquinos*, m. pl. Tríbo selvagem do Canadá.

* *Algophilia*, f. Med. Estado do algóphilo.

* *Algóphilo*,
m. e adj. Neol.
Aquelle que tem prazer na dôr phýsica, como os mártyres e os
penitentes.
(Do gr. algos + philos)

* *Algophobia*,
f. Med.
Terror mórbido das dores.
(Do gr. algos + phobein)

*Algor*,
m.
Viva sensação de frio; frio vehemente.
(Lat. algor)

*Algorabão*,
m.
Espécie de grou.
O mesmo que alcaravão?

*Algorithmia*,
f.
Parte das Mathemáticas puras, que tem por objecto os números.
(De algorithmo)

*Algoríthmico*, adj. Relativo a algorithmia.

*Algorithmo*,
m.
Processo de cálculo.
(Há divergências sôbre a procedência do termo)

*Algoritmia*,
f.
Parte das Mathemáticas puras, que tem por objecto os números.
(De algoritmo)

*Algorítmico*, adj. Relativo a algoritmia.

*Algoritmo*,
m.
Processo de cálculo.
(Há divergências sôbre a procedência do termo)

* *Algorova*,
f.
Árvore leguminosa do Peru.

* *Algorovão*, m. O mesmo que alcaravão. Prov. alent. Espécie de jôgo de rapazes. Rapaz que, nesse jôgo, é perseguido pelos outros, sem romper a cadeia dos que o cercam.

* *Algorrém*,
pron. Ant.
Alguma coisa.
(De algo + rem)

*Algoso*, adj. Que tem algas.

* *Algóstase*,
f. Med.
Deminuição ou extincção da sensibilidade á dôr, em casos de
grande traumatismo.
(Do gr. algos + stasis)

* *Algovão*, m. Ave ribeirinha. (Colhido na Arruda)

*Algoz*, (gôs)
m.
Carrasco; verdugo.
Homem cruel.
(Ár. al-goz)

* *Algozar*, v. i. Praticar actos de algoz; fazer morticínio: «os enfrascados naquelle morticínio algozaram por maneira, que foram mortos além de quinhentos». Filinto, D. Man., I, 345.

*Algozaria*,
f.
Acto próprio de algoz.
Crueldade, deshumanidade.

* *Algregue*, m. Prov. trasm. Planta espinhosa das arribas.

* *Algrivão*,
m.
O mesmo que algrouvão. Cf. B. Pato.

* *Algrouvão*, m. Prov. extrem. O mesmo que alcaravão.

*Algual*, m. Planta, semelhante ao lírio.

*Alguém*,
pron. ind.
Alguma pessôa.
Pessôa importante.
(Lat. aliquem)

*Alguergar*,
v. t.
Ornar com mosaicos, feitos de pequenas pedras.
(De alguergue)

*Alguergue*,
m.
Pedras, com que se fazem mosaicos.
Embutidos.
Antigo jôgo de pedrinhas.
Pedrinhas dêsse jôgo.
Pedra, em que se espremem as seiras de lagar de azeite.
(Do ár. al-quirque)

* *Alguervão*, m. Prov. alent. O mesmo que alcaravão.

*Algueta*, (guê)
f.
Planta, da fam. das naiádeas.
(De alga)

*Alguidar*,
m.
Vaso de barro ou metal, em fórma de cone invertido, e cuja boca tem
diâmetro maior que o da altura.
(Ár. al-guiddar)

* *Alguidarada*,
f.
O que um alguidar póde conter.

*Alguirradeira*,
f.
Apparelho das officinas de cardação, nas fábricas de
tecidos. Cf. Inquér. Industr., 2.^a p., 152.

*Algum*,
adj.
Um, entre dois ou mais.
Qualquer.
Medíocre.
(Do lat. aliquis + unus)

*Algum-tanto*, loc. adv. Medianamente.

* *Algumia*,
adj. Ant.
Pequeno vaso de barro, espécie de púcara ou caneca. Cf. Marreca,
Conde Sober. de Cast.

* *Alguno*, adj. Ant. O mesmo que algum.

* *Algur*, m. e adv. Ant. O mesmo que algures.

*Algures*,
m.
Algum lugar, alguma parte.
Adv.
Em alguma parte, em algum lugar.
(Alter. de alhures, por infl. de algo)

*…alha*, suf. De inferioridade, alargamento, etc.

* *Alháceas*, f. pl. O mesmo que alliáceas.

*…alhaço*, suf. De comparação.

*Alhada*,
f.
Muítos alhos.
Guisado com alho.
Intriga, embrulhada: meter-se numa alhada.

* *Alhafa*, f. Ant. Pavor, causado por um precipício.

*Alhaima*,
f. Ant.
Tenda, para abrigar do ar da noite.
(Do ár. ?)

* *Alhal*,^1 m. Campo, onde crescem alhos.

* *Alhal*,^2 m. Prov. minh. Lugar na cozinha, onde se faz provisão da lenha, quási sempre por baixo do forno. (Será accepção ext. ou fig. de alhal^1?)

* *Alhambrês*, adj. Relativo á Alhambra. Cf. Júl. Castilho, Lisb. Ant.

*Alhanar*,
v. t.
Tornar lhano, affável.
Fazer plano.
Igualar.
Assolar.
Resolver.

* *…alhão*, (aum. do suf. …alho)

*…alhar*, suf. v. (Do suf. …alho)

*Alharca*,
f. Ant.
Alarma.
Algara.
(Do ár. al-haraca)

*Alhas*, adj. f. pl. Diz-se das palhas, com que se designam as fôlhas sêcas dos alhos.

*Alheação*, f. Acto de alhear.

*Alheado*,
adj.
Distrahiado.
Perturbado.
(De alhear)

*Alheador*, m. Aquelle que alheia.

*Alheamento*,
m.
Estado de quem está alheado.

*Alhear*,
v. t.
Tornar alheio.
Passar para outrem o domínio de; alienar.
Desviar.
Perturbar; alucinar.

*Alheável*, adj. Que se póde alhear.

*Alheio*,
adj.
Estranho; pertencente a outrem.
Impróprio.
Distante.
Opposto.
Privado, isento.
Distrahido.
Mentecapto.
(Lat. alienus)

*Alheira*,
f.
Planta, cujo cheiro parece o do alho.
Chouriça trasmontana, temperada com alhos.

*Alheiro*, m. Aquelle que negocía em alhos.

* *Alhela*,
f.
Agrupamento de aduares, de tendas.
Acampamento.
(Do ár. al-hella)

* *Alhendros*, m. Mad. O mesmo que estramónio.

* *Alheta*,^1 (lhê)
f. Prov.
Alho, de cabeça inteiriça, não divida em bolbilhos.
(Colhido em Turquel)
(De alho)

*Alheta*,^2 (lhê)
f.
Pista, encalço.
Ant.
Debrum na parte superior da manga do gibão.
Peças de pau, que formam o prolongamento exterior da popa da
embarcação.
* Constr.
Porção de pé direito dos arcos, entre o vão e a columna adherente
a esse pé direito, em arcadas estabelecidas nos intercolúmnios.

* *Alheto*, (lhê)
m.
O mesmo que alheta^1.

*…alho*, suf. De inferioridade, má qualidade.

*Alho-porro*, ()
m.
Alho bravo, (allium porrum) maior que o alho commum.

* *Alhodra*, f. Ant. Sequestro ou confisco de terras ou fazendas.

* *Alhora!*, interj. (de espanto): alhora o homem! veja o que êlle diz e o que êlle faz. (Ouvido em Ílhavo e vulgar nos Açores)

* *Alhorca*, f. Prov. O mesmo que trepadeira, ave.

*…alhote*, suf. de comparação.

* *Alhur*, adv. Ant. O mesmo que alhures.

* *Alhures*,
adv. Ant.
Em outro lugar.
Algures.
(Do lat. aliorsum)

*Ali*,
adv.
Lá.
Além; naquelle lugar.
(Lat. illic)

*Aliáceas*,
f. pl.
Plantas, que constituem um grupo das liliáceas, e a que serve de typo
o alho.

*Aliáceo*,
adj.
Relativo ao alho.
Semelhante ao alho.
(Do lat. allium)

*Aliado*, adj. Que se aliou. M. Aquelle que entrou numa aliança: «os alliados em Sebastopol».

*Aliagem*, f. (V. aliança)

*Aliança*,
f.
Acto ou effeito de aliar.
Anel de casamento.

*Aliançar*, v. t. (V. aliar)

*Aliar*,
v. t.
Unir.
Combinar.
Fazer ligação de.
Harmonizar.
Unir por casamento.
Confederar.
Encorporar.
Coadunar.
Agrupar.
(Do lat. alligare)

*Aliária*,
f.
Planta crucífera, de cheiro semelhante ao do alho.
(Do lat. allium)

*Aliás*,^1
adv.
De outro modo.
* M.
Outro lugar: «reforçados de adjutórios de aliás vindos». Filinto,
D. Man., II, 186.
(Lat. alias)

* *Aliás*,^2 f. Fêmea do elephante. Cf. G. Viana, Apostilas.

* *Aliavas*,
f. pl.
Tributo, que se pagava para sustento das aves e cães, com que as pessôas
reaes caçavam.
(Por aliaves, do lat. alere + avis?)

* *Aliável*, adj. Que se póde aliar.

* *Alibambar*,
v. t. Bras. Des.
Prender ao libambo.
Acorrentar.

*Alíbil*,
adj.
Próprio para nutrição.
(Lat. alibilis)

*Alibilidade*,
f.
Qualidade do que é alíbil.

*Alicaído*, (á-li)
adj.
Que tem asas caídas, pendentes.
Desalentado.
(De ala + cair)

* *Alicanço*,
m. Pop.
O mesmo que licranço.
Fig.
Homem de má índole. Cf. Rebello, Mocidade, III, 37 e 59.

* *Alicântara*,
f.
Espécie de lagartíxa.

* *Alicante*,
f.
Casta de uva preta algarvia e andaluza.
* f.
Vinho dessa casta.
(De Alicante, n. p.)

* *Alicante-vermelho*,
m.
Casta de uva avermelhada, variedade de alicante.

*Alicantina*,
f.
Velhacaria; manha.
Fraude.
(Fem. de alicantino)

*Alicantinador*,
m.
O mesmo que alicantineiro.

*Alicantineiro*,
m.
Aquelle que faz alicantinas.

* *Alicantino*,
adj.
Relativo a Alicante.
M.
Habitante de Alicante.

* *Alicário*,
m.
Aquelle que fabricava álica.
(Lat. alicarius)

*Alicate*,
m.
Espécie de torquez ou tenaz, composta de duas asas, que se cruzam e se
movem em tôrno de um eixo commum.
(Do ár. al-laccate)

* *Alicece*, m. (V. alicerce)

*Alicerçar*,
v. t.
Fazer o alicerce de; cimentar.
Basear.
Consolidar.

*Alicerce*,
m.
Parte inferior das paredes, a que fica enterrada. Escavação, para
assentar a parede.
Base; fundamento.
(Do ár. al-isás)

* *Alicercear*, v. t. Prov. O mesmo que alicerçar.

* *Alicesse*, m. Ant. O mesmo que alicerce. Cf. Eufrosina, 141.

*Aliciação*, f. Acto de aliciar.

*Aliciador*,
m.
Aquelle que alicia.
Aquelle que serve para aliciar.
Adj.
Que alicia.

*Aliciamento*,
m.
(V. aliciação)

* *Aliciante*, adj. Que alicia; aliciador.

*Aliciar*,
v. t.
Atrahir a si.
Seduzir.
Provocar.
Angariar.
Subornar.
(Do lat. allicere)

*Aliciente*, adj. Que alicia. * M. Coisa que alicia. Seducção. (Lat. alliciens)

*Alicondo*, m. Árvore africana, de casca filamentosa, empregada em tecidos.

* *Alicorne*,
m.
Espécie de carvão mineral?

* *Alicranço*,
m.
O mesmo que licranço.

* *Alícula*,
f.
Chlâmide curta, usada pelos Romanos das classes inferiores.
(Lat. alicula)

* *Aliculária*,
f.
Gênero de plantas hepáticas.
(De alicula)

*Alidada*, f. O mesmo que alidade.

*Alidade*,
f.
Régua móvel, com uma pínnula em cada extremidade, para visar objectos,
cuja direcção se quere fixar, em graphometria.
(Ár. al-idada)

* *Alidor*, m. Variedade de cravo roxo.

* *Alienábil*, adj. Fórma alat. de alienável.

*Alienabilidade*,
f.
Qualidade do que é alienável.

*Alienação*, f. Acto de alienar.

*Alienado*,
adj.
Que endoideceu.
M.
O mesmo que doido: hospital de alienados.
(De alienar)

*Alienador*, m. Aquelle que aliena.

*Alienamento*,
O mesmo que alienação.

*Alienar*,
v. t.
Tornar alheio; alhear.
Afastar.
Malquistar.
Alucinar.
(Lat. alienare)

*Alienatário*,
m.
Aquelle, a quem se trasm.ttiu posse ou propriedade de alguma coisa.
(De alienar)

*Alienável*, adj. Que póde sêr alienado ou cedido.

*Alienígena*,
m. e f.
Indivíduo de outro país.
Adj.
Estranho, forasteiro.
(Lat. alienigena)

*Alienista*,
m.
Médico, que trata de doenças mentaes.
Adj.
Relativo ao tratamento de alienados.
(De alienar)

*Alifafe*,^1
m.
Tumor nos cavallos, entre o nervo do jarrete e o osso da perna.
(Do ár. al-nafaque)

* *Alifafe*,^2
m. Ant.
Colcha de cama.
Cobertor.
(Do ár. al-lihaf)

* *Alifante*,
m. Pop. e ant.
O mesmo que elephante. Cf. G. Vicente, III, 207, etc. Lusíadas,
X, 110.

*Alífero*,
adj.
Que tem asas.
(Do lat. ala + ferre)

*Aliforme*,
adj.
Que tem fórma de asa.
(Do lat. ala + forma)

*Aligatór*,
m.
Gênero de reptis sáurios, em cujas espécies entra o caimão, (lacerta
alligator
, Lin.).
(Fórma ingl., corr. do cast. el lagarto)

*Aligeirar*, v. t. Tornar ligeiro; apressar.

*Alígero*,
adj.
Que tem asas.
Veloz.
(Do lat. ala + gerere)

* *Aligulado*, adj. O mesmo que ligulado.

*Alijação*, f. (V. alijamento)

*Alijamento*,
m.
Acto de alijar.

*Alijar*,
v. t.
Lançar fóra da embarcação.
Alliviar.
Desembaraçar-se de.
Arremessar.
(Do lat. hyp. alleviare)

* *Alijo*,
m. P. us.
Barcaça ou canôa, que acompanha um navio, para receber a carga que
elle alija.
(De alijar)

*Alilena*,
f.
Gás incolor, inflammável, de cheiro desagradável.
(De allilo)

* *Alileno*, m. O mesmo que alilena.

* *Alilo*,
m.
Líquido volátil, de cheiro análogo ao do rábão.
Um aos radicaes chímicos, descoberto primeiramente na essência da
mostarda e do alho.
(Do lat. allium)

* *Alim*, m. O mesmo que alime.

* *Alimal*, m. Pop. O mesmo que animal.

*Alimária*,
f.
Animal irracional.
Bruto.
(Metáth. do lat. animalia)

* *Alime*,
m.
Theólogo, entre os Árabes. Cf. Herculano, Hist. de Port., liv. VII,
p. I.
(Cp. ulemás)

*Alimentação*,
f.
Acto de alimentar.

*Alimental*, adj. (V. alimentício)

*Alimentar*,^1 adj. Relativo ao alimento.

*Alimentar*,^2
v. t.
Dar alimento a; sustentar: alimentar os filhos.
Conservar.
Manter: alimentar esperanças.
Prover.

*Alimentário*, adj. (V. alimentício) M. Jur. Aquelle a quem se devem prestar alimentos.

* *Alimenteiro*,
m. Ant.
Empregado da casa real, espécie do dispenseiro ou mordomo.
(De alimento)

*Alimentício*,
adj.
Que alimenta, que sustenta; próprio para alimentar: gêneros
alimentícios
.
(De alimento)

* *Alimentividade*,
f.
Órgão do appetite dos alimentos, segundo alguns phrenologistas.
(De um hyp. alimentivo, de alimentar)

*Alimento*,
m.
Tudo que, digerido, alimenta ou serve para nutrição.
Aquillo que mantém.
Aquillo que fomenta.
Pl.
Todas as despesas com o tratamento de uma pessôa.
(Lat. alimentum)

*Alimentoso*,
m.
(V. alimentício)

* *Alimónia*, f. Ant. Alimentação, sustento. Cp. Âncora Médica, 14.

*Alimpa*, f. Acção de alimpar árvores ou campos, cortando ramos supérfluos ou plantas nocivas. * Prov. minh. Acto de limpar o milho das suas impurezas, deixando-o cair de alto, em pequenas porções, em dias de vento ou de aragem forte.

* *Alimpação*,
f.
O mesmo que alimpa. Cf. Bibl. da Gente do Campo, 311.

*Alimpadeiras*,
f. pl.
Abelhas, que vão, adeante do seu bando, limpar o lugar, onde as outras
irão trabalhar.
(De alimpar)

*Alimpador*, m. Aquelle que alimpa.

*Alimpadura*,
f.
Acção de alimpar.
Resíduo do que se limpa.
O que fica dos cereaes joeirados.

*Alimpamento*,
m.
Acto de alimpar.

*Alimpar*,
v. t.
Tornar limpo.
O mesmo que limpar.

* *Alimpo*,
m. Prov.
Ramagem, que se supprime nas árvores, quando se podam. (Colhido em
Turquel)
(De alimpar)

*Alindado*, adj. Enfeitado, aformoseado.

*Alindamento*,
m.
Acto de alindar.

*Alindar*,
v. t.
Tornar lindo.
Aformosear.

* *Alinde*,
m.
Acto de alindar.
Ornato, enfeite.

* *Alindres*, m. Mad. O mesmo que estramónio.

* *Alínea*,
f.
Nova linha escrita, cuja primeira palavra abre parágrapho.
Uma das subdivisões de artigo, desígnadas por a), b), c), etc.
(Fr. alinéa)

*Alinegro*, ()
adj.
Que tem asas negras.
(De ala + negro)

* *Alinfia*,
f. Med.
Falta de linfa.
(Do gr. a priv. + lumphe)

*Alinguetado*, (gu-e)
adj.
Que tem fórma de língua ou lingueta.

*Alinhado*,
adj.
Pôsto em linha.
Enfileirado.

*Alinhador*, m. Aquelle que alinha.

*Alinhamento*,
m.
Acto de alinhar.
*
Direcção do eixo de uma estrada, de um caminho de ferro, de um canal,
etc.

*Alinhar*, v. t. Pôr em linha recta.

* *Alinhavadeira*,
f.
Mulher, que alinhava em officinas de costura.

*Alinhavado*,
adj.
Cosido a ponto largo.
Mal feito.
(De alinhavar)

*Alinhavar*,
v. t.
Coser a ponto largo.
Preparar.
Executar mal.
(De linha)

*Alinhavo*,
m.
Acção de alinhavar.
Os pontos, com que se alinhava.
Esbôço.

*Alinho*,
m.
Acto ou effeito de alinhar.
Asseio.
Ornato, atavio.
Decência.
* Ant.
Enrêdo.
Vencilho.
*
Conservação do que se adquiriu.

*Alinita*,
f.
Bacillo que, segundo um recente descobrimento, (1897), promove o
desenvolvimento dos cereaes sem auxílio do azoto.

* *Alio*, m. Árvore de Damão.

* *Aliónia*,
f.
Género de nyctagíneas.
Gênero de plantas nyctagíneas da América.
(De Allioni, n. p.)

* *Alipata*, f. Árvore das Filippinas, de propriedades venenosas.

* *Alípede*,
adj.
Que tem asas nos pés.
(Do lat. ala + pes)

* *Alípilo*,
m.
Escravo que, nas thermas romanas, era encarregado de arrancar os pelos
de certas partes do corpo dos banhistas, especialmente dos sovacos.
(Lat. alipilus)

* *Alipivre*, m. Bot. Antiga designação da semente da nigella. Cf. Desengano da Med., 175.

*Alipotente*, (áli)
adj.
Que tem asas possantes.
(Do lat. ala + potens)

* *Alipta*,
m.
Aquelle que, entre os Romanos e Gregos, untava com essências os que
saíam do banho, e os athletas antes do combate.
(Gr. aliptes)

*Alíptica*,
f.
Arte de applicar unturas medicinaes ou hygiénicas.
(Gr. aleiptike)

* *Alipto*,
m.
Aquelle que, entre os Romanos e Gregos, untava com essências os que
saíam do banho, e os athletas antes do combate.
(Gr. aliptes)

*Aliquanta*,
adj.
Diz-se da parte que não divide um todo sem deixar resto.
(Lat. aliquanta)

*Alíquota*,
adj.
Diz-se da parte ou quantidade contida noutra, um número exacto
de vezes.
* Mús.
Diz-se dos sons harmoniosos, produzidos por um determinado som
fundamental.
(Lat. aliquot)

*Alisado*,
adj.
Diz-se do vento, que sopra regularmente de Léste para Oéste, entre
os Trópicos.
(Do ant. fr. alis)

*Alisador*, m. e adj. Aquelle que alisa.

* *Alisamento*,
m.
Acto de alisar.

*Alisar*,
v. t.
Tornar liso.
Igualar.
Amaciar.
Desgastar.
Abrandar; adoçar.
* Gír.
Fartar.
v. p. * Prov.
Pentear-se.
(De liso)

* *Aliselminto*,
m.
Gênero de vermes intestinaes.

* *Alísio*, adj. Bras. O mesmo que alisado.

*Alisma*,
f.
Planta, de haste articulada e ôca, flores rosadas e fôlhas campanuladas.
(Gr. alisma)

*Alismáceas*,
f. pl.
Família de plantas monocotyledóneas perispérmicas, a que serve de
typo a alisma.

* *Alismo*,
m.
Ansiedade, inquietação mórbida.
(Do gr. alusmos)

*Alismoide*,
adj.
Semelhante á alisma.
(Do gr. alisma + eidos)

* *Alisonita*,
f.
O mesmo que alisonite.

* *Alisonite*,
f.
Mineral compacto, composto de cobre, chumbo e enxôfre.
(De Alison, n. p.)

* *Alissíneas*,
f. pl.
Tríbo de plantas crucíferas, segundo De-Candolle.
(De allysso)

*Alisso*,
m.
Planta crucífera, ornamental.
(Do gr. a priv. + luzein)

*Alistado*,
adj.
Pôsto em lista.
Recrutado.
(De alistar)

*Alistamento*,
m.
Acto de alistar.

* *Alistão*,
m.
Pedra faceada e esquadreada para cantaria.
(Do cast. ariston)

*Alistar*,
v. t.
Pôr em lista.
Arrolar.
Recrutar.

*Alistridente*, (ális)
adj.
Que faz estridor com as asas.
(Do lat. ala + stridens)

* *Alitarco*,
m.
Chefe dos officiaes, encarregados da manutenção da ordem nos jogos
olýmpicos.

* *Alite*,^1 m. Gênero de batrácios.

*Alite*,^2 m. Primeira estrêlla da cauda da Ursa-Maior.

*Aliteração*,
f. Philol.
Emprêgo de vocábulo que começa pela mesma letra que outro já
empregado.
(De aliterar)

*Aliterar*, v. t. Dispor em aliteração. V. i. Formar aliteração. (Do lat. ad + literam)

* *Aliteratado*, adj. Um tanto literato. Cf. Camillo, Serões, I, 8.

*Alitronco*, (áli)
m.
Parte posterior do tronco dos insectos, onde estão as asas.
(De ala + tronco)

*Alitúrgico*,
adj.
Diz-se do dia, que não tem offício próprio na Igreja.
(De a priv. + litúrgico)

* *Alivar*, v. t. Ant. O mesmo que alliviar.

*Aliviação*, f. (V. alívio)

*Aliviadamente*, adv. Com alívio.

*Aliviador*, m. Aquelle que alivia.

*Aliviamento*,
m.
Acto de aliviar.

*Aliviar*,
v. t.
Descarregar.
Suavizar, atenuar: aliviar dores.
Tornar mais leve: aliviar a carga.
Desimpedir.
Distrahir.
Consolar: esta notícia aliviou-me.
Isentar.
V. i.
Serenar; abrandar: o tempo aliviou.
(Do lat. hyp. elivigare, segundo Cornu)

*Alívio*,
m.
Effeito de aliviar.
Descanso.
Consolação.

* *Alivioso*, adj. Que causa alívio. Cf. Filinto, XXI, 87.

* *Alixado*, adj. Que tem o aspecto ou a aspereza da lixa.

* *Alíxia*,
f.
Gênero de plantas apocýneas.
(Do gr. aluxis)

* *Alizaba*,
f.
Espécie de túnica, com mangas largas, aberta adeante, e usada pelos
Moiros.
(Cp. aljuba)

*Alizar*,
m.
Guarnição de madeira, que reveste as ombreiras das portas e janelas.
Guarda-vassoiras.
Faixa de azulejo ao fundo da parede.
(Ár. al-izar)

*Alizari*, m. Nome commercial da raíz da ruiva ou da garança.

*Alizarina*,
f.
Substância còrante, extrahida da raíz da ruiva.
(De alizari)

* *Alizita*, f. Silicato hydratado de níquel, com um pouco de magnésia e de ferro.

* *Alizite*, f. Silicato hydratado de níquel, com um pouco de magnésia e de ferro.

* *Aljafra*,
f.
Bôlso ou seio das redes de arrastar.
(Do ár. al-jafna?)

* *Aljama*,
f. Ant.
Confraria.
Synagoga.
Ajuntamento de moradores moiros ou judeus, que, á custa de impostos,
formavam bairros ou povoações em terra portuguesa.
(Ár. al-jama)

* *Aljamia*, f. O mesmo que algemia. Cf. D. Lopes, Textos em Aljamia.

* *Aljamiado*,
adj. Ant.
Instruido, erudito.
(De aljamia)

*Aljarabia*,
f. Ant.
Espécie de túnica moirisca, ou roupão de meias mangas, com
capuz. Cf. Herculano, Lendas, I, 18 e 35.

* *Aljarás*, m. Prov. trasm. Guizo de cão.

* *Aljaravia*,
f. Ant.
Espécie de túnica moirisca, ou roupão de meias mangas, com
capuz. Cf. Herculano, Lendas, I, 18 e 35.

*Aljarós*, m. (V. algerós)

*Aljava*,
f.
Carcaz ou estojo, em que se metiam as setas, e que se levava ao ombro.
* Prov. alent.
Recipiente, em que se leva a negaça para a caça de armadilha.
(Do ár. al-jaba)

* *Aljaveira*, f. Ant. O mesmo que aljava? Cf. Carta de Pero Vaz de Caminha a D. Man.

*Aljazar*,
m.
Terreno sêco, rodeado de água do mar.
(Ár. al-jazar)

* *Aljofaina*,
f. Ant.
Pequena bacia de lavatório.
(Do ár. gufaine)

*Aljôfar*,
m.
Pérola miúda.
Orvalho.
Lágrimas.
(Ár. al-jauhar)

*Aljofarar*,
v. t.
Cobrir de aljôfar.
Orvalhar.

*Aljofareira*,
f.
Planta, de sementes parecidas a aljôfar.

*Aljofrar*,
v. t.
O mesmo que aljofarar.
(De aljôfre)

*Aljôfre*, m. O mesmo que aljôfar.

*Aljorce*,
m. Prov. beir.
Campaínha, chocalho, que se põe ao pescoço das bêstas.
(Do ár. al-jaras?)

*Aljuba*,
f.
Gibão.
Vestidura moirisca, talar e sem mangas ou com meias mangas.
(Do ár. al-jubba)

* *Aljubádigo*,
m. Ant.
O mesmo que carceragem: «dê cinco soldos de
aljubádigo
». Herculano, Hist. de Port., IV, 157.

*Aljube*,
m.
Caverna.
Prisão, carcere escuro.
(Do ár. al-jubb)

*Aljubeiro*,
m. Des.
Carcereiro.
(De aljube)

*Aljubeta*, () f. (dem. de aljuba) * O mesmo que algibebe. Us. por Camillo.

*Aljubeteiro*,
m.
Aquelle que fazia aljubetas.

*Aljuz*, m. Colla, extrahida do cardo matacão.

*Allagite*, m. Variedade de manganês silicífero.

* *Allamanda*,
f.
Gênero de plantas apocýneas.
(De Allamand, n. p.)

*Allânia*, f. Gênero de plantas leguminosas.

* *Allanita*,
f.
Substância negra e vitrea, que corta o crystal.

* *Allanite*,
f.
O mesmo que allanita.

* *Allantíase*,
f.
Entoxicação alimentar, devida á ingestão de salsichas alteradas.
(Do gr. allas, salsicha)

* *Allanto*, m. Gênero de insectos hymenópteros.

*Allantoico*, adj. (V. allantoidiano)

*Allantoide*,
f.
Membrana do féto dos mammíferos, durante os dois primeiros meses de
vida intra-uterína, e da qual ao depois se fórma a bexiga e a placenta.
(Gr. allantoeides)

*Allantoidiano*, adj. Relativo á allantoide.

*Allantoína*,
f.
Substância neutra, que se encontra no líquido allantoidiano.

* *Allantos*,
m. pl.
Gênero de insectos hymenópteros.
(Do gr. allas, allantos)

* *Allariz*,
m.
Nome de um tecido, que se fabrica na Galliza.
(De Allariz, n. p.)

* *Allécula*,
f.
Insecto coleóptero heterómero.

*Allegação*, f. Acto de allegar.

* *Allegança*, f. Ant. O mesmo que allegação.

*Allegante*,
m. e adj.
O que allega.
(Lat. allegans)

*Allegar*,
v. t.
Citar; apresentar, como prova.
(Lat. allegare)

*Allegoria*,
f.
Exposição de uma ideia, sob fórma figurada.
Obra artística ou literária, que representa uma coisa, para dar
ideia de outra.
(Gr. allegoria)

*Allegoricamente*, adv. De modo allegórico.

*Allegórico*,
adj.
Que envolve allegoria.
Relativo a allegoria.

*Allegorismo*,
m.
Systema de explicar por allegoria.

*Allegorista*,
m.
Aquelle que faz allegorias.
Aquelle que explica por allegorias escritos de outrem.

*Allegorizar*,
v. t.
Expor, por meio de allegoria.
Explicar em sentido allegórico.

} *Allegreto*, (grê)
m.
Andamento musical, menos vivo que o allegro.
(T. it.)

} *Allegro*,
m.
Peça musical, de andamento vivo e rápido.
Adv.
Vivamente, rapidamente.
(T. it.)

*Alleluia*, (á-lé-lúi-a)
f.
Canto de alegria.
Alegria.
O tempo da Páscoa.
Nome de uma planta, que floresce pela Páscoa.
(Hebr. halelu + iah)

* *Alleluiar*, v. i. Cantar a alleluia.

* *Alleluiático*, adj. Relativo á alleluia.

*Alleluítico*, (á-lé-lu-í)
adj.
Que louva, saúda ou celebra.
(De alleluia)

* *Allesthesia*,
f. Med.
Estado pathológico, caracterizado pela localização das sensações no
lado do corpo, opposto ao que recebeu a impressão, e em ponto symétrico.
(Do gr. allos, outro, e aisthesis, sensação)

*Alli*,
adv.
Lá.
Além; naquelle lugar.
(Lat. illic)

*Alliáceas*,
f. pl.
Plantas, que constituem um grupo das liliáceas, e a que serve de typo
o alho.

*Alliáceo*,
adj.
Relativo ao alho.
Semelhante ao alho.
(Do lat. allium)

*Alliado*,
adj.
Que se alliou.
M.
Aquelle que entrou numa alliança: «os alliados em Sebastopol».

*Alliagem*, f. (V. alliança)

*Alliança*,
f.
Acto ou effeito de alliar.
Anel de casamento.

*Alliançar*, v. t. (V. alliar)

*Alliar*,
v. t.
Unir.
Combinar.
Fazer ligação de.
Harmonizar.
Unir por casamento.
Confederar.
Encorporar.
Coadunar.
Agrupar.
(Do lat. alligare)

*Alliária*,
f.
Planta crucífera, de cheiro semelhante ao do alho.
(Do lat. allium)

* *Alliável*, adj. Que se póde alliar.

*Alliciação*,
f.
Acto de alliciar.

*Alliciador*,
m.
Aquelle que allicia.
Aquelle que serve para alliciar.
Adj.
Que allicia.

*Alliciamento*,
m.
(V. alliciação)

* *Alliciante*, adj. Que allicia; alliciador.

*Alliciar*,
v. t.
Atrahir a si.
Seduzir.
Provocar.
Angariar.
Subornar.
(Do lat. allicere)

*Alliciente*, adj. Que allicia. * M. Coisa que allicia. Seducção. (Lat. alliciens)

*Alligatór*,
m.
Gênero de reptis sáurios, em cujas espécies entra o caimão, (lacerta
alligator
, Lin.).
(Fórma ingl., corr. do cast. el lagarto)

*Allilena*,
f.
Gás incolor, inflammável, de cheiro desagradável.
(De allilo)

* *Allileno*,
m.
O mesmo que allilena.

* *Allilo*,
m.
Líquido volátil, de cheiro análogo ao do rábão.
Um aos radicaes chímicos, descoberto primeiramente na essência da
mostarda e do alho.
(Do lat. allium)

* *Alliónia*,
f.
Gênero de plantas nyctagíneas da América.
(De Allioni, n. p.)

*Allith*, m. Primeira estrêlla da cauda da Ursa-Maior.

*Alliviacão*,
f.
(V. allívio)

*Alliviadamente*, adv. Com allívio.

*Alliviador*,
m.
Aquelle que allivia.

*Alliviamento*,
m.
Acto de alliviar.

*Alliviar*,
v. t.
Descarregar.
Suavizar, atenuar: alliviar dores.
Tornar mais leve: alliviar a carga.
Desimpedir.
Distrahir.
Consolar: esta notícia alliviou-me.
Isentar.
V. i.
Serenar; abrandar: o tempo alliviou.
(Do lat. hyp. elivigare, segundo Cornu)

*Allívio*,
m.
Effeito de alliviar.
Descanso.
Consolação.

* *Allivioso*, adj. Que causa allívio. Cf. Filinto, XXI, 87.

* *Allóbroge*,
m.
O mesmo ou melhor que allóbrogo.

* *Allobrógico*, adj. Relativo aos allóbrogos; próprio de allóbrogo.

* *Allóbrogo*,
m.
Homem grosseiro, rústico.
Pl.
Povos antigos da região, que hoje se chama Saboia.
(Do lat. allobrox)

* *Allócero*,
m.
Insecto coleóptero tetrâmero, originário do Brasil.
(Do gr. allos + keras)

* *Allochezia*, (que)
f.
Evacuação das matérias fecaes por abertura accidental ou anormal.

* *Allochiria*, (qui)
f. Med.
O mesmo que allesthesia.
(Do gr. allos, outro, e kheir, mão)

*Allochroito*,
m.
Mineral, que é uma das variedades da granada.
(Do gr. allokroos)

*Allochromasia*,
f.
Doença, caracterizada por se verem côres differentes das que são
realmente.
(Do gr. allos + khroma)

* *Allocinesia*,
f. Med.
Perturbação da sensibilidade, em que o doente move um dos membros,
quando deseja mover outro.
(Do gr. allos, outro, e kinesis, movimento)

*Allocução*,
f.
Discurso, geralmente breve, pronunciado em occasião solenne.
(Lat. allocutio)

*Allodial*,
adj.
Livre de encargos ou de direitos senhoriaes.
(De allódio)

*Allodialidade*,
f.
Isenção.
Qualidade do que é allodial.

*Allódio*,
m. Ant.
Propriedades ou bens, isentos de encargos senhoriaes. Cf. Herculano,
Quest. Púb., I, 183 e 185.
(B. Lat. allodium)

* *Alloé*,
m.
Insecto hymenóptero.
(Do gr. alloios)

* *Allógeno*,
adj.
Que é de outra raça.
(Do gr. allos + genos)

* *Allógono*, adj. Diz-se de um crystal, que reúne á fórma de nó a de um decaédro de triângulos escalenos, dos quaes câda um tem o seu ângulo plano obtuso igual á maior incidência das faces do nó. (Do gr. allos + gonos)

*Alloíte*, f. Variedade de pozolana.

*Allom!*,
interj.
Vamos!
Adeante! Cf. Rebello, Mocidade, III, 96; e Garção, II, 62.
(Fr. allons)

*Allomorphia*,
f.
Passagem de uma fórma para outra, diversa.
Metamorphose.
(Do gr. allos + morphe)

* *Allomórphico*,
adj.
Que tem fórma diversa.
(De allomorphia)

*Allomorphite*,
f.
Variedade de sulfato de barita.
(De allomorphia)

* *Allonga*,
f. Ant.
O longo, a margem.
(Contr. de a + la + longa)

*Allónymo*,
m.
Aquelle que se serve do nome de outrem, assinando.
(Do gr. allos + onuma)

* *Allopada*,
f.
Gênero de insectos do Cabo da Bôa-Esperança.

*Allopatha*,
m.
Aquelle que exerce a allopathia.—A pronúncia exacta seria alopáta.
(Do gr. allos + pathos)

*Allopathia*,
f.
Systema commum de medicina, que combate as doenças por meios contrários
a estas.
(De allopatha)

*Allopáthicamente*,
adv.
Segundo o systema allopáthico.

*Allopáthico*, adv. Relativo á allopathia.

*Allophana*, f. O mesmo que allophânio.

* *Allophanato*,
m.
Sal, resultante da combinação do ácido allophânico com uma base.

* *Allophânico*,
adj.
Diz-se de um ácido, que não existe, no estado livre.
(De allophana)

* *Allophânio*,
m. Miner.
Silicato de aluminio hydratado.
(Do gr. allos + phaino)

* *Allophthalmia*,
f. Med.
Differença de coloração da íris, nos dois olhos do mesmo indivíduo.
(Do gr. allos + phthalmos)

* *Alloplecto*,
m.
Gênero de plantas escrofularineas.

* *Allopsychose*, ()
f. Med.
Psychose, caracterizada por perturbação na percepção dos phenómenos
externos.
(Do gr. allos + psukhe)

* *Allóptero*,
adj. Ichthyol.
Diz-se dos peixes, cujas barbatanas não têm posição fixa.
(Do gr. allos, outro, e pleron asa)

*Allotriologia*,
f.
Applicação de doutrinas, estranhas ao assumpto occorrente.
(Do gr. allotrios + logos)

* *Allotriophagia*,
f.
Doença, caracterizada pela vontade de comer o que não sustenta ou
o que é nocivo.
(Do gr. allotrios + phagein)

*Allotrióphago*,
m.
Aquelle que soffre allotriophagia.

* *Allotriosmia*,
f. Med.
Vício de olfato, que consiste em sensações olfativas, paradoxaes.
(Do gr. allotrios + osme)

* *Allotriotecnia*,
f. Med.
Expulsão de um feto monstruoso.
(Do gr. allotrios + teknon)

* *Allotróphico*,
adj. Neol.
Que tem differente desenvolvimento.
(Do gr. allos + trophe)

*Allotropia*,
f.
Qualidade, que alguns corpos simples têm, de se apresentar em differentes
estados, a que correspondem propriedades distintas.
(Cp. allótropo)

* *Allotrópico*,
adj.
O mesmo que allótropo.
(De allotropia)

*Allótropo*,
adj.
Diz-se do corpo simples, em que se dá a allotropia.
* Philol.
Diz-se dos vocábulos divergentes, derivados de um só, como mancha,
mágoa e malha, do lat. macula.
(Do gr. allos + tropos)

*Alloxana*,
f.
Substância, produzida pela acção do ácido azótico sôbre o ácido
úrico.
(Al. alloxan)

* *Alloxanato*,
m.
Combinação de álcalis com alloxana.

* *Alloxantina*,
f.
Producto chímico, resultante da acção do ácido azótico sôbre o
ácido úrico.

* *Alluandita*,
f.
Phosphato de manganés e de ferro.

* *Alludir*,
v. i.
Referir-se indirectamente, vagamente.
Fazer referência.
(Lat. alludere)

* *Allur*, adv. Ant. O mesmo que alhur.

*Allusão*,
f.
Acto de alludir.
Referência indirecta, vaga.
(Lat. allusio)

*Allusivamente*, adv. De modo allusivo.

*Allusivo*,
adj.
Que envolve allusão.
Que diz respeito a alguma coisa.

*Alluvial*,
adj.
Relativo a alluvião.
Formado por alluvião.

*Alluviano*, adj. Diz-se do terreno ou do depósito, formado por alluvião.

*Alluvião*,
f.
Inundação.
Enxurrada.
Fig.
Grande quantidade, ou grande número.
O mesmo que terreno alluviano.
(Lat. alluvio)

*Alma*,
f.
Essência immaterial da vida humana: a alma é immortal.
Conjunto das faculdades intellectuaes e moraes do homem.
Índole: alma bem formada.
Vida.
Pessôa: aldeia de cem almas.
Caudilho: é a alma do partido.
Espírito humano.
Colorido, animação: cantar com alma.
Coragem: não tens alma de lhe bater.
Enthusiasmo.
Interior de boca de fogo.
Peça de madeira, na rabeca, por baixo do cavalete.
*
Parte do carril, entre a cabeça e a patilha.
*
Pequeno pedaço de cabedal, entre a sola e a palmilha do sapato ou bota.
*
O mesmo que bomba de uma escada.
*
Parte média e mais estreita de uma viga de ferro, com duas partes
extremas transversaes.
(Do lat. anima)

* *Alma-de-cântaro*, f. Pop. Alma damnada.

* *Alma-de-canto*,
f.
Alma insensível, de pedra, o mesmo que alma-de-cântaro. Cf. Filinto,
V, 118; e Lusíadas, I, 91.

*Alma-de-gato*,
m.
Ave do Brasil.

* *Alma-de-mestre*, m. Gír. marit. Fracalhão. Cf. Garrett, Camões, 254.

* *Alma-negra*, f. Mad. Nome de uma ave, (bulweria Bulweri), o mesmo que anjinho.

* } *Alma-parens*, ()
f. Fig.
A pátria.
(Loc. lat.)

*Almacave*, m. (V. almocave)

*Almácega*,
f.
Pequeno tanque, para receber água da nora ou da chuva.
*
Casta de uva branca da região do Doiro.
(Ár. al-maçtaca)

*Almaço*,
adj.
Diz-se de uma espécie de papel grosso.
* M.
Papel almaço.
(De a lo-maço < al maço < almaço, por allusão ao modo de se
fabricar aquelle papel)

*Almadena*,
f.
O mesmo que minarete.
(Do ár. al-madin)

*Almadia*,
f.
Embarcação africana, estreita e muito comprida, feita geralmente de
um tronco de árvore.
(Do ár. al-madia)

* *Almadrabilha*,
f.
O mesmo que almadrava. Cf. Ortigão, Culto da Arte.

*Almadraque*, m. Ant. Enxêrga. Coxim. * Colchão grosseiro de palha. (T. cast.)

* *Almadraquexa*,
f. Ant.
Cabeçal; travesseiro.
(De almadraque)

*Almadrava*,
f.
Pescaria de atum.
Lugar, onde se reúnem pescadores de atum.
Aparelho da pesca de atum.
(Do ár. al-madraba)

*Almáfega*,
f. Ant.
Burel branco, que servia para luto.
(Do ár. al-mirfaca?)

* *Almáfego*,
m.
Casta de uva branca dos districtos de Leiria, Santarém e Lisbôa.

*Almafre*,
m. Ant.
Parte da armadura, que cobria a cabeça.
(Do ár. al-migfar)

* *Almafreixe*,
m. Ant.
Grande mala de viagem.
(Do ár. al-mafrex)

* *Almagege*, m. Ant. O mesmo que tanque.

*Almagesto*,
m.
Compilação de observações astronómicas, feitas por astrónomos
antigos.
(Ár. al-magisti, do gr. magiste)

*Almagra*, f. (V. almagre)

*Almagrado*, adj. Tinto de almagre.

*Almagrar*, v. t. Tingir com almagre. Marcar. Polir. * Prov. trasm. Encher de nódoas com pancadas (o corpo de alguém).

*Almagre*,
m.
Terra avermelhada, que se emprega em algumas indústrias e em pinturas
grosseiras.
(Do ár. al-magra)

* *Almagro*, m. (V. almagre)

* *Almaínha*,
f. Ant.
Quintal cerrado.
Quinta suburbana.
Também se dizia almoínha.
(Do ár. al-munia)

* *Almalhão*, m. Ant. O mesmo que almalho.

*Almalho*,
m. Pop.
Bezerro, novilho.
(Do lat. animalculum)

*Almanaque*, m. Calendário. Livrinho ou livro que, além do calendário, tem diversas indicações uteis, ou trechos de literatura, ou uma e outra coisa. Almanach e almanak ou almanack não são fórmas portuguesas. (Ár. almanak)

* *Almança*, f. Escudo, dividido em pala, nos brasões.

* *Almandia*,
f.
O mesmo que almadia.

* *Almandina*,
f.
Pedra preciosa, variedade vermelha de granada.

* *Almandite*, f. Miner. O mesmo que almandina.

* *Almandra*,
f. Ant.
Colcha; alcatifa.
Coberta de linho cru, bordada a seda.
(Cp. almatricha)

* *Almandrilha*,
f.
Espécie de conta alongada, usada como enfeite por alguns povos africanos;
avelório.

* *Almânia*,
f.
Gênero de plantas, da fam. das amarantáceas, e originária da Índia.
(De Almann, n. p.)

* *Almanicha*,
m. Prov. trasm.
Homem desalmado.
Alma pequena.
Brejeiro; vadio.

*Almanjarra*,
f.
Pau, a que se atrela o animal que faz andar a atafona ou a nora.
* M.
Espécie de grande rôdo, com que se tira a lama das marinhas.
(Do ár. al-majarr)

* *Almanjarrar*, v. t. Tirar com o almanjarra.

* *Almânnia*,
f.
Gênero de plantas, da fam. das amarantáceas, e originária da Índia.
(De Almann, n. p.)

* *Almanxar*,
m. Prov.
Lugar, onde se secam figos.
(Ár. almanxar)

* *Almar*, m. Des. O mesmo que almário, tenda, quitanda.

* *Almarada*,
f. Ant.
Espécie de punhal triangular.
(Do ár. al-macraz)

* *Almarado*,
adj.
Diz-se do toiro, que tem em volta dos olhos uma circunferência de côr
differente da do resto da cabeça.

* *Almaraz*,
m.
Nome, com que se designa a orla esquerda do Tejo, desde Cacilhas á
Trafaria, ou, antes, a encosta que se eleva daquelle lado do Tejo.
(Do ár. al-maraje, lugar por onde se sobe)

* *Almárcova*, f. Ant. Especie de cutello: «…um homem de pé, carniceiro de Lisbôa, lhe deu com uma almarcova na mão do cavallo, o qual caiu logo». Fern. Lopes, Chrón. de D. Fernando, c. XXXVIII. Cf. Herculano, Lendas, I, 130.

* *Almárfega*,
f.
O mesmo que almáfega.

*Almarge*, f. (e der.) (V. almarje, etc.)

*Almário*, m. (V. armário)

* *Almarjal*,
m.
Terreno apaulado, que tem almarjem.

*Almarje*, f. O mesmo que almarjem.

*Almarjeado*, adj. Prov. Diz-se do terreno que, embora cultivado, só produz ervas.

*Almarjeal*, m. (V. almarjal)

*Almarjem*,
f.
Erva para pasto.
Prado natural.
Pastagem.
(Cast. almarjo)

*Almarjio*, adj. Lançado ao almarjem; que anda no almarjem.

* *Almarraxa*,
f. Ant.
Vaso, com orifícios no bojo para borrifar.
(Do ár. al-niráxexa)

* *Almas*, f. pl. Prov. O mesmo que alminhas.

* *Almassa*, f. Casta de uva branca da Arruda.

* *Almástiga*,
f. Prov. alent.
Alfobre.
(Da mesma or. que almácega^1)

*Almatrixa*, f. Almofada embastada, que se põe sobre o albardão. * Prov. alent. Cobertura de pelles, com que se apparelham burros e que é ligada por uma silha grosseira de baraço. (Cp. almadraquexa)

*Almazém*,
m.
Fórma pop. e mais exacta que armazem. Cf. Ethiópia Or., II, 323;
Carta de Guia de Casados, 21; Peregrinação, LXXXVIII; Livro das
Monções
, n.^o 13.
(Cp. cast. almacén)

*Almazona*, f. (Corr. de amazona)

*Almece*, (Prov. alent. e açor.) Sôro branco, que escorre do queijo de cabras, na primeira pressão, e que, misturado com pedacinhos de coalhada e algum leite, é fervido num tacho para se comer. (Do ár. al-meice)

*Almécega*,
f.
Resina de lentisco.
Mastique.
Goma do Brasil.
(Do ár.?)

*Almecegar*, ()
v. t.
Dar côr de almécega, amarelada, a.
Applicar a almécega a.

*Almecegueira*, ()
f.
Arbusto terebintháceo, (pistacia lentiscus).

* *Almecibuçu*, m. Bras. Árvore silvestre, que dá bôa madeira para construcções.

* *Almedina*,
f. Ant.
A parte mais antiga de uma cidade, em sítio elevado e com castelo: em
Coimbra, uma das entradas para o bairro alto inda conserva o nome de

"Porta de Almedina". Cf. Herculano, Hist. de Port., II, 32.

* *Almegue*,
m.
Lodeiro? ervaçal?: «ajuntayuos ambas no estendedouro contra o pegado
almegue.
» Eufrosina, 104.

*Almeia*,^1
f.
Dançarina indiana, destra no canto e na poesia.
(Do ár. alemia)

* *Almeia*,^2
f.
Bálsamo natural, produzido no Oriente e preparado em Marselha.
(Do ár. almeia)

* *Almeice*, m. O mesmo que almece. Cf. B. Pereira, Prosodia, vb. ichor.

*Almeida*,
f. Náut.
Abertura, por onde entra a cana do leme.
(Relaciona-se com o ár. al-madin, mina?)

* *Almêidea*,
f.
Gênero de plantas rutáceas da América.

* *Almeidina*,
f.
Borracha branca de Mossâmedes.

*Almeirão*,
m.
Planta hortense, espécie de chicória, (chicoreum intybus).
(Do ár. al-miron)

*Almeirôa*, f. Planta, semelhante ao almeirão.

* *Almeitiga*, f. Ant. Almôço, ou refeição, que se dava ao cobrador dos foros reaes.

* *Almeixar*, m. Prov. alg. O mesmo que almanxar.

* *Almeixiar*,
m.
O mesmo que almanxar.

* *Almeizar*,
m.
Toalha moirisca, usada nas mesas de alguns dos antigos reis de Portugal.
O mesmo que almiazar.

* *Almejante*, adj. Que almeja.

*Almejar*, v. t. Desejar com ânsia. V. i. Dar a alma, agonizar. (De alma)

* *Almejo*, m. Acto de almejar. Cf. Castilho, Fausto, 111.

*Almena*,
m.
Pêso indiano, equivalente a 1 kilogramma aproximadamente.
(Ár. al-mena)

*Almenara*,
f.
Farol ou facho, que se accendia nas tôrres e castellos para dar sinal
ao longe.—Fórma exacta, em vez de minarete.
(Ár. al-menara)

* *Almendrilhas*,
f. pl. Prov. trasm.
Arrecadas, brincos.
(Cp. almandrilha)

* *Almenhaba*,
f.
Espécie de uva grande e preta.

*Almenilha*,
f. Ant.
Certo ornato que se usava nos vestidos.
(Cast. almenilla)

*Almexia*,
f. Ant.
Espécie de túnica, que cobria o vestuário vulgar.
(Do ár. almahxia)

* *Almiara*,
f. Prov. alent.
Mêda de trigo.
(Do ár. almiiar)

* *Almiazar*,
m. Ant.
Véu com franjas, para ornato de altares.
(Do cast. almaizar)

* *Almiça*, f. O mesmo que almece.

* *Almice*, m. O mesmo que almece.

*Almilha*,
f. Ant.
Peça de vestuário, que se usava entre a camisa e o gibão.
(Talvez dem. de alma)

* *Alminha*, f. Prov. minh. O mealheiro das almas. Cf. Viana, Apostilas.

* *Alminhaca*,
f.
Casta de uva branca algarvia.

*Alminhas*,
f. pl. Pop.
Painel, que representa as almas do Purgatório.
(De alma)

* *Almiqui*, m. Mammifero roedor da ilha de Cuba.

*Almiranta*,
f.
Embarcação, que leva a bordo o almirante.
*
Mulher do almirante.
* Adj.
Relativo ao almirante: «a nau almiranta…» Camillo, Caveira, 80,
84, 86.

* *Almirantado*,
m.
Dignidade, pôsto de almirante.
*
Corporação dos officiaes superíores da armada.

*Almirante*,
m.
Official general da armada.
Navio, em que vai o almirante.
* F.
Variedade de pêra.
(Do ár. amir e um suff. obscuro)

*Almirantear*, v. i. Fazer offício de almirante.

*Almíscar*,
m.
Substância aromática, segregada do almiscareiro.
*
Nome de uma planta de estufa, o mesmo que almiscareira.
(De almiscre)

*Almiscarado*,
adj.
Perfumado com almíscar.
Fig.
Muito perfumado.

*Almiscarar*, v. t. Perfumar com almíscar.

*Almiscareira*,
f.
Planta geraniácea, de aroma semelhante ao do almíscar.

*Almiscareiro*,
m.
Animal asiatico, da ordem dos ruminantes, que tem sob o ventre uma bôlsa
natural, donde se extrai o almíscar.

*Almiscre*,
m.
O mesmo que almíscar. Cf. Usque, Tribulações, 17.
(Do cast. almizcle)

* *Almixar*, m. V. almanxar.

*Almízcar*,
m.
Substância aromática, segregada do almiscareiro.
*
Nome de uma planta de estufa, o mesmo que almiscareira.
(De almiscre)

*Almo*,
adj.
Que cria, que alimenta.
Bom, benigno.
Venerável.
(Lat. almus, por alimus, de alere)

* *Almoahedes*, m. pl. O mesmo que almoravides.

* *Almoçadeira*,
f.
Chícara grande de almôço.

*Almocadém*,
m. Ant.
Commandante, chefe.
(Ár. al-mocaddem)

*Almocafre*,
m.
Sacho de ponta, usado nas minas.
(T. cast.)

*Almoçar*, v. t. Comer ao almôço. V. i. Tomar o almôço.

*Almocávar*, m. O mesmo que almocave.

*Almocave*,
m. Ant.
Cemitério de moiros.
(Do ár. al-macabir)

*Almocela*,
f. Ant.
*
Espécie de capuz.
Cobertor ou manta.
(Do ár. almozala)

* *Almoceleiro*,
m.
Aquelle que fabricava almocelas.

*Almôço*,
m.
Primeira refeição do dia, menos abundante que o jantar, e que,
geralmente, se toma de manhan.
Fig.
O primeiro acontecimento do dia.
(Contr. de almôrço. V. almôrço)

* *Almocouvar*,
m.
Pastor, que, na guarda de um rebanho, tem posição immediatamente
inferior á do maioral.

* *Almocóvar*,
m. Ant.
Cemitério de judeus.
(Cp. almocave)

*Almocrevar*, (cré)
v. t.
Transportar em bêstas de almocreve.
V. i.
Exercer o offício de almocreve.

* *Almocrevaria*,
f.
Fórma preferível a almocreveria. Cf. Herculano, Hist. de Port,
IV, 418.

*Almocreve*,
m.
Aquelle que tem por offício conduzir bêstas de carga.
Recoveiro.
Carregador.
(Do ár. almoqueri)

* *Almocreveria*,
f. Ant.
Direito, que os almocreves pagavam pelo exercício da sua indústria.
(De almocreve)

*Almoéda*,
f.
Venda em público, por arrematação; leilão.
Exposição ou offerta ao público.
(Do ár. al-monada)

*Almoedar*, (mo-é) v. t. Pôr em almoéda; vender em hasta pública.

* *Almoedeiro*, (mo-é)
m.
O mesmo que leiloeiro. Cf. Camillo, Senh. do P. de Ninães, 168.

*Almofaça*,
f.
Escôva de ferro, para limpar bêstas.
(Cast. almohaza)

*Almofaçar*, v. t. Limpar com almofaça.

*Almofacilha*,
f.
Porção de estôpa, que se enrola na barbela, a fim de que o cavallo
se não fira.

*Almofada*,
f.
Espécie de saco, cheio de qualquer substância elástica ou molle,
e que serve de encôsto, assento, e ornatos, bem como de apoio para as
peças de fazenda em que se cose á mão, etc.
Peça de madeira, geralmente rectangular, que resai na face das portas
e janelas.
Guarnição de madeira, nos navios, para evitar que os cabos, correndo,
se cortem.
*
Variedade de maçan.
(Do ár. al-micada)

*Almofadado*,
adj.
Que tem almofadas.
Feito á maneira de almofada.
M.
As almofadas de uma obra de madeira ou pedra.
(De almofadar)

*Almofadar*,
v. t.
Cobrir, ornar, com almofadas.
Enchumaçar.
*
Sotopor a um objecto uma substância ou peça que o alteia.

* *Almofala*,
f. Ant.
Campo, arraial, em que se reside algum tempo.
(Do ár. al-mahalla)

* *Almofalla*,
f. Ant.
Campo, arraial, em que se reside algum tempo.
(Do ár. al-mahalla)

*Almofariz*,
m.
Gral, vaso em que se pisa ou esmaga qualquer coisa com pilão.
(T. cast.)

*Almofate*,
m.
Espécie de furador ou de sovela, com que os correeiros abrem olhos
na sola.

*Almofeira*,
f.
Líquido escuro, que escorre de azeitonas em talha.
Água de azeitonas; reima.

*Almofia*,
f. Ant. e prov. beir.
Espécie de tijela, de fundo largo e bordos quási perpendiculares.
(Do ár. almafia, caçoila)

*Almofreixe*,
m.
O mesmo que almafreixe.

*Almogama*,
f. Ant.
Última caverna da nau, onde os paus são mais juntos por causa do
boleamento da prôa.
(T. cast.)

* *Almogaure*,
m.
O mesmo que almogávar.

*Almogávar*,
m. Ant.
Guerreiro, que vivia nos matos, donde assaltava terras de moiros.
(Do ár. al-mogauir)

*Almogavaria*,
f.
Tropa, expedição, correría de almogávares.

* *Almogavre*,
m.
O mesmo que almogávar. Cf. Herculano, Bobo, 60 e 210.

* *Almoínha*,
f. Ant.
Pequena fazenda; horta murada.
(Cp. almaínha)

* *Almoinheiro*, m. Ant. Cultivador de almoínha; hortelão.

*Almojávena*,
f.
Espécie de belhó, de farinha e queijo.
(Do ár. al-mojábana)

* *Almolina*,
f.
Jôgo antigo, espécie de cabra-cega. Cf. G. Vicente, I, 133.

*Almôndega*,
f.
Bolo de carne picada, com ovos e outros adubos.
(Do ár. al-bondoca)

*Almonjava*,
f. Ant.
Iguaria de carneiro picado, com toicinho e outros temperos.
(Corr. de almojâvena?)

* *Almoqueire*, m. Ant. O mesmo que almocreve.

* *Almorabitino*,
m.
Moéda moirisca. Cf. Herculano, Bobo, 128 e 165.

*Almoravides*,
m. pl.
*
Seita religiosa e, ao depois, também política, entre os Árabes.
Últimos moiros, que dominaram na Espanha até á conquista de Granada
pelos reis cathólicos.
(Do ár. almorábit, ermida)

* *Almorçar*,
v. t. e i. Ant.
O mesmo que almoçar. Cf. Filinto, XIX, 32 e 69.
(De almôrço)

* *Almôrço*,
m. Ant.
O mesmo que almôço.
(Cast. almuerzo)

* *Almorrans*, f. pl. O mesmo que almorreimas.

* *Almorreimado*, adj. Que tem almorreimas.

*Almorreimas*, f. pl. Pop. O mesmo que hemorroidas.

* *Almorreta*, () f. Prov. trasm. Miudezas fibrosas de porco, curtidas em vinho e alho.

* *Almotaçadamente*, adv. Ant. Segundo a taxa do almotacé.

*Almotaçar*,
v. t. Ant.
Taxar o preço de.
(De almotacé)

*Almotaçaria*,
f. Ant.
Cargo de almotacé.
Fixação do preço dos gêneros alimentícios, feita pelo almotacé.

*Almotacé*,
m. Ant.
Inspector de pesos e medidas, que taxava o preço dos gêneros
alimentícios.
(Do ár. al-mohtacib)

*Almotacel*,
m. Ant.
Inspector de pesos e medidas, que taxava o preço dos gêneros
alimentícios.
(Do ár. al-mohtacib)

* *Almotalia*, f. Ant. O mesmo que almotolia. Cf. Eufrosina, 278.

*Almotolia*,
f.
Pequeno vaso, de fórma cónica, para azeite e outros líquidos,
principalmente oleosos.
(Do ár. al-motli)

* *Almotriga*, f. Prov. beir. e trasm. O mesmo que almotolia.

*Almoxarifado*,
m.
Cargo de almoxarife; área da sua jurisdição.

*Almoxarife*,
m.
Administrador de propriedades da Casa Real.
Ant.
Thesoireiro da Casa Real.
Cobrador de impostos de portagem.
(Do ár. al-moxrife)

* *Almoxatre*,
m.
Nome antigo do sal ammoníaco.

* *Almuádem*,
m.
Moiro, que, do alto das almenaras, chama o povo á oração.
(Do ár. al-muaddin)

* *Almucédia*,
f.
Uma das estrêllas da constellação da Virgem.

* *Almudação*,
f.
Acto de almudar.

*Almudada*,
f.
Almude de cereaes.
Terra, que leva um almude de semente.
* Ant.
O mesmo que almude.

*Almudar*, v. t. Medir aos almudes; encher aos almudes.

*Almude*,
m.
Medida de capacidade para líquidos, de 12 canadas ou 48 quartilhos.
Antiga medida de cereaes.
(Do ár. al-mudd)

* *Almudeiro*,
adj. Prov.
Diz-se da vasilha, que tem a capacidade de um almude.
Diz-se da canastra, que póde conter as uvas necessárias para dar um
almude de vinho.

*Alna*,
f.
Antiga medida de comprimento.
(Do germ. alna?)

* *Alnite*,
f.
Vegetal fóssil, do gênero dos amieiros.
(Do lat. alnus)

* *Alno*,
m.
Gênero de plantas betuláceas.
(Lat. alnus)

*Aló*,
adv.
Para barlavento: para a banda donde sopra o vento.
(De a + )

* *Alobadado*, adj. Prov. trasm. Diz-se do céu, quando apresenta pequenas nuvens negras e pardas, prenúncio de neve.

* *Alóbroge*,
m.
O mesmo ou melhor que alóbrogo.

* *Alobrógico*, adj. Relativo aos alóbrogos; próprio de alóbrogo.

* *Alóbrogo*,
m.
Homem grosseiro, rústico.
Pl.
Povos antigos da região, que hoje se chama Saboia.
(Do lat. allobrox)

* *Alocásia*,
f.
Gênero de plantas aroídeas.

* *Alócero*,
m.
Insecto coleóptero tetrâmero, originário do Brasil.
(Do gr. allos + keras)

* *Alocinesia*,
f. Med.
Perturbação da sensibilidade, em que o doente move um dos membros,
quando deseja mover outro.
(Do gr. allos, outro, e kinesis, movimento)

*Alocroito*,
m.
Mineral, que é uma das variedades da granada.
(Do gr. allokroos)

*Alocromasia*,
f.
Doença, caracterizada por se verem côres differentes das que são
realmente.
(Do gr. allos + khroma)

*Alocução*,
f.
Discurso, geralmente breve, pronunciado em occasião solenne.
(Lat. allocutio)

* *Alodapa*, f. Gênero de insectos do Cabo da Bôa-Esperança.

*Alodial*,
adj.
Livre de encargos ou de direitos senhoriaes.
(De allódio)

*Alodialidade*,
f.
Isenção.
Qualidade do que é alodial.

*Alódio*,
m. Ant.
Propriedades ou bens, isentos de encargos senhoriaes. Cf. Herculano,
Quest. Púb., I, 183 e 185.
(B. Lat. allodium)

* *Aloé*,^1 m. O mesmo que aloés.—Camões lia alóe. Lusiadas, X, 137.

* *Aloé*,^2
m.
Insecto hymenóptero.
(Do gr. alloios)

*Aloendro*,
m.
Arbusto apocýneo, (nerium oleander).
(Do b. lat. lorandrum)

* *Aloenses*, f. pl. Festas gregas, em honra de Diana. Cf. Castilho, Fastos, I, 544.

* *Aloerético*, adj. (V. aloético)

*Aloés*,
m.
Planta liliácea, de folhas encarnadas.
Resina purgativa, que se extrai de muitas especies de aloés.
Madeira aromática da Índia, que não tem relação com o verdadeiro
aloés.—A antiga e bôa pronúncia era aloés.
Muitos, hoje, dizem áloès.
(Fr. aloès, do lat. aloe)

* *Aloéste*,
adv. Ant.
Para léste; a léste.
(De a + lo + éste)

* *Aloetato*, (lo-e)
m.
Sal, resultante da combinação do ácido aloético com uma base.
(De aloético)

*Aloético*, adj. Que contém aloés.

*Aloetina*, (lo-e)
f.
Suco de aloés purificado.

*Alofana*, f. O mesmo que alofânio.

* *Alofanato*,
m.
Sal, resultante da combinação do ácido alofânico com uma base.

* *Alofânico*,
adj.
Diz-se de um ácido, que não existe, no estado livre.
(De allophana)

* *Alofânio*,
m. Miner.
Silicato de alumínio hydratado.
(Do gr. allos + phaino)

* *Alofe*, m. Gênero de insectos coleópteros.

* *Alóforo*,
m.
Insecto díptero, semelhante á môsca.
(Do gr. alos + phoros)

* *Aloftalmia*,
f. Med.
Diferença de coloração da íris, nos dois olhos do mesmo indivíduo.
(Do gr. allos + phthalmos)

* *Alógeno*,
adj.
Que é de outra raça.
(Do gr. allos + genos)

*Alogia*,
f.
Absurdo, disparate.
(Do gr. a priv. e logos)

*Alogianos*,
m. pl.
Seita dos que negavam a Jesus a qualidade de Verbo eterno.
(De alogia)

* *Alógico*,
adj.
Que não precisa de demonstração, para se vêr que é certo.
(De alogia)

* *Alógono*, adj. Diz-se de um crystal, que reúne á fórma de nó a de um decaédro de triângulos escalenos, dos quaes câda um tem o seu ângulo plano obtuso igual á maior incidência das faces do nó. (Do gr. allos + gonos)

* *Aloico*,
adj.
Diz-se de um ácido, resultante da acção do ácido sulfúrico sôbre
o aloés.

* *Aloilado*, adj. Prov. trasm. Atoleimado; maluco.

*Aloína*,
f.
Substância crystallizável, que constitue o princípio purgativo
de aloés.

* *Aloinado*, (lo-i)
adj.
Semelhante ao aloés.
(De aloína)

* *Aloirar*, v. t. Tornar loiro ou semelhante a loiro.

* *Aloisar*,
v. t.
Cobrir com loisa.
V. p. Prov.
Retirar-se para um canto, a fim de dormir, (falando-se de animaes).
(Colhido em Turquel)

*Aloíte*, f. Variedade de pozolana.

*Alojação*, f. (V. alojamento)

*Alojamento*,
m.
Acto de alojar.
*
Lugar, onde alguém ou alguma coisa se aloja.

*Alojar*,^1
v. t.
Meter em loja.
Recolher.
Agasalhar; hospedar.
Armazenar.

* *Alojar*,^2 v. t. Bras. de Minas. O mesmo que vomitar.

* *Alôjo*,^1 m. Prov. alent. O mesmo que alojamento.

* *Alôjo*,^2
m. Bras. de Minas.
O mesmo que vómito.
(De alojar^2)

*Alom!*,
interj.
Vamos!
Adeante! Cf. Rebello, Mocidade, III, 96; e Garção, II, 62.
(Fr. allons)

* *Alomancia*,
f.
Arte de adivinhação por meio do sal.
(Do gr. als + manteia)

* *Alomante*,
m.
Aquelle que pratica a alomancia.

*Alombamento*,
m.
Acto de alombar.

*Alombar*,
v. t.
Fazer curvo como o lombo.
Arquear.
Derrear.
Pôr lombada em (livros).

*Alomborar*, v. t. (V. alamborar)

* *Alomear*,
v. t. Pop.
Dizer o nome de, nomear, mencionar.
(Ant. lomear, do lat. nominare)

* *Alomia*,
f.
Planta herbácea, de flôres brancas, originária do México.
(Do gr. a priv. e loma)

*Alomorfia*,
f.
Passagem de uma fórma para outra, diversa. Metamorphose.
(Do gr. allos + morphe)

* *Alomórfico*,
adj.
Que tem fórma diversa.
(De allomorphia)

* *Alonço*, m. Prov. alent. O mesmo que palonço.

*Alonga*,^1
f.
Tubo de vidro, em fórma de fuso, que se adapta ás retortas ou balões,
nos laboratórios.
(De alongar)

* *Alonga*,^2
f. Ant.
O longo, a margem.
(Contr. de a + la + longa)

*Alongadamente*, adv. Com demora.

*Alongamento*,
m.
Acto de alongar.

*Alongar*,
v. t.
Tornar longo.
Estender.
Afastar.
Demorar.
Aumentar.

*Alónimo*,
m.
Aquelle que se serve do nome de outrem, assinando.
(Do gr. allos + onuma)

* *Alônsoa*,
f.
Planta ornamental, originária dos Andes.
(De Alonso, n. p.)

*Alopata*,
m.
Aquelle que exerce a alopatia.—A pronúncia exacta seria alopáta.
(Do gr. allos + pathos)

*Alopatia*,
f.
Systema commum de medicina, que combate as doenças por meios contrários
a estas.
(De allopatha)

*Alopaticamente*, adv. Segundo o systema alopático.

*Alopático*, adv. Relativo á alopatia.

*Alopecia*,
f.
Quéda dos cabellos, por doença ou por qualquer accidente.
(Gr. alopekia)

* *Alopeciados*, m. pl. O mesmo que alopecianos.

* *Alopecianos*, m. pl. Grupo de peixes esqualos.

* *Alopécico*,
m.
Indivíduo, que soffre de alopecia.

* *Alopécios*, m. pl. O mesmo que alopecianos.

* *Alopecura*,
f.
Planta gramínea.
(Do gr. alopex + oura)

* *Alopecuro*,
m.
O mesmo que alopecura.

* *Alophe*, m. Gênero de insectos coleópteros.

* *Alóphoro*,
m.
Insecto díptero, semelhante á môsca.
(Do gr. alos + phoros)

* *Alópia*, f. Concha fina e mais ou menos rugosa.

* *Aloplecto*,
m.
Gênero de plantas escrofularineas.

* *Alopsicose*,
f. Med.
Psicose, caracterizada por perturbação na percepção dos fenómenos
externos.
(Do gr. allos + psukhe)

* *Alóptero*,
adj. Ichthyol.
Diz-se dos peixes, cujas barbatanas não têm posição fixa.
(Do gr. allos, outro, e pleron asa)

* *Aloque*,
m. Prov. minh.
Esconderijo (de peixes principalmente, no rio).
O mesmo que monturo. Cf. Camillo, Cav. em Ruínas, 108.
Boneca de pão e açúcar, em que chucham as crianças, e que também
se chama rólha.
(T. cast.)

* *Aloquete*, (quê) m. Prov. O mesmo que loquete.

* *Aloquezia*,
f.
Evacuação das matérias fecaes por abertura accidental ou anormal.

*Aloquiria*,
f. Med.
O mesmo que allesthesia.
(Do gr. allos, outro, e kheir, mão)

* *Alor*,
m.
Impulso: «Hércules quer que alor se dê aos braços». Filinto,
VII, 244.
Movimentos: «dar aos braços e aos quadris o alor da investida
afadistada
». Camillo, Sebenta, IV, 13.
Estímulo, incitamento. Cf. Camillo, Narcót. I, 143.
(Do fr. allure?)

* *Alorpado*,
adj.
Que tem modos de lorpa.
Apalermado. Cf. Castilho, Médico á Fôrça.

*Alosna*, f. (V. losna)

* *Alotador*,
m. Bras. do N.
Cavallo de padreação, correspondente a um lote de éguas.
(De lote)

* *Alotar*, v. t. Bras. do N. Velar, para que se não dispersem (éguas que formam um lote, privativo de um cavallo de padreação). (De lote)

* *Alote*,
m.
Pequeno cabo náutico, para alar.
(De alar)

* *Alotriofagia*,
f.
Doença, caracterizada pela vontade de comer o que não sustenta ou
o que é nocivo.
(Do gr. allotrios + phagein)

*Alotriófago*,
m.
Aquelle que soffre alotriofagia.

*Alotriologia*,
f.
Applicação de doutrinas, estranhas ao assumpto occorrente.
(Do gr. allotrios + logos)

* *Alotriosmia*,
f. Med.
Vício de olfato, que consiste em sensações olfativas, paradoxaes.
(Do gr. allotrios + osme)

* *Alotriotecnia*,
f. Med.
Expulsão de um feto monstruoso.
(Do gr. allotrios + teknon)

* *Alotrófico*,
adj. Neol.
Que tem differente desenvolvimento.
(Do gr. allos + trophe)

*Alotropia*,
f.
Qualidade, que alguns corpos simples têm, de se apresentar em differentes
estados, a que correspondem propriedades distintas.
(Cp. allótropo)

* *Alotrópico*,
adj.
O mesmo que alótropo.
(De allotropia)

*Alótropo*,
adj.
Diz-se do corpo simples, em que se dá a alotropia.
* Philol.
Diz-se dos vocábulos divergentes, derivados de um só, como mancha,
mágoa e malha, do lat. macula.
(Do gr. allos + tropos)

*Aloucado*, adj. Que tem modos de louco.

*Aloucar-se*, v. p. Parecer louco; têr modos de louco.

* *Alourar*, v. t. Tornar louro ou semelhante a louro.

* *Alousar*,
v. t.
Cobrir com loisa.
V. p. Prov.
Retirar-se para um canto, a fim de dormir, (falando-se de animaes).
(Colhido em Turquel)

* *Alovuco*, m. Árvore do Congo.

*Aloxana*,
f.
Substância, produzida pela acção do ácido azótico sôbre o ácido
úrico.
(Al. alloxan)

* *Aloxanato*,
m.
Combinação de álcalis com aloxana.

* *Aloxantina*,
f.
Producto chímico, resultante da acção do ácido azótico sôbre o
ácido úrico.

*Alpaca*,
f.
Ruminante, da fam. dos camelídeos, originário da América do Sul.
Lan da alpaca; tecido de lan da alpaca.

* *Alpalhoeiro*, m. Prov. alent. Homem de Alpalhão.

* *Alpão*,
m.
Designação vulgar de uma planta malabárica, (bragantia Wallichii),
que se considera efficaz contra as úlceras e mordeduras de cobra.

*Alparavaz*, m. Ant. Franja; sanefa.

*Alparca*,
f.
Sandália, espécie de calçado, em que a sola se ajusta ao pé, por
meio de tiras de coiro ou de pano.
(Do vasc. abarca)

*Alparcata*, f. (V. alparca)

*Alparcateiro*,
m.
O mesmo que alparqueiro.
(De alparcata)

* *Alparcheiro*,
m.
Variedade de uva branca da Arruda.
(Por alpercheiro, de alperche?)

*Alpargata*,
f.
O mesmo que alparca: «as alpargatas semeadas de todo o gênero de
pedraria
». Sousa, V. do Arceb.
(T. cast.)

* *Alpargataria*,
f.
Officina de alpargatas.

*Alpargateiro*,
m.
O mesmo que alparqueiro.

*Alparluz*,
m. Ant.
Pára-luz, pára-fogo.
Sanefa.
(Por apara-luz)

*Alparqueiro*,
m.
Aquelle que fazia alparcas.

* *Alpe*,^1 m. Ant. Travesseiro com almofada.

* *Alpe*,^2
m. Ant.
O mesmo que monte ou serra. Cf. Port. Mon. Hist.; Elucidario
de S. R. Viterbo, etc.

* *Alpechim*,
m.
Sumo negro e amargo das azeitonas.
Resíduos líquidos do fabríco do azeite.
(Cast. alpechin)

* *Alpeiria*, f. Prov. minh. O mesmo que apeiria.

*Alpendorada*,
f.
O mesmo que alpendrada.

*Alpendrada*,
f.
Grande alpendre, sustentado por columnas.

*Alpendrar*, v. t. Cobrir com alpendre.

*Alpendre*,
m.
Telheiro.
Tecto, suspenso por columnas ou pilastras, de um lado pelo menos.
Tecto saliente, cobrindo a entrada de um edifício.
(Do lat. ad pendulum, segundo Cornu)

*Alpense*, adj. O mesmo que alpino.

*Alpercata*, f. (V. alparca)

* *Alpercateiro*,
m.
O mesmo que alparqueiro.
(De alpercata)

*Alperce*, m. Espécie de damasco grande, de cheiro semelhante ao do pêssego.

*Alperceiro*,
m.
Árvore, que dá o alperce ou alperche.

* *Alperceiro-do-japão*,
m.
Arvoreta, o mesmo que cáqui.

*Alperche*,
m.
O mesmo ou melhor que alperce.
(Cp. cast. alberchigo)

*Alpercheiro*,
m.
O mesmo que alperceiro.

* *Alpergata*,
f.
O mesmo que alpargata.

* *Alpes*,
m. pl. Ant.
Pastagens entre montes.
(Parece relacionar-se com Alpes, n. p.)

*Alpestre*,
adj.
Relativo ou semelhante aos Alpes.
Fragoso; cheio de montes e despenhadeiros.
Que cresce nas montanhas.
(Lat. alpestris)

* *Alpéstrico*, adj. (V. alpestre)

* *Alpestrino*, adj. O mesmo que alpestre. Cf. Viriato Trág., I, 20.

*Alpha*,
m.
Primeira letra do alphabeto syríaco e grego.
Fig.
Principio.
* Mús.
Figura, que, na antiga notação, abrangia dois lugares de um pentagramma
e representava duas notas ligadas.

* *Alphabetação*,
f.
Acto de alphabetar.

*Alphabetadamente*,
adv.
De modo alphabetado; pela ordem alphabética.

*Alphabetado*, adj. Disposto pela ordem alphabética.

*Alphabetador*,
m.
Aquelle que alphabeta.

* *Alphabetamento*,
m.
O mesmo que alphabetação.

*Alphabetar*, v. t. Dispor, segundo a ordem das letras do alphabeto.

*Alphabetário*,
adj.
Relativo ao alphabeto.
Que tem alphabeto.

*Alphabeticamente*,
adv.
De modo alphabético.

*Alphabético*,
adj.
Alphabetário.
Disposto segundo a ordem das letras do alphabeto.

* *Alphabetista*,
m.
O mesmo que alphabetador.

*Alphabeto*,
m.
Abecedário.
Ordem ou disposição convencional das letras de uma língua.
Conjunto das mesmas letras.
Rudimentos de qualquer sciência ou arte.
Qualquer série convencional.
(De alpha + beta, nome das prímeiras letras do alphabeto grego)

* *Alphada*,
adj. f. Mús. ant.
Dizia-se da figura que também se chamava alpha.
(Cp. alpha)

* *Alphamoxa*, () f. Mús. ant. Alpha sem pellica. Cf. Diccion. Mús.

* *Alpheia*,
f.
Gênero de plantas malváceas.
Gênero de crustáceos decápodes.

* *Alphênico*,
m.
Açúcar cândi.

* *Alphitomancia*,
f.
Supposta adivinhação, por meio de farinha.
(Do gr. alphiton + manteia)

* *Alphol*, m. Producto chímico, usado como antiséptico e anti-rheumático.

* *Alphonsino*,
m.
Antigo instrumento de cirurgia.

*Alpícola*,
adj.
Que vive nos Alpes.
(De Alpes, n. p. + lat. colere)

* *Alpígena*, adj. P. us. O mesmo que alpestre.

* *Alpim*, m. Planta brasileira.

* *Alpinar*, V. i. Gír. lisb. Fugir.

* *Alpínia*,
f.
Gênero de plantas zingiberáceas.
(De Alpinio, n. p.)

* *Alpinismo*,
m.
Gôsto ou hábito das ascensões aos Alpes.
Ext.
Gôsto das ascensões ás grandes altitudes.

* *Alpinista*, m. e adj. O que aprecia as excursões aos Alpes ou a outras montanhas.

*Alpino*,
adj.
Relativo aos Alpes.
Que nasce ou cresce nos Alpes.
(Lat. alpinus)

* *Alpirche*, m. Prov. trasm. O mesmo que alpechim.

*Alpista*, f. O mesmo que alpiste.

*Alpiste*,
m.
Planta gramínea, (phaleris canariensis).
Grãos dessa planta, que se empregam em sustento de pássaros engaiolados
ou domésticos.
(Cast. alpiste)

* *Alpisteiro*,
m.
Recipiente para alpiste.

* *Alpivre*, m. Bot. O mesmo que erva-abelha. Cf. P. Coutinho, Flora, 151.

*Alpondras*,
f. pl.
Pedras, collocadas, de margem a margem, num regato ou rio, para dar
passagem; poldras.
(Por alpoldras, de al + poldra?)

* *Alporama*,
m.
Vista dos Alpes, em quadro.
(De Alpes, n. p. + gr. orama)

* *Alporão*,
m. Ant.
Torre de mesquita; almenara.
Mesquita.

*Alporca*,
f.
Designação vulgar das escrófulas.
Alporque.
(Cp. alporque)

* *Alporcador*,
m.
Aquelle que alporca.

* *Alporcamento*,
m.
O mesmo que alporque. Cf. B. Pereira, Prosodia, vb. imporcitor.

*Alporcar*,
v. t.
Mergulhar na terra (parte de uma planta, para se reproduzir).
(De alporque)

*Alporque*,
m.
Mergulhia.
Ramo, que se mergulha na terra, para sêr reproduzido.
Acto ou effeito de alporcar.

*Alporquento*,
adj.
Que tem escrófulas.
(De alporca)

* *Alpostiz*,
m.
Nome, que os pescadores de Buarcos dão ao cabo delgado que amarra,
umas ás outras, as testas das redes da pescada.

* *Alquando*,
adv.
Algumas vezes. Cf. Filinto, XIII, 33.
(Do lat. aliquando)

*Alquebrado*,
adj.
Enfraquecido; adoentado.
Curvado, por doença ou idade.
(De alquebrar)

*Alquebramento*,
m.
Acto de alquebrar.

*Alquebrar*,
v. i.
Soffrer curvatura na espinha dorsal, por fraqueza ou doença.
Enfraquecer.
Quebrar (o navio) pelas cintas do costado.
V. t.
Causar fraqueza a.
Quebrar.

*Alquebre*,^1
m.
(V. alquebramento)

* *Alquebre*,^2 m. Ant. O mesmo que alqueire? Cf. Soropita, Poesias, 99.

* *Alqueirado*, adj. Medido aos alqueires.

*Alqueiramento*,
m.
Acto de alqueirar.

* *Alqueirão*, m. Prov. alent. Medida de um alqueire de trigo.

*Alqueirar*,
v. t.
Medir aos alqueires.
Calcular por alqueires (a semeadura ou o producto da terra).

*Alqueire*,
m.
Antiga medida de capacidade, para secos e líquidos.
Terreno, que leva um alqueire de semeadura.
* Açor.
Furo da roda, em que entra o eixo do carro.
(Do ár. al-queil)

*Alqueireiro*,
m.
Fabricante de alqueires e medidas semelhantes.

*Alqueivar*,
v. t.
Pôr de alqueive.
Lavrar (terra que se não semeia por um ou mais annos, para adquirir
fôrça productiva).
(Do lat. hyp. evellicare, segundo Cornu)

*Alqueive*,
m.
Terreno alqueivado, ou terra que se lavrou e se deixou em poisio.
Estado da terra alqueivada.
(De alqueivar)

*Alquemila*, f. Planta, da fam. das rosáceas.

*Alquequenje*,
m.
Planta herbácea e medicinal, da fam. das solanáceas.
(Do ár. al-caquenje)

*Alqueria*, f. Ant. (V. alcaria)

*Alquermes*,
m.
Espécie de licor napolitano.
Confecção pharmacêutica, muito excitante e hoje desusada.
(Do ár. al-quirmiz)

* *Alqueve*, m. (e der.) Prov. O mesmo que alqueive, etc. (Colhido em Turquel)

* *Alquiar*, v. i. (e der) O mesmo que alquilar, etc.

*Alquicé*, m. Ant. Capa moirisca. * m. Ant. Pequeno enxergão, de que usavam os Árabes. (Do ár. al-quicé)

*Alquicel*, m. Ant. Capa moirisca. * m. Ant. Pequeno enxergão, de que usavam os Árabes. (Do ár. al-quicé)

*Alquicér*, m. Ant. Capa moirisca. * m. Ant. Pequeno enxergão, de que usavam os Árabes. (Do ár. al-quicé)

* *Alquier*, m. Ant. O mesmo que aluguel.

* *Alquiéz*,
m. Ant.
Medida, de que usavam os curtidores, na venda de sola.
(Ár. alquies)

*Alquifol*, m. O mesmo que alquifu.

* *Alquifu*,
m.
Galena, ou minério de chumbo sulfurado.
Pós de galena, com que as mulheres orientaes pintam as sobrancelhas.
(Do ár. al-quifusxe)

*Alquilador*,
m.
Aquelle que alquila.

*Alquilar*,
v. t.
O mesmo que alugar (especialmente bêstas para transporte).
(De alquilé)

*Alquilaria*,
f.
Contrato de alquilar.
Profissão de alquilador.

*Alquilé*,
m.
O mesmo que aluguer, especialmente de cavalgaduras.
* m.
O mesmo que alquilador.
(Do ár. alquiré)

*Alquiler*,
m.
O mesmo que aluguer, especialmente de cavalgaduras.
* m.
O mesmo que alquilador.
(Do ár. alquiré)

* *Alquimão*,
m.
O mesmo que alquimau.

* *Alquimau*,
m.
O mesmo que gallinha-sultana.

*Alquime*,
m.
Oiro falso.
Pechisbeque.
(Cp. alquimia)

*Alquimia*,
f.
Chímica da Idade Média; arte chimérica, que procurava a pedra
philosophal e a panaceia universal.
(Do ár. al + egýp. kema, sciência por excellência)

*Alquímico*, adj. Relativo á alquímia.

*Alquimista*,
m.
Aquelle que se dedicava a estudos e a trabalhos de alquimia.

* *Alquinar*, v. t. Prov. trasm. Fam. Estar para as alquinar, estar em risco de ir para a outra vida, com uma indigestão. Morrer.

* *Alquitão*,
m. Ant.
Carreta para transporte de mulheres.
(Do ár. al-quitam?)

*Alquitara*,
f.
Apparelho destillatório, semelhante ao alambique, mas sem serpentina.
(Do ár. al-cattara)

* *Alquitarra*,
f. Prov. trasm.
Alambique.
(Cp. alquitara)

* *Alquitira*,
f.
O mesmo que alcatira.

* *Alquitrave*,
f.
(Corr. de architrave)

* *Alquorques*, m. pl. Chapins antigos.

*Alrete*, ()
m.
Ave de rapina, semelhante ao corvo.

* *Alriota*, f. Prov. Galhofa, risota.

* *Alrotado*,
adj. Ant.
Perseguido com vaias; escarnecido.
(De alrotar)

* *Alrotador*,
m.
Aquelle que alrota.

* *Alrotar*,^1
v. i. Ant.
Fazer algazarra, surriada.
Bradar.
Pedir esmola, com grande clamor.
(Refl. de alvorotar?)

* *Alrotar*,^2 v. i. Pop. O mesmo que arrotar.

* *Alrotaria*,
f. Ant.
Algazarra; vozearia.
Escárneo ruidoso.
(De alrotar^2)

*Alrute*, m. O mesmo que abelheiro ou abelharuco.

* *Alsácia*, f. Espécie de tabaco. Cf. Inquér. Industr., II, 334.

* *Alsaciano*,
adj.
Relativo á Alsácia.
m.
Habitante da Alsácia.

* *Alsine*, f. Planta, que serve de tipo ás alsíneas.

* *Alsíneas*,
f.
Família de plantas, que têm por typo a orelha-de-toupeira.
(Do gr. alsine)

* *Alsodíneas*,
f. pl.
Tribo de plantas violáceas, segundo De-Candolle.
(Do gr. alsos)

* *Alsona*, f. Árvore da Guiné portuguesa.

* *Alstónia*,
f.
Gênero de plantas apocýneas da Ásia e da Oceânia.
(De Alston, n. p.)

* *Alstroméria*,
f.
Planta ornamental.

* *Alt'-e-malo*,
loc. adv.
Indistintamente; no conjunto: «daremos… a toda a roda alto e malo
a senhoria
». Tolentino, Obras, I, 178.

*Alta*,
f.
Elevação (de preço, de cotação).
Aumento.
Nota, licença, para sair do hospital.
Demora, paragem.
* Ant.
Espécie de dança, em que se erguem muito os pés.
(Fem. de alto)

* *Alta-e-baixa*, f. Prov. alent. Designação, que se dá a uma mulher ou a uma menina, para a reprehender suavemente. Designação depreciativa, que se applica a uma mulher, em substituição de termos injuriosos.

*Altabaixo*,
m.
Golpe, de alto abaixo, em esgrima.
Pancada, de alto abaixo.
(De alto + abaixo)

*Altaforma*,
f.
Ave de rapina, azul.
(Do ár. altaforma)

*Altaico*, adj. Relativo ao Altai ou aos povos do Altai.

* *Altaíta*, f. Variedade de chumbo, descoberta no Altai.

* *Altamado*, adj. De todas as qualidades: panos altamados. Cf. Viana, Apostilas.

*Altamala*,
adv. Ant.
Á pressa.
Sem escolha; indistintamente.
(Cp. alt'-e-malo)

*Altamente*,
adv.
Em lugar alto.
Em voz alta.
Em alto grau.
Profundamente: livro altamente philosóphico.
Nobremente.

*Altamia*,
f. Ant.
Espécie de tijela vidrada.
(Do ár. as-soltamia, segundo Dozy)

* *Altamisa*,
f.
Planta do Peru, ainda não classificada.

* *Altanadice*,
f.
Qualidade de altanado: «eu te farei perder a altanadice». Castilho,
Doente de Scisma, 44.

*Altanado*, adj. Leviano. M. Indivíduo leviano, estroina. * Gír.